Hertz

O Distrital da I Divisão aproxima-se do seu final, disputando-se a 13.ª e antepenúltima jornada, havendo a possibilidade de o Coruchense se sagrar já hoje o novo Campeão, sucedendo ao U. Santarém (último clube a conquistar o título, há duas épocas).

Para tal, bastará à formação do Sorraia um empate, esta tarde, em Tomar, ante o União, uma vez que, somando, nesse caso, 32 pontos, apenas poderia, no pior cenário, ser igualada pontualmente pelo Abrantes e Benfica, equipa em relação à qual tem vantagem no confronto directo.

Nas seis vezes em que estes dois emblemas se cruzaram no principal escalão na última década, regista-se ligeiro predomínio do Coruchense, com três vitórias, face a dois triunfos tomarenses e um empate, o que, à partida, poderá antever-se como o desfecho de maior probabilidade para esta tarde, não esquecendo, contudo, que, na última vez que se defrontaram em Tomar, em Janeiro do ano passado, então em jogo a contar para a Taça, os unionistas golearam por 5-1.

Nas Fazendas de Almeirim encontram-se os actuais 6.º e 4.º classificados, com o Fazendense a receber o Cartaxo, que era um candidato assumido ao título, do qual, porém, está já virtualmente afastado. Em sete embates nos últimos 10 anos, verifica-se um impressionante registo de sete vitórias (100% de rendimento) do Fazendense, uma estatística que será, a cada ano, cada vez mais difícil de preservar, podendo mesmo vir a ser quebrada já neste jogo.

O Samora Correia terá a visita de uma forte equipa do Mação – que, ainda a meio da semana, impôs um empate no terreno do líder, em partida de acerto de calendário, a qual, aliás, poderia inclusivamente ter vencido. Nos três jogos que disputaram em anos recentes, os samorenses venceram por duas vezes, face a um triunfo dos maçaenses, em 2018, mas, então, com uma goleada por 4-0. Um “placard” que não se afigura possa ser repetido hoje, mas não surpreenderia se o Mação ganhasse de novo.

O Abrantes e Benfica – que, a par do U. Tomar – é uma das duas únicas equipas ainda com hipóteses matemáticas de poder chegar ao 1.º lugar, mesmo que muito remotas, defronta, em Abrantes, o Amiense, perspectivando-se que possa repetir o triunfo do único jogo anterior entre os dois clubes, há mais de ano e meio – mesmo que o grupo de Amiais de Baixo possa sentir-se de alguma forma “ferido” no seu orgulho pelo algo inesperado afastamento da Taça do Ribatejo.

De entre os confrontos desta ronda, temos ainda a curiosidade de um desafio entre dois clubes históricos do Distrito, Torres Novas e Alcanenense, os quais, todavia, apenas se cruzaram na I Divisão uma única vez nos últimos dez anos – há duas temporadas –, tendo-se registado, então, um nulo. Esta tarde poderá repetir-se a igualdade, mas não surpreenderia se o conjunto de Alcanena somasse os três pontos.

A fazer uma campanha bastante regular, o grupo da Glória do Ribatejo, agora já salvaguardado de qualquer eventual imprevisto, é favorito a vencer uma equipa do Ferreira do Zêzere, verdadeiramente irreconhecível desde a retoma da competição, somando já duas muito pesadas goleadas sofridas, em Samora e em Alcanena. Os ferreirenses até já ganharam na Glória, há duas épocas, goleando nessa altura por 4-0, mas o mais expectável é que a turma da Glória possa repetir o desfecho da última temporada, voltando a vencer.

Os restantes dois encontros da jornada envolvem quatro equipas ainda “aflitas”, na disputa pela manutenção, o que, aliás, para duas delas, parece ser já uma “missão impossível”.

O Rio Maior recebe o penúltimo classificado, Riachense, e, animado pela vitória na Taça, deverá somar três preciosos pontos ao seu pecúlio, os quais poderão vir a revelar-se cruciais para a manutenção. Na única vez que se defrontaram, para o principal campeonato, em Janeiro do ano passado, os riomaiorenses venceram então por tangencial 1-0, marca que até poderão ampliar hoje.

Por fim, o Entroncamento terá a visita do “lanterna vermelha”, Moçarriense, já praticamente condenado à descida, o que ficaria desde já consumado em caso de derrota. Os homens da Moçarria terão a moralização da eliminatória superada na Taça, mas os ferroviários não deverão perder a oportunidade de obter também o que se afigura ser uma imprescindível vitória, num embate em estreia entre ambos os clubes.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 23.05.2021)