Rádio Hertz


Hertz

A ronda de hoje do principal escalão do futebol distrital tem como ponto central um aliciante “tira-teimas”, entre a formação do Amiense, com a embalagem proporcionada por uma série de cinco vitórias consecutivas, recebendo o líder, Coruchense – única equipa ainda invicta nesta temporada –, podendo, em caso de triunfo dos homens da casa, ficarem ambos os grupos igualados no comando da tabela classificativa.

Em anos recentes, os dois clubes defrontaram-se por quatro vezes, com a particularidade de a formação do Sorraia ter vencido nas três últimas deslocações a Amiais de Baixo, datando o último triunfo do Amiense já da época de 2012-13. Tal como na passada semana, em relação ao Cartaxo-Coruchense, o empate parece afigurar-se como a “aposta mais segura” para esta partida.

Mas o calendário reservou-nos uma jornada repleta de interesse, com diversos outros “pratos cheios”. Desde logo, o desafio entre U. Almeirim, que vem consolidando o seu estatuto de candidato ao título, pressionando de perto o líder, e o Cartaxo, que, ao invés, parece ter já abdicado de tal estatuto.

O histórico recente aponta para uma tendência de absoluto equilíbrio: nos três últimos encontros entre almeirinenses e cartaxeiros, em Almeirim, nas três derradeiras temporadas, uma vitória para cada lado e um empate, com um “score” global de 5-5 em golos. Esta tarde, em função do que tem sido o desempenho de ambos os conjuntos na presente temporada e atendendo ainda ao factor casa, o U. Almeirim apresenta-se com maior dose de favoritismo.

Em Santarém, o União local, que não desarma também na perseguição ao comandante, recebe o União de Tomar, num confronto de largo historial, mas que, em anos recentes, se disputou uma única vez, já em 2014-15, então com vitória dos tomarenses, por 2-0.

Por outro lado, os dois emblemas cruzaram-se, já este ano, na fase de grupos da Taça do Ribatejo, tendo os escalabitanos vencido então por categórica margem de 4-1. Para os visitantes, o cenário de pontuar hoje não deixaria de constituir, a confirmar-se, um desfecho positivo.

Um por agora tranquilo Samora Correia, ocupando lugar a meio da tabela, recebe o Fazendense, que, pese embora se posicione na parte cimeira da pauta classificativa, parece ter começado já a descolar da possibilidade de manter aspirações ao lugar de topo da classificação.

À semelhança do registado em relação ao U. Almeirim-Cartaxo, também neste caso se verifica absoluto equilíbrio, com repartição de resultados, nas três últimas vezes que ambas as equipas se defrontaram, com uma vitória para cada uma, e uma igualdade, desfecho do encontro da época passada. Trata-se, pois, de um outro desafio de tendência repartida, em que a vitória dos donos da casa poderá ter uma boa probabilidade de ocorrência, não surpreendendo contudo se o grupo das Fazendas conseguir pontuar.

O Ferreira do Zêzere, animado com o resultado obtido em Tomar, mas que, por outro lado, não ganha há três jogos, recebe o Torres Novas, uma das duas equipas (a par do Marinhais) que ainda não se conseguiu estrear a vencer neste campeonato, ao fim das onze jornadas já disputadas.

Na última época, os torrejanos venceram por 2-1, um desfecho que, nas contas finais, se revelaria determinante na classificação, permitindo-lhe alcançar o 3.º lugar e consequente apuramento para a Taça de Portugal, precisamente à frente dos ferreirenses, que concluíram a prova um único ponto atrás. Hoje, e pese embora os sinais de melhoria que o Torres Novas vem evidenciando, o Ferreira do Zêzere parece ter maiores possibilidades de vencer.

O Alcanenense, que vem de um resultado positivo na deslocação às Fazendas de Almeirim – tendo, porém, deixado escapar o que teria sido uma preciosa vitória –, recebe o At. Ouriense, que parece denotar algum abaixamento de forma, tendo sido goleado em Santarém e consentido um inesperado empate caseiro ante a equipa da Glória do Ribatejo.

As últimas vezes que os dois clubes se cruzaram no principal escalão do futebol distrital datam já das temporadas de 2010-11 e 2011-12, na oportunidade com duas vitórias da formação de Alcanena, um empate e um triunfo do conjunto oureense.

Recorda-se que a equipa da casa não ganha há dez jogos (obteve um único triunfo, logo na ronda inaugural do campeonato). Poderá voltar a vencer hoje?

Por fim, num encontro de “aflitos”, o “derby” do município de Salvaterra, entre os vizinhos e rivais Glória do Ribatejo e Marinhais.

Trata-se de um embate sem historial recente a nível de campeonato da I Divisão, sendo que os dois emblemas se defrontaram já, na presente época, para a Taça do Ribatejo, na ocasião com o Marinhais a impor uma retumbante goleada, de 6-0. A partida desta tarde será, certamente, bastante mais equilibrada e renhida, pese embora os visitantes – que buscam ainda a primeira vitória na prova – possam ter, “a priori”, algum predomínio.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 16.12.2018)

Anúncios

Hertz

Está de regresso a Taça do Ribatejo, para disputa da terceira e derradeira ronda da fase de grupos. Estando ainda metade das vagas de qualificação para os 1/8 de final em aberto, são diversos os confrontos de cariz decisivo que esta tarde se realizam.

Na série 1 tudo está definido, a nível de apuramento, com Abrantes e Benfica e Riachense já qualificados para a fase seguinte da prova, em prejuízo do Torres Novas, afastado pelo líder do escalão secundário. Antecipando o embate do próximo fim-de-semana, para o campeonato, Abrantes e Benfica e Riachense disputam o 1.º lugar da série.

Na série 2, são dois os lugares disponíveis para quatro candidatos. O At. Ouriense lidera e tem ainda a vantagem de actuar no seu reduto, recebendo a moralizada equipa do Amiense, a qual, porém, não poderá perder, sob pena de ser suplantada pelo vencedor do Alcanenense-Ferreira do Zêzere.

Numa série que agrupa quatro clubes da divisão principal, repete-se, em Ourém, um confronto já realizado, na presente época, há dois meses, a contar para o campeonato, então com triunfo da equipa da casa por 2-1, no que, aliás, constitui a única derrota da turma de Amiais de Baixo naquela prova. Em anos anteriores, também em jogos do campeonato, é flagrante a superioridade do At. Ouriense nos desafios disputados no seu terreno, perante este adversário, tendo ganho seis dos oito jogos.

Por seu lado, Alcanenense e Ferreira do Zêzