À entrada para a 20.ª jornada do campeonato, a conjugação de uma excelente série de sete triunfos consecutivos do Coruchense, face a apenas uma vitória do Riachense nos seis jogos disputados na 2.ª volta do campeonato – culminando com o desaire da turma de Riachos em Fazendas de Almeirim no passado fim-de-semana –, resultou no ampliar do avanço do líder para oito pontos, o que, a sete jornadas do final da prova, aparenta ser já uma barreira intransponível, pelo que a formação do Sorraia poderá começar a pensar em encomendar as faixas de Campeão, sendo previsível que venha a repetir o título alcançado há dois anos.

Na ronda desta tarde, destaque particular para dois confrontos, envolvendo quatro clubes da primeira metade da tabela: Riachense-Mação e Samora Correia-Amiense.

Em Riachos, defrontam-se o 2.º e o 7.º classificados, com o Riachense agora com uma missão praticamente impossível, quanto a um eventual cenário de atingir ainda o objectivo do título, pelo que procurará, sobretudo, salvaguardar a sua vice-liderança, que lhe dará acesso à Taça de Portugal da próxima época. No historial recente de confrontos entre ambas as equipas, registo para apenas três jogos, com triunfo da turma da casa em todos eles, com um score global de 8-3. Do que se depreende que, caso o grupo não se ressinta animicamente, se apresentará como favorito para esta partida.

Por seu lado, o Amiense desloca-se a Samora Correia em defesa da sua posição no pódio, perante o mais directo perseguidor, e ainda com a possibilidade do 2.º lugar em mira, num duelo que, nos últimos seis anos, apenas por duas vezes se realizou, em ambas as ocasiões – já na distante temporada de 2010-11 – com empates a dois golos, uma tendência de equilíbrio que se poderá repetir hoje.

Em Almeirim teremos um “derby”, com o União local a receber a visita do Fazendense, dois conjuntos que fazem parte de um pelotão de seis clubes ainda envolvidos na disputa de lugares na parte de cima da pauta classificativa, com eventuais aspirações a poder ascender ainda até ao 3.º lugar. Em anos recentes as duas equipas apenas se defrontaram na ronda de abertura da época passada, então com triunfo dos unionistas por 3-1. A turma de Fazendas de Almeirim, motivada pelo triunfo face ao Riachense não será um adversário fácil, mesmo considerando o domínio que o União tem exercido no seu terreno, com 7 vitórias e 2 empates, num desafio que se antecipa também de tendência repartida.

Os restantes quatro encontros da jornada envolvem os 4 clubes em acesa disputa pela manutenção (para além do já virtualmente “condenado” Benavente), em que, em qualquer dos campos, a surpresa poderá estar à espreita.

Na Ribeira de Santarém os Empregados do Comércio recebem o União de Tomar, num confronto em que já houve um pouco de tudo: uma sensacional goleada do União por 8-0, outro categórico triunfo dos tomarenses por 4-2 e, na derradeira jornada da época anterior, uma vitória dos “Caixeiros” por 3-1, que lhes possibilitou então a salvação do espectro da despromoção que os ameaçou até ao último dia. Só está a faltar um empate…

O Torres Novas, a atravessar período menos afirmativo, com dois desaires sucessivos, terá a visita do At. Ouriense, equipa com idêntico registo, com a agravante de ter sofrido dez golos nessas duas derrotas. Nos últimos seis anos, outros tantos confrontos entre estes conjuntos, com dois triunfos dos torrejanos (mas, conseguidos ambos na temporada de 2010-11), três empates e uma vitória dos oureenses. De qualquer forma, a equipa da casa, tranquila na classificação, apresenta-se como favorita.

Em Coruche, o líder recebe o Cartaxo, penúltimo classificado, surpreendentemente a denotar grande dificuldade em libertar-se dos lugares abaixo da “linha de água”. Nos dois jogos entre ambos, duas vitórias do Coruchense, por igual marca: 3-0. Uma tendência que se antecipa possa manter-se esta tarde, eventualmente por números menos categóricos. Um hipotético desfecho positivo para os cartaxeiros – defrontando alguns dos seus antigos companheiros e treinador – não deixaria de constituir a grande surpresa da jornada, podendo, nesse cenário, vir ainda lançar alguma dúvida sobre a atribuição do título…

Por fim, o Benavente terá a visita do Pego, um jogo entre o último e o antepenúltimo classificados, também com registo de dois jogos entre estes dois clubes, igualmente na temporada de 2010-11, e, então, com dois triunfos dos benaventenses. Poderá a equipa da casa – que acumula já uma terrível série de nove desaires consecutivos – obter o que seria apenas a sua segunda vitória na prova, e ambas ante os pegachos (depois do 3-2 com que o Benavente se impôs no Pego)? Ou, ao invés, serão os pegachos a desforrar-se desse desaire sofrido no seu reduto?

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 26.02.2017)

Advertisements