Abrantes e BenficaABRANTES E BENFICA – Joel Dias, Miguel Catarino, Toni (c.), Manuel Vítor, Diogo Rocha, Diogo Mateus, Barrocas, Pedro Damas (89m – Guilherme Macide), José Pedro (86m – Will Intumbi), Rui Sousa e Hélio Ocante

U. TOMAR – Nuno Ribeiro, Filipe Cotovio, Fábio Vieira (78m – Douglas Pissona), Nuno Rodrigues (c.) (69m – Anderson Nascimento), Bruno Araújo (69m – André Lopes), Miguel Abreu (45m – Tiago Lourenço), Luís Alves, Pedro Pires (45m – Leandro Filipe), Wemerson Silva, Tiago Vieira e Chrystian Pedroso

(suplentes – Daniel Oliveira e Paulo Ferreira)

1-0 – José Pedro – 6m
2-0 – Hélio Ocante – 34m
2-1 – Leandro Filipe – 79m

Cartões amarelos – José Pedro (37m), Manuel Vítor (79m), Pedro Damas (83m), Rui Sousa (84m) e Ricardo Canais (90m); Filipe Cotovio (34m), Nuno Rodrigues (44m), Fábio Vieira (69m), Wemerson Silva (76m), Leandro Filipe (85m) e Douglas Pissona (90m)

Árbitro – Bruno Cruz

Série A

Ferreira Zêzere B – Aldeiense – 2-1
Alcanenense – Alferrarede – 4-1
U. Atalaiense – Caxarias – 5-4
Tramagal – Abrantes e Benfica B – 6-0
Ortiga – Entroncamento AC – 0-2
Folga: U. Tomar B

1º Alcanenense, 38; 2º Entroncamento AC, 33; 3º Tramagal, 31; 4º Caxarias e U. Atalaiense, 24; 6º U. Tomar B, 22; 7º Ortiga, 18; 8º Ferreira Zêzere B, 10; 9º Aldeiense, 9; 10º Alferrarede, 7; 11º Abrantes e Benfica B, 3

Série B

Espinheirense – Forense – 2-2
Pontével – Salvaterrense – 3-0
Marinhais – Benfica Ribatejo – 0-1
Porto Alto – Fazendense B – 2-1
Benavente – Goleganense – 1-1
Folga: Rebocho

1º Pontével, 29; 2º Marinhais, 26; 3º Benavente, 25; 4º Forense, 24; 5º Espinheirense, 23; 6º Porto Alto e Benfica Ribatejo, 19; 8º Goleganense, 17; 9º Salvaterrense, 17; 10º Fazendense B, 9; 11º Rebocho, 5

Abrantes e Benfica – U. Tomar – 2-1
Rio Maior SC – Samora Correia – 1-1
Fazendense – Mação – 1-2
Riachense – Pego – 1-2
Torres Novas – Moçarriense – 4-2
Coruchense – Glória Ribatejo – 3-0
Cartaxo – U. Almeirim – 2-0
Amiense – Ferreira Zêzere – (23.02.2020)

                       Jg     V     E     D       G       Pt
 1º U. Almeirim        19    18     -     1    56 -  9    54
 2º Coruchense         19    14     1     4    40 - 19    43
 3º Fazendense         19    13     2     4    29 - 12    41
 4º Abrantes e Benfica 19    13     2     4    26 - 17    41
 5º U. Tomar           19    13     1     5    39 - 13    40
 6º Cartaxo            19    11     3     5    39 - 19    36
 7º Mação              19    10     3     6    35 - 23    33
 8º Torres Novas       19     8     5     6    24 - 23    29
 9º Amiense            18     8     2     8    24 - 26    26
10º Samora Correia     19     7     4     8    28 - 26    25
11º Ferreira Zêzere    18     6     2    10    22 - 33    20
12º Glória Ribatejo    19     4     2    13    17 - 37    14
13º Rio Maior SC       19     3     3    13    23 - 36    12
14º Pego               19     3     -    16    13 - 40     9
15º Moçarriense        19     2     2    15    12 - 56     8
16º Riachense          19     2     -    17     8 - 46     6

Melhores marcadores:

1º Igor Costa (U. Almeirim) – 15
2º Tiago Vieira (U. Tomar) – 13
3º Rui Caniço (Cartaxo) e Sérgio Machuqueiro (Coruchense) – 12

