Hertz

A faltar três jornadas para o termo do Campeonato Distrital da I Divisão, agora com o caminho para o título a estreitar-se decisivamente, em disputa entre apenas dois candidatos (o novo líder, U. Santarém, e a equipa que comandou durante praticamente toda a época, Coruchense), começa por destacar-se, precisamente, o desafio que oporá o grupo do Sorraia ao Cartaxo, em mais um sério teste aos homens de Coruche, que não poderão sofrer qualquer deslize.

O histórico recente é totalmente favorável aos donos da casa, que ganharam nas três ocasiões em que estes dois clubes se defrontaram. A questão, nesta altura, é que os cartaxeiros seguem numa já bem longa série de invencibilidade de 13 jornadas, não obstante venham de quatro empates sucessivos.

Já sem nada de significativo a ganhar ou perder, o Cartaxo pretenderá manter tal série invicta. Por seu lado, o Coruchense, pese embora denote estar em quebra há algumas semanas, e podendo acusar o impacto motivacional da perda da liderança, deverá ainda pensar que lhe poderá “bastar” ganhar os três (difíceis) jogos que tem a disputar para, eventualmente, conquistar ainda o ambicionado título, pelo que será mais provável o triunfo dos visitados.

Em teoria, de menor grau de dificuldade será o obstáculo a transpor pelo U. Santarém, recebendo o Marinhais, porém com este oponente também em acesa disputa pelos pontos que lhe permitam a “salvação” e bastante motivado pela sensacional reviravolta que conseguiu realizar na semana passada, obtendo aquela que foi, apenas, a sua segunda vitória em toda a competição.

Não havendo histórico recente de confrontos entre ambos no principal escalão, as últimas vezes que se defrontaram em Santarém, então a contar para a II Divisão, foi na época passada, por duas ocasiões, com duas goleadas para os escalabitanos: 4-0 na fase de apuramento de Campeão (em que o U. Santarém viria a conquistar o título, com o Marinhais a ser vice-campeão), depois de, na fase regular da prova, terem aplicado “chapa 6”. Hoje, possivelmente por números mais equilibrados, o U. Santarém volta a ser favorito.

Em Almeirim, o União local, que viu esfumarem-se em Tomar as suas últimas esperanças na conquista do título, recebe o Torres Novas, certamente disposto a lutar pelo melhor lugar possível na classificação, que até poderá ser ainda o 2.º…

Estes dois clubes históricos do Distrito defrontaram-se em três ocasiões, em anos recentes, com absoluto equilíbrio: uma vitória para cada lado e um empate. Esta tarde, e não obstante o bom desempenho dos torrejanos na segunda volta do campeonato (tendo perdido uma única vez), e vindo de um empate ante o Coruchense, a perspectiva parece pender mais para um triunfo dos almeirinenses.

O Samora Correia recebe a visita do Amiense, num embate já ocorrido por quatro vezes nos últimos oito anos, sem que a turma de Amiais de Baixo se tenha ainda conseguido estrear a vencer, registando-se dois triunfos dos samorenses e dois empates. Com as duas equipas com o respectivo posicionamento na tabela praticamente estabilizado, este afigura-se um jogo propenso ao empate.

Na intensa luta pela manutenção, o Glória do Ribatejo, recebendo o At. Ouriense, poderá, caso pontue, distanciar-se mais da zona perigosa (de que dispõe, actualmente, de dois escassos pontos de vantagem).

Estes dois clubes cruzaram-se uma única vez na I Divisão, na Glória, já na temporada de 2012-13, então com vitória categórica dos oureenses, por 3-0. Hoje, perspectiva-se um cenário diferente, restando saber se os homens da casa conseguirão dar sequência ao excelente resultado averbado nas Fazendas de Almeirim.

Por seu lado, o “lanterna vermelha”, Alcanenense, joga uma das últimas cartadas para procurar escapar ao que vai parecendo cada vez mais inevitável: a segunda descida de Divisão em dois anos sucessivos, desde o Nacional, até ao escalão mais baixo do futebol distrital!

Recebe, precisamente o Fazendense, derrotado em casa, no passado Domingo, pela equipa da Glória. Os conjuntos de Alcanena e das Fazendas encontraram-se, em anos recentes, por três vezes, com duas vitórias dos visitados e uma dos forasteiros. Porém, estes encontros datam já de há sete e oito anos, pelo que não constituirão indicador preciso para o que se poderá passar hoje. Parece pouco provável que o Alcanenense consiga repetir a vitória alcançada na jornada inaugural, a única que conta no seu registo neste campeonato.

Nota ainda para um sempre aliciante “quase derby”, entre Ferreira do Zêzere e U. Tomar, com os visitados, algo inesperadamente, a necessitar ainda pontuar para confirmar em definitivo a tranquilidade.

Na época passada, os ferreirenses surpreenderam os unionistas, ganhando por 2-1, alcançando a sua primeira vitória ao fim de 15 jogos entre ambos os clubes. Esta tarde, um eventual empate poderá não desagradar a qualquer das equipas.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 14.04.2019)

Anúncios