Março 2013


Templario - 28-03-2013

(“O Templário”, 28.03.2013)

Afinal, o avançar do campeonato parece fazer com que as coisas fiquem cada vez mais “embrulhadas”. Numa prova marcada por grande equilíbrio competitivo entre as equipas da frente, sem nenhuma a conseguir descolar, a definição do Campeão poderá prolongar-se até perto do final.

Na ronda do passado fim-de-semana, a terceira desta segunda fase, em que o reduzido número de golos na série de promoção (apenas quatro, em três partidas) é também reflexo de tal competitividade, a derrota do Riachense em Ourém, não obstante pela margem mínima, permitiu ao At. Ouriense assumir a liderança isolada, agora com um (ainda muito escasso) ponto de vantagem sobre o duo formado pela turma de Riachos e pelo Mação, que voltam a emparceirar, depois do triunfo dos maçaenses sobre o Fazendense (por igual marca, de um a zero).

No outro encontro da jornada, o Benavente impôs ao Amiense um empate a uma bola, assim atrasando novamente a formação de Amiais de Baixo – que tem feito toda a época em esforço, procurando “agarrar-se” aos lugares de topo –, agora a quatro pontos do novo comandante, após ter somado a terceira igualdade em outros tantos encontros disputados nesta fase. Uma desvantagem que não se poderá ainda considerar definitiva, atento tal nivelamento entre os concorrentes, dado que, curiosamente, é também a única equipa ainda invicta.

Na série de disputa da manutenção, o União de Tomar teve o “pássaro na mão” e deixou-o fugir: a ganhar por 2-0 ao intervalo, jogando contra dez, e, depois, contra apenas nove elementos da U. Abrantina, viria a conceder dois tentos que acabaram por se traduzir no empate, no final da partida, com os nabantinos a deixar assim escapar um triunfo que poderia ter sido determinante para devolver a tranquilidade à equipa.

Mas a grande surpresa da jornada veio de Coruche, com o grupo da casa a ser derrotado pelo até agora “lanterna vermelha” Moçarriense, por 1-2. Um resultado que só mais adiante será possível avaliar se terá sido ou não conveniente para o U. Tomar. Para já, provoca que, mesmo com um jogo ainda em atraso, o União voltasse a igualar o Coruchense em termos de pontos, beneficiando ainda, pelo menos em teoria, do facto de receber a sua visita em Tomar, na segunda volta.

De “vento em popa” vai o Pontével, que, vencendo por 3-2 na Glória do Ribatejo, somou o terceiro triunfo consecutivo, portanto com aproveitamento integral dos pontos. Reforçou assim a sua liderança nesta série, dispondo agora de quatro pontos de vantagem sobre a U. Abrantina e já seis face a Coruchense e União de Tomar. O que, porém, não significa que se possa considerar desde já, a salvo de qualquer imprevisto. Há ainda muito campeonato por disputar…

Também a equipa da Moçarria, com a vitória alcançada em Coruche, pode ter ganho novo alento, registando agora um atraso de quatro pontos face à “linha de água”. Ao invés, o Glória do Ribatejo, tendo caído na última posição, com seis pontos a menos que União de Tomar e Coruchense poderá ver definido, nas próximas partidas, o desfecho do campeonato para as suas cores.

Ora, tendo o calendário da prova determinado uma interrupção para o próximo fim-de-semana, de Páscoa, há contudo um jogo em atraso, a disputar na Sexta-feira Santa, com o União de Tomar a receber a visita (na Golegã…), precisamente, da turma da Glória do Ribatejo. Como se depreende, um desafio de grande importância para ambos os clubes, em que o União tem uma oportunidade de, vencendo, dar um pulo na tabela classificativa, assim como adquirir confiança para a parte restante do campeonato.

Na Divisão Secundária – à semelhança do que se verifica na série de disputa do título na Divisão Principal –, também as coisas surgem agora mais indefinidas, após a realização da 4.ª jornada. A derrota sofrida pelo líder U. Chamusca no Pego (1-2) resultou num reagrupamento dos quatro primeiros, com um trio formado pelas equipas do Pego, Empregados do Comércio e Assentiz (que empataram entre si a duas bolas) a apenas dois pontos do comandante. Nos postos da cauda da tabela, o Caxarias foi vencer a Samora Correia (2-1), com ambas as formações, para já, relativamente distantes dos lugares de promoção, respectivamente a quatro e a seis pontos.

Com os campeonatos Distritais em pausa – à excepção do tal jogo em atraso do União de Tomar – o próximo Sábado regista a retoma do Campeonato Nacional da III Divisão, que entra na sua segunda fase, com o Alcanenense a receber o líder Caldas, num encontro que poderá ser também decisivo para as eventuais aspirações do conjunto de Alcanena à promoção ao futuro Campeonato Nacional de Seniores da próxima temporada, de que arranca com um atraso de quatro pontos. De recordar que o desempenho do Alcanenense afectará directamente o número de equipas a despromover da Divisão Principal do Distrital.

Por fim, o Torres Novas, integrado no grupo dos seis últimos, não obstante partir como líder, e tendo já o seu destino traçado – regresso ao Distrital – terá nesta segunda fase apenas a motivação de lutar por um dos dois lugares que darão acesso à próxima edição da Taça de Portugal; no reinício da competição, visita o “lanterna vermelha” Mortágua.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 28 de Março de 2013)

Anúncios

At. Ouriense – Coruchense – 2-0
Amiense – Fazendense – 5-0

As equipas do At. Ouriense e do Amiense disputarão a Final da competição, agendada para 1 de Maio, dia em que será também realizada a Final da Taça Ribatejo no escalão de Juniores, entre U. Tomar e Alcanenense.

