Série A

Moçarriense – Forense – 2-1
Rebocho – Benfica do Ribatejo – 0-1
Folga: Paço dos Negros
Espinheirense – Marinhais – 3-3
U. Almeirim – Glória do Ribatejo – 1-1
Porto Alto – At. Pernes – 2-2

1º Moçarriense, 19; 2º Espinheirense, 15; 3º Forense, 14; 4º Marinhais, 14; 5º Paço dos Negros e Benfica do Ribatejo, 11; 7º Glória do Ribatejo, 11; 8º Porto Alto, 10; 9º U. Almeirim, 8; 10º Rebocho, 5; 11º At. Pernes, 2

Série B

Pego – Tramagal – 0-2
Vasco da Gama – Goleganense – 2-2
Ortiga – U. Atalaiense – 0-1
Abrantes e Benfica “S23” – Alferrarede – 2-1
Riachense – Caxarias – 4-2
Folga: Vilarense

1º Riachense, 25; 2º Vasco da Gama, 15; 3º Tramagal, 15; 4º Pego, 14; 5º U. Atalaiense e Vilarense, 12; 7º Caxarias, 11; 8º Abrantes e Benfica “S23” e Goleganense, 8; 10º Ortiga e Alferrarede, 3

Advertisement

Série A

Moçarriense – Porto Alto – 2-1
Forense – Rebocho – 2-0
Folga: Benfica do Ribatejo
Paço dos Negros – Espinheirense – 1-2
Marinhais – U. Almeirim – 3-0
Glória do Ribatejo – At. Pernes – 3-0

1º Moçarriense, 16; 2º Forense e Espinheirense, 14; 4º Marinhais, 13; 5º Paço dos Negros, 11; 6º Glória do Ribatejo, 10; 7º Porto Alto, 9; 8º Benfica do Ribatejo, 8; 9º U. Almeirim, 7; 10º Rebocho, 5; 11º At. Pernes, 1

Série B

Folga: Pego
Tramagal – Vasco da Gama – 0-2
Goleganense – Ortiga – 3-0
U. Atalaiense – Abrantes e Benfica “S23” – 1-1
Alferrarede – Riachense – 0-2
Caxarias – Vilarense – 1-1

1º Riachense, 22; 2º Pego e Vasco da Gama, 14; 4º Tramagal e Vilarense, 12; 6º Caxarias, 11; 7º U. Atalaiense, 9; 8º Goleganense, 7; 9º Abrantes e Benfica “S23”, 5; 10º Ortiga e Alferrarede, 3

Cartaxo – Samora Correia – 3-2
Torres Novas – Águias Alpiarça – 1-0
Abrantes e Benfica – Alcanenense – 1-2
Mação – Benavente – 2-1
Salvaterrense – Fátima – 2-0
At. Ouriense – Amiense – 1-1
Fazendense – Entroncamento AC – 3-0
Ferreira Zêzere – U. Tomar – 0-1

                       Jg     V     E     D       G       Pt
 1º U. Tomar           11     9     -     2    26 -  9    27
 2º Fazendense         11     8     1     2    21 -  7    25
 3º Samora Correia     11     7     3     1    17 -  8    24
 4º Amiense            11     6     3     2    18 - 14    21
 5º Alcanenense        11     6     2     3    19 - 10    20
 6º At. Ouriense       11     5     3     3    22 - 18    18
 7º Mação              11     5     1     5    21 - 17    16
 8º Salvaterrense      11     4     2     5    12 - 13    14
 9º Cartaxo            11     4     2     5    15 - 17    14
10º Ferreira Zêzere    11     4     1     6    11 - 16    13
11º Torres Novas       11     4     1     6    15 - 27    13
12º Águias Alpiarça    11     4     -     7    16 - 25    12
13º Abrantes e Benfica 11     2     4     5    12 - 17    10
14º Benavente          11     2     3     6    11 - 19     9
15º Fátima             11     2     1     8    10 - 17     7
16º Entroncamento AC   11     1     3     7    12 - 24     6

Melhores marcadores:

1º Diogo Gameiro (At. Ouriense) – 10
2º Moisés Iabna (Alcanenense); e Pedro Pires (U. Tomar) – 8
3º João Costa (Entroncamento AC); e Persi Mamede (Torres Novas) – 7

Folga: Lagartos Sardoal
Vilarense – Vasco da Gama – 1-3
Fazendense – Cartaxo – 1-7 (01.12.2022)
N. Sp. Rio Maior – Ac. Santarém “B” – 0-3
Fátima “B” – U. Tomar – 2-3
CADE – At. Ouriense – 2-1
Abrantes e Benfica – Salvaterrense – 4-2

1º CADE, 18; 2º Cartaxo, 15; 3º Ac. Santarém “B”, 12; 4º Fátima “B” e N. Sp. Rio Maior, 12; 6º U. Tomar e Vasco da Gama, 9; 8º Abrantes e Benfica, 9; 9º At. Ouriense, 6; 10º Salvaterrense, 6; 11º Lagartos Sardoal, 0; 13º Vilarense e Fazendense, 0

Na 11.ª ronda da divisão principal o foco estará, sobretudo, no grande embate entre Ferreira do Zêzere e U. Tomar, uma espécie de “tudo ou nada” para os ferreirenses. Por seu lado, o Cartaxo-Samora Correia apresenta o aliciante de avaliar até que ponto os samorenses conseguirão preservar a sua campanha invicta. De interesse será, igualmente, a partida entre At. Ouriense e Amiense.

