Futebol


Amiense – At. Ouriense – 1-1
Fazendense – Marinhais – 1-1
Samora Correia – U. Tomar – 2-0
Alcanenense – Torres Novas – 0-1
Glória do Ribatejo – Cartaxo – 0-2
U. Santarém – Coruchense – 1-1
Ferreira do Zêzere – U. Almeirim – 1-1

                       Jg     V     E     D       G       Pt
 1º Coruchense         15     9     4     2    31 - 17    31
 2º U. Almeirim        15     9     3     3    32 - 13    30
 3º U. Santarém        15     8     6     1    25 - 12    30
 4º Amiense            15     8     5     2    19 - 11    29
 5º Cartaxo            15     7     5     3    23 - 14    26
 6º At. Ouriense       15     6     6     3    22 - 20    24
 7º Fazendense         15     5     7     3    20 - 17    22
 8º U. Tomar           15     5     5     5    16 - 17    20
 9º Samora Correia     15     5     4     6    19 - 20    19
10º Ferreira Zêzere    15     4     3     8    20 - 31    15
11º Glória Ribatejo    14     3     1    10    10 - 31    10
12º Torres Novas       14     1     5     8     7 - 17     8
13º Marinhais          15     -     8     7    12 - 23     8
14º Alcanenense        15     1     4    10     9 - 22     7

Melhores marcadores:

1º Filipe Pereira (U. Almeirim) – 8
2º Moleiro (Amiense), Wilson (Fazendense), Léo (U. Santarém) e Joel (Coruchense) – 7
3º Cristiano (Amiense), Persi (U. Almeirim), Wemerson Silva (Cartaxo) e Freitas (U. Almeirim) – 6

Anúncios

Hertz

Sem pausas para “respirar” na disputa entre os primeiros, sucedem-se os desafios de grande cartel, com destaque para o que coloca frente a frente os candidatos U. Santarém e Coruchense, que ocupam actualmente os dois lugares de topo da tabela.

Depois de ter visto esfumar-se, em 45 minutos, uma vantagem de 3-0, no Cartaxo, no passado Domingo, veremos como reagirá animicamente a turma escalabitana, em mais um teste de elevado grau de dificuldade, recebendo o (novamente) líder.

Na única vez em que os dois clubes se cruzaram no principal escalão, nos últimos anos, já na época de 2014-15, a formação do Sorraia foi vencer a Santarém por 3-1, desfecho que, contudo, não deverá servir de referencial para o desafio desta tarde, em que se antevê que o equilíbrio seja nota dominante.

O U. Almeirim, que vem de duas goleadas frente a duas equipas que ocupavam posições de liderança (primeiro em Coruche e, de imediato, na recepção ao Amiense), terá uma saída difícil até Ferreira do Zêzere.

Tal como no caso anterior, há registo de um único confronto entre ambos os emblemas, no campeonato, na temporada passada, então com triunfo dos ferreirenses, por 3-2.

Hoje, atendendo ao desempenho recente dos dois conjuntos – notando-se que os ferreirenses vêm de uma pesada goleada sofrida em Coruche –, e pese embora as dificuldades, os almeirinenses serão favoritos a somar mais três pontos.

Por seu lado, o Amiense recebe o At. Ouriense, com a expectativa de ver como reagirá ao desaire sofrido na passada semana, interrompendo um brilhante ciclo de 14 jogos de invencibilidade!

Este embate tem sido frequentemente repetido, já por nove vezes nas últimas oito épocas, com clara tendência a favorecer o grupo de Amiais de Baixo, que regista cinco vitórias (a última delas, no campeonato passado, com uma goleada, de 5-1), para além de dois empates, tendo sido batido noutras duas ocasiões, mas já nas edições de 2011 e 2013.

Frente a um adversário tranquilo, o Amiense será considerado favorito, mas deverá estar precavido para qualquer surpresa…

Outro encontro de interesse será também o Glória do Ribatejo-Cartaxo, com os visitantes sem margem de erro, se pretendem manter ainda algumas aspirações neste campeonato.

As duas equipas nunca se cruzaram nos últimos 17 anos (à excepção do confronto da primeira volta, no Cartaxo, que terminou com uma goleada de 5-1 para os cartaxeiros). Pese embora a dificuldade que tradicionalmente oferece a deslocação à Glória do Ribatejo, o Cartaxo deverá vencer esta tarde.

