Série A

Aldeiense – Abrantes e Benfica – 1-8
Tramagal – Riachense – 0-1
Sardoal – U. Tomar “B” – 1-1
Pego – Caxarias – 1-1
U. Atalaiense – Ortiga – 2-0

1º Abrantes e Benfica, 30, 2º Pego, 23; 3º Riachense, 18; 4º U. Tomar “B”, 17; 5º Ortiga, 15; 6º U. Atalaiense, 13; 7º Tramagal, 10; 8º Caxarias, 8; 9º Aldeiense, 7; 10º Sardoal, 2

Série B

Benavente – Emp. Comércio – 3-1
Salvaterrense – Forense – 3-3
Folga: Pontével
Moçarriense – Rio Maior – 1-2
Folga: Espinheirense

1º Forense, 19; 2º Rio Maior, 18; 3º Moçarriense, 18; 4º Pontével, 12; 5º Benavente, 9; 6º Espinheirense, 6; 7º Salvaterrense, 2; 8º Emp. Comércio, 1

Anúncios

Amiense – Coruchense – 1-0
U. Almeirim – Cartaxo – 0-1
Ferreira do Zêzere – Torres Novas – 4-2
U. Santarém – U. Tomar – 0-0
Glória do Ribatejo – Marinhais – 2-1
Alcanenense – At. Ouriense – 0-1
Samora Correia – Fazendense – 3-3

                       Jg     V     E     D       G       Pt
 1º Coruchense         12     8     3     1    24 - 13    27
 2º Amiense            12     8     3     1    17 -  6    27
 3º U. Santarém        12     7     4     1    19 -  7    25
 4º U. Almeirim        11     7     2     2    23 -  9    23
 5º Cartaxo            12     5     4     3    16 - 11    19
 6º Fazendense         12     5     4     3    18 - 15    19
 7º At. Ouriense       11     4     4     3    15 - 15    16
 8º Samora Correia     12     4     3     5    15 - 17    15
 9º Ferreira Zêzere    12     4     2     6    19 - 22    14
10º U. Tomar           12     3     5     4    12 - 15    14
11º Glória Ribatejo    11     2     1     8     7 - 27     7
12º Alcanenense        11     1     3     7     8 - 15     6
13º Torres Novas       12     -     5     7     5 - 15     5
14º Marinhais          12     -     5     7    10 - 21     5

Melhores marcadores:

1º Moleiro (Amiense) – 7
2º Joel (Coruchense), Léo (U. Santarém), Cristiano (Amiense), Persi (U. Almeirim) e Wilson (Fazendense) – 6
3º Diogo Cartaxo (F. Zêzere) e Rafael Santana (U. Tomar) – 5

Hertz

A ronda de hoje do principal escalão do futebol distrital tem como ponto central um aliciante “tira-teimas”, entre a formação do Amiense, com a embalagem proporcionada por uma série de cinco vitórias consecutivas, recebendo o líder, Coruchense – única equipa ainda invicta nesta temporada –, podendo, em caso de triunfo dos homens da casa, ficarem ambos os grupos igualados no comando da tabela classificativa.

Em anos recentes, os dois clubes defrontaram-se por quatro vezes, com a particularidade de a formação do Sorraia ter vencido nas três últimas deslocações a Amiais de Baixo, datando o último triunfo do Amiense já da época de 2012-13. Tal como na passada semana, em relação ao Cartaxo-Coruchense, o empate parece afigurar-se como a “aposta mais segura” para esta partida.

Mas o calendário reservou-nos uma jornada repleta de interesse, com diversos outros “pratos cheios”. Desde logo, o desafio entre U. Almeirim, que vem consolidando o seu estatuto de candidato ao título, pressionando de perto o líder, e o Cartaxo, que, ao invés, parece ter já abdicado de tal estatuto.

O histórico recente aponta para uma tendência de absoluto equilíbrio: nos três últimos encontros entre almeirinenses e cartaxeiros, em Almeirim, nas três derradeiras temporadas, uma vitória para cada lado e um empate, com um “score” global de 5-5 em golos. Esta tarde, em função do que tem sido o desempenho de ambos os conjuntos na presente temporada e atendendo ainda ao factor casa, o U. Almeirim apresenta-se com maior dose de favoritismo.

Em Santarém, o União local, que não desarma também na perseguição ao comandante, recebe o União de Tomar, num confronto de largo historial, mas que, em anos recentes, se disputou uma única vez, já em 2014-15, então com vitória dos tomarenses, por 2-0.

