Um imprevisto desaire caseiro do Coruchense ante o União de Tomar e eis o campeonato relançado, agora com novo líder, o Riachense, com os cinco primeiros classificados concentrados num intervalo de apenas três pontos, contrariando assim os receios iniciais de que pudesse vir a haver alguma falta de competitividade neste campeonato, tal a pujança da arrancada do conjunto do Sorraia.

De facto, o grande destaque da passada ronda foi o sensacional triunfo do União de Tomar em Coruche, batendo o anterior líder – que somava por vitórias os jogos disputados no seu terreno, onde, aliás, ainda não tinha sofrido qualquer golo – por 2-1. Um desfecho feliz para os unionistas, mas que fizeram por isso, com o esforço e entrega dos jogadores tomarenses, perante um adversário poderoso, nunca deixando de acreditar que era possível obter um resultado positivo, revelando, desta vez, extrema eficácia, e aproveitando da melhor forma a intranquilidade que, com o decorrer do tempo, se foi apoderando dos visitados, na ânsia de procurar evitar a perda de pontos, o que, porém, acabaria mesmo por se vir a agravar, já em tempo de compensação, com o segundo tento sofrido.

Realce também para a excelente campanha que o Amiense continua a fazer, partilhando agora a 2.ª posição com a formação do Sorraia, a um único ponto do novo guia, impondo-se por categórico 3-0 aos “Caixeiros”, na Ribeira de Santarém, perante uma equipa que continua a ter grandes dificuldades em libertar-se da parte baixa da pauta classificativa.

Também em ascensão, tendo alcançado já o 7.º lugar, depois de um arranque algo irregular, merece menção a vitória do U. Almeirim frente ao Mação, por 1-0, curiosamente a segunda derrota sucessiva dos maçaenses.

Quanto ao Cartaxo, revelou reacção positiva ao desaire caseiro que sofrera ante o Coruchense, indo vencer a Benavente, por 2-1, remetendo novamente este opositor para a indesejada posição de “lanterna vermelha”.

De forma similar, o Samora Correia revelou igualmente boa capacidade de resposta à pesada derrota que sofrera em Amiais de Baixo – vendo então quebrada a sua invencibilidade na prova –, confirmando o seu favoritismo na recepção ao At. Ouriense, vencendo por 2-0, segurando-se nos lugares da frente da tabela, agora no 4.º posto.

Foi notícia, também nesta última jornada, a vitória inaugural do histórico Torres Novas, no campeonato deste ano, obtida frente a um oponente cotado, como é o Fazendense, pese embora por tangencial 1-0, a confirmar a propensão dos torrejanos para vencer estes confrontos (seis vitórias e um empate nos últimos sete desafios entre ambas as equipas, em Torres Novas). Um sinal de esperança em melhores dias, se atendermos a que, dos cinco pontos até agora somados, quatro deles foram averbados nos dois jogos mais recentes.

Neste caso, os últimos são os primeiros: beneficiando do desaire da formação do Sorraia, o Riachense, cumprindo a sua parte, goleou o Pego por 4-1, o que lhe proporcionou isolar-se na frente da classificação; ao invés, os pegachos seguem em trajectória descendente, com cinco derrotas nos últimos seis jogos disputados no campeonato.

Na jornada de hoje, destaque para o Cartaxo-Riachense, com o novo líder a enfrentar, de imediato, uma “prova de fogo”. Nos últimos seis anos estes dois clubes apenas por uma vez se cruzaram, precisamente na temporada passada, então com goleada dos cartaxeiros, por 4-1. Um desfecho que seria uma enorme surpresa se pudesse repetir-se hoje, sequer de forma aproximada…

Por seu lado, o União de Tomar, depois da proeza alcançada em Coruche, terá no Amiense (actual vice-líder) um bem difícil visitante. O histórico é favorável aos unionistas, com cinco vitórias e duas derrotas nos últimos seis anos, vindo de três triunfos sucessivos. Será necessário aproximar-se da eficácia revelada no Sorraia para levar de vencida a aguerrida formação de Amiais de Baixo, que, precisamente, até agora, apenas foi desfeiteada em Coruche e nos Riachos.

O Coruchense não deverá, desta vez, ser novamente surpreendido, já que recebe o último classificado, Benavente, sendo amplamente favorito. Contudo, talvez seja de ter em atenção que o historial recente até é favorável aos forasteiros, com duas vitórias em três jogos, a última da quais, por curiosidade, na última vez em que se defrontaram, em 2014-15, época em que o grupo de Coruche viria a conquistar o título de Campeão Distrital.

Também de interesse será o Fazendense-Samora Correia, entre duas equipas que ambicionam posicionar-se na primeira metade da tabela. Nos anos mais recentes apenas por uma vez se defrontaram em Fazendas de Almeirim, já na distante temporada de 2010-11, então com triunfo dos “donos da casa”, por 3-1. Conseguirão repetir a vitória hoje?

Uma viagem até Mação não será talvez a mais convidativa para uma equipa que, como o Torres Novas, carece de pontos como de “pão para a boca”, para se afastar da zona perigosa da tabela. Mas, curiosamente, e tal como sucede perante o Fazendense, também frente aos maçaenses os torrejanos registam um histórico muito favorável, mesmo actuando na condição de visitantes: nos últimos sete jogos disputados em Mação, o Torres Novas ganhou por 5 vezes, apenas tendo sido batido numa ocasião. A obtenção de um resultado positivo dependerá também da forma como a equipa da casa reagir aos dois desaires que registou nas duas últimas rondas, ante o Riachense e o U. Almeirim.

Entrando já na zona de risco da pauta classificativa, o Pego terá difícil tarefa na recepção precisamente ao U. Almeirim, um confronto que já não se verifica, na I Divisão Distrital, desde há sete temporadas. Em função da trajectória recente de ambos os clubes, os almeirinenses surgem como favoritos para esta partida. Veremos se o conseguirão confirmar dentro das quatro linhas.

Por fim, um desafio entre “aflitos”, rivais directos na fuga aos lugares da cauda da tabela: o At. Ouriense recebe a visita dos Empregados do Comércio, podendo repetir o triunfo que registou nas duas vezes que as equipas se encontraram em Ourém, talvez não pela margem verificada nesses dois encontros (3-0, em ambos os casos).

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com o balanço e perspectiva da jornada – 06.11.2016)