U. TOMAR – Ricardo, Diogo Gaspar, André Roriz (c.), Pedro Figueiredo (45m – Rui Pedro Lopes), André Silva, Marquito, Paulo Godinho, João Marinheiro (72m – Vinicius), Michel, Romário e Laurindo Uguri (84m – Alex)

(suplentes – André Costa, João Tapadas, Tiago Mendes e Hugo Magalhães)

GLÓRIA DO RIBATEJO – Ricardo Ferreira, André Monteiro, Eduardo, Paulo Jorge, Sérgio Vicente, Mauro Conceição (86m – Daniel Lobo), Luís Cordeiro (73m – Gonçalo Monteiro), Rui Prof, José Miranda (61m – Francisco Venda), Isac (c.) e Paulo Coelho

1-0 – Romário – 90m

Cartões amarelos – Pedro Figueiredo (21m), Romário (39m), André Silva (53m), André Roriz (68m), João Marinheiro (71m) e Paulo Godinho; José Miranda (31m), Paulo Coelho (41m) e Sérgio Vicente (87m)

Árbitro – Leonel Manha

Série Promoção

At. Ouriense – Riachense – 1-0
Benavente – Amiense – 1-1
Mação – Fazendense – 1-0

                      Jg     V     E     D       G       Pt
1º At. Ouriense        3     2     -     1     2 -  2    30
2º Riachense           3     1     1     1     2 -  2    29
3º Mação               3     1     1     1     1 -  1    29
4º Amiense             3     -     3     -     3 -  3    26
5º Fazendense          3     -     2     1     2 -  3    20
6º Benavente           3     1     1     1     4 -  3    19

Série Manutenção

U. Tomar – U. Abrantina – 2-2
Coruchense – Moçarriense – 1-2
Glória Ribatejo – Pontével – 2-3

                      Jg     V     E     D       G       Pt
1º Pontével            3     3     -     -     6 -  3    20
2º U. Tomar            3     1     1     1     4 -  5    17
3º U. Abrantina        3     -     1     2     4 -  6    16
4º Coruchense          3     2     -     1     6 -  4    14
5º Moçarriense         3     1     1     1     2 -  2    10
6º Glória Ribatejo     3     -     1     2     2 -  4     8

Árbitro – Mendonça da Rocha (Lisboa)

U. TOMAR – Bastos Nunes; Josué, Maçarico, Dui e Mário Consciência; Lino e Santos; Cabrita, Brás, Morado e Totói

SALGUEIROS – Américo; Taco, Chau, Borges e Dario; Fernando e Amadeu; Edgar, Ernesto, Cláudio e Castro

1-0 – Brás – 43m
1-1 – Castro – 58m
2-1 – Morado – 74m

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

(Imagem – “Cidade de Tomar”, 06.03.1966)

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

(Imagem – “O Templário”, 06.03.1966)

                            Total               Casa            Fora
                    Jg  V  E  D    G    Pt   V  E  D   G     V  E  D   G
 1º Sanjoanense     21 13  3  5  48-17  29  10  1  - 36- 3   3  2  5 12-14
 2º Penafiel        21 11  3  7  40-24  25   9  -  2 30- 9   2  3  5 10-15
 3º Covilhã         21 10  5  6  32-31  25   9  1  - 21- 7   1  4  6 11-24
 4º U. Tomar        21  9  6  6  34-40  24   6  5  - 20-10   3  1  6 14-30
 5º Leça            21  8  6  7  32-28  22   7  1  2 26-14   1  5  5  6-14
 6º Salgueiros      21  7  7  7  29-22  21   4  4  3 17- 8   3  3  4 12-14
 7º U. Lamas        21  7  6  8  28-30  20   4  3  3 17-13   3  3  5 11-17
 8º Peniche         21  7  6  8  21-23  20   5  4  2 18- 8   2  2  6  3-15
 9º Ovarense        21  8  4  9  21-29  20   5  3  2 12- 6   3  1  7  9-23
10º Espinho         21  7  5  9  20-26  19   5  4  2 13- 9   2  1  7  7-17  
11º Famalicão       21  8  3 10  27-37  19   8  1  1 18- 4   -  2  9  9-33
12º Oliveirense     21  8  2 11  25-34  18   7  2  1 21- 6   1  - 10  4-28
13º Marinhense      21  7  3 11  33-35  17   7  1  2 24-12   -  2  9  9-23 
14º Boavista        21  4  7 10  25-39  15   4  3  4 16-17   -  4  6  9-22

Penafiel – Boavista – 4-1
U. Tomar – Salgueiros – 2-1
Espinho – Famalicão – 1-1
Sanjoanense – Marinhense – 2-0 (Adiado)
Peniche – Oliveirense – 3-0 (Adiado)
Covilhã – U. Lamas – 3-0
Leça – Ovarense – 0-0

Estádio do Bessa

Árbitro – Amadeu Martins (Braga)

BOAVISTA – Vieira; Augusto, Serafim Ribeiro, Francelino e Sousa Ribeiro; F. Baptista e Adérito; Raimundo, Alberto, Celestino e Germano

U. TOMAR – Bastos Nunes; Josué, Maçarico, Dui e Mário; Lino e Santos; Cabrita, Brás, Morado e Tótói

0-1 – Brás – 40m
0-2 – Morado – 48m
0-3 – Brás – 85m

(sem ficha de jogo nos jornais “Cidade de Tomar” e “O Templário” – ficha de jogo indicada por Bastos Nunes, com base no “Jornal de Notícias”)

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

(Imagem – “Cidade de Tomar”, 27.02.1966)

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

(Imagem – “O Templário”, 27.02.1966)

Página seguinte »