1.º   2.º  3.º   4.º   5.º   6.º  7.º  8.º  9.º  10.º  11.º 12.º 13.º  14.º

CoruchenseRiachenseU. TomarAmienseSamora CorreiaFazendenseTorres NovasMaçãoU. AlmeirimAtlético OurienseEmpregados ComércioCartaxoPegoBenavente

  63    54    45   44   44    42   38   37    36    27   26    25   22    7

(imagem enviada por Helder Soares, a quem agradeço uma vez mais)

UT-73-74-PostalUT-73-74-Postal - verso

(imagens de postal enviadas por Hugo Tiago, a quem agradeço uma vez mais)

União de Tomar O União Futebol Comércio e Indústria de Tomar comemora hoje o seu 103.º aniversário, que assinala através de “Jantar de Aniversário” a realizar no próximo sábado, dia 6 de Maio.

Renovo os meus Parabéns a todos os que, ao longo de mais de um século, deram o seu contributo para a gloriosa história do clube: Dirigentes, Técnicos, Jogadores e Atletas, Sócios e Adeptos.

18216743_1267767293273110_7885797420705344332_o


O Mação conquistou hoje a 40.ª edição da Taça do Ribatejo, ao vencer, no Entroncamento, no desempate da marca de grande penalidade (4-3) o Coruchense, depois de um empate (2-2) no final dos 90 minutos, após os maçaenses terem recuperado uma desvantagem de dois golos.

Desde a sua instituição, na época de 1976-77, é a seguinte a lista de vencedores da prova: Fazendense (4 troféus), Tramagal, Riachense, Amiense e Coruchense (3); Águias de Alpiarça, Alferrarede, Samora Correia, Cartaxo, Rio Maior e Mação (2); União Santarém, “Os Lagartos” do Sardoal, Pego, Vasco Gama, Ferreira do Zêzere, Benavente, Ferroviários, Azinhaga, Abrantes FC, Monsanto, Ouriquense e Torres Novas.

Palmarés da prova:

1976-1977 – Amiense                        Carlos Pinhão
1977-1978 – Não se disputou
1978-1979 – União de Santarém         
1979-1980 – Riachense                      Carlos Alberto
1980-1981 – Tramagal                       Rui Oliveira
1981-1982 – Tramagal                       Manuel Cardoso
1982-1983 – Samora Correia                 Romeu Oliveira
1983-1984 – Cartaxo                        Fernando Cartuxo
1984-1985 – Águias Alpiarça                Mário Lázaro
1985-1986 – “Os Lagartos” Sardoal          Alexandre Paulo
1986-1987 – Águias Alpiarça                Conceição
1987-1988 – Pego                           José Neves
1988-1989 – Vasco da Gama                  Carvalho
1989-1990 – Ferreira do Zêzere             José Morais
1990-1991 – Benavente                      António Carlos
1991-1992 – Alferrarede                    Rui Oliveira
1992-1993 – Alferrarede                    Quinó
1993-1994 – Samora Correia                 António Carlos
1994-1995 – Tramagal                       Rui Oliveira
1995-1996 – Coruchense                     José Vasques
1996-1997 – Coruchense                     Luís Martins
1997-1998 – Ferroviários                   José Moita
1998-1999 – Azinhaga                       Francisco Murcela
1999-2000 – Rio Maior                      Gabriel Barra
2000-2001 – Cartaxo                        Luís Salgueiro
2001-2002 – Rio Maior                      João Mourinha
2002-2003 – Abrantes FC                    José Vasques
2003-2004 – Monsanto                       Arsénio Fazenda
2004-2005 – Amiense                        Cláudio Madruga
2005-2006 – Fazendense                     Manuel Francisco
2006-2007 – Ouriquense                     Luís Salgueiro
2007-2008 – Mação                          José Carlos
2008-2009 – Riachense                      Frederico Rasteiro
2009-2010 – Riachense                      Frederico Rasteiro
2010-2011 – Torres Novas                   João Henriques
2011-2012 – Fazendense                     Renato Bento
2012-2013 – Amiense                        Paulo Costa
2013-2014 – Fazendense                     Mário Nelson
2014-2015 – Coruchense                     Gonçalo Silva
2015-2016 – Fazendense                     Rogério Vasconcelos
2016-2017 – Mação                          Fernando Rosado

(Nota – lista de treinadores vencedores da prova recolhida por Paulo Pereira)

U. Almeirim – Moçarriense – 1-1 (4-3 g.p.)

A equipa do U. Almeirim bisou a conquista da Taça do Ribatejo no escalão de Juniores, ao vencer a final, novamente no desempate da marca de grande penalidade, tal como sucedera na época passada.

