Hertz

No regresso do campeonato, para disputa da 20.ª jornada, os cinco candidatos ao lugar de topo perfilam-se como lógicos favoritos, pese embora em encontros de grau de dificuldade teoricamente diferenciado.

De facto, Cartaxo e U. Santarém, recebendo os dois últimos classificados, respectivamente Marinhais e Alcanenense, terão tal estatuto reforçado, sem esquecer a cada vez mais aguda necessidade de pontos por parte das equipas do fundo da tabela classificativa.

Trata-se, em ambos os casos, de confrontos sem historial recente, apenas se tendo cruzado, já na presente temporada, na primeira volta, tendo o Cartaxo vencido em Marinhais por 2-0, enquanto o U. Santarém não conseguiu desfazer o nulo em Alcanena.

Os cartaxeiros, que registam quatro triunfos nas cinco jornadas mais recentes – destacando-se ainda os nove tentos apontados por Wemerson Silva nos três últimos jogos – deverão vencer esta tarde, não obstante a boa réplica que o Marinhais ofereceu no jogo da Taça, em Santarém, no passado fim-de-semana.

Quanto ao U. Santarém, com três vitórias nas últimas quatro jornadas, defronta uma equipa que até vem de resultados que poderiam ser animadores (derrotas tangenciais com o Coruchense e U. Almeirim), a que se seguiu, contudo, um comprometedor empate caseiro ante o Ferreira do Zêzere. Seria grande a surpresa se o Alcanenense conseguisse pontuar hoje.

Em situação intermédia em termos de grau de dificuldade, o Amiense enfrenta deslocação ao reduto da Glória do Ribatejo, onde perdeu por 1-2, na última vez que aí jogou, já em 2012-13.

A formação de Amiais de Baixo parece atravessar fase menos exuberante de forma, tendo vencido uma única vez nas seis últimas jornadas, faltando ver como reagirá após uma pausa competitiva de duas semanas. O grupo da Glória do Ribatejo continua muito carenciado de pontos, o que poderá dificultar a tarefa do Amiense.

Por seu lado, o Coruchense, e, sobretudo, o U. Almeirim, terão tarefas potencialmente mais complexas, não obstante actuarem, ambos, em casa, recebendo o At. Ouriense e o Fazendense, no último caso num “derby” almeirinense de desfecho sempre imprevisível.

Em Coruche, o Coruchense e o At. Ouriense cruzaram-se, no principal escalão, apenas por três vezes nos oito anos mais recentes, com um equilíbrio absoluto: uma vitória para cada lado e um empate. A turma de Ourém está absolutamente tranquila na tabela classificativa (6.º lugar), sem preocupações, mas também já sem especiais ambições nesta temporada (algo distante do quinteto da frente), o que significa que actuará liberta da pressão de pontuar. Resta saber se isso poderá ser mais ou menos vantajoso para o comandante, que voltou a ter a liderança presa por um único ponto.

Em Almeirim, o União local recebe o rival Fazendense, num confronto que se verificou, a nível da I Divisão, apenas nas três últimas temporadas (tendo em conta o período correspondente aos últimos oito anos), com dois triunfos dos unionistas e uma vitória da turma das Fazendas, há duas épocas.

A situação do Fazendense é bastante similar à do At. Ouriense; já a do U. Almeirim é bem mais delicada que a do Coruchense, uma vez que o atraso de seis pontos que os almeirinenses registam em relação ao líder não lhes confere qualquer margem de erro.

Numa partida com as características intrínsecas de um “derby”, frente a um adversário talhado para os empates (sete, nas nove últimas jornadas), os almeirinenses terão, no papel, a missão mais difícil de entre os cinco candidatos. Veremos como se sairão dela.

Em Ferreira do Zêzere, a equipa da casa, prestes a alcançar a tranquilidade, recebe o Samora Correia, equipa que se posiciona imediatamente acima na pauta classificativa, aspirando a somar os três pontos que, praticamente, a libertariam de maiores preocupações.

No entanto, na única vez em que se defrontaram, no escalão principal, precisamente na época passada, foram os samorenses a sair vitoriosos, por 2-0. No encontro de hoje, os ferreirenses poderão aproveitar a vantagem decorrente do factor casa.

A nota final vai para o “clássico dos clássicos” do futebol distrital, entre Torres Novas e U. Tomar, que se cruzam em jogos a contar para Campeonatos (nacionais e distritais) e Taças (de Portugal e do Ribatejo) pela 92.ª vez (com um balanço ligeiramente favorável aos unionistas – 38 vitórias, contra 35 triunfos dos torrejanos, para além de 18 empates).

Porém, se reduzirmos a perspectiva apenas aos jogos realizados em Torres Novas, o panorama é bastante diferente: nos últimos sete desafios entre ambos, disputados na cidade do Almonda, os torrejanos ganharam cinco vezes, empatando outra, tendo o União conseguido uma única vitória, já em 2013-14. Atendendo ao desempenho das duas formações nesta temporada, não surpreenderia se houvesse nova repartição de pontos esta tarde.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 10.03.2019)

Anúncios