Pulsar - 21jornada

(“O Templário”, 17.03.2016)

Não obstante o triunfo por números categóricos ante o U. Tomar, o Fátima aguardará ainda, pelo menos mais uma semana, a confirmação da conquista do título de Campeão, de que dista agora somente três pontos, pelo que passa a depender apenas de si próprio para selar esta proeza já na próxima jornada, “bastando” para tanto ganhar o seu jogo. E isto, porque, tal como esperado, o Cartaxo não se deixou surpreender, protelando tal desfecho anunciado, ao mesmo tempo que, praticamente, garante o 2.º lugar, e inerente qualificação para a Taça de Portugal.

Na II Divisão Distrital, terminada que está a primeira fase da competição, o grupo de Samora Correia – que, nunca tendo passado pelo 1.º lugar ao longo de toda a prova, chegara, já na segunda volta, a registar um atraso de nove pontos para o líder –, acaba, algo inesperadamente, na derradeira ronda, por juntar-se ao Ferreira do Zêzere como os dois vencedores de série.

Destaques – Na 21.ª jornada da I Divisão Distrital o principal destaque vai para a vitória do At. Ouriense em Abrantes (1-0), o que possibilita à turma de Ourém dar um salto na tabela classificativa, escapando da zona de despromoção, pese embora as ainda muito curtas distâncias entre os cinco últimos; paralelamente, tal resultado interrompe uma sequência de duas vitórias da U. Abrantina, que, assim, persiste na delicada condição de “lanterna vermelha”.

Também na luta pela manutenção, no Fazendense-Empregados do Comércio, menção a um desfecho da maior importância para a formação de Fazendas de Almeirim, a ganhar por 2-0, o que lhe permite “respirar” um pouco melhor, subindo ao 9.º lugar, agora já com uma margem de cinco pontos em relação ao penúltimo classificado, Rio Maior… embora apenas três pontos face ao Moçarriense, actualmente no 12.º posto (que poderá eventualmente resultar em despromoção, dependendo do desempenho do Coruchense no Nacional). Quanto aos “Caixeiros”, continuarão a enfrentar tarefa árdua nas rondas que falta ainda disputar, em que cada ponto conta.

A realçar ainda a extraordinária série triunfal do Fátima, vencendo pela 11.ª vez consecutiva no campeonato, impondo-se por 4-1 frente ao União de Tomar, num encontro em que os nabantinos praticamente entraram a perder, tendo sofrido um golo logo no minuto inicial. Deste desafio os unionistas levam apenas o magro consolo de terem marcado em Fátima – no que constitui apenas o segundo tento sofrido em casa pelo líder, que aí mantinha a inviolabilidade das suas balizas desde 11 de Outubro do ano passado (há mais de cinco meses) – um golo que, então, obtido ainda antes da meia hora de jogo, parecia poder proporcionar o reentrar na disputa do resultado por parte dos tomarenses. Porém, um sempre controverso (e involuntário) lance de bola na mão, na grande área, seria sancionado com severidade pelo árbitro, com uma grande penalidade que, resultando no 3-1, praticamente sentenciou a partida.

Por fim, pelos números do marcador (um categórico 3-0), é igualmente de sublinhar a vitória do Torres Novas sobre o Amiense, que vinha de quatro jornadas sem conhecer o amargo da derrota (nas quais, aliás, vencera por três vezes), a dar a garantia de tranquilidade aos torrejanos neste final de temporada, ao passo que a turma de Amiais de Baixo terá de permanecer vigilante…

Surpresa – Em função das reviravoltas em que este campeonato tem sido pródigo, talvez não se esperasse, no momento actual, o já destacado êxito oureense em Abrantes.

Confirmações – Nos outros três encontros, desfechos dentro da normalidade. Começando pelo Riachense, a bater o Rio Maior por 3-1, possibilitando ao grupo de Riachos (embora um ponto abaixo do Torres Novas) serenar e concentrar-se na Taça do Ribatejo, enquanto os riomaiorenses parecem caminhar definitivamente para o “abismo” (com nove desaires somados nas últimas dez jornadas, ocupam a penúltima posição, a dois pontos do Moçarriense e a três de At. Ouriense e Empregados do Comércio). Por seu lado, o Cartaxo, pese embora sem facilidades, ganhou ao Moçarriense por 2-1. Finalmente, U. Almeirim e Mação empataram a duas bolas (tendo os maçaenses, “reis dos empates” – oito, nas 14 rondas mais recentes – deixado escapar uma vantagem de dois tentos); tal como o Torres Novas e Riachense, os almeirinenses estarão já a salvo de percalços, enquanto o Mação se perfila como principal contendor do U. Tomar (do qual dista agora quatro pontos), na disputa do último lugar do pódio.

II Divisão Distrital – Na última jornada da primeira fase, a Norte, o destaque vai para a vitória do Atalaiense sobre o Pego (2-0), o que possibilitou ao Ferreira do Zêzere vencer a série de forma destacada, com mais oito pontos que os pegachos; conjuntamente com estas duas equipas, prossegue também para a fase de apuramento de Campeão o U. Santarém, 3.º classificado. A Sul, o empate concedido pelo Glória do Ribatejo na recepção ao Benfica do Ribatejo (1-1) proporcionou ao Samora Correia (goleando o Vale da Pedra por 4-0) a já referida proeza de conquistar a vitória na série, em igualdade pontual com o vizinho Benavente, com a Glória a terminar na 3.ª posição, transitando também estes três clubes para a fase final. Uma nota a lamentar, a da interrupção do Barrosense-Marinhais, por agressão de um jogador ao árbitro.

Campeonato de Portugal Prio – Já na 5.ª jornada da fase final, o Alcanenense cedeu uma igualdade (1-1) na recepção à Naval, mantendo o 2.º posto, com onze pontos de vantagem sobre a “linha de água” (Sertanense), com os antepenúltimos, Peniche e Naval, a nove pontos. Por seu lado, o Coruchense empatou também, a zero, em Ponte de Sôr, mantendo o 6.º lugar, com dois pontos a mais que o penúltimo, Sacavenense, e cinco pontos de atraso face ao Torreense.

Antevisão – Na I Divisão Distrital, para além do que poderá ser o “jogo do título”, mas que representa, em paralelo, uma difícil deslocação do líder (Empregados do Comércio-Fátima), destacam-se o “derby” Torres Novas-Riachense, e, na luta pela manutenção, o At. Ouriense-Rio Maior, e o Moçarriense-U. Almeirim; enquanto o União de Tomar recebe a U. Abrantina.

Na II Divisão Distrital, na ronda inaugural da fase de disputa do título (e da promoção), teremos: U. Santarém-Ferreira Zêzere, Pego-Samora Correia e Glória do Ribatejo-Benavente.

No “Campeonato de Portugal”, o Alcanenense visita o Águias do Moradal (4.º classificado); o Coruchense terá difícil saída até Massamá, para defrontar o vice-líder, Real.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 17 de Março de 2016)