Por outro lado, os dois emblemas cruzaram-se, já este ano, na fase de grupos da Taça do Ribatejo, tendo os escalabitanos vencido então por categórica margem de 4-1. Para os visitantes, o cenário de pontuar hoje não deixaria de constituir, a confirmar-se, um desfecho positivo.

Um por agora tranquilo Samora Correia, ocupando lugar a meio da tabela, recebe o Fazendense, que, pese embora se posicione na parte cimeira da pauta classificativa, parece ter começado já a descolar da possibilidade de manter aspirações ao lugar de topo da classificação.

À semelhança do registado em relação ao U. Almeirim-Cartaxo, também neste caso se verifica absoluto equilíbrio, com repartição de resultados, nas três últimas vezes que ambas as equipas se defrontaram, com uma vitória para cada uma, e uma igualdade, desfecho do encontro da época passada. Trata-se, pois, de um outro desafio de tendência repartida, em que a vitória dos donos da casa poderá ter uma boa probabilidade de ocorrência, não surpreendendo contudo se o grupo das Fazendas conseguir pontuar.

O Ferreira do Zêzere, animado com o resultado obtido em Tomar, mas que, por outro lado, não ganha há três jogos, recebe o Torres Novas, uma das duas equipas (a par do Marinhais) que ainda não se conseguiu estrear a vencer neste campeonato, ao fim das onze jornadas já disputadas.

Na última época, os torrejanos venceram por 2-1, um desfecho que, nas contas finais, se revelaria determinante na classificação, permitindo-lhe alcançar o 3.º lugar e consequente apuramento para a Taça de Portugal, precisamente à frente dos ferreirenses, que concluíram a prova um único ponto atrás. Hoje, e pese embora os sinais de melhoria que o Torres Novas vem evidenciando, o Ferreira do Zêzere parece ter maiores possibilidades de vencer.

O Alcanenense, que vem de um resultado positivo na deslocação às Fazendas de Almeirim – tendo, porém, deixado escapar o que teria sido uma preciosa vitória –, recebe o At. Ouriense, que parece denotar algum abaixamento de forma, tendo sido goleado em Santarém e consentido um inesperado empate caseiro ante a equipa da Glória do Ribatejo.

As últimas vezes que os dois clubes se cruzaram no principal escalão do futebol distrital datam já das temporadas de 2010-11 e 2011-12, na oportunidade com duas vitórias da formação de Alcanena, um empate e um triunfo do conjunto oureense.

Recorda-se que a equipa da casa não ganha há dez jogos (obteve um único triunfo, logo na ronda inaugural do campeonato). Poderá voltar a vencer hoje?

Por fim, num encontro de “aflitos”, o “derby” do município de Salvaterra, entre os vizinhos e rivais Glória do Ribatejo e Marinhais.

Trata-se de um embate sem historial recente a nível de campeonato da I Divisão, sendo que os dois emblemas se defrontaram já, na presente época, para a Taça do Ribatejo, na ocasião com o Marinhais a impor uma retumbante goleada, de 6-0. A partida desta tarde será, certamente, bastante mais equilibrada e renhida, pese embora os visitantes – que buscam ainda a primeira vitória na prova – possam ter, “a priori”, algum predomínio.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 16.12.2018)

Folga: N. Sp. Alferrarede
U. Tomar – N. Sp. Rio Maior – 1-3
Folga: U. Atalaiense
Cartaxo – Salvaterrense – 3-1
Ac. Santarém – Vilarense – 2-1
Fazendense – Porto Alto – 4-0
At. Ouriense – Fátima – 0-4

1º Fátima, 21; 2º Ac. Santarém, 19; 3º Vilarense, 13; 4º N. Sp. Rio Maior, 13; 5º At. Ouriense, 11; 6º U. Tomar e Salvaterrense, 10; 8º U. Atalaiense, 9; 9º Cartaxo, 8; 10º Fazendense, 7; 11º Porto Alto, 3; 12º N. Sp. Alferrarede, 0

O pulsar do campeonato - 2018-19 - 11jornada

(“O Templário”, 13.12.2018)

Permita-se-me começar hoje com um breve intróito pessoal, assinalando mais um “número redondo”: desta feita, as 200 edições deste “Pulsar do Campeonato”, desde o artigo inaugural desta contínua série, publicado em “O Templário” a 8 de Novembro de 2012, já lá vão seis anos.

