Setembro 2014


Estádio Municipal de Tomar

Árbitro – Paulo Baptista  (Portalegre)

U. TOMAR – Carlos Dias, Paulo Santos, Alexandrov, João Paulo, Jacob (c.), Zé-Tó (55m – Mário Pinto), Ferreira, Piranga, Ricardo Segorbe (62m – Sequeira), Victor Romero e Nuno Miguel

ALCOBAÇA – Guedes, Marinho (c.), Leonel, Fernando (55m – Nelson), Marrazes, Mitó, Ricardo (62m – Jordão), José Miguel, Lino, Rui João e Licínio

1-0 – Nuno Miguel – 11m
2-0 – Ricardo Segorbe – 31m
3-0 – Alexandrov – 49m
4-0 – Ferreira – 54m
5-0 – Nuno Miguel – 66m
6-0 – Victor Romero – 69m
7-0 – Alexandrov – 86m

Cartão vermelho – Marrazes (49m)

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
(Imagem – “Cidade de Tomar”, 25.03.1994)

                            Total               Casa            Fora
                    Jg  V  E  D    G    Pt   V  E  D   G     V  E  D   G
 1º U. Santarém     23 15  6  2  31-13  36   8  3  - 20- 7   7  3  2 11- 6
 2º U. Almeirim     23 15  5  3  45-19  35   9  2  1 25- 6   6  3  2 20-13
 3º Beneditense     23 13  6  4  41-18  32   8  3  - 27- 6   5  3  4 14-12
 4º Pombal          23 14  3  6  40-22  31  10  -  1 22- 4   4  3  5 18-18
 5º Proença-A-Nova  23 12  7  4  29-15  31   7  3  1 21-11   5  4  3  8- 4
 6º U. Tomar        23 12  4  7  39-20  28   8  1  2 25- 7   4  3  5 14-13
 7º Benavente       23 10  5  8  32-22  25   6  3  2 18- 6   4  2  6 14-16
 8º Portalegrense   23 10  5  8  27-23  25   8  3  1 19- 8   2  2  7  8-15
 9º Vilafranquense  23  9  6  8  36-28  24   6  2  3 21-12   3  4  5 15-16
10º Rio Maior       23  8  6  9  31-28  22   4  6  2 21-13   4  -  7 10-15
11º Sertanense      23  5 10  8  16-15  20   5  5  2 14- 3   -  5  6  2-12
12º Marrazes        23  7  6 10  25-29  20   4  3  5 13-13   3  3  5 12-16
13º Alcobaça        23  7  4 12  16-32  18   7  2  3 11- 6   -  2  9  5-26
14º Marinha         23  5  7 11  20-33  17   5  2  5 14-14   -  5  6  6-19
15º Bombarralense   23  6  4 13  23-42  16   5  2  5 16-19   1  2  8  7-23
16º E. Portalegre   23  5  4 14  16-39  14   4  2  5  8-12   1  2  9  8-27
17º Mirense         23  6  2 15  23-54  14   4  1  7 13-25   2  1  8 10-29
18º Arronchense     23  1  4 18  13-51   6   1  4  6  7-16   -  - 12  6-35

Mirense – Portalegrense – 0-2
Rio Maior – Sertanense – 2-1
Marinha – Bombarralense – 2-0
Marrazes – U. Almeirim – 0-1
U. Tomar – Alcobaça – 7-0
U. Santarém – Vilafranquense – 2-0
Arronchense – Pombal – 0-3
Proença-A-Nova – Benavente – 0-0
E. Portalegre – Beneditense – 0-1

Estádio D. Manuel de Melo, em Almeirim

Árbitro – Aníbal Guerreiro (Setúbal)

U. ALMEIRIM – Chico, Agostinho, Gonçalves, Carlitos, P. Figueiredo, Padinha, P. Duarte, L. Amante (72m – Murtinheira), Melro, Frim e Betes

U. TOMAR – Carlos Dias, Paulo Santos, Alexandrov, João Paulo, Jacob, Zé-Tó, Ferreira, Piranga, R. Segorbe, V. Romero e Nuno Miguel (61m – Calado) (80m – Paulo Jorge)

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

(Imagem – “Cidade de Tomar”, 18.03.1994)

                            Total               Casa            Fora
                    Jg  V  E  D    G    Pt   V  E  D   G     V  E  D   G
 1º U. Santarém     22 14  6  2  29-13  34   7  3  - 18- 7   7  3  2 11- 6
 2º U. Almeirim     22 14  5  3  44-19  33   9  2  1 25- 6   5  3  2 19-13
 3º Beneditense     22 12  6  4  40-18  30   8  3  - 27- 6   4  3  4 13-12
 4º Proença-A-Nova  22 12  6  4  29-15  30   7  2  1 21-11   5  4  3  8- 4
 5º Pombal          22 13  3  6  37-22  29  10  -  1 22- 4   3  3  5 15-18
 6º U. Tomar        22 11  4  7  32-20  26   7  1  2 18- 7   4  3  5 14-13
 7º Vilafranquense  22  9  6  7  36-26  24   6  2  3 21-12   3  4  4 15-14
 8º Benavente       22 10  4  8  32-22  24   6  3  2 18- 6   4  1  6 14-16
 9º Portalegrense   22  9  5  8  25-23  23   8  3  1 19- 8   1  2  7  6-15
10º Rio Maior       22  7  6  9  29-27  20   3  6  2 19-12   4  -  7 10-15
11º Sertanense      22  5 10  7  15-13  20   5  5  2 14- 3   -  5  5  1-10
12º Marrazes        22  7  6  9  25-28  20   4  3  4 13-12   3  3  5 12-16
13º Alcobaça        22  7  4 11  16-25  18   7  2  3 11- 6   -  2  8  5-19
14º Bombarralense   22  6  4 12  23-40  16   5  2  5 16-19   1  2  7  7-21
15º Marinha         22  4  7 11  18-33  15   4  2  5 12-14   -  5  6  6-19
16º E. Portalegre   22  5  4 13  16-38  14   4  2  4  8-11   1  2  9  8-27
17º Mirense         22  6  2 14  23-52  14   4  1  6 13-23   2  1  8 10-29
18º Arronchense     22  1  4 17  13-48   6   1  4  5  7-13   -  - 12  6-35

Portalegrense – Rio Maior – 3-2
Sertanense – Marinha – 0-0
Bombarralense – Marrazes – 3-1
U. Almeirim – U. Tomar – 0-0
Alcobaça – U. Santarém – 0-1
Vilafranquense – Arronchense – 5-1
Pombal – Proença-A-Nova – 0-1
Benavente – E. Portalegre – 4-0
Beneditense – Mirense – 4-0

U. TOMAR – Nuno Ribeiro, Rui Silva, Laerte Carboni (76m – Joca), Fábio Vieira, Tiago Alfieri (85m – Rui Pedro Lopes), Paulo Godinho (c.), Telmo Ferreira (60m – Flávio Graça), Douglas Bergamin, Luís Alves, David Vieira e Pelé

(suplentes – Ricardo Brito, Fábio Marques, André Silva e Fred Do Val)

CARTAXO – Ivo Elias, Rafael Barbosa, Rafael Caria, Diogo Martins, Nuno Casimiro, Chico, Tiago Baptista, Pedro Soares (76m – Samuel Clemente), Couves (69m – David Silva), Tiago Dias (c.) e Ricardo Henriques (87m – Rúben Henriques)

1-0 – Pelé – 23m
1-1 – Tiago Dias – 39m
1-2 – Ricardo Henriques – 83m
2-2 – Pelé – 90m

Cartões amarelos – Laerte Carboni (32m), Flávio Graça (61m), Tiago Alfieri (67m), Rui Silva (80m) e Fábio Vieira (90m); Nuno Casimiro (53m), Ricardo Henriques (83m), Rafael Caria (90m) e Tiago Dias (90m)

Árbitro – Duarte Escudeiro

Mação – Fazendense – 0-1
Coruchense – U. Santarém – 3-0
Benavente – Rio Maior – 1-1
U. Tomar – Cartaxo – 2-2
Torres Novas – Barrosense – 4-1
Pontével – Amiense – 1-0
Emp. Comércio – U. Chamusca – 3-0

                       Jg     V     E     D       G       Pt
 1º Coruchense          2     2     -     -     4 -  0     6
 1º Emp. Comércio       2     2     -     -     4 -  0     6
 3º Cartaxo             2     1     1     -     6 -  4     4
 4º U. Tomar            2     1     1     -     3 -  2     4
 5º Torres Novas        2     1     -     1     5 -  3     3
 6º Mação               2     1     -     1     5 -  4     3
 7º Amiense             2     1     -     1     2 -  2     3
 7º Pontével            2     1     -     1     2 -  2     3
 9º Fazendense          2     1     -     1     1 -  1     3
10º U. Chamusca         2     1     -     1     2 -  4     3
11º Rio Maior           2     -     1     1     1 -  2     1
12º Benavente           2     -     1     1     3 -  5     1
13º Barrosense          2     -     -     2     1 -  5     -
14º U. Santarém         2     -     -     2     3 -  8     -

Pulsar - 1

(“O Templário”, 25.09.2014)

Está de volta o Campeonato Distrital da I Divisão, com uma ronda inaugural fértil em golos (média superior a três por jogo, sem qualquer encontro sem golos), e com a particularidade de não se ter registado qualquer empate nas sete partidas disputadas.

O primeiro destaque da competição que agora começa a ensaiar os primeiros passos vai para o grupo dos Empregados do Comércio de Santarém, que protagonizou a principal surpresa da jornada, impondo-se no terreno de um presumível candidato aos primeiros lugares, Fazendense (4.º na temporada precedente), ganhando por 1-0.