Em Samora Correia, encontram-se duas equipas tranquilas, a navegar na parte intermédia da tabela, com o U. Tomar vindo de duas vitórias sucessivas, não perdendo há cinco jogos (incluindo o da Taça), enquanto os samorenses não ganham há quatro jornadas.

No historial recente os unionistas levam ligeira vantagem, nas quatro partidas disputadas nas últimas oito temporadas, com duas vitórias e um empate, tendo perdido uma única vez, em 2016-17.

Trata-se de um jogo de tripla, em que tudo poderá acontecer… excepto, muito provavelmente, a repetição do 5-0 com que os tomarenses venceram no ano passado.

O Fazendense, equipa que ostenta agora o ciclo mais longo de invencibilidade (seis jornadas), tendo, porém, registado cinco empates consecutivos nos seus últimos cinco desafios (incluindo o da Taça), recebe um aflito Marinhais, que continua sem vencer, não tendo feito melhor que empatar em metade das 14 jornadas já realizadas.

Os dois clubes não se cruzaram também nos últimos 17 anos (à parte o encontro da primeira volta, em que a turma das Fazendas foi vencer ao terreno adversário por 2-0), sendo o Fazendense claramente favorito no jogo de hoje.

Em Alcanena, defrontam-se os dois últimos classificados, com o Alcanenense a receber o Torres Novas, dois clubes históricos do Distrito, a atravessar sérias crises.

A nível da I Divisão Distrital defrontaram-se por quatro vezes nas últimas oito temporadas, com equilíbrio absoluto: uma vitória para cada lado e dois empates, com um “score” global de 6-6 em golos.

Os torrejanos vêm de quatro derrotas sucessivas, mas o Alcanenense também não consegue ganhar desde a já distante ronda inaugural. Será este o dia em que o Torres Novas se estreará finalmente a vencer?

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 20.01.2019)

o pulsar do campeonato - 2018-19 - 14jornada

(“O Templário”, 17.01.2019)

Com “choques de titãs” a sucederem-se a cada jornada, e múltiplas cambiantes entre o quarteto da frente, o desfecho da presente edição do campeonato distrital afigura-se imprevisível. Sairá vencedor o Coruchense que, de imediato, recuperou o comando, por via de uma goleada? Impor-se-á o U. Almeirim, que, nas duas jornadas já disputadas no ano de 2019, goleou dois líderes? No final, acabará o U. Santarém por voltar a superiorizar-se sobre a “linha de meta”, como sucedeu no termo da primeira volta? Será o Amiense capaz de protagonizar nova senda de invencibilidade, que o catapulte novamente para o topo? E o Cartaxo, poderá ainda “renascer”?

Destaques – O primeiro destaque da ronda de abertura da segunda volta vai, de novo, para o U. Almeirim, que depois de ter triunfado categoricamente em Coruche, goleou também o Amiense, por 4-1. Um registo tanto mais assinalável quanto a turma de Amiais de Baixo – que não perdia há 14 jogos (onze no campeonato e três na Taça) – tinha consentido, em toda a primeira metade da prova, somente seis tentos, continuando, aliás, a ter a defesa menos batida. Os almeirinenses ascenderam à 2.ª posição, a par do U. Santarém, um único ponto abaixo da formação do Sorraia.

No Cartaxo, num empolgante desafio, o U. Santarém chegou a dispor de vantagem de 3-0, o que teria constituído um golpe fatal nas aspirações dos cartaxeiros, ao mesmo tempo que poderia ter alimentado a confiança dos escalabitanos, que, desse modo, se teriam isolado na frente; não obstante, os “donos da casa” revelariam ainda uma notável capacidade de reacção, acabando por alcançar a igualdade a três bolas, conseguindo assim “ressuscitar” para o campeonato, pese embora se tenham voltado a atrasar ligeiramente, agora a sete pontos do guia.

Confirmações – Nos restantes quatro jogos – o Torres Novas-Glória foi adiado, devido a trabalhos no Estádio Dr. Alves Vieira, de preparação para jogo internacional da selecção feminina –, confirmaram-se as expectativas, seja no caso dos empates entre At.Ouriense-Fazendense e Marinhais-Samora Correia, como nos triunfos de Coruchense e U. Tomar.