Palmarés da prova:

2016-2017 – U. Almeirim
2015-2016 – U. Almeirim
2014-2015 – Alcanenense
2013-2014 – Alcanenense
2012-2013 – União de Tomar
2011-2012 – Ac. Santarém

Pulsar - 26

(“O Templário”, 27.04.2017)

Terminou o Campeonato Distrital da I Divisão da A. F. de Santarém, da época 2016-17, com o Coruchense a sagrar-se novamente Campeão Distrital, repetindo o triunfo obtido há duas temporadas, garantindo a promoção ao Campeonato de Portugal, enquanto o Riachense, vice-campeão, obteve o direito a participar na Taça de Portugal.

Com os dois primeiros lugares já antecipadamente definidos, restava, para a derradeira ronda, a disputa por um lugar no pódio (entre União de Tomar e Samora Correia), assim como a luta pela manutenção (que envolvia ainda o At. Ouriense, Pego e Cartaxo).

O União de Tomar, não obstante ter passado praticamente toda a época entre o 6.º e o 4.º lugar, manteve sempre sob mira o 3.º posto, tendo vindo a reduzir gradualmente a diferença que o separava dessa posição, até igualar o Samora Correia em termos pontuais na jornada anterior, para, “sobre a linha de meta”, consumar a ultrapassagem, assim bisando o 3.º lugar da época passada, demonstrando a grande consistência do clube no topo do futebol distrital, com três presenças no pódio nas três últimas edições da prova, a prometer novos feitos para o futuro. Um justo prémio para todo o grupo pela forma séria e empenhada como encarou a temporada, com pontos mais altos nos dois triunfos obtidos face ao Campeão, Coruchense, para além das vitórias averbadas em Amiais de Baixo e em Fazendas de Almeirim, e do empate em Riachos.

Ao invés, o Pego, que se manteve acima da “linha de água” durante toda a prova, num enorme esforço para procurar evitar a descida, acabaria por se ver submergido por tal linha precisamente no último dia – suplantado pelo Cartaxo, que, assim parece ter-se salvo –, num desfecho algo penalizador para a forma abnegada como os pegachos pugnaram durante todo o campeonato.

Destaques – O principal destaque da 26.ª e derradeira jornada vai para o empolgante desafio entre União de Tomar e Fazendense, repleto de cambiantes, golos e com reviravolta no marcador. A turma de Fazendas de Almeirim, que, em caso de vitória, almejava ainda a atingir a 4.ª posição, viria a colocar-se em vantagem, um pouco contra a corrente do jogo, na sequência de um canto. Já depois de os tomarenses terem chegado ao empate, os visitantes voltariam a liderar o marcador, num lance muito similar ao anterior, novamente após pontapé de canto. A formação unionista, “puxando pelos galões”, operaria então a reviravolta, com dois tentos, passando o marcador para 3-2, que parecia garantir-lhe o objectivo. Mas o Fazendense não se entregaria, tendo ainda força mental para chegar a nova igualdade, a três golos. Até final, ainda haveria algum “suspense”, mas o resultado não sofreria mais alterações.

Em Samora Correia, o Coruchense, pese embora a fadiga do jogo da meia-final da Taça do Ribatejo, a meio da semana, não deixou de somar mais um triunfo, mercê de um solitário golo, coroando assim da melhor forma a conquista do título de Campeão, o que culminaria na queda do Samora Correia ao 5.º lugar, em desvantagem no desempate no confronto com o Amiense.

Também o Riachense não abdicou de finalizar o campeonato com uma boa vitória, em Almeirim, ante o União local, por 3-1. Os trinta pontos somados “fora de portas” traduzem o melhor desempenho do campeonato, podendo o conjunto de Riachos lamentar-se, em termos de disputa do título, da penalização resultante dos seis empates (e um desaire) consentidos em casa.