“Velhos conhecidos” e rivais vizinhos, Ferreira do Zêzere e U. Tomar apenas se defrontaram, em desafios da I Divisão Distrital, por três ocasiões, na última década (dado terem sido cancelados os jogos previstos para as épocas de 2019-20 e 2020-21, devido à pandemia).

Nesses três confrontos registaram-se já os três desfechos possíveis: vitória dos ferreirenses no início de 2018, empate em 2019, e triunfo dos nabantinos há cerca de um ano, a 14 de Novembro de 2021, por 2-0.

Trata-se de um embate entre duas das equipas com maiores ambições para esta temporada, sendo que, até agora, o Ferreira do Zêzere tem estado bastante aquém das expectativas, posicionando-se a meio da tabela, num discreto 8.º lugar, já com onze pontos de atraso do duo da liderança, formado precisamente por U. Tomar e Samora Correia.

Integrando diversos jogadores que, em anos recentes, alinharam pelo emblema de Tomar, a equipa ferreirense tudo fará para tentar vencer este duelo muito especial, no qual os unionistas terão de procurar ser o mais racionais possíveis, de forma a colocar em campo o seu potencial futebolístico.

O resultado é, obviamente, uma grande incógnita, num verdadeiro jogo de “tripla”.

Cartaxo e Samora Correia defrontaram-se, nos últimos anos, por quatro vezes, com tendência repartida: dois triunfos para cada lado, tendo os samorenses vencido o desafio mais recente, em Março deste ano, por 2-0.

Os cartaxeiros vêm moralizados pela vitória averbada na ronda anterior ante o Ferreira do Zêzere, procurando repetir tal resultado, com a motivação extra de poderem ser os primeiros a desfeitear o ainda invicto líder. Mas terão de contar com a solidez defensiva do Samora Correia, que, até agora, sofreu, em média, “meio golo” por jogo.

Num outro encontro em que todos os resultados parecem possíveis, um eventual empate – ainda não registado nos quatro embates anteriores – poderia acabar por vir a agradar a ambos os contendores.

O At. Ouriense terá a visita do Amiense, e, tal como sucedia há duas semanas, no confronto com o Benavente, tem registado supremacia quase total: em sete jogos disputados desde 2013, o grupo de Ourém ganhou os seis últimos, apenas tendo consentido um empate, já em 2013.

Estarão frente a frente os actuais 6.º e 4.º classificados, separados na tabela por apenas três pontos. O conjunto dos Amiais de Baixo apresenta-se animado com a vitória alcançada ante o Fazendense, mas o At. Ouriense vem também de um saboroso triunfo no “derby” concelhio, em Fátima.

Ao contrário do que tem sido a tendência histórica, o Amiense poderá beneficiar de alguma maior dose de favoritismo, mas, tal como nos dois casos anteriores, qualquer que seja o desfecho deste jogo não constituirá grande surpresa, sendo a repartição de pontos também um cenário plausível.

Tal como há duas jornadas, o Fazendense volta a jogar, pensando, claro, em primeiro lugar, em ganhar o seu jogo, mas ficando na expectativa de que os principais rivais possam sofrer algum deslize. Recebe o “lanterna vermelha”, Entroncamento, num embate em estreia absoluta entre os dois clubes (dado ter sido cancelado o jogo entre ambos na época de 2020-21).

O favoritismo é total para o grupo das Fazendas, pelo que, neste caso, seria enorme a surpresa se a formação da cidade ferroviária conseguisse repetir o feito alcançado em Amiais de Baixo, ou seja, pontuar na partida de hoje.

Em Abrantes a turma local, também muito longe das expectativas, ocupando, nesta altura, modesto 12.º lugar na classificação, recebe o Alcanenense, ao contrário, a realizar boa temporada, actual 5.º classificado.

Nas duas vezes em que se cruzaram, nas duas últimas temporadas, os abrantinos ainda não conseguiram ganhar, tendo empatado em 2020 e perdido, por tangencial 0-1, exactamente há um ano, a 28 de Novembro.

Para esta tarde, mesmo que a formação de Alcanena tenha já obtido duas vitórias em terreno alheio, a conjugação do factor casa com a necessidade de somar pontos poderá resultar em desfecho favorável ao Abrantes e Benfica.