O agora novamente líder, Coruchense, que vinha de dois desaires sucessivos, “desforrou-se” no Ferreira do Zêzere, aplicando uma expressiva goleada, por 6-0 – como que a querer afirmar bem alto: “contem connosco” –, aproveitando também alguma fragilidade que vem sendo denotada pelos ferreirenses, sofrendo sexta derrota em oito partidas disputadas na condição de visitante.

Em Ourém, At. Ouriense e Fazendense, tranquilamente instalados na primeira metade da tabela, reeditaram o que tem constituído, de certa forma, um “resultado padrão” nesta época, empatando a uma bola – foi a quinta igualdade dos visitados e sexta dos forasteiros em 14 jornadas do campeonato, quinta consecutiva dos homens das Fazendas de Almeirim (incluindo o jogo da Taça), que ostentam agora o ciclo mais longo de invencibilidade (seis jornadas).

Ainda não foi desta que o Marinhais se estreou a vencer na presente edição da prova, registando sétimo empate, não conseguindo desfazer o nulo no marcador, na recepção ao Samora Correia, mantendo-se em zona delicada da pauta classificativa, em igualdade pontual com o Alcanenense, apenas à frente do “lanterna vermelha”, Torres Novas (com um jogo em atraso).

O U. Tomar, notoriamente mais capacitado que o seu adversário, tendo assumido desde o começo a iniciativa do jogo, voltou a experimentar dificuldades para inaugurar o marcador frente a uma bastante inexperiente formação do Alcanenense, tendo acabado por superiorizar-se, com naturalidade, com dois golos apontados já no segundo tempo, repetindo o 2-0 da passada semana. Com as duas vitórias averbadas nas duas jornadas realizadas em 2019, atingiu os 20 pontos, um importante patamar de tranquilidade, mantendo-se somente a três pontos do “candidato” Cartaxo (e, paralelamente, do 5.º lugar). Por curiosidade, na época passada, por esta altura, os unionistas estavam a 8 pontos do líder, sendo actualmente a distância de 10 pontos.

II Divisão Distrital – Com mais uma goleada (5-0 no Sardoal), somando a 12.ª vitória em outras tantas partidas, o Abrantes e Benfica garantiu já, matematicamente – ainda com seis rondas por disputar –, o apuramento para a fase final, de disputa do título de Campeão e da promoção. Também o Pego deu passo determinante para tal, ganhando ao Riachense por 3-1, dispondo agora de onze pontos de vantagem sobre o 4.º classificado. A terceira vaga mantém-se em aberto, com forte concorrência (Riachense, Ortiga, U. Tomar “B”, U. Atalaiense, Caxarias e Tramagal estão separados por oito pontos, quando subsistem em disputa 18 pontos).

A Sul, o Moçarriense obteve também importante vitória, por 3-0, sobre o Forense, ampliando para oito pontos a vantagem em relação ao 4.º classificado. Tal como o guia, Rio Maior, parece bem encaminhado, com a vaga restante em disputa entre Forense, Pontével e Benavente.

Campeonato de Portugal – O Fátima reagiu positivamente ao desaire caseiro da jornada anterior, concluindo a primeira volta com um bom triunfo, em Alcains, por 2-0, o que lhe proporcionou subir a um posto a meio da tabela (9.º lugar), com oito pontos de vantagem em relação à “linha de água”. Por seu lado, o Mação continua a perder (0-2, na recepção ao Sintrense), na sétima derrota em casa em nove jogos, onde não fez melhor que dois empates; mantém, assim, a “lanterna vermelha” (a par do Alcains), já a dez pontos da “salvação”, no que se vai começando a parecer cada vez mais uma “missão impossível”.

Antevisão – Sem pausas para “respirar” na disputa entre os primeiros, a próxima jornada tem mais um desafio de grande cartel, colocando frente a frente os candidatos U. Santarém e Coruchense; enquanto o U. Almeirim terá uma saída difícil a Ferreira do Zêzere. Por seu lado, o Amiense recebe o At. Ouriense, com a expectativa de ver como reagirá ao desaire sofrido.

Outros encontros de interesse serão o Glória do Ribatejo-Cartaxo, com os cartaxeiros sem margem de erro, assim como o Samora Correia-U. Tomar. Em Alcanena, defrontam-se os dois últimos classificados, com o Alcanenense a receber o Torres Novas, dois históricos do Distrito.