De seguida menção a dois jogos em que os avançados estiveram particularmente concretizadores, com o triunfo por 5-3 do Mação em Santarém, frente à outra equipa escalabitana, U. Santarém, recém primodivisionário, após ter retomado a competição oficial na época passada; e com o Cartaxo a ganhar por 4-2 ao Benavente.

Por fim, o realce para outros dois vencedores em terreno alheio: o Coruchense (vice-campeão no ano anterior, porventura o principal candidato ao título), ganhando 1-0 em Rio Maior, clube com um percurso em tudo similar ao do U. Santarém, a nível do regresso à competição e da promoção ao principal escalão do futebol distrital; e o União de Tomar, obtendo o mesmo desfecho na deslocação à Barrosa, para defrontar o terceiro promovido da II Divisão Distrital, Barrosense (outra equipa do município de Benavente), os três com uma má estreia.

Valerá a pena deter-nos um pouco mais neste triunfo unionista, que foi bem sofrido, bastante dificultado por um adversário que, neste desafio, se revelou organizado, pressionante a todo o campo, e durante praticamente todo o tempo de jogo, respondendo sempre à toada mais ofensiva que o União ia procurando impor – com os tomarenses, praticamente desde o início da contenda, a assumir a iniciativa do jogo –, por via de rápidos contra-ataques, que não possibilitavam ao adversário descansar nem confiar em demasia.

De facto, só a meio do segundo tempo os unionistas conseguiriam – curiosamente num lance em que replicaram o tipo de jogada em que o adversário mais vinha insistindo, numa veloz saída para o ataque, com Pelé a desmarcar-se, a ter tempo para dominar a bola, e, na cara do guardião adversário, com muita frieza, rematar inapelavelmente para o fundo da baliza – chegar ao golo que lhes garantiria os três pontos. Só já em tempo de compensação o União voltaria a dispor de uma outra soberana ocasião para marcar, com um potente remate a que o guarda-redes contrário, muito concentrado, deu cabal resposta, numa defesa de elevado grau de dificuldade.

Uma vitória feliz, merecida pelo esforço desenvolvido, por parte de um conjunto tomarense que não se apresentou na máxima força (actuando sem os seus jogadores brasileiros, ainda em processo de finalização da respectiva inscrição), e ao qual, neste encontro, pareceu faltar alguns metros na frente ofensiva. Mas, também, necessariamente, uma vitória importante, proporcionando o reforçar do nível de confiança do grupo, e a tranquilidade necessária para enfrentar os novos desafios que se irão colocando.

Falta referir os dois outros jogos deste primeiro dia de prova: num deles, defrontavam-se dois tradicionais candidatos às posições de topo da pauta classificativa, com o Amiense a receber e a derrotar o Torres Novas (respectivamente, 5.º e 3.º classificados no campeonato anterior) por 2-1; no outro, com o U. Chamusca a ser visitado pelo Pontével (clubes que, no ano passado, lutaram arduamente, até ao final, pela manutenção), registando-se idêntico marcador, também a favor da equipa da casa.

Nesta fase, ainda muito precoce, da competição – em que a “procissão” ainda não saiu do “adro” –, sendo obviamente demasiado cedo para antever claramente favoritos, tiveram, não obstante, um bom começo, as equipas do Coruchense, Amiense e Mação (para além, naturalmente, do União de Tomar); ao invés, deram um primeiro “passo em falso” os conjuntos do Fazendense e do Torres Novas.

Na próxima ronda, o Mação-Fazendense poderá ser apontado como “jogo da jornada”, revestindo-se também de particular interesse o União de Tomar-Cartaxo, assim como o Coruchense-U. Santarém, entre dois históricos do futebol do distrito.

Uma última referência, ainda que breve, ao Campeonato Nacional de Seniores, que segue já com quatro jornadas realizadas, e com o Alcanenense (vencedor frente ao Mafra, por 1-0), a surgir, por agora, isolado na liderança da respectiva série (com 10 pontos, um a mais que os mafrenses e que o U. Leiria), ocupando o Fátima – que derrotou o At. Ouriense por 3-1 – uma posição a meio da tabela (5.º, com 5 pontos); a turma de Ourém, tendo somado apenas um único ponto, acompanha o Riachense (que somou, na Sertã, onde perdeu por 0-1, o quarto desaire na prova) nos dois últimos lugares. Nada de muito preocupante para já, quando apenas se inicia a 1.ª fase, sendo que as grandes decisões só serão definidas lá mais para diante, na fase final… mas, naturalmente, será conveniente começar a somar pontos.

Na 5.ª ronda, a disputar apenas a 5 de Outubro, apenas o grupo de Riachos jogará em casa, recebendo o Torreense; com os restantes três representantes do distrito a deslocarem-se, a Ponte de Sôr (Alcanenense), Caldas (Fátima) e Leiria (At. Ouriense).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 25 de Setembro de 2014)

Página seguinte »