O Mação recebe o Benavente, com um histórico semelhante ao do confronto entre At. Ouriense e Amiense: em seis desafios realizados na última década, os maçaenses ganharam por cinco vezes, não tendo os homens de Benavente conseguido melhor do que um único empate, também já em 2013.

Hoje, o grupo de Mação que tem vindo, paulatinamente, a subir na tabela, deverá voltar a ganhar.

O Águias de Alpiarça, moralizado com a vitória registada na recepção ao Abrantes e Benfica, desloca-se a Torres Novas, num encontro que promete golos (são as duas defesas mais batidas, e os respectivos ataques têm, geralmente, também em mira o golo).

A última vez que se defrontaram foi já há 16 anos, nessa ocasião com os alpiarcenses a levar a melhor, ganhando em Torres Novas por 2-1. Para hoje antevê-se um jogo repartido, em que o empate poderá ajustar-se.

Salvaterrense e Fátima, ambos a procurar escapar à parte baixa da tabela, defrontam-se em estreia, noutro desafio de prognóstico em aberto. O factor casa poderá ter o seu peso, mas a necessidade de pontos pode também aguçar o engenho dos fatimenses…

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 27.11.2022)

Benfica “B” – U. Tomar – 9-0 (26.11.2022)
Torreense – Peniche – 7-1 (26.11.2022)
O Elvas – Fronteirense – 4-0
Sporting “B” – Oeiras – 5-1

1º Sporting “B”, 22; 2º Benfica “B” e O Elvas, 19; 4º Torreense, 17; 5º Oeiras, 10; 6º Fronteirense, 9; 7º Peniche, 4; 8º U. Tomar, 2

(“O Templário”, 24.11.2022)

Registando segunda goleada sucessiva (um total de nove golos marcados nos dois últimos jogos), e beneficiando da derrota sofrida pelo Fazendense em Amiais de Baixo, o U. Tomar recuperou a posição de liderança, a par do Samora Correia, que, findo o primeiro terço da prova, mantém a invencibilidade. Se os nabantinos se destacam pelo poderio ofensivo (somando 25 tentos em dez partidas), os samorenses têm no seu reduto defensivo o ponto forte (apenas cinco golos sofridos).

Por outro lado, em função dos desfechos da 10.ª ronda, o duo da frente abriu já uma vantagem interessante, de sete pontos, em relação ao 5.º lugar, repartido entre Alcanenense e At. Ouriense. Pese embora subsistam ainda 60 pontos em disputa, novos deslizes de Mação (empate), Ferreira do Zêzere e Abrantes e Benfica (ambos derrotados) colocam-nos já a distância muito dificilmente reversível (11 pontos de atraso para maçaenses e ferreirenses; 14 no caso dos abrantinos).

Destaques – A principal nota de realce do passado fim-de-semana vai para a vitória do Amiense ante o até então líder, Fazendense, por tangencial 1-0, num embate que deu azo a muitas queixas por parte dos visitantes, quer em relação à arbitragem (qualificada de inexperiente), como à atitude dos donos da casa. Os homens dos Amiais chegaram ao golo, que ditaria o desfecho do encontro, aos 35 minutos, preciosa vantagem que tudo fizeram para preservar até final.

As duas equipas estão agora separadas, entre si, por dois pontos, distando, respectivamente, quatro e dois pontos dos guias, completando, portanto, o quarteto de principais candidatos ao título.

Como referido, o U. Tomar voltou a golear; depois do 4-0 ao Amiense, foi ganhar ao Entroncamento, face ao “lanterna vermelha”, por categórica marca de 5-1. Num confronto desnivelado, com entrada avassaladora, os unionistas rapidamente decidiram a contenda, com três tentos em pouco mais de vinte minutos (após abrirem o marcador ainda antes do quarto de hora).

Na segunda metade, a turma da cidade ferroviária, procurando dar réplica animosa, ainda reduziu para 1-3, mas os tomarenses mantiveram-se imperturbáveis, com a contagem a subir, com naturalidade, até ao 5-1 final.

Em destaque esteve também o At. Ouriense, que, pese embora alguma irregularidade, continua a somar pontos, tendo ido ganhar a Fátima, num “derby” distrital, por 3-1, contribuindo para agudizar ainda mais a periclitante posição dos fatimenses, que continuam no penúltimo lugar.

Surpresas – Atendendo ao que poderia projectar-se, em função do potencial das forças em presença, por um lado, e do respectivo desempenho recente, por outro, assinalam-se duas “meias-surpresas”, com o Cartaxo e o Águias de Alpiarça a fazer valer o factor casa, para se imporem, respectivamente, face a Ferreira do Zêzere e Abrantes e Benfica.

