Hertz

Outra vez em horário matinal, a 8.ª jornada do campeonato não inclui, à partida, nenhum jogo de “sensação”, destacando-se, ainda assim, as deslocações do Coruchense à Moçarria, e do U. Tomar ao Entroncamento, cabendo ao Abrantes e Benfica receber o Rio Maior.

O “lanterna vermelha”, Moçarriense, que, até à data, somou derrotas em todos os cinco jogos já disputados, recebe um dos líderes, o Coruchense. Num jogo entre extremos, o favoritismo é total para a formação do Sorraia, que venceu nas três ocasiões anteriores em que os dois clubes se cruzaram, pese embora sempre por margem tangencial.

Sem histórico anterior, o novo Entroncamento Atlético Clube terá a visita do U. Tomar, em mais um teste aos tomarenses, que buscam ainda o primeiro triunfo extramuros, após três jogos. A equipa da cidade ferroviária teve um arranque de campeonato difícil, mas tem vindo a recuperar, tendo em curso uma série de três jogos sem perder, pelo que os unionistas não esperarão encontrar facilidades.

O outro líder, Abrantes e Benfica, com um percurso até agora 100% vitorioso, actua em casa, recebendo o Rio Maior, num confronto que teve a sua estreia na época passada, então com os abrantinos a ganhar por tangencial 2-1. Esta manhã, e pese embora os riomaiorenses estejam a dar boa conta de si, nesta fase inicial da época, ocupando posição a meio da tabela, os abrantinos deverão repetir o triunfo.

No embate com maior historial de entre os encontros desta ronda, o Cartaxo recebe o Torres Novas, sendo que estes dois emblemas se defrontaram, em desafios a contar para a I Divisão, por dez ocasiões na última década, e, curiosamente, com uma vincada tendência a favor dos forasteiros: os torrejanos ganharam por quatro vezes, consecutivamente, entre 2015 e 2018, tendo-se registado cinco empates e uma única vitória dos cartaxeiros, já na distante temporada de 2010-11!

A partida de hoje apresenta a particularidade de ambos os conjuntos virem de uma jornada traumática, com o Cartaxo a ser “esmagado” em Coruche, por pesadíssimos 7-1, enquanto o Torres Novas, de forma absolutamente incrível, deixou escapar, nos dez últimos minutos, uma vantagem de quatro golos, tendo consentido três tentos do Amiense já em tempo de compensação!

Veremos como reagirão as duas formações ao forte revés sofrido, sendo que, em condições normais, os donos da casa seriam creditados com substancial dose de favoritismo.

Outro encontro entre históricos do Distrito é o que opõe Amiense e Samora Correia, que, nos últimos dez anos, se defrontaram por cinco vezes, sendo que o melhor que os samorenses conseguiram foi um empate, também já na distante época de 2010-11, a que se seguiu uma série de quatro vitórias do grupo de Amiais de Baixo.

As duas equipas estão igualadas em pontos na pauta classificativa, sendo que os axadrezados perderam nas três últimas jornadas. Quanto aos homens da casa, que vinham fazendo um início de prova aquém das expectativas, poderão beneficiar do impulso anímico da épica recuperação empreendida na passada semana. Em qualquer caso, um jogo de tripla.

Cabe ao Riachense, também goleado, em Tomar, igualmente por 7-1, receber o Mação, sendo que os dois emblemas se cruzaram por seis vezes nos últimos sete anos, com balanço praticamente repartido: três triunfos dos homens do Riachos, face a duas vitórias dos maçaenses, para além de um empate. Sucede que a última vitória do Riachense data já de 2015, enquanto o Mação ganhou nos dois jogos mais recentes, em 2018 e 2019.

Atendendo às aspirações distintas destes dois opositores, os maçaenses são também notoriamente favoritos a somar mais três pontos, prosseguindo a sua recuperação na tabela.

A fazer um campeonato algo irregular, ocupando, para já, modesto 9.º lugar, o Fazendense terá a visita de uma das principais sensações do campeonato, Glória do Ribatejo.

Nas três vezes em que se defrontaram, o grupo das Fazendas de Almeirim ganhou em duas ocasiões, mas a Glória teve já oportunidade de surpreender, tendo vencido em reduto alheio em 2019. Ainda assim, o Fazendense será favorito no encontro desta manhã.

Por fim, o Ferreira do Zêzere recebe o Alcanenense, num confronto que repete os de 2009 (então com vitória da turma de Alcanena) e de 2018, altura em que a vitória sorriu aos ferreirenses.

Desta feita, os visitados poderão beneficiar da possível falta de ritmo de um adversário, que não joga desde final de Outubro, para voltar a somar pontos.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 22.11.2020)