A nível da I Divisão Distrital, quem “soma e segue” é o Amiense, que, com o seu quinto triunfo consecutivo, estabeleceu um novo “record” no presente campeonato, tendo aproveitado para se aproximar ainda mais da liderança, agora somente a três pontos.

Destaques – O primeiro destaque vai, não obstante, para o embate de maior cartaz da 11.ª jornada, que colocava frente-a-frente o comandante, Coruchense – que, por seu lado, tinha também em curso uma série de quatro vitórias sucessivas, tendo, paralelamente, vencido todos os cinco desafios até então disputados em terreno alheio –, ao auto-anunciado candidato ao título, Cartaxo, o qual se saldou por uma igualdade a um golo, no que terá constituído a derradeira oportunidade dos cartaxeiros poderem reentrar na disputa do 1.º lugar, de que, por agora, quando nos aproximamos já do final da primeira metade da competição, estão a distantes (e virtualmente inacessíveis) 11 pontos.

E isto, porque, não é apenas a turma do Sorraia que continua “demasiado longe”: também o Amiense (vencedor, por 2-1, na recepção ao Samora Correia) e U. Santarém, com o triunfo averbado ao “cair do pano”, em Marinhais, mercê de um solitário tento, continuam na peugada do líder, ambos com oito pontos a mais que o Cartaxo (apenas 6.º classificado).

Numa ronda que oferecia alguns perigos iminentes para os grupos da frente, também o U. Almeirim – igualmente com um trajecto quase irrepreensível, tendo ganho seis dos últimos sete jogos realizados – se saiu bem, com uma tão difícil quão preciosa vitória (2-1) em Torres Novas, que lhe proporciona poder aspirar a colar-se ao guia, caso vença também a partida que tem ainda em atraso, da 8.ª jornada, na qual lhe cabe receber a visita do At. Ouriense.

Por fim, de realçar ainda o empolgante desafio protagonizado por União de Tomar e Ferreira do Zêzere, com o desfecho final a fixar-se num empate a três bolas, depois de se ter chegado ao final de uma frenética primeira parte já com cinco tentos apontados. A qualidade do futebol praticado poderá não ter sido a melhor, com algumas falhas a assinalar de parte a parte, mas a emoção e incerteza no marcador final foram marca saliente, assim como a intensidade de jogo na primeira metade do encontro.

Os ferreirenses entraram praticamente a ganhar, com o golo inaugural marcado logo aos quatro minutos; não obstante, com uma excelente resposta – em que se destaca a propensão goleadora do novo reforço unionista, Rafael Santana, autor dos três tentos da sua equipa – o União, não só operaria a reviravolta no marcador, como, inclusivamente, chegaria a vantagem de 3-1, em apenas cerca de meia hora. Já a findar o primeiro tempo, o Ferreira do Zêzere reduziria para 2-3, reentrando na discussão do resultado. Na etapa complementar, os tomarenses procuraram controlar o jogo, segurando a vantagem e espreitando a possibilidade de desferir o golpe final. Porém, e já depois de Nuno Ribeiro ter defendido uma grande penalidade, os ferreirenses acabariam mesmo por restabelecer o empate, a menos de dez minutos do final da partida.

Surpresas – Com as formações do fundo da tabela a ter de “fazer pela vida”, procurando somar pontos, em ordem a poderem ainda libertar-se da ameaça de despromoção, assinalam-se duas surpresas, correspondendo a outras tantas igualdades alcançadas em reduto alheio – numa ronda com um total de quatro empates –, perante adversários mais capacitados.

Por um lado, o Alcanenense, na deslocação às Fazendas de Almeirim, chegou mesmo a dispor de vantagem no marcador, tendo acabado por ceder a igualdade a dois golos ao Fazendense.

Mais surpreendente ainda terá sido o empate (1-1), registado pelo grupo da Glória do Ribatejo em Ourém, ante um At. Ouriense a atravessar período menos positivo (obteve uma única vitória nos cinco últimos jogos), porventura ainda algo afectado pela goleada sofrida em Santarém.

Em qualquer caso, e pese embora os positivos sinais de inconformismo revelados, foi magro o pecúlio angariado pelos visitantes, mantendo-se o quarteto da cauda da tabela com um atraso entre cinco e sete pontos em relação ao 10.º classificado (Ferreira do Zêzere).