O Cartaxo, ganhando por 3-1, subsiste invicto em casa (registando três vitórias e dois empates), condição apenas acompanhada pelo duo da liderança. Tratou-se, no caso dos ferreirenses, do quarto desaire nos cinco últimos encontros, voltando a registar balanço negativo entre vitórias e derrotas (4-5), assim como a nível do “score” global (11-15), posicionando-se a meio da tabela.

O Águias de Alpiarça conseguiu enfim colocar termo a uma sucessão de cinco derrotas, batendo o Abrantes e Benfica por renhido 3-2, com o tento decisivo a chegar mesmo em cima do minuto 90, depois de os locais terem operado reviravolta (após terem começado por inaugurar o marcador logo aos cinco minutos de jogo). Esta foi a quarta jornada seguida sem vitória dos abrantinos, após uma série de três empates, sendo que não conseguiram ainda ganhar fora.

Confirmações – Nos restantes três desafios os resultados podem considerar-se dentro da lógica. Começando pelo inequívoco triunfo (3-0) do Samora Correia, na recepção ao Torres Novas, com a particularidade de, apenas pela segunda vez, os torrejanos terem ficado em branco (tal como sucedera nas Fazendas de Almeirim); por seu lado, os samorenses averbaram a quarta vitória em casa (apenas o Amiense tendo evitado a derrota em Samora).

Nos outros dois jogos, outros tantos nulos, entre Alcanenense e Mação, e Benavente e Salvaterrense. No primeiro caso, o facto de nenhuma das equipas se ter conseguido superiorizar, neutralizando-se, traduz-se no alargar do fosso pontual em relação aos lugares de topo da pauta classificativa; no segundo, o ponto que ambas somaram poderá vir a ser importante para as contas da manutenção, até – desde logo – em termos anímicos, por terem evitado a derrota.

II Divisão Distrital – Com o Forense de folga, aproveitou o Moçarriense para, ganhando ao Rebocho por 3-0, se isolar no comando da série A. Porventura surpreendente, atendendo à classificação dos dois clubes, terá sido a vitória (3-1) do U. Almeirim no “derby” com o Paço dos Negros; tal como não seria expectável o deslize do Espinheirense ante o Benfica do Ribatejo, não tendo conseguido melhor do que a igualdade a uma bola.

Na série B o Riachense “soma e segue” (conta seis vitórias e um empate), não obstante tenha vencido a U. Atalaiense por magro 2-1. Beneficiou ainda do desaire do Pego, batido por 3-1 pelo Vasco da Gama, para se distanciar na frente, com a turma dos Riachos a dispor de vantagem de cinco pontos sobre os pegachos. O Tramagal, ganhando na Ortiga por 4-1, ascendeu à 3.ª posição.

Campeonato de Portugal – Foi uma jornada a “zeros”, em termos de golos marcados, para os três emblemas do Distrito, a 8.ª desta competição. A derrota 0-1 do Rio Maior no terreno do imprevisto líder, Mortágua, não surpreende – até pelas recentes notícias que nos chegam, dando conta da grave situação que os jogadores do clube vêm atravessando, com vários meses de salários em atraso. Já o 1-0 registado no Loures-Coruchense não deixa de constituir também um mau indício, dado que a equipa dos arredores de Lisboa se posiciona igualmente na cauda da tabela.

O U. Santarém, empatando a zero na Sertã, obteve, ainda assim, um resultado positivo, que lhe confere, por ora, o 8.º lugar (último acima da “linha de água”) em igualdade pontual, precisamente, com o Sertanense (7.º)… mas, também com o União da Serra (9.º).

Bastante pior estão: o grupo do Sorraia (10.º, mas já com cinco pontos de atraso); e, sobretudo, os riomaiorenses, últimos classificados, ainda sem ganhar, e a 11 pontos daquele trio, o que, a não haver uma rápida inversão de rumo, se poderá traduzir numa breve passagem pelos “Nacionais”.

Antevisão – Na 11.ª ronda o foco estará, sobretudo, no grande embate Ferreira do Zêzere-U. Tomar, uma espécie de “tudo ou nada” para os ferreirenses. O Cartaxo-Samora Correia apresenta o aliciante de avaliar até que ponto os samorenses conseguirão preservar a sua campanha invicta.

Na II Divisão, destaca-se o Paço Negros-Espinheirense e, a Norte, o Tramagal-Vasco da Gama.