Por fim, salienta-se ainda a expressão da goleada (6-0) aplicada pelo Torres Novas ao “lanterna vermelha”, Benavente, com os torrejanos a fixar-se na 7.ª posição, num campeonato que começou muito mal, vindo depois a empreender notável recuperação.

Surpresa – Não sendo porventura uma completa surpresa, o Cartaxo, em deslocação à Ribeira de Santarém, “fez pela vida”, indo em busca do resultado que lhe poderia proporcionar maior garantia de manutenção – mesmo que não absoluta, uma vez que dependia do At. Ouriense e Pego não ganharem, ambos os seus encontros (para além de subsistir ainda pendente da confirmação da manutenção do Alcanenense no Nacional) –, conseguindo assegurar um crucial triunfo, por 2-0, ante os Empregados do Comércio. Valeram, ao vice-campeão da época anterior, os dez pontos averbados nas quatro últimas partidas, num notável “tour de force” final.

Confirmações – Nos restantes dois encontros os visitados confirmaram o respectivo favoritismo, com o At. Ouriense, ganhando ao Mação – que disputará, no próximo dia 1 de Maio, no Entroncamento, a final da Taça do Ribatejo, defrontando o Coruchense – por 2-1, a alcançar finalmente os pontos de que necessitava para garantir a manutenção no principal escalão; um desfecho que o resultado do Amiense-Pego (3-1) não possibilitou aos pegachos, como já referido anteriormente, pese embora terem até começado por inaugurar o marcador.

II Divisão Distrital – Na fase de disputa do título de Campeão, a U. Abrantina mantém a sua senda triunfal, batendo o U. Santarém (2-1), mercê de dois golos obtidos já na fase final do desafio, somando o pleno de 12 pontos; os oito pontos de vantagem para o 4.º posto permitem antever que deverá concretizar a promoção à I Divisão Distrital. Também o Moçarriense, goleando o Marinhais (3-0) parece bem encaminhado para tal desiderato, dado dispor de avanço de cinco pontos face ao Ferreira do Zêzere (actual 4.º classificado), equipa que, tendo vencido por 2-0 na recepção ao U. Atalaiense, parece disposta a discutir – com a turma do município de Salvaterra de Magos e com o conjunto da capital do Distrito – a terceira vaga de acesso ao principal escalão, de que dista, nesta altura, três pontos, ainda com seis jogos por realizar.

Campeonato de Portugal – O Fátima somou terceiro desaire sucessivo, perdendo no Algarve, ante o Farense, por 3-1, assim hipotecando praticamente as suas esperanças na subida à II Liga, tendo entretanto baixado ao 4.º posto, agora já com um atraso de cinco pontos em relação ao duo da liderança, composto por Praiense e Real, quando faltam disputar apenas três jornadas.

Ao contrário, o Alcanenense, desforrando-se do – de todo inesperado – desaire sofrido na primeira volta, na Figueira da Foz, goleou a Naval por “esmagadora” marca de 9-0, continuando a partilhar a 2.ª posição com o Caldas, e, mais importante, ampliando já para oito pontos o avanço face ao 6.º classificado (Carapinheirense), afastando-se assim, de forma determinada, da zona perigosa da tabela, devendo um ponto mais bastar-lhe para garantir absoluta tranquilidade.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 27 de Abril de 2017)

Torres Novas – CADE – 1-2
Fátima – U. Almeirim – 1-0
Cartaxo – Samora Correia – 2-1
Moçarriense – Salvaterrense – 1-1
U. Atalaiense – U. Tomar – 0-4
Folga: Amiense

1º Amiense, 51; 2º Fátima, 43; 3º U. Almeirim, 37; 4º U. Tomar, 35; 5º Salvaterrense, 29; 6º Torres Novas, 29; 7º CADE, 25; 8º Moçarriense, 22; 9º Cartaxo, 19; 10º Samora Correia, 16; 11º U. Atalaiense, 13

O Amiense sagrou-se Campeão Distrital de Juniores, sendo promovido à II Divisão Nacional. As equipas da U. Atalaiense e do Benavente (que desistiu da prova) são despromovidas à II Divisão Distrital.