Hertz

Quatro meses depois está de regresso o Campeonato Distrital, outra vez com uma época atípica, visando-se, desta vez, completar a primeira volta da prova, para que a mesma possa ter efeitos classificativos, quer a nível de atribuição do título de Campeão, como da definição dos clubes que serão despromovidos.

As quatro jornadas que restam disputar terão, porém, um perfil muito singular, com os vários concorrentes a apresentarem-se em estados de forma bastante distintos – após uma espécie de nova “pré-época” –, em muitos casos com significativas perturbações a nível da constituição dos respectivos plantéis, o que torna particularmente difícil fazer projecções.

As atenções da 12.ª ronda estarão centradas, sobretudo, em Abrantes (onde se encontram os actuais 3.º e 4.º classificados, separados somente por um ponto) e em Alcanena (que recebe a visita do líder).

Pese embora a possibilidade de chegar ainda ao 1.º lugar pareça ser remota, o desafio que coloca frente-a-frente o Abrantes e Benfica e o U. Tomar será o “jogo grande” da jornada. Os dois emblemas cruzaram-se, recentemente, por uma única vez, há pouco mais de um ano, então com o triunfo a sorrir aos abrantinos. Esta tarde, teremos um embate que se afigura de tripla, em que qualquer desfecho não constituirá grande surpresa.

O Alcanenense (5.º classificado), que, na última partida disputada antes da interrupção do campeonato, fora goleado em Tomar por 5-0, recebe o Coruchense, certamente apostado em fazer valer (e preservar) a sua posição de líder. Estas duas equipas apenas se defrontaram, nos últimos anos, na época de 2018-19, então com vitória da formação do Sorraia por renhido 4-3. Hoje, em condições normais, os visitantes seriam favoritos, restando saber em que condição se apresentarão as duas equipas.

O Cartaxo, actual 2.º classificado, ainda pretendente ao título, pese embora os 7 pontos de desvantagem, recebe o Entroncamento, em jogo “sem história” anterior. Os cartaxeiros deverão fazer valer o (agora algo relativizado) factor casa e somar os três pontos.

Em Mação encontram-se dois históricos do futebol distrital com os maçaenses a receberem o Torres Novas. Nas 8 vezes em que se encontraram na última década, regista-se uma curiosa supremacia torrejana, com nada menos de 5 vitórias, tendo, contudo, os visitados ganho os dois últimos jogos, em 2018 e em 2019. Não se tendo registado qualquer empate, a expectativa para hoje é de que o Mação possa voltar a vencer.

Em Amiais de Baixo teremos outro confronto entre dois históricos, no Amiense-Fazendense, equipas tranquilas, a meio da tabela, já sem grandes objectivos no campeonato. Estes dois clubes defrontaram-se por dez vezes nos últimos dez anos, num embate de tendência bem repartida, com três triunfos dos visitados, dois para os visitantes e nada menos de 5 empates, desfecho que até poderá repetir-se esta tarde.

O Samora Correia – que retomou já a competição, no passado Domingo, com uma demonstração de força, goleando um depauperado Ferreira do Zêzere por 7-0 – é também favorito a impor-se nos Riachos, frente a um Riachense, já com escassas esperanças de poder evitar a descida de divisão. Projecta-se, pois, que se repita o desfecho dos três últimos encontros entre ambos, sempre com triunfo dos samorenses.

Num encontro entre “aflitos”, o “lanterna vermelha”, Moçarriense, recebe a turma da Glória do Ribatejo, que poderá somar mais alguns pontos ao seu pecúlio, para alcançar definitivamente a tranquilidade. Nas três vezes em que se cruzaram no principal escalão nos últimos dez anos, o balanço é absolutamente equilibrado, com uma vitória para cada lado e um empate. A Glória deverá, não obstante, ter algum favoritismo para esta tarde.

O último jogo desta jornada, entre Ferreira do Zêzere e Rio Maior, foi adiado, apenas devendo disputar-se no início de Junho.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 09.05.2021)