No Campeonato de Portugal o U. Santarém tem um importante desafio, recebendo o União da Serra; tendo o Coruchense a visita do Alcains, em que somar os três pontos se afigura muito importante; o Rio Maior volta a jogar com o (outro) líder, 1.º de Dezembro, também no seu reduto.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 24 de Novembro de 2022)

Marinhais – Vilarense – 5-2
U. Santarém – U. Almeirim – 5-0
U. Tomar – Vasco da Gama – 1-3
Ac. Santarém – Abrantes e Benfica – 4-3
Samora Correia – Mindense – 4-0
Alcanenense – Salvaterrense – 2-0

1º Alcanenense, 21; 2º Samora Correia, 19; 3º Vasco da Gama, 14; 4º Ac. Santarém, 12; 5º Marinhais e Vilarense, 10; 7º U. Almeirim, 8; 8º U. Santarém e Salvaterrense, 7; 10º U. Tomar, 5; 11º Mindense, 4; 12º Abrantes e Benfica, 1

ENTRONCAMENTO AC – Carlos Nabais, Hericângelo Lassana Banora, Gonçalo Santos (c.), Tomás Pereira, Ricardo Tomé (45m – Duarte Chambel), Sérgio Salgado, Rui Pedro Lopes, Bruno Augusto (45m – Renato Raimundo), David Aguiar (45m – Tiago Freitas), Tomás Gomes (83m – Miguel Bernardino) e João Costa

U. TOMAR – Ivo Cristo, Fábio Luzio, Siaka Bamba (c.), Henrique Matos, Douglas Pissona, José “Zé” Maria, Joaquim “Quim Zé” Batim (84m – Bruno Silva), Guilherme Camargo (83m – Diogo Ismail), Pedro Pires, Anderson Nascimento (75m – Guilherme Nunes) e Wemerson Silva (83m – Gonçalo Correia)

(suplentes – Rodrigo Neves, Ivan e José Charles)

0-1 – Henrique Matos – 13m
0-2 – Anderson Nascimento – 23m
0-3 – Guilherme Camargo – 35m
1-3 – João Costa (pen.) – 65m
1-4 – José Maria – 68m
1-5 – Quim Zé – 82m

Cartão amarelo – Martim Portela (64m)

Árbitro – Henrique Paula

Série A

Rebocho – Moçarriense – 0-3 (19.11.2022)
Folga: Forense
Espinheirense – Benfica do Ribatejo – 1-1
U. Almeirim – Paço dos Negros – 3-1
At. Pernes – Marinhais – 0-2
Porto Alto – Glória do Ribatejo – 1-1

1º Moçarriense, 13; 2º Forense e Espinheirense, 11; 4º Paço dos Negros, 11; 5º Marinhais, 10; 6º Porto Alto, 9; 7º Benfica do Ribatejo, 8; 8º U. Almeirim, 7; 9º Glória do Ribatejo, 7; 10º Rebocho, 5; 11º At. Pernes, 1

Série B

Vasco da Gama – Pego – 3-1
Ortiga – Tramagal – 1-4
Abrantes e Benfica “S23” – Goleganense – 4-0
Riachense – U. Atalaiense – 2-1
Vilarense – Alferrarede – 4-0
Folga: Caxarias

1º Riachense, 19; 2º Pego, 14; 3º Tramagal, 12; 4º Vasco da Gama, 11; 5º Vilarense, 11; 6º Caxarias, 10; 7º U. Atalaiense, 8; 8º Abrantes e Benfica “S23” e Goleganense, 4; 10º Ortiga e Alferrarede, 3

Cartaxo – Ferreira Zêzere – 3-1
Samora Correia – Torres Novas – 3-0
Águias Alpiarça – Abrantes e Benfica – 3-2
Alcanenense – Mação – 0-0
Benavente – Salvaterrense – 0-0
Fátima – At. Ouriense – 1-3
Amiense – Fazendense – 1-0
Entroncamento AC – U. Tomar – 1-5

                       Jg     V     E     D       G       Pt
 1º U. Tomar           10     8     -     2    25 -  9    24
 2º Samora Correia     10     7     3     -    15 -  5    24
 3º Fazendense         10     7     1     2    18 -  7    22
 4º Amiense            10     6     2     2    17 - 13    20
 5º Alcanenense        10     5     2     3    17 -  9    17
 6º At. Ouriense       10     5     2     3    21 - 17    17
 7º Mação              10     4     1     5    19 - 16    13
 8º Ferreira Zêzere    10     4     1     5    11 - 15    13
 9º Águias Alpiarça    10     4     -     6    16 - 24    12
10º Cartaxo            10     3     2     5    12 - 15    11
11º Salvaterrense      10     3     2     5    10 - 13    11
12º Abrantes e Benfica 10     2     4     4    11 - 15    10
13º Torres Novas       10     3     1     6    14 - 27    10
14º Benavente          10     2     3     5    10 - 17     9
15º Fátima             10     2     1     7    10 - 15     7
16º Entroncamento AC   10     1     3     6    12 - 21     6

Melhores marcadores:

1º Diogo Gameiro (At. Ouriense) – 10
2º João Costa (Entroncamento AC); Moisés Iabna (Alcanenense); e Pedro Pires (U. Tomar) – 7
3º Anderson Nascimento (U. Tomar); e Persi Mamede (Torres Novas) – 6

O “jogo grande” da 10.ª jornada da I Divisão Distrital será o que coloca frente-a-frente Amiense e Fazendense; realçando-se ainda o Alcanenense-Mação. Por seu lado, o U. Tomar não poderá contar com facilidades no Entroncamento, perante o último classificado, carenciado de pontos. De interesse será também o Cartaxo-Ferreira do Zêzere.

