Pulsar - 24jornada

(“O Templário”, 14.04.2016)

Ainda com duas jornadas por disputar tudo ficou já definido nas posições do topo da tabela, com Cartaxo e U. Tomar a confirmarem os respectivos lugares no pódio (2.º e 3.º), depois de o Fátima ter já garantido a conquista do título de Campeão Distrital. Ao invés, na cauda da pauta classificativa a situação parece cada vez mais “embrulhada”, com sete equipas ainda envolvidas na disputa pela manutenção, embora uma delas (Rio Maior) apenas “ligada à máquina” das possibilidades matemáticas, dado o atraso de seis pontos que regista já face ao 11.º lugar.

Destaque – O destaque da 24.ª ronda vai para a goleada (4-1) imposta pelo vice-campeão, Cartaxo, na recepção ao Riachense, apesar de ter chegado ao intervalo em posição de desvantagem, operando então, no segundo tempo, excelente reviravolta no marcador.

Surpresa – A surpresa aconteceu em Mação, onde a U. Abrantina foi alcançar uma crucial vitória (2-1), a alimentar ainda a esperança na manutenção – agora a “apenas” três pontos da “linha de água” –, após uma fase em que tudo se julgaria já perdido para a turma de Abrantes.

Confirmações – Nos restantes cinco encontros, já marcados por alguma toada de “fim de estação”, os desfechos foram os que, à partida, seriam expectáveis.

Começando pelo triunfo (14.º sucessivo!) do Fátima na Moçarria (3-1), seguindo-se a tangencial vitória do União de Tomar na recepção ao At. Ouriense, num desafio em que os visitantes, carenciados de pontos, ofereceram notável resistência, apenas sendo desfeiteados por via de uma grande penalidade, tendo actuado larga fase do jogo em inferioridade numérica, a partir desse momento apenas com nove elementos em campo. Para os tomarenses, o mais importante foi alcançado, somando os três pontos que lhes garantem o 3.º lugar, num bom desempenho, a confirmar a consistência da 2.ª posição da temporada anterior, sendo justo endereçar os parabéns a todo o grupo unionista: directores, equipa técnica, jogadores e corpo médico.

Também o Torres Novas voltou a vencer, depois de ter surpreendido o Cartaxo na ronda precedente, batendo o U. Almeirim por 3-1, tendo também consumado a reviravolta no marcador, depois de ter começado por sofrer o tento inicial.

Por seu lado, os Empregados do Comércio, em jogo em que tinham uma oportunidade singular para vencer, recebendo o “lanterna vermelha”, Rio Maior, não desperdiçaram tal ocasião, ganhando por 2-0, dando, por agora, um pulo na classificação, transpondo a “linha de água”, ascendendo ao 10.º lugar, dois pontos acima do Moçarriense, agora 12.º classificado, entretanto empurrado para indesejável posição, em zona de despromoção.

Finalmente, no Amiense-Fazendense, confirmou-se o resultado mais conveniente para ambos os clubes, empatando a uma bola, permitindo à formação de Fazendas de Almeirim praticamente colocar-se a salvo (agora já com uma margem de segurança de quatro pontos em relação ao Moçarriense, com o grupo de Amiais de Baixo a manter-se apenas um ponto abaixo do seu adversário desta ronda, o que implica que terá de continuar alerta nas duas jornadas finais…

II Divisão Distrital – Na terceira ronda da fase final, destaque para o triunfo (2-0) do Benavente em Santarém, frente ao União local, o que lhe proporcionou isolar-se na liderança, já com três pontos de avanço face ao 3.º e 4.º classificados. Em Ferreira do Zêzere, que teve a visita do Samora Correia, as equipas não desfizeram o nulo no marcador, pelo que os ferreirenses ocupam agora o 2.º posto, a dois pontos do guia, com os samorenses a repartir a 3.ª posição com o Glória do Ribatejo, vencedor ante o Pego (2-1).

Campeonato de Portugal Prio – Na 9.ª jornada da segunda fase, o Alcanenense voltou a ganhar (2-0), na recepção ao “lanterna vermelha”, Crato, igualando assim o Caldas na liderança; a cinco rondas do termo da competição, a formação de Alcanena dispõe agora de 12 pontos de vantagem sobre o Sertanense (6.º na classificação) – tendo, por outro lado, 10 pontos a mais que o 3.º classificado –, pelo que a manutenção estará virtualmente garantida. Ao invés, o Coruchense, perdendo pela mesma marca no terreno do novo líder da sua série, Malveira, está cada vez em situação mais delicada, partilhando agora a última posição com o Eléctrico de Ponte de Sôr, ambos já a seis pontos do 6.º lugar, que continua a ser ocupado pelo Sacavenense; salvo uma sensacional recuperação, a despromoção parece estar cada vez mais à vista…

Antevisão – Na próxima ronda da I Divisão Distrital, o destaque vai para a luta pela manutenção, com duas partidas a assumir o cariz de “finais”, o At. Ouriense-Empregados do Comércio, tal como o U. Abrantina-Moçarriense, em que os vencedores poderão dar um passo decisivo para alcançar o objectivo, ao mesmo tempo que colocarão os eventuais derrotados em situação ainda mais crítica. Já sem implicações significativas a nível da classificação, o U. Tomar recebe o Riachense, enquanto o Fazendense esperará um resultado positivo na recepção ao Torres Novas, que lhe proporcione enfim a tranquilidade nesta conturbada época.

Na II Divisão Distrital, defrontam-se os dois primeiros, com o Benavente a receber o Ferreira do Zêzere, enquanto o par que reparte a 3.ª posição se encontra também na Glória do Ribatejo; por fim, teremos ainda o jogo entre os actuais dois últimos classificados, Pego-U. Santarém, já de contornos determinantes em caso de derrota, especialmente no caso dos escalabitanos.

No “Campeonato de Portugal”, o Alcanenense desloca-se a Peniche, para defrontar uma equipa em posição aflitiva (penúltimo classificado), já a quatro pontos do Sertanense; por seu lado, o Coruchense recebe o Torreense, primeiro clube acima da “linha de água”, num jogo em que outro resultado que não a vitória poderá traduzir o consumar do regresso ao Distrital.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 14 de Abril de 2016)