Pulsar - 5

(“O Templário”, 15.10.2015)

Demorou cinco jornadas a ascensão do favorito Fátima à posição de guia isolado do campeonato distrital da I Divisão, na sequência de uma série de quatro triunfos sucessivos (ganhando no último fim-de-semana à U. Abrantina por 3-1, primeiro desafio em que ganha por margem não tangencial); apenas o Cartaxo – com um golo mesmo ao “cair do pano”, na ronda inaugural – tendo impedido o pleno de vitórias dos fatimenses.

Destaque – A principal nota de realce da jornada, num destaque infelizmente negativo para o União de Tomar, foi a expressão da vitória do Cartaxo (ocupando já o 2.º posto da tabela, posição que partilha agora com os Empregados do Comércio), goleando a formação nabantina pela pesada marca de 6-1.

Um resultado que, confirmando a superioridade evidenciada pelos visitados neste encontro – com um grupo ainda jovem, mas de boa qualidade –, é manifestamente excessivo, apenas explicável pelo muito oportuno aproveitamento das oportunidades proporcionadas pelos unionistas, com várias falhas comprometedoras, e que não estaria nas cogitações de ninguém, atendendo particularmente ao equilíbrio patenteado na meia hora inicial, com o nulo no marcador a ser quebrado já na aproximação aos 40 minutos de jogo.

No recomeço, o Cartaxo logo ampliou para 2-0, tendo os rubro-negros reagido então positivamente, reduzindo ainda para a margem mínima, de 1-2, voltando a colocar tudo em aberto. Porém, o terceiro tento dos cartaxenses, surgido de pronto, seria determinante para uma terrível meia hora final, com os tomarenses como que apáticos, a denotarem dificuldade de concentração – em contraponto com os adversários, sempre muito lestos, a aproveitar quase todas as ocasiões –, colocando em evidência as carências de que a equipa padece nesta altura, perante a sua inexperiência e a ausência de algumas referências, em especial, no caso deste jogo em concreto, a necessidade de uma “voz de comando” dentro de campo, que pudesse ter conseguido manter a tranquilidade do conjunto.

Uma tarde má, mas que não significará mais do que a perda de três pontos, assim o grupo consiga recompor-se rapidamente, recuperando o equilíbrio evidenciado na temporada anterior, mas sem deixar de ter os “pés assentes no chão”, a nível do que será razoável esperar-se do seu desempenho neste campeonato.

Surpresas – A grande surpresa da jornada foi o desaire caseiro sofrido pelo Riachense, derrotado pelo Moçarriense, graças a um solitário tento, que afasta ainda mais a turma de Riachos dos primeiros lugares (tal como o candidato Fazendense, distam já ambos 9 pontos do comandante), ao mesmo tempo que a formação da Moçarria – à margem das duas goleadas já sofridas nesta fase inicial da prova – “justifica” o triunfo da primeira jornada.

Menos surpreendente terá sido a vitória do Mação em Amiais de Baixo, não obstante também com uma inesperada expressão do marcador (um categórico 3-0), com o Amiense – tendo o jogo da 3.ª ronda, com o União de Tomar, sido agendado para esta quarta-feira, 14 de Outubro, de que não é ainda conhecido o desfecho aquando da escrita deste comentário – a afundar-se na classificação, ocupando a indesejável posição de “lanterna vermelha”, com um único ponto obtido e ainda, ao fim de sete jogos oficiais, sem se ter estreado a marcar nesta época…

Confirmações – Nas outras três partidas, imperou alguma normalidade, com o Fazendense, pese embora não sem dificuldade, a obter o primeiro triunfo, ganhando ao Rio Maior por tangencial 2-1; o U. Almeirim a consentir a igualdade (1-1) na recepção ao At. Ouriense; e a equipa dos Empregados do Comércio, continuando a confirmar a vocação para excelentes arranques de temporada, a empatar também (2-2) em Torres Novas, mantendo a invencibilidade, no que é, por agora, igualada apenas por Fátima e Cartaxo.

II Distrital – Na segunda ronda deste campeonato, a principal menção vai para o segundo triunfo de Ferreira do Zêzere (4-0 ao Tramagal) e Benavente (1-0 em Marinhais), ambos, já, a isolarem-se no comando das correspondentes séries, perseguidos respectivamente por Pego e Atalaiense (a Norte) e Glória do Ribatejo (a Sul), com estes três clubes a empatar, depois das vitórias averbadas na jornada inicial.

CNS – No Campeonato Nacional de Seniores, confirmaram-se as dificuldades antevistas para o Alcanenense, derrotado por 0-2 na Sertã, caindo para a antepenúltima posição da série, a par do V. Sernache; na frente, o U. Leiria cedeu o primeiro empate (0-0) na recepção à Naval, mantendo quatro pontos de vantagem, agora sobre o B. C. Branco. Mas a nota de sensação vai para o primeiro êxito do Coruchense, ganhando em Loures (3-1), frente a um dos anteriores vice-líderes, o que, contudo, por agora, não lhe permitiu trespassar a “lanterna vermelha”, mas não pode deixar de ser visto como um sinal de esperança num futuro mais tranquilo.

Antevisão – Como será uma constante ao longo desta temporada, a próxima jornada do Distrital da I Divisão surge bem recheada de aliciantes confrontos, de que se destaca especialmente o duelo entre os actuais vice-líderes, Empregados do Comércio-Cartaxo, mas, também, o Mação-Torres Novas e o At. Ouriense-Fazendense, tudo “jogos de tripla”. O União de Tomar recebe o seu congénere de Almeirim, na expectativa de poder retomar o trilho das vitórias, enquanto o guia terá uma saída que poderá constituir-se em mais um efectivo teste, até Rio Maior.

Na II Divisão Distrital, destacam-se os encontros Caxarias-Ferreira do Zêzere e Glória do Ribatejo-Samora Correia.

No Campeonato Nacional de Seniores, depois da deslocação à Sertão, o Alcanenense visita agora o seu parceiro de tabela, V. Sernache; por seu lado o Coruchense, recebendo o Torreense (actual 7.º classificado), terá oportunidade para confirmar o encetar do caminho da recuperação.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 15 de Outubro de 2015)

Anúncios