Amiense e Fazendense, dois dos clubes de maior historial no futebol distrital, defrontaram-se por 11 vezes na última década, com nada menos de sete empates, a pontuar bem o equilíbrio entre as duas equipas. A juntar a isso, duas vitórias para cada lado, num balanceamento perfeito.

O grupo das Fazendas de Almeirim visita o tradicionalmente difícil reduto dos Amiais de Baixo na condição de líder isolado, tendo em curso um ciclo de quatro vitórias sucessivas. Em quatro partidas fora de casa neste campeonato, o Fazendense ganhou três, em Abrantes, Alpiarça e Benavente, contando um único empate cedido, no Cartaxo.

Quanto aos donos da casa, atravessam período de alguma oscilação, tendo averbado só um ponto nas duas últimas rondas, vindo de uma goleada sofrida em Tomar, mas um resultado bastante ilusório. No seu terreno o Amiense cedeu já pontos inesperadamente, derrotado pelo Benavente, e tendo empatado com o Entroncamento, duas equipas que se posicionam na cauda da tabela.

Isto dito, será um Amiense “ferido” no seu orgulho, e que colocará certamente muitas dificuldades ao adversário, num jogo em que todos os desfechos estarão em aberto.

A jovem equipa do Alcanenense, a realizar bom início de campeonato, actual 5.ª classificada, recebe o Mação, que, depois de um péssimo arranque (quatro desaires a abrir a prova), venceu quatro das cinco últimas partidas (a par do Fazendense e U. Tomar, apenas o Samora Correia tendo feito melhor).

Em casa, a turma de Alcanena conta três vitórias e uma derrota (com o Amiense); por seu lado, os maçaenses somam já quatro derrotas fora de casa, apenas tendo vencido em Torres Novas.

As duas equipas defrontaram-se apenas uma vez em anos recentes, no final de Maio, na última jornada da época anterior, então com triunfo do Mação, por 3-2. Um desfecho que poderá repetir-se, apesar de a repartição de pontos parecer mais provável.

O U. Tomar tem uma curta viagem até ao Entroncamento, onde encontrará o agora último classificado (por curiosidade, o emblema da cidade ferroviária tinha até sido o primeiro líder nesta temporada), em busca de dar sequência à vitória obtida em Fátima.

Os dois clubes também só se defrontaram numa única ocasião, há precisamente dois anos, a 22 de Novembro, tendo os tomarenses vencido por 2-1.

Apesar da posição delicada em que se encontra na tabela o Entroncamento vem de uma derrota tangencial em Ferreira do Zêzere, logo depois de ter imposto uma igualdade em Amiais de Baixo. Em casa dificultou bastante a vitória do Samora Correia, igualmente pela margem mínima. Pelo que, sendo o União favorito, terá de lutar bastante para poder voltar a casa com os três pontos.

Cartaxo e Ferreira do Zêzere defrontam-se pela quinta vez nos últimos dez anos, sendo que os cartaxeiros ganharam todos os quatro embates anteriores. Tal como sucedeu, na passada semana, com o At. Ouriense-Benavente, resultados passados não conferem qualquer tipo de “garantia” para o futuro e, o mais provável, será até que os ferreirenses consigam pontuar, ou até, mesmo, ganhar esta tarde.

Ao contrário, o Samora Correia recebe o Torres Novas, contando com um histórico nada favorável ante este rival, na sua própria casa: uma só vitória (no início de 2020), dois empates e duas derrotas (já em 2017 e em 2018).

Neste caso, e não obstante a boa campanha que os torrejanos vêm realizando ultimamente, não deixaria de ser algo surpreendente se conseguissem levar pontos de Samora.

Em Fátima teremos um “derby” municipal, com o conjunto local a ter a visita do At. Ouriense. A única vez que os dois clubes se defrontaram, em anos recentes, no escalão principal, foi em 2016, tendo então os fatimenses goleado por 4-0.

Hoje, num contexto diferente, o Fátima poderá até ganhar, aproveitando fase menos produtiva do conjunto de Ourém – mas, a verdade, é que ambos vêm de duas derrotas, pelo que a luta pelos pontos será árdua, tanto mais que os visitados, apenas penúltimos na classificação, deles estão muito necessitados.

Benavente e Salvaterrense voltam a cruzar-se na I Divisão, depois do nulo registado em Fevereiro deste ano, no único confronto recente entre ambos, a este nível.

