Hertz

Após a pausa da quadra pascal, está de regresso o Campeonato Distrital da I Divisão, com a disputa da sua penúltima jornada, na qual os dois candidatos ao título serão fortemente colocados à prova.

O líder, U. Santarém, visita Tomar, com os nabantinos a pretender concluir da melhor forma o excelente ciclo de resultados averbados ante os (então) cinco clubes que aspiravam ainda ao lugar cimeiro da pauta classificativa.

Em anos recentes, estes dois clubes históricos cruzaram-se, no principal escalão, uma única vez, já na temporada de 2014-15, então com uma goleada de 4-0 para os tomarenses. Na época passada, na 2.ª mão das meias-finais da Taça do Ribatejo, o resultado saldou-se por uma igualdade (1-1), que proporcionou o apuramento do U. Tomar para a final da prova, cujo troféu viria a conquistar.

Esta tarde, os escalabitanos, sem margem de erro, dada a escassa vantagem de que dispõem (um único ponto), serão favoritos, mas os donos da casa não deixarão de procurar mais um resultado positivo.

Por seu lado, o agora perseguidor, Coruchense, recebe a visita do desinibido e sempre ambicioso grupo do Amiense.

Nos últimos anos, estas duas equipas defrontaram-se, na I Divisão, em Coruche, por quatro vezes, com três vitórias da turma do Sorraia e um triunfo do conjunto de Amiais de Baixo, já em 2012-13.

Se o U. Santarém não pode arriscar qualquer deslize, para o Coruchense, mesmo um eventual empate no jogo de hoje seria um desfecho que poderia significar, desde já, a entrega virtual do título ao seu concorrente. Os homens da casa apenas podem continuar a agarrar-se à esperança que a matemática ainda lhes proporciona, mas tal implica, necessariamente, vencer os seus jogos. Veremos se o Amiense, que não desistiu ainda da possibilidade de atingir um lugar no pódio, o que, porém, só poderia alcançar se conseguisse vencer os dois desafios que lhe restam, estará “pelos ajustes”.

Outro encontro de interesse será o que opõe o Cartaxo e U. Almeirim, dois dos clubes que mais apostaram nesta época, agora já afastados do objectivo primordial, mas ainda a pretender alcançar a melhor posição possível, em especial no caso dos almeirinenses, visando manter-se no pódio, o que, assinale-se, significará o apuramento para a próxima edição da Taça de Portugal.

Estes dois clubes encontraram-se no Cartaxo nas três últimas temporadas, com dois triunfos dos cartaxeiros e uma vitória da formação de Almeirim, precisamente na época passada, e por 3-0.

Esta tarde, um empate até poderá servir os objectivos do U. Almeirim, equipa que, em função da sua condição de visitado, se apresenta inclusivamente como favorito a somar os três pontos, frente a um opositor que não sabe o que é ganhar há já cinco jornadas.

Fazendense e Samora Correia, posicionados tranquilamente a meio da tabela, curiosamente empatados em pontos no 8.º lugar, já sem objectivos especiais a alcançar neste campeonato, encontram-se nas Fazendas de Almeirim, num confronto disputado por três vezes nos últimos oito anos, sempre com vitória dos donos da casa.

Em função do desempenho recente de ambas as turmas, com o Fazendense, que vem de três desaires sucessivos, a pretender certamente quebrar tal ciclo negativo, o empate afigura-se um cenário de forte probabilidade.

As duas equipas que garantiram, na jornada anterior, a manutenção, Torres Novas e Ferreira do Zêzere, cruzam-se esta tarde, agora já completamente tranquilas, com os torrejanos a pretender rectificar o inesperado desfecho da partida da época passada, na qual sofreram, no seu próprio reduto, uma goleada por 4-0. Esta tarde, os torrejanos surgem como favoritos, mas a repartição de pontos é também uma possibilidade.

Na disputa pela manutenção, teremos como que uma final, num escaldante “derby” entre Marinhais e Glória do Ribatejo, com a curiosidade suplementar de os visitados terem de enfrentar, nas duas últimas rondas, os seus dois opositores em tal contenda (encerram o campeonato em Alcanena).

Não há registo de desafios entre os dois clubes do município de Salvaterra de Magos no principal escalão (à excepção do jogo da primeira volta, com triunfo da equipa da Glória por 2-1). As últimas vezes que se defrontaram em Marinhais, então a contar para a II Divisão, foram na época passada, também com duas vitórias da Glória (por 1-0 na fase de apuramento de Campeão; depois de 2-0 na fase regular do campeonato).

Este é um verdadeiro jogo de tripla, de prognóstico imprevisível, sendo que apenas um eventual novo triunfo dos visitantes implicaria desde já, em termos matemáticos, a salvação do grupo da Glória, condenando, em paralelo, Marinhais e Alcanenense à descida ao escalão secundário.

Quanto ao Alcanenense, em posição ainda mais delicada, só outra (pouco provável) vitória em Ourém, frente ao At. Ouriense, lhe permitiria evitar, desde já, o consumar da despromoção.

Assim, resta à turma de Alcanena sonhar com a repetição dos resultados averbados em Ourém nas três últimas vezes que aí jogou, nas já distantes temporadas de 2010-11 e 2011-12, tendo então ganho esses três encontros, depois de um único triunfo do At. Ouriense, na primeira daquelas épocas.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 28.04.2019)