(“O Templário”, 15.11.2018)

A forte intempérie que se fez sentir no passado Domingo impediu a realização de vários jogos – resultando numa jornada incompleta, o que vem “baralhar” as contas e forçar a “horas extraordinárias”, provavelmente a meio da semana –, tendo sido adiados o Cartaxo-U. Tomar e o U. Almeirim-At. Ouriense, da I Divisão Distrital, enquanto o Glória do Ribatejo-Alcanenense foi interrompido aos 20 minutos. Igualmente, no escalão secundário, o Caxarias-Abrantes e Benfica foi também suspenso ao intervalo, na altura com vantagem dos abrantinos por 1-0; por seu lado, o Pontével-Forense não se disputou, neste caso devido a falta de policiamento…

Destaques – O principal destaque da 8.ª ronda vai para a vitória (2-1) do Ferreira do Zêzere na recepção ao Fazendense (segundo desaire sucessivo da turma das Fazendas, que não vence há três jogos), confirmando a boa recuperação dos ferreirenses (que somaram o terceiro triunfo nas últimas quatro jornadas), o que lhes possibilitou ascender já até ao 8.º posto, somente a dois pontos do par que partilha o 6.º lugar, formado precisamente por Fazendense e U. Tomar.

Também o Amiense prossegue a sua muito boa campanha, tendo vencido em Torres Novas, mercê de um solitário tento. A formação de Amiais de Baixo deu, assim, um pulo até à 4.ª posição, a três pontos do vice-líder, U. Santarém. Ao invés, os torrejanos, somando o oitavo encontro ainda sem conseguir ganhar no campeonato – e, pior ainda, ampliando para onze o número de jogos (do total de doze que disputou nesta época) em que ficou em branco –, mantém-se em zona muito delicada da pauta classificativa (antepenúltimo, um único ponto acima do duo que reparte a condição de “lanterna vermelha”, Marinhais e Glória do Ribatejo).

Confirmações – Os dois primeiros classificados, novamente o Coruchense e o U. Santarém – este, à condição, beneficiando do adiamento da partida do U. Almeirim –, que continuam separados por dois pontos, sendo as únicas equipas que subsistem invictas, confirmaram o favoritismo que lhes era atribuído nos desafios que enfrentaram no passado fim-de-semana.

O grupo do Sorraia, com maiores dificuldades do que seria expectável, ganhando por tangencial 2-1 ao Marinhais, turma que vem procurando encetar uma recuperação; por seu lado, os escalabitanos, num jogo assolado por vicissitudes várias, em especial a saída de um elemento de cada equipa, que necessitaram receber assistência médica de emergência, bateram o Samora Correia (que somou a quarta derrota em cinco rondas) por margem mais tranquila, de 2-0.

Em função dos jogos que não foi possível realizar ou completar, a percepção da tabela pontual apresenta-se algo prejudicada, ficando por saber, por ora, se U. Almeirim e Cartaxo conseguirão vencer os respectivos compromissos, de forma a manter a pressão sobre o líder. Assim como, por outro lado, se U. Tomar e At. Ouriense, caso venham a alcançar resultados positivos, se poderão chegar mais à frente, ou, noutro plano, qual a tendência que resultará do Glória do Ribatejo-Alcanenense, em que uma eventual vitória dos donos da casa “afundaria” o conjunto de Alcanena na parte mais baixa da classificação.

II Divisão Distrital – Tendo o encontro em que intervinha o Abrantes e Benfica sido interrompido, o Pego aproveitou, para já, para se aproximar, ao vencer o Tramagal por 1-0, distando, pelo menos de forma provisória, dois pontos do comandante. O grande realce da jornada, a Norte, vai, no entanto, para o excelente triunfo (2-0) da equipa “B” do U. Tomar, na recepção ao Riachense, ocupando os jovens unionistas um meritório 5.º lugar, a dois escassos pontos do clube dos Riachos e da equipa da Ortiga (vencedora no Sardoal, por 2-1).

A Sul, Moçarriense e Rio Maior, ambos com “chapa 3”, foram categóricos vencedores dos confrontos com o Salvaterrense e Empregados do Comércio, respectivamente, ocupando as duas primeiras posições da classificação, com o grupo da Moçarria com três pontos de vantagem (a qual poderá eventualmente vir a ser anulada, dado que os riomaiorenses têm um jogo a menos). Algo surpreendente terá sido a desfeita sofrida pelo Benavente no terreno do Espinheirense, perdendo por 1-2, atrasando-se assim na disputa dos lugares da frente.

Campeonato de Portugal – Na 11.ª ronda da prova, o Fátima chegou a estar em posição vantajosa em Oleiros, mas o desfecho final acabaria por ser a repartição de pontos, na sequência da igualdade a três bolas. Os fatimenses, menos afirmativos do que se ambicionaria, seguem a meio da tabela (partilham a 9.ª posição com o Sertanense e Oliveira do Hospital), com uma margem de cinco pontos em relação à “linha de água”, mas sem poder “repousar”.

Por seu lado, o Mação, derrotado no seu reduto, pelo Loures, por convincente marca de 3-0, terá registado um desaire que poderá vir a revelar-se um desfecho charneira neste campeonato, pela negativa, pelas implicações de que se traduz: os maçaenses não só mantêm a indesejada posição de “lanterna vermelha”, como – para além de terem somado o 10.º jogo consecutivo sem conseguir ganhar – vêem dilatar-se, já para sete pontos, o atraso face ao último concorrente acima da tal “linha”, precisamente o seu opositor do passado fim-de-semana; começa a ser uma “grande montanha” a que terão de escalar para escapar à triste sina da despromoção, que, pese embora ainda com muito campeonato pela frente, se parece ir antecipando…

Antevisão – Na 9.ª jornada da I Divisão, temos à espreita vários embates aliciantes: desde logo, o U. Tomar-Coruchense, com os nabantinos a receber o líder que, até agora, conta por vitórias todos os (4) jogos disputados em terreno alheio; a par do Fazendense-U. Santarém, que poderá revelar forte indício do que poderá esperar-se de ambos os clubes, no que falta do campeonato.

Mas também o U. Almeirim e o Cartaxo, os quais, visitando emblemas muito carenciados de pontos, respectivamente o Marinhais (que, ao invés do conjunto de Coruche, perdeu todos os quatro desafios disputados em casa) e o Torres Novas, poderão eventualmente ver-se confrontados com maiores dificuldades do que se suporia para levar de vencida tais oponentes.

No escalão secundário, o U. Tomar “B” terá um estimulante teste na visita a Abrantes, realçando-se ainda, a Norte, o Ortiga-Riachense, sendo o Pego favorito na deslocação ao Sardoal. Na série a Sul, com o guia, Moçarriense, a folgar, destaca-se o Benavente-Rio Maior.

No Campeonato de Portugal, o Fátima recebe o líder (à condição), Vilafranquense; o Mação vai de viagem até Oliveira do Hospital, em mais um encontro em que não esperará facilidades.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 15 de Novembro de 2018)

Anúncios