Hertz

O Campeonato Distrital entra na sua recta final, com a disputa da 21.ª jornada, prestes a chegar a altura das decisões, numa tarde em que os quatro primeiros classificados voltam a actuar, todos eles, em terreno alheio, em deslocações que, necessariamente, comportam alguns riscos.

Precisamente, os embates nos quais alinham os dois primeiros da tabela, Marinhais-Coruchense e Samora Correia-U. Santarém, não apresentam registo de histórico recente, uma vez que estes clubes não se cruzaram, no principal escalão, nas últimas oito épocas, à excepção dos jogos da primeira volta da presente temporada.

Nessa ocasião, a turma do Sorraia, então já líder – posição que tem ostentado durante praticamente toda a prova –, deparou-se com inesperadas dificuldades, para vencer, em Coruche, por tangencial 2-1. Por maioria de razão, tais dificuldades poderão ser agora ampliadas, em Marinhais, grupo que vem de um moralizador empate no Cartaxo e que continua extremamente necessitado de pontos, para procurar escapar à despromoção.

Contando apenas um triunfo na prova, o Marinhais até tem conseguido melhores resultados fora de casa, mas, no seu reduto, impôs uma igualdade frente ao U. Almeirim, o que poderá procurar repetir hoje, apesar de o Coruchense apenas ter empatado no terreno dos candidatos U. Santarém e Cartaxo, assim como em Fazendas de Almeirim (para além de ter perdido em Amiais de Baixo, no que constitui a sua única derrota fora de casa).

Já o U. Santarém bateu o Samora Correia em casa por 2-0, podendo os escalabitanos beneficiar eventualmente do facto de os samorenses ocuparem posição relativamente tranquila, sem grande pressão nem particular ambição a subir na tabela. A equipa da capital do Distrito tem sido também bastante sólida nos jogos fora de casa, apenas com empates em Coruche, Cartaxo, Amiais de Baixo e Alcanena, tendo registado o seu único desaire na prova nas Fazendas de Almeirim.

Também o U. Almeirim, que visita Ourém, encontra um adversário, At. Ouriense, em posição com algumas semelhanças com o Samora Correia, num confronto que se repete pelo quarto ano consecutivo, com dois triunfos dos almeirinenses nas duas épocas mais recentes, depois de terem perdido em 2015-16. A turma de Almeirim volta a dispor de maior dose de favoritismo no jogo de hoje.

O União de Tomar recebe o Cartaxo, tendo-se os dois emblemas defrontado em Tomar, em anos recentes, já por seis vezes, com duas vitórias dos unionistas, três empates e um único êxito dos cartaxeiros, por curiosidade, na época passada, no que, aliás, constitui a única vitória do Cartaxo nos últimos cinco jogos disputados entre ambos.

Num duelo em que os cartaxeiros vêm revelando algumas dificuldades para se impor, serão, ainda assim, favoritos esta tarde, perante uma equipa tomarense já em fase de descompressão, restando, por outro lado, ver como reagirá o conjunto do Cartaxo ao inesperado e muito comprometedor empate cedido, na passada semana, em casa, ante o Marinhais.

O Amiense, ainda na luta pelos lugares de topo da pauta classificativa – atendendo a que dispõe de um jogo em atraso, agendado para a próxima semana – recebe o Torres Novas, com as duas equipas a revelarem trajectórias bastante distintas: o conjunto de Amiais de Baixo aparentemente em perda, em contraponto a uma excelente segunda volta dos torrejanos.

O historial recente aponta para uma tendência largamente favorável ao Amiense, que ganhou todos os seis últimos jogos que realizou em casa, frente a este adversário. Por seu lado, o Torres Novas, o melhor que conseguiu – antes desta série muito negativa – foi uma vitória e um empate, mas já nas distantes temporadas de 2010-11 e 2011-12. O factor casa poderá voltar a prevalecer esta tarde, mas a expectativa é de um jogo equilibrado.

Noutro pólo da tabela classificativa, afigura-se de grande interesse o Alcanenense-Glória do Ribatejo, em que a vitória parece fundamental para que a equipa da casa possa manter ainda alguma esperança em evitar segunda descida de divisão em anos sucessivos.

Estes dois clubes também não se encontram, no principal escalão, há largos anos. A formação de Alcanena não ganha desde a jornada inaugural, enquanto a Glória do Ribatejo perdeu já, na condição de visitante, por oito vezes, apenas tendo empatado em Ourém e Ferreira do Zêzere. Veremos se o Alcanenense conseguirá, enfim, regressar aos triunfos, ou se, ao invés, praticamente sentenciará o seu destino.

No último desafio de hoje, entre Fazendense e Ferreira do Zêzere, encontram-se duas equipas também já tranquilas, pese embora os ferreirenses não enjeitassem a possibilidade de repetir a igualdade da época passada, o que, a acontecer, até nem seria um desfecho nada “desconhecido” do grupo das Fazendas de Almeirim, que apresenta um registo, em casa, de seis empates em dez jogos, sendo que, algo incrivelmente, o Fazendense apenas triunfou uma única vez nas dez últimas jornadas.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 17.03.2019)

Anúncios