Pulsar - 6

(“O Templário”, 22.10.2015)

À sexta jornada do campeonato distrital da I Divisão, duas equipas parecem começar a descolar do pelotão: para além do favorito Fátima, que alargou a sua série triunfal, somando a quinta vitória sucessiva (novamente pela margem mínima, ganhando em Rio Maior por 1-0), o Cartaxo é agora o único clube que acompanha o líder na manutenção da invencibilidade, com a particularidade de somar já 20 golos marcados, com uma extraordinária média de golos, superior a três por jogo.

Destaques – De facto, depois de ter goleado por 6-1 o vice-campeão da temporada anterior (União de Tomar), o Cartaxo repetiu a façanha, justificando o maior destaque, tendo goleado agora os Empregados do Comércio – que haviam liderado a prova até à 4.ª ronda, e que se cotavam, a par do Fátima, como a defesa menos batida, com apenas três golos sofridos nos cinco primeiros encontros disputados – no terreno dos “caixeiros”, por 5-1. Mais, nos seus quatro triunfos, todas eles foram por diferença de três ou mais golos; uma muito promissora campanha do grupo cartaxense, a parecer afirmar-se como sério concorrente da turma fatimense.

Mas, numa jornada repleta de golos (total de 29, com uma média superior a quatro por desafio), houve outras equipas que se salientaram. Desde logo, o Fazendense, a procurar sair da letargia da fase inicial da prova, com uma categórica vitória (5-2) – segunda sucessiva no campeonato – no campo do At. Ouriense, equipa que vem denotando alguma irregularidade, alternando bons resultados com outros menos positivos. Mas, também, o Torres Novas, ao triunfar (3-1) na sempre difícil visita a Mação, com os torrejanos a subir na tabela, tendo igualado já os Empregados do Comércio na 3.ª posição, agora ambos a cinco pontos do guia, e a três pontos do Cartaxo.

Surpresa – Pela segunda semana sucessiva o Moçarriense surpreende: imediatamente após a inesperada vitória em Riachos, obteve agora uma goleada de 4-1 frente ao Amiense, que, pese embora ter conseguido enfim, ao nono jogo da época, o seu primeiro golo, se afunda na cauda da tabela, acumulando já cinco desaires, mantendo um único ponto. Ao invés, o Moçarriense – que protagoniza já três desfechos porventura não esperados, correspondentes a outras tantas vitórias, que lhe conferem nesta altura uma excelente posição, a meio da tabela, a par do Mação –, a conseguir dar sequência a estes bons resultados, deixará de constituir surpresa, passando à área das confirmações…

Confirmações – Nas restantes duas partidas, o Riachense, tal como o Fazendense, a procurar iniciar uma fase de recuperação, foi vencer a U. Abrantina, por 2-1, com a formação de Abrantes a somar também a quinta derrota, o que, para já, não lhe permite melhor que o penúltimo lugar da pauta classificativa; por seu lado, o União de Tomar – reagindo da melhor forma ao desaire da semana anterior, amealhando excelente pecúlio de seis pontos, em duas partidas disputadas com um intervalo de apenas quatro dias, depois de ter ganho em Amiais de Baixo (1-0) em partida de acerto de calendário – venceu o U. Almeirim (2-1), uma vitória fruto de muito empenho e grande crer (e querer) do conjunto nabantino, obtida já em período de compensação, e numa altura em que jogava contra apenas nove elementos do adversário. Dois triunfos muito importantes, para devolver a tranquilidade e elevar o ânimo do grupo, permitindo ao União ascender ao 5.º posto, somente a um ponto de Torres Novas e Empregados do Comércio.

II Distrital – Com três jornadas disputadas, as equipas do Ferreira do Zêzere (a Norte) e do Benavente (a Sul) somaram ambas a terceira vitória, mantendo-se portanto na liderança isolada das respectivas séries. Os ferreirenses, com um bom triunfo (3-1), na deslocação a Caxarias; o Benavente, goleando a formação de Vale da Pedra por 4-0. São, não obstante, perseguidos de perto, pelo Pego (vencedor no Tramagal, e que regista duas vitórias e um empate) e por Samora Correia (duas vitórias nos dois jogos que realizou, ganhando agora na Glória do Ribatejo, por 3-2) e Benfica do Ribatejo (a vencer no Porto Alto, por tangencial 1-0).

Taça de Portugal – O Campeonato Nacional de Seniores sofreu nova interrupção, para disputa da eliminatória correspondente aos 1/32 de final da Taça de Portugal, fase na qual se despediram os dois últimos representantes do Distrito: o Coruchense, recebendo o primodivisionário V. Setúbal, oferecendo boa réplica, perdendo por 0-2, mas com o tento da confirmação a surgir na fase final do desafio, numa altura em que o conjunto do Sorraia se encontrava já em inferioridade numérica; o Alcanenense, não conseguindo suster a sensacional recuperação e a épica reviravolta consumada pelo Cova da Piedade, que, perdendo por 0-3 já no derradeiro quarto de hora – e jogando também com um elemento a menos –, acabaria por chegar aos 4-3 no período de descontos! Fantástico… e preocupante para o grupo de Alcanena.

Antevisão – Na I Divisão prosseguem, na próxima jornada, os confrontos de alto nível, com realce para os seguintes encontros: Fátima-At. Ouriense, Cartaxo-Mação (em ambos os casos com o favoritismo a pender para os visitados, actuais dois primeiros classificados, mas em que não se pode afastar a possibilidade de eventual surpresa) e Fazendense-U. Tomar, que se projecta vir a ser equilibrado, entre duas equipas que jogam também para os lugares da frente.

Na II Divisão Distrital, com o líder Ferreira do Zêzere a folgar, destaque para o Pego-Caxarias e Assentis-U. Santarém, para além de um “clássico” Alferrarede-Tramagal; e, a Sul, o aliciante derby Samora Correia-Benavente e o Barrosense-Glória do Ribatejo.

No Campeonato Nacional de Seniores, conforme já referido, depois da deslocação à Sertã, o Alcanenense visita o seu parceiro de tabela, V. Sernache; por seu lado, o Coruchense recebe o Torreense (actual 7.º classificado), podendo confirmar a recuperação que parece vir a efectuar.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 22 de Outubro de 2015)