Janeiro 2012



Graças às fotos facultadas por Bastos Nunes, e ao vosso interesse, por elas suscitado, esta página teve, neste mês de Janeiro, o mês com maior número de visitantes desde a sua criação, em Maio de 2009. Foram quase 8 000 visitas – uma média superior a 250/dia! O meu muito obrigado a todos!

Depois de por aqui ter tido oportunidade de recordar já as épocas mais bem sucedidas do União de Tomar, com os títulos conquistados, presenças na I Divisão Nacional e vitórias de Série (temporadas de 1941-42, 1942-43, 1964-65, 1967-68, 1968-69, 1969-70, 1970-71, 1971-72, 1972-73, 1973-74, 1974-75, 1975-76, 1977-78, 1982-83, 1987-88, 1989-90 e 1997-98 – para além de se encontrarem também aqui retratadas as épocas mais recentes, de 2009-10, 2010-11 e 2011-12 – ou seja, já um total de 20 temporadas), chegou a altura de “mergulhar nas profundezas do século XX”, e relembrar esses anos mais longínquos.

Dado que o jornal “Cidade de Tomar”, de que me socorri para estas memórias, apenas começou a ser publicado em 1935 (ano em que o União de Tomar atravessava um período de “hibernação” no que respeita ao futebol de competição), a primeira temporada que começarei por evocar, já a partir de amanhã, será a de 1936-37.

Convido-os a acompanhar-me em mais esta viagem pelo passado histórico do União de Tomar!

A par destas memórias, e depois de um primeiro ciclo de fotografias facultadas por Bastos Nunes (publicadas ao longo deste mês de Janeiro), disponho já de algumas novas fotografias, que por aqui irei também apresentando.

Rui Manhoso, anterior Presidente da Associação Futebol de Santarém, e actual Vice-Presidente da Federação Portuguesa de Futebol, divulgou hoje uma proposta de reestruturação dos campeonatos de futebol organizados pela FPF.

Tal proposta, a ser aprovada, teria como época de transição a próxima temporada, de forma a poder entrar plenamente em vigor na época 2013-14.

A mesma prevê a extinção da actual III Divisão, passando a Federação Portuguesa de Futebol a organizar um único campeonato de seniores masculinos – que, assim, deixaria de ser designado por II Divisão, dado passar a tratar-se de uma competição única (abaixo das Ligas Profissionais).

Numa perspectiva de racionalização de custos, a nova competição da FPF deverá ser disputada por um total de 80 equipas, com 8 séries de 10 equipas, agrupadas com base em critérios de proximidade regional. Teríamos portanto, nesta primeira fase da prova, 18 jornadas.

Para a segunda fase, os 2 primeiros classificados de cada uma das séries da primeira fase, seriam agrupados em 2 novas séries, cada uma com 8 equipas (portanto, com 14 jornadas). O vencedor de cada série disputará o título de Campeão Nacional; os 2º classificados disputarão a terceira e última vaga de promoção à Liga de Honra.

As equipas classificadas entre o 3º e 10º lugar de cada série na primeira fase disputarão, na segunda fase (14 jornadas), a manutenção, com os dois últimos classificados (7º e 8º desta segunda fase) a serem despromovidos aos Distritais (total de 16 equipas).

Dado que serão promovidos dos Distritais para esta nova competição de índole nacional, os 20 Campeões Distritais (18 do Continente, 1 dos Açores e 1 da Madeira), as 8 equipas classificadas em 6º lugar de cada série na segunda fase terão de disputar entre si o evitar das 4 posições adicionais de despromoção aos Distritais.

Esta reformulação do quadro competitivo (com extinção da III Divisão e fim da designação de II Divisão), implicará a redução do número de equipas participantes na competição nacional – passando das actuais 142 (48 na actual II Divisão e 94 na III Divisão), para apenas 80; ou seja, um acréscimo de 62 equipas nas provas de índole regional.

Por esclarecer subsiste apenas a questão do apuramento para a nova competição, a determinar no final da época 2012-13; em princípio, para além das 48 equipas participantes na última edição do campeonato da II Divisão, serão apuradas adicionalmente 32 equipas; apenas as melhores classificadas da última temporada da III Divisão, ou abrangendo também os Campeões Distritais de 2012-13?

Em concreto, no que respeita a eventuais implicações no Distrital da A. F. Santarém, não deverão ser muito significativas, dado que, previsivelmente, o Distrito apenas deverá ter um ou dois representantes na III Divisão em 2012-13 (Cartaxo, se alcançar a manutenção na temporada em curso, e o Campeão Distrital de 2011-12) – situação ainda dependente da manutenção ou não da equipa do Monsanto na II Divisão.