Folga: Salvaterrense
CADE – Cartaxo – 2-0 (15.02.2020)
Ac. Santarém – Coruchense – 11-0
U. Tomar – At. Ouriense – 0-3 (15.02.2020)
FSKI – Soccer Scalabis – Vasco Gama – 2-1 (15.02.2020)
Porto Alto – N. Sp. Rio Maior – 1-3
Vilarense – Fazendense – 6-0

1º Vilarense, 44; 2º Ac. Santarém, 41; 3º N. Sp. Rio Maior, 31; 4º Vasco Gama, 31; 5º CADE, 29; 6º FSKI – Soccer Scalabis, 29; 7º Salvaterrense, 22; 8º Cartaxo, 19; 9º Fazendense, 12; 10º U. Tomar, 12; 11º Coruchense, 10; 12º At. Ouriense, 7; 13º Porto Alto, 5

Hertz

A 19.ª jornada da I Divisão Distrital apresenta, como “prato forte”, um estimulante embate entre Cartaxo e U. Almeirim, duas das equipas que mais se apetrecharam para esta temporada.

Atendendo a que o jogo se disputa em terreno adverso, este poderá ser, porventura, o desafio de maior dificuldade com que o U. Almeirim se deparou até agora, no presente campeonato, no qual segue 100% triunfal, após 18 rondas.

Os dois clubes defrontaram-se, no Cartaxo, nas quatro últimas temporadas, com tendência a favorecer claramente os donos da casa, que ganharam por três vezes, apenas tendo sido derrotados numa ocasião, há dois anos.

Tendo igualmente em consideração que os cartaxeiros venceram os três jogos até agora disputados na segunda volta do campeonato, veremos se se confirma o risco de quebra da fantástica série de vitórias do U. Almeirim, ou se, ao invés, os almeirinenses conseguirão transpor mais este obstáculo.

Mas há mais motivos de interesse: um confronto, também de desfecho imprevisível, entre Abrantes e Benfica e U. Tomar, e um igualmente aliciante Fazendense-Mação.

Em Abrantes, o clube local volta a receber os tomarenses, 70 anos depois do último encontro ali realizado entre ambos a contar para o principal escalão do futebol distrital!

Na primeira volta, os abrantinos – então recém-chegados da divisão secundária – surpreenderam, vencendo em Tomar. Hoje, estaremos perante um jogo de tripla, não obstante os unionistas poderem surgir algo repartidos entre a disputa dos lugares cimeiros do campeonato e a perspectiva de poder voltar a marcar presença na Final da Taça do Ribatejo.

Fazendense e Mação disputam o embate de maior historial recente, já repetido em dez ocasiões na última década, com vantagem dos homens das Fazendas de Almeirim, que ganharam metade das partidas (cinco), face a apenas dois triunfos dos maçaenses (o último dos quais já em 2013-14), para além de três igualdades.

Os “scores” têm sido equilibrados, sendo que apenas uma vez um dos contendores marcou mais de dois golos (3-1 para o Fazendense, na já relativamente distante temporada de 2010-11).

Com o grupo das Fazendas embalado, num excelente ciclo de seis vitórias sucessivas, perante uma equipa do Mação que parece atravessar fase de menor fulgor, os visitados serão favoritos a ganhar esta tarde, visando consolidar a posição de vice-líder que ocupam.

Em Coruche, defrontam-se os vizinhos Coruchense e Glória do Ribatejo, com a turma do Sorraia previsivelmente a repetir as vitórias registadas nas duas últimas vezes em que se cruzaram no principal escalão, depois de uma igualdade em 2012-13.

O Torres Novas recebe o Moçarriense, sendo os torrejanos amplamente favoritos, perante um adversário que segue com cinco derrotas sucessivas.

Nas três vezes em que, em anos recentes, se encontraram, o conjunto de Torres Novas ganhou por duas ocasiões, tendo sido surpreendido em 2011-12, época em que os homens da Moçarria lograram vencer no terreno do adversário de hoje.

Amiense e Ferreira do Zêzere encontram-se em Amiais de Baixo, apresentando trajectórias distintas nos últimos jogos, sendo que os ferreirenses perderam os três encontros já disputados nesta segunda volta do campeonato.

Os dois emblemas defrontaram-se apenas nas duas temporadas mais recentes, com um empate em 2017-18 e uma clara vitória (3-0) do Amiense na época passada, desfecho que se antevê possa repetir-se hoje.

Numa outra partida de prognóstico difícil, sem histórico anterior, o Rio Maior terá a visita do Samora Correia, que vinha num ciclo positivo – no qual se inclui o apuramento para as meias-finais da Taça –, até ser desfeiteado, no passado fim-de-semana, em casa, pelo Fazendense.