As duas equipas têm denotado alguma irregularidade, chegando a este desafio em trajectória oposta: o Benavente, motivado pela vitória obtida em Ourém; o Salvaterrense, derrotado em casa pelo Alcanenense.

Esta poderá ser uma boa oportunidade para o Benavente alcançar a primeira vitória em casa, depois de três desaires e somente um ponto até agora averbado no seu terreno.

Águias de Alpiarça e Abrantes e Benfica terão o encontro de estreia absoluta entre os dois clubes, com os visitados a precisar urgentemente de estancar uma série muito negativa de cinco derrotas (“record” no presente campeonato), que os fez cair do 3.º ao 12.º lugar.

Quanto à formação abrantina, por agora, aquém das expectativas, vem de um ciclo de três empates, que até se poderá prolongar hoje, não surpreendendo também um eventual sucesso dos forasteiros.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 20.11.2022)

U. Tomar – Peniche – 1-4
Torreense – O Elvas – 1-1 (19.11.2022)
Fronteirense – Sporting “B” – 0-5 (19.11.2022)
Oeiras – Benfica “B” – 0-1

1º Sporting “B”, 19; 2º Benfica “B” e O Elvas, 16; 4º Torreense, 14; 5º Oeiras, 10; 6º Fronteirense, 9; 7º Peniche, 4; 8º U. Tomar, 2

Folga: Vasco da Gama
Cartaxo – Vilarense – 7-0 (19.11.2022)
Ac. Santarém “B” – Fazendense – 10-0
U. Tomar – N. Sp. Rio Maior – 3-4 (19.11.2022)
At. Ouriense – Fátima “B” – 0-2
Salvaterrense – CADE – 2-6
Lagartos Sardoal – Abrantes e Benfica – 2-4

1º CADE, 15; 2º Cartaxo, 12; 3º Fátima “B” e N. Sp. Rio Maior, 12; 5º Ac. Santarém “B”, 9; 6º U. Tomar, Vasco da Gama e At. Ouriense, 6; 9º Abrantes e Benfica e Salvaterrense, 6; 11º Vilarense, Lagartos Sardoal e Fazendense, 0

(“O Templário”, 17.11.2022)

O Samora Correia não conseguiu transpor com êxito o desafio que se lhe deparou em Abrantes, o que foi aproveitado pelo Fazendense para se alcandorar, de forma isolada, ao 1.º lugar; os samorenses partilham agora a vice-liderança com o U. Tomar – que alcançou excelente resultado ante uma forte equipa do Amiense –, ambos apenas a um ponto do novo guia, com a formação de Amiais de Baixo (ocupando a 4.ª posição) agora já a uma distância de cinco pontos.

Os desfechos desta ronda vêm, de novo, reafirmar que, ainda mais do que é usual, este campeonato será um longo teste à regularidade e consistência de resultados, antevendo-se que todos os candidatos possam vir a perder bastantes mais pontos do que sucedido em anos recentes.

Destaques – O principal realce da 9.ª jornada vai para a goleada (4-0) aplicada pelo U. Tomar, frente ao Amiense, por coincidência exactamente o mesmo desfecho registado na partida anterior entre ambos os emblemas, no final de Maio, na derradeira ronda do campeonato precedente.

Este significativo desnível no marcador foi, não obstante, ilusório, na medida em que o Amiense confirmou ser adversário de valia, colocando grandes dificuldades durante mais de uma hora.

Com entrada assertiva em campo, os visitantes, não se remetendo à defesa, repartiram o jogo, tendo até começado por criar situações de maior perigo. O União chegaria à vantagem fruto de um auto-golo, já próximo dos 40 minutos, mas o conjunto de Amiais de Baixo beneficiou de soberana ocasião para restabelecer a igualdade, já no segundo tempo, com uma grande penalidade, valendo o guardião Ivo Cristo, a negar o golo.

Só a partir do segundo tento tomarense, aos 70 minutos, o Amiense “quebrou” animicamente, vindo a sofrer, em pouco mais de dez minutos, outros dois golos, com Pedro Pires a apontar o segundo “hat-trick” da sua carreira como senior (depois dos três tentos marcados ante o Águias).

Em qualquer caso, um excelente e muito importante triunfo do grupo unionista – o sétimo em nove jornadas, 5.º consecutivo em casa esta temporada, 11.º sucessivo, desde o mês de Março –, abrindo um pequeno “fosso” de quatro pontos face a este rival.

Em Abrantes, a equipa local impôs uma igualdade (1-1) ao Samora Correia – terceira seguida do Abrantes e Benfica –, colocando assim termo a uma notável série de seis vitórias dos samorenses, que, passando a somar também três empates, subsistem como única equipa invicta.