Na II Divisão, subsiste a curiosidade de saber se o Abrantes e Benfica conseguirá vencer todos os jogos da prova, enfrentando o que será o adversário com maior potencial, o vice-líder, Pego. A Sul, as eventuais aspirações do Pontével serão colocadas à prova na recepção ao Rio Maior.

No Campeonato de Portugal, a abrir a segunda volta, o Fátima terá a visita do Santa Iria, dispondo de boa oportunidade para se distanciar da zona perigosa, enquanto o Mação recebe o Alverca, esperando poder repetir o triunfo da ronda inaugural, estreando-se a vencer em casa.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 17 de Janeiro de 2019)

V. Guimarães – Benfica – 0-1
Feirense – Sporting – 0-2 (16.01.2019)
Desp. Aves – Sp. Braga – 1-2
Leixões – FC Porto – 1-1 (1-2 a.p.)

O alinhamento das meias-finais, cujos jogos estão agendados para 5 de Fevereiro (1.ª mão) e 2 de Abril (2.ª mão), é o seguinte:

Benfica – Sporting
FC Porto – Sp. Braga

U. TOMAR – Nuno Ribeiro, David Vieira, Fábio Vieira (75m – Douglas Pissona), Allan Peixoto, Diogo Gaspar, Nuno Rodrigues (c.), Flávio Graça (84m – António Pinto), Rui Pedro Lopes (75m – Rafael Faustino), Natan Gonçalves (45m – André Lopes), Pedro Pires e Rafael Santana

(suplentes – João Brito, Henrique Honrado e João Pedro Nascimento)

ALCANENENSE – José Miguel, Ronaldinho (69m – Tomás Pereira), Miranda (c.), Welisson Santos, Vinicius Soares, Igor Silva, Tam Tsung (63m – César Telles), Piki, Dany Lopes (45m – Mario Maeda), Uirá Cunha (45m – João Costa) e Juninho

1-0 – Nuno Rodrigues – 57m
2-0 – Pedro Pires – 63m

Cartões amarelos – Rui Pedro Lopes (75m) e Rafael Faustino (90m); Welisson Santos (80m)

Árbitro – Adriano Sousa

At. Ouriense – Fazendense – 1-1
Marinhais – Samora Correia – 0-0
U. Tomar – Alcanenense – 2-0
Torres Novas – Glória do Ribatejo – (27.01.2019)
Cartaxo – U. Santarém – 3-3
Coruchense – Ferreira do Zêzere – 6-0
U. Almeirim – Amiense – 4-1

                       Jg     V     E     D       G       Pt
 1º Coruchense         14     9     3     2    30 - 16    30
 2º U. Almeirim        14     9     2     3    31 - 12    29
 3º U. Santarém        14     8     5     1    24 - 11    29
 4º Amiense            14     8     4     2    18 - 10    28
 5º Cartaxo            14     6     5     3    21 - 14    23
 6º At. Ouriense       14     6     5     3    21 - 19    23
 7º Fazendense         14     5     6     3    19 - 16    21
 8º U. Tomar           14     5     5     4    16 - 15    20
 9º Samora Correia     14     4     4     6    17 - 20    16
10º Ferreira Zêzere    14     4     2     8    19 - 30    14
11º Glória Ribatejo    13     3     1     9    10 - 29    10
12º Marinhais          14     -     7     7    11 - 22     7
13º Alcanenense        14     1     4     9     9 - 21     7
14º Torres Novas       13     -     5     8     6 - 17     5

Melhores marcadores:

1º Filipe Pereira (U. Almeirim) – 8
2º Moleiro (Amiense), Wilson (Fazendense), Léo (U. Santarém) e Joel (Coruchense) – 7
3º Cristiano (Amiense), Persi (U. Almeirim) e Wemerson Silva (Cartaxo) – 6

Hertz

A ronda de abertura da segunda volta do Campeonato Distrital apresenta um cartaz de grande aliciante, com destaque para os embates entre Cartaxo e U. Santarém e U. Almeirim e Amiense (envolvendo, novamente, quatro dos cinco primeiros classificados), em que se poderá começar a definir algo mais a nível do que se antevê venha a ser uma acesa disputa pelo título, até final.