Ainda assim, mesmo considerando que os visitados continuam carenciados de pontos, para procurar escapar à zona perigosa da tabela classificativa, este parece ser um jogo mais propício a triunfo dos samorenses, ou, no mínimo, a uma eventual repartição de pontos.

Os dois clubes que partilham a indesejada condição de “lanterna vermelha”, Riachense e Pego, encontram-se hoje, num confronto que poderá assumir contornos determinantes para o evoluir do resto da temporada, no que respeita às duas equipas.

Tendo-se defrontado, no principal escalão, apenas na época de 2016-17, então com triunfo categórico dos homens dos Riachos, por 4-1, a conjuntura actual é bastante diferente, sendo que, nos 24 últimos jogos disputados por estas duas formações, acumularam um total de 23 desaires (a única excepção foi a vitória do Pego sobre o Moçarriense, já na 11.ª ronda)!

Esta tarde, e pese embora o Riachense até tenha ido ganhar ao Pego, na 1.ª volta, os pegachos parecem dispor de mais argumentos para poder “devolver” a desfeita sofrida em casa.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 16.02.2020)

O pulsar do campeonato - 2019-20 - 18jornada

(“O Templário”, 13.02.2020)

Antevia-se já que a 18.ª ronda da I Divisão Distrital pudesse vir a ser uma jornada “morna” e assim sucedeu, com a rara conjugação de todos os agora oito primeiros classificados terem vencido os seus desafios, ante os… actuais últimos oito classificados – tendo o Torres Novas ascendido precisamente à 8.ª posição (partilhada com a Amiense), beneficiando do seu triunfo no Pego, em paralelo com a derrota da turma de Amiais de Baixo em Almeirim, perante o guia.

Destaques – A principal nota de realce vai para a vitória do vice-líder, Fazendense, em Samora Correia (agora 10.º) – equipa que não perdia no campeonato há quatro jogos –, por 2-0, no que constitui já o sexto êxito consecutivo do grupo das Fazendas de Almeirim, igualando os notáveis ciclos de Abrantes e Benfica (entre a 2.ª e a 7.ª jornadas) e Coruchense (entre a 9.ª e a 14.ª), registos apenas superados pelo comandante.

Ao contrário do que sucedera no jogo da Taça há três semanas (cujo desfecho, no tempo regulamentar de jogo, fora uma igualdade a dois golos), o U. Almeirim, actuando no seu reduto, não permitiu, desta feita, veleidades ao Amiense – que somava quatro vitórias nas cinco últimas jornadas, sem qualquer derrota –, impondo-se por convincente marca de 4-1, selando o seu 18.º triunfo consecutivo no campeonato, continuando a ampliar o seu impressionante “record”.

Conforme aludido acima, o Torres Novas foi, em função do resultado alcançado, o principal beneficiado desta ronda, tendo vencido, não sem dificuldade, por tangencial 2-1, no terreno do Pego (o qual somou sétimo desaire sucessivo, onze nas últimas doze jornadas), ascendendo, pois, à primeira metade da tabela, tendo já virtualmente garantida a tranquilidade.

Assinala-se também o triunfo do Cartaxo na Glória do Ribatejo – terceiro em outras tantas rondas da segunda volta –, também por números (3-2) que denotam uma partida disputada; os cartaxeiros (actualmente no 6.º posto, a cinco pontos do Abrantes e Benfica) não terão ainda abdicado de procurar chegar mais acima na pauta classificativa.

Do fim-de-semana anterior vinha já, por antecipação do jogo entre Ferreira do Zêzere e Abrantes e Benfica, a vitória, por 1-0, do conjunto abrantino, com os ferreirenses a repetirem, neste início de segunda metade da prova, os desfechos (três derrotas) que haviam registado no arranque do campeonato, mantendo, não obstante, uma confortável margem de segurança.

Confirmações – As equipas do U. Tomar, Coruchense e Mação confirmaram o favoritismo que lhes era creditado, constituindo-se como maior “surpresa” o facto de a vitória dos maçaenses, na recepção ao Riachense – que acumula já uma terrível série de doze derrotas consecutivas –, ter sido averbada apenas mercê de um solitário tento.

Quanto ao U. Tomar, recebendo o novel emblema de Rio Maior, teve uma das mais descansadas tardes desta temporada: entrando no jogo praticamente a ganhar, dilataria a vantagem ainda cedo, na primeira parte, fixando o que viria a ser o resultado final: 2-0, com golos de Wemerson Silva e de Tiago Vieira (que passam a somar, respectivamente, sete e treze golos no campeonato).