II Divisão Distrital – A Norte, a principal nota de realce vai para a goleada (4-0) do Riachense no terreno do Aldeiense, como que querendo dar “prova de vida”, após a mudança no comando técnico, ficando (a par do Ortiga, derrotado em Abrantes) a um ponto do 3.º lugar, ocupado, de forma sensacional – quando está já concluída a primeira volta da prova – pela equipa “B” do União de Tomar, vencedora de um velho clássico do futebol distrital, no Tramagal (1-0).

Abrantes e Benfica (que soma triunfos em todos os oito jogos já finalizados) e Pego começam a ter já praticamente “à vista” o apuramento para a fase final, de apuramento de Campeão.

A Sul, com o Rio Maior a folgar, Moçarriense (com vitória caseira, por 2-0, ante o Espinheirense) e Forense (ganhando por 1-0 em Benavente) aproveitaram para se destacar na frente da prova (tendo ainda os riomaiorenses um jogo em atraso). O Pontével (goleando por 3-0 em Salvaterra de Magos) mantém ainda aspirações a poder chegar aos três primeiros.

Campeonato de Portugal – Após mais uma jornada, subsistem os motivos de preocupação: o Fátima, batido em casa pelo B. C. Branco (1-2), depois de ter começado por marcar, baixou ao 10.º lugar, e, pior, viu reduzir-se para curta margem de três pontos a diferença que o separa da “linha de água”; por seu lado, o Mação, que, finalmente, se reencontrou com as vitórias, tendo ido ganhar à Sertã, também por 2-1, mantém a última posição, agora a sete pontos de tal linha.

Antevisão – No principal escalão do futebol distrital, teremos outro aliciante “tira-teimas”, com uma “embalada” equipa do Amiense a receber o guia, Coruchense, podendo, em caso de vitória da turma de Amiais de Baixo, igualar o seu oponente no comando da pauta classificativa. Mas o calendário reservou-nos uma jornada repleta de interesse, com diversos outros “pratos cheios”: U. Almeirim-Cartaxo ou U. Santarém-U. Tomar serão apenas dois dos principais exemplos.

Na II Divisão Distrital, destacam-se o Tramagal-Riachense e o Moçarriense-Rio Maior.

No Campeonato de Portugal, já a completar a sua primeira volta, o Fátima desloca-se a Loures (último clube acima da “linha de água”), cabendo ao Mação receber o Santa Iria (imediatamente abaixo daquela linha, pese embora com o mesmo número de pontos do emblema de Loures).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 13 de Dezembro de 2018)

Samora Correia – Amiense – 2-0
U. Tomar – Ac. Santarém – 0-0
Fátima – Salvaterrense – 1-1
U. Almeirim – U. Atalaiense – 5-1
CADE – At. Ouriense – 7-0
Rio Maior – Goleganense – 2-3

1º Ac. Santarém, 21; 2º Samora Correia, U. Almeirim e U. Tomar, 18; 5º Goleganense, 17; 6º CADE, 16; 7º Fátima, 14; 8º U. Atalaiense, 10; 9º Salvaterrense, 7; 10º Rio Maior, 6; 11º At. Ouriense, 4; 12º Amiense, 2

U. TOMAR – Nuno Ribeiro, David Vieira, Fábio Vieira, Bruno Monteiro, Diogo Gaspar, Nuno Rodrigues (c.),  António Pinto (84m – Diogo Pereira), Rui Pedro Lopes, Pedro Pires (64m – Natan Gonçalves), Rafael Santana (64m – João Victor Ribeiro) e João Pedro Nascimento

(suplentes – Thallis Mota, Afonso Dias, Telmo Ferreira e Rafael Faustino)

FERREIRA DO ZÊZERE – Telmo Rodrigues, Nuno Lopes (45m – Miguel Dias), Espadinha, Renato Cruz, Dani Proença (80m – André Oliveira), Cláudio Rato (c.), Gera (80m – João Mendes), Rafael Henriques, Caio Lucas, Diogo Cartaxo (80m – Cláudio Nunes) e Gustavo Loureiro

0-1 – Diogo Cartaxo – 5m
1-1 – Rafael Santana – 12m
2-1 – Rafael Santana – 25m
3-1 – Rafael Santana – 31m
3-2 – Caio Lucas – 42m
3-3 – Gustavo Loureiro – 82m

Cartões amarelos – Diogo Gaspar (35m), Nuno Rodrigues (55m) e Rafael Santana (63m); Nuno Lopes (36m) e Cláudio Rato (90m)

Árbitro – Henrique Paula