O Cartaxo, com ambição renovada, em função do desempenho próprio, mas, também, de deslizes alheios, enfrenta uma partida de “tudo ou nada”, na recepção ao agora novo líder, U. Santarém. Caso vença, voltará, algo inesperadamente, a assumir-se como um dos principais candidatos ao título (recorde-se que, há apenas duas jornadas, tinha um atraso de onze pontos em relação ao comandante!). Ao invés, qualquer outro resultado que não o triunfo dos cartaxeiros poderá traduzir-se num definitivo retrocesso nas suas aspirações.

A única vez que os dois clubes se cruzaram no principal escalão nas últimas épocas foi já em 2014-15, então com uma igualdade a um golo… um desfecho que se poderá repetir hoje, dado que até poderia ser considerado positivo para os escalabitanos.

O outro guia, o sensacional Amiense, desloca-se a Almeirim, para defrontar o União local que, depois de dois desaires caseiros, reagiu muito positivamente, indo vencer ao terreno do Coruchense, que liderara a prova desde a jornada inicial até à entrada para a derradeira ronda da primeira volta.

Os emblemas de Almeirim e de Amiais de Baixo defrontaram-se por três vezes, em anos recentes, precisamente nas três últimas temporadas, com uma goleada dos visitados (4-0, no último ano), e dois empates. Será o U. Almeirim capaz de quebrar, esta tarde, a invencibilidade amiense, que dura há já 14 jogos?

Esta é uma jornada em que o Coruchense – caso cumpra a sua parte, de vencer uma bem organizada equipa do Ferreira do Zêzere – poderá colher alguns “dividendos”, beneficiando dos pontos que, inevitavelmente, alguns dos seus mais directos concorrentes irão perder nos jogos de hoje.

Não existindo histórico de confrontos recentes entre ambos, a formação do Sorraia apresenta-se como favorita, necessitando, para tal, superar o “trauma” de dois desaires sucessivos, frente a Amiense e U. Almeirim, que a fizeram, não só ceder a liderança, como, inclusivamente baixar ao 3.º posto.

Duas equipas bem tranquilas, posicionadas a meio da tabela, encontram-se em Ourém, com o At. Ouriense a receber o Fazendense, num confronto frequentemente repetido a nível da I Divisão Distrital. Nas últimas oito épocas, estes dois clubes encontraram-se já por nove vezes, assinalando-se um absoluto equilíbrio, com três triunfos para cada lado, para além de três empates.

A turma das Fazendas de Almeirim pretenderá estender a sua série invicta, já de sete jogos, frente a um adversário que, afinal, segue em igualdade de pontos com o Cartaxo, no 5.º lugar, pelo que não poderá ser também ainda arredado da disputa dos lugares cimeiros. Num jogo de tripla, o empate pode ser um cenário de boa probabilidade.

O União de Tomar, agora bem mais tranquilo, após o regresso aos triunfos, tendo-se distanciado da parte baixa da tabela, poderá beneficiar do facto de se apresentar com maior nível de confiança para, recebendo o Alcanenense, procurar rectificar a má estreia no campeonato, numa partida que se constitui, aliás, no único triunfo da formação de Alcanena.

Os últimos embates entre ambos os grupos datam das já distantes temporadas de 2010-11 e 2011-12, em ambos os casos com vitória do Alcanenense, o que, pese embora o contexto actualmente distinto, não deixará de ser tomado em devida conta por parte dos unionistas. Em qualquer caso, a expectativa é de que os tomarenses possam repetir o êxito do passado fim-de-semana.

No fundo da pauta classificativa, o desafio entre Torres Novas e Glória do Ribatejo poderá ser crucial para uma esperada recuperação torrejana, visando estrear-se a vencer na prova, e, simultaneamente, abandonar a posição de “lanterna vermelha”. Não existindo histórico de confrontos entre ambos os emblemas, o Torres Novas terá de ser bem mais efectivo do que tem sido até agora, ao longo da primeira metade da época, em ordem a poder alcançar tal objectivo.

Por fim, o Marinhais, também ainda à procura da primeira vitória no campeonato, recebe o Samora Correia, num desafio igualmente sem precedente recente a nível do escalão principal. A última vez que se encontraram, então na II Divisão, em 2015-16, os samorenses venceram por 3-0, mas as circunstâncias alteraram-se entretanto, não sendo expectável a repetição de desfecho similar.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 13.01.2019)

Página seguinte »