Na segunda metade, pouco indo além da mera gestão do tempo, o conjunto tomarense aproveitou o facto de o adversário, não obstante trocar bem a bola, oferecer pouco perigo, para “repousar”.

Foi também tangencial (2-1) o triunfo do Coruchense na Moçarria, com a formação da casa, que somou quinto desaire sucessivo – tal como o Pego, conta igualmente onze derrotas nas últimas doze jornadas –, a procurar ainda alcançar, enfim, um resultado positivo que possa vir a funcionar como factor de motivação para enfrentar o que resta da época, na tentativa de escapar aos lugares de despromoção.

II Divisão Distrital – A Norte, o Alcanenense, vencedor no reduto do Aldeiense, por 2-0, aproveitou a folga do Entroncamento e a derrota (3-0) do Tramagal nas Caxarias para consolidar a sua posição de liderança. Faltando disputar, à generalidade dos concorrentes, sete jogos, e dispondo agora de uma vantagem de onze pontos sobre o 4.º classificado, a formação de Alcanena pode começar a perspectivar o que poderá ser a sua campanha na fase final da competição.

O outro grande vencedor desta 14.ª jornada foi precisamente o Caxarias, que soma ao seu categórico triunfo (que o coloca a quatro pontos do 3.º lugar, ocupado precisamente pelo rival desta ronda), também a inesperada desfeita sofrida pela equipa “B” do U. Tomar ante a sua congénere de Ferreira do Zêzere (com uma reforçada formação ferreirense a ganhar por 1-0), para se alcandorar ao 4.º posto.

A Sul, quem mais beneficiou dos resultados do fim-de-semana foi o Benavente (goleando por 7-0 nas Fazendas de Almeirim, a equipa “B” do Fazendense, a qual repetiu os números do desaire da ronda anterior, ante o Goleganense), aproveitando as igualdades cedidas por Marinhais (nulo no “derby” de Salvaterra de Magos, ante o Salvaterrense), Pontével e Forense (que empataram entre si a uma bola) para subir ao 3.º lugar, a dois pontos de Marinhais e Pontével (não considerando ainda a vitória do Marinhais em jogo antecipado da 16.ª jornada).

Campeonato de Portugal – Enfrentando positivamente as grandes dificuldades que se antecipavam, a 21.ª jornada acabou por ser bem positiva para os clubes do Distrito: o Fátima, impondo um surpreendente empate (1-1) no terreno do líder destacado, Praiense, o que lhe proporciona, para já, continuar a partilhar o 2.º lugar, com Caldas e B. C. Branco; o U. Santarém, recebendo precisamente a turma caldense, com repartição de pontos, no termo de um empolgante desafio, outra vez com o resultado final a cifrar-se em 3-3 (tal como na semana anterior), no sexto jogo sucessivo de invencibilidade dos escalabitanos, que se mantêm no trio do 13.º a 15.º lugares.

Antevisão – A próxima jornada da I Divisão Distrital apresenta, como “prato forte”, um estimulante embate entre Cartaxo e U. Almeirim, duas das equipas que mais se apetrecharam para esta temporada. Mas há mais motivos de interesse: um confronto, também de desfecho imprevisível, entre Abrantes e Benfica e U. Tomar, e um igualmente aliciante Fazendense-Mação.

No escalão secundário, destacam-se as partidas: U. Atalaiense-Caxarias, Ortiga-Entroncamento e Espinheirense-Forense, com a possibilidade de apuramento para a fase final como pano de fundo.

No Campeonato de Portugal, espera-se que Fátima e U. Santarém possam aproveitar os encontros em que serão anfitriões, respectivamente, do V. Sernache e do U. Leiria, para, tirando partido de fases menos boas que os adversários parecem atravessar, voltar aos triunfos.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 13 de Fevereiro de 2020)

Folga: Moçarriense
U. Almeirim – Fátima – 1-2
U. Atalaiense – U. Tomar – 0-3
Folga: Abrantes e Benfica
Vilarense – Porto Alto – 1-1
Samora Correia – Salvaterrense – 2-2

1º Fátima, 30; 2º U. Almeirim, 30; 3º Vilarense, 29; 4º Samora Correia, 24; 5º Porto Alto, 18; 6º U. Tomar, 16; 7º U. Atalaiense, 15; 7º 8º Abrantes e Benfica, 12; 9º Salvaterrense, 8; 10º Moçarriense, 0