Merece ainda destaque a vitória (2-0) alcançada pelo Alcanenense em Salvaterra de Magos – mesmo que o Salvaterrense tenha registado o quinto desaire nos últimos seis jogos –, a proporcionar ao jovem conjunto de Alcanena ascender ao 5.º posto da pauta classificativa,

Surpresa – A grande surpresa da ronda ocorreu em Ourém, onde o até então “lanterna vermelha”, Benavente, foi ganhar por 3-1. Por seu lado, o At. Ouriense, que, nos sete desafios iniciais, apenas tinha sido batido em Samora Correia, regista agora segunda derrota sucessiva, baixando ao 6.º lugar, com oito pontos de atraso face ao comandante, sendo ainda de notar que disputou já, até agora, seis jogos em casa, e apenas três em terreno alheio.

Confirmações – Enquadram-se nas expectativas os desfechos dos outros quatro encontros, todos eles com triunfos caseiros, de Fazendense, Ferreira do Zêzere, Mação e Torres Novas.

A equipa das Fazendas de Almeirim desenvencilhou-se, com dificuldade, do Fátima (penúltimo classificado), ganhando por tangencial 1-0, com o golo a surgir já próximo dos 80 minutos de jogo; ainda assim, o suficiente para ampliar para quatro a sua série de vitórias, o que lhe proporcionou, em paralelo, isolar-se no comando da prova.

Igualmente pela diferença mínima (neste caso, 2-1) conseguiu o Ferreira do Zêzere voltar a somar três pontos, após um ciclo negativo, de três desaires sucessivos, batendo o agora último da tabela, Entroncamento AC (que, por curiosidade, fora o líder inaugural deste campeonato).

Também só na meia hora final chegou o Mação aos dois tentos que lhe garantiram o triunfo (2-0) frente a uma equipa do Águias de Alpiarça a necessitar voltar a acreditar em si própria, derrotada pela quinta jornada sucessiva. Os alpiarcenses tinham chegado a dispor, à 4.ª jornada, de nove pontos de vantagem sobre os maçaenses, o que foi já revertido por completo: o Mação, com 12 pontos somados, subiu até ao 8.º posto; o Águias, imóvel nos 9 pontos, baixou já até à 12.ª posição.

Quem segue de “vento em popa” é o Torres Novas, sob a batuta de Eduardo Fortes, a somar mais uma vitória, por 1-0, ante o Cartaxo. De “lanterna vermelha” a 9.º classificado (a par de Salvaterrense e Abrantes e Benfica) bastaram dois jogos… e outros tantos sucessos.

II Divisão Distrital – A série A está ao rubro; com a vitória (2-1) do Espinheirense no reduto do Forense, os quatro primeiros classificados concentram-se com um único ponto a separá-los: Forense e Paço dos Negros, com 11 pontos; Moçarriense e Espinheirense, com 10.

Na série B o Riachense ganhou na Golegã (2-0), mantendo a posição de guia isolado, dois pontos acima do Pego. A grande surpresa veio de Alferrarede, onde os locais somaram os primeiros pontos, ganhando (2-1) ao Caxarias, ainda 3.º classificado, mas agora a 4 pontos dos pegachos.

Campeonato de Portugal – Tal como na semana passada, os clubes do Distrito averbaram os três desfechos possíveis: desta feita com o U. Santarém a triunfar (por magro 1-0, na recepção ao Alcains), tendo o Coruchense empatado (também em casa), a uma bola, com o Pêro Pinheiro; o Rio Maior somou mais uma derrota (quinta, em sete rondas), igualmente no seu terreno, por 1-2, perante o União da Serra, caindo assim na última posição, somente com dois pontos… já a dez longínquos pontos da “linha de água”, traçada, precisamente abaixo do adversário desta jornada.

O U. Santarém é agora 7.º classificado, mas mantém escassa vantagem de um ponto sobre tal “linha”, que define a zona de despromoção; por seu lado, o Coruchense subsiste no 10.º lugar.

Antevisão – O “jogo grande” da 10.ª ronda da I Divisão Distrital será o que coloca frente-a-frente Amiense e Fazendense, um jogo de tripla; realçando-se ainda o Alcanenense-Mação. O U. Tomar não poderá contar com facilidades no Entroncamento, perante o último classificado, a necessitar pontuar. De interesse será também o Cartaxo-Ferreira do Zêzere.

No escalão secundário as atenções estarão centradas no “derby” U. Almeirim-Paço dos Negros (com os visitantes com bom início de prova), Riachense-U. Atalaiense e Vaco da Gama-Pego.

No Campeonato de Portugal os três representantes do Distrito vão de viagem, actuando, todos, em reduto alheio: o U. Santarém visita a Sertã, para defrontar o clube que imediatamente o precede na tabela (pese embora em igualdade pontual), Sertanense; o Coruchense, em Loures, equipa que se posiciona logo abaixo da turma do Sorraia; indo o Rio Maior de longada até Mortágua, onde encontrará o actual 3.º classificado (imprevisto líder à entrada para a ronda anterior).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 17 de Novembro de 2022)