Hertz

Numa jornada recheada de encontros que se antecipam de grande equilíbrio, destacam-se, em especial, três jogos: desde logo, o que opõe, em Abrantes, o líder e um dos actuais vice-líderes, com os locais a receberem o Alcanenense; por outro lado, temos o Fazendense-Coruchense, que coloca frente a frente o 2.º e 3.º classificados à altura da interrupção do campeonato anterior; em Amiais de Baixo, encontram-se dois históricos do futebol distrital, com a recepção do Amiense ao Mação.

O líder isolado, até agora 100% vitorioso, Abrantes e Benfica, terá a visita do Alcanenense, que também ainda não perdeu, repartindo, de forma surpreendente, a 2.ª posição com o Samora Correia.

As duas equipas não se defrontam no principal escalão desde tempos imemoriais, sendo os abrantinos favoritos, esta tarde, a somar mais um triunfo, consolidando a sua condição na tabela classificativa.

Em relação ao Fazendense-Coruchense, os dois clubes defrontaram-se por cinco vezes nas últimas sete temporadas, com tendência favorável ao grupo do Sorraia, que obteve duas vitórias, contra apenas um triunfo da turma das Fazendas e, este, já na relativamente distante época de 2012-13, para além de dois empates, o desfecho verificado na partida mais recente, há dois anos.

Na prova em curso, o Fazendense é uma das quatro equipas que ainda não perdeu, ocupando o 5.º posto, imediatamente após o seu adversário desta tarde. Encontrando-se o factor casa limitado pelos motivos conhecidos, este será mais um jogo de tripla.

Em Amiais de Baixo, a turma local recebe o Mação, com os dois emblemas a pretenderem rectificar a má imagem deixada nas duas rondas anteriores, em que somaram quatro desaires.

Trata-se do embate mais vezes repetido, com onze encontros entre ambos nos últimos dez anos, com 4 vitórias do Amiense, 5 empates e dois triunfos dos maçaenses (obtidos nos quatro anos mais recentes).

Esta época, à partida, o Mação disporá de argumentos superiores, pelo que será favorito, mas uma nova igualdade também é uma possibilidade forte.

Por seu lado, o U. Tomar, depois de uma “folga” na semana passada – devido ao adiamento do jogo com o Moçarriense –, enfrenta mais um importante teste, com difícil deslocação a Rio Maior, onde é importante que a equipa consiga reagir ao percalço sofrido em Samora Correia.

Na única vez que se defrontaram, na época passada, os tomarenses venceram por 3-1, mas terão de estar ao seu melhor nível para poderem repetir o triunfo esta tarde.

O outro dos actuais 2.º classificados, Samora Correia, desloca-se à Glória do Ribatejo, para defrontar uma equipa que conseguiu rectificar da melhor forma um mau arranque, tendo vencido o Coruchense e empatado em Torres Novas.

As duas equipas defrontaram-se nas duas últimas temporadas, com triunfo dos samorenses em 2018-19 e empate a um na época finda. Em mais um jogo em que se antecipa grande equilíbrio, a repartição de pontos é também uma boa possibilidade.

O Cartaxo recebe o Riachense, equipa que regista um positivo início de campeonato.

Os dois clubes defrontaram-se por quatro vezes em temporadas recentes (desde 2015-16), com três vitórias dos donos da casa (as duas últimas por tangencial 1-0) e um triunfo da formação dos Riachos, por inusitados 5-3, em 2016-17.

Hoje, não obstante os forasteiros tenham vindo a dar boa conta de si, os cartaxeiros serão favoritos a triunfar.

O Moçarriense, que vem de uma pausa forçada, desde a estreia na prova, já há três semanas, terá a visita do Ferreira do Zêzere, que intercalou entre duas goleadas sofridas em casa um inesperado triunfo em Amiais de Baixo.

Nas duas ocasiões em que se cruzaram na divisão principal, em 2017-18 e na época passada, os ferreirenses triunfaram nos dois desafios, tendo vencido por categórica marca de 3-0 no último embate entre ambos.

Esta tarde espera-se um encontro mais repartido, mas o conjunto de Ferreira poderá aproveitar a possível falta de ritmo dos visitados.

No Entroncamento, a outra equipa recém-promovida, ainda sem se ter estreado a marcar, e somando três derrotas em outros tantos jogos, recebe o Torres Novas, que não conseguiu ainda vencer, sendo antepenúltimo classificado, posição nada condizente com o seu historial.

No emblema da cidade ferroviária regista-se a curiosidade de o Presidente do clube assumir, precisamente a partir desta jornada, a responsabilidade pela direcção técnica da equipa, acumulando também a função de treinador.

Não obstante os torrejanos poderem ter algum favoritismo, em perspectiva está também a possibilidade de o Entroncamento pontuar pela primeira vez neste campeonato.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 25.10.2020)