(foto gentilmente cedida por Bastos Nunes, enviada por Hélder Soares)

 Época      Divisão           Equipa           Jogos    Golos
1981/82    Dist.         G.S. Carcavelos         nd        -
1980/81    Dist.         G.S. Carcavelos         nd        -
1979/80    Dist.         G.S. Carcavelos         nd        -
1973/74    III           E. Portalegre            7        -
1972/73    III           Portalegrense           28        -
1971/72    III           E. Portalegre           21        -
1970/71    III           Portalegrense           17        -
1969/70    III           E. Portalegre           32        -
1969       Timor         S. Dili e Benfica        5        -
1968       Timor         S. Dili e Benfica       16        -
1967       Timor         Sp. C. Timor            17        -
1966/67    II            U. Tomar                13        -
1965/66    II            U. Tomar                16        -
1964/65    Dist./III     U. Tomar                29        -
1963/64    Dist./III     U. Tomar                26        -
1962/63    Dist./III     U. Tomar                20        -
1961/62    III           U. Tomar                 7        -
1961/62    Jun.          U. Tomar                 5        -

António Augusto de Bastos Nunes
Naturalidade – Lisboa
Data de nascimento – 04.04.1944
Guarda-redes

Nota – Nos jogos efectuados estão incluídas participações, nos clubes que disputaram as provas: Campeonatos Nacionais e Distritais, Taças de Portugal, Jogos Particulares, Torneios de Abertura e Taça Ribeiro dos Reis. (Os dados indicados relativamente às épocas de 1962/63 e 1963/64 podem não estar exactos, mas apenas pecar por defeito, pelo que o número de jogos efectivamente disputados pode eventualmente ser algo superior).


Com a apresentação de Bastos Nunes, mais uma grande figura do União de Tomar – Campeão Distrital e Campeão Nacional da III Divisão, na época 1964-65 -, assim se encerra um primeiro ciclo de recordação de memórias através das fotos gentilmente cedidas pelo próprio Bastos Nunes, que me foram enviadas por Hélder Soares, que aqui fui publicando ao longo deste mês de Janeiro. Entretanto, para o mês de Fevereiro, posso desde já adiantar que haverá novas fotografias…

Agradeço a ambos a disponibilidade manifestada, facultando-me a publicação destes elementos históricos, integrantes da memória colectiva do União de Tomar!

Em pé: Bastos Nunes, Belo, Mário Coluna, Humberto Fernandes, A. João e Bica

Em baixo: Laranjo, Alberto, Paris, Moita e Ruca

(Foto: Alberto Cruz)

(foto gentilmente cedida por Bastos Nunes, enviada por Hélder Soares – uma foto histórica, com a presença, na equipa do E. Portalegre, para além de Bastos Nunes, do “capitão” Mário Coluna)

                            Total               Casa            Fora
                   Jg  V  E  D    G    Pt   V  E  D   G     V  E  D   G
 1º Beira-Mar      30 20  7  3  51-16  47  12  3  - 32- 5   8  4  3 19-11
 2º Ac. Viseu      30 16  9  5  55-24  41  10  4  1 39- 8   6  5  4 16-16
 3º Portalegrense  30 12 11  7  36-24  35   7  7  1 20- 9   5  4  6 16-15
 4º U. Tomar       30 12  9  9  34-29  33  11  2  2 26- 9   1  7  7  8-20
 5º E. Portalegre  30 13  6 11  39-30  32  10  3  2 29- 9   3  3  9 10-21
 6º Peniche        30 10 11  9  40-38  31   8  6  1 29-12   2  5  8 11-26
 7º Marinhense     30 11  9 10  34-35  31   8  5  2 16- 8   3  4  8 18-27
 8º U. Leiria      30 11  8 11  34-42  30   8  4  3 19-14   3  4  8 15-28
 9º U. Santarém    30 10 10 10  32-29  30   8  4  3 20- 8   2  6  7 12-21
10º Covilhã        30 12  5 13  30-36  29   8  2  5 21-16   4  3  8  9-20
11º Águeda         30  9 11 10  27-24  29   8  5  2 22-12   1  6  8  5-12
12º U. Coimbra     30 10  9 11  28-27  29   9  4  2 21- 7   1  5  9  7-20
13º Mangualde      30  9  9 12  24-39  27   9  4  2 18-11   -  5 10  6-28
14º Marrazes       30  7  9 14  25-42  23   4  8  3 12-11   3  1 11 13-31
15º Sintrense      30  6  5 19  24-49  17   5  3  7 16-18   1  2 12  8-31
16º Cartaxo        30  6  4 20  24-53  16   5  2  8 17-23   1  2 12  7-30

Apuramento do Campeão

1º Famalicão / 2º Barreirense / 3º Beira-Mar

Famalicão sagrou-se Campeão Nacional da II Divisão

Promovidos à I Divisão Nacional – Famalicão, Barreirense, Beira-Mar e Ac. Viseu

Despromovidos à III Divisão Nacional – Paços Brandão, Régua, Sanjoanense, Vila Real, Mangualde, Marrazes, Sintrense, Cartaxo, Sesimbra, Lusitano Évora, Vasco Gama e Luso do Barreiro

Estádio 25 de Abril, em Tomar

Árbitro – Melo Acúrsio, do Porto

U. TOMAR – Segorbe; Rosa, Varela, Barrinha e Sarmento; Alcino (Bravo), Gameiro e Pinto; Caetano, Camolas e Antoninho

U. SANTARÉM – José João; Pelarigo (Baptista), Rogério, Conceição e Galveias; Egídio, Horácio e Cruz; Henrique (Brito), Albano e José Luís

1-0 – Antoninho – 40m
2-0 – Camolas – 43m
2-1 – Horácio – 63m
3-1 – Barrinha (pen.) – 70m
4-1 – Caetano – 73m

(“A Bola”, 12.06.1978)

(“Record”, 13.06.1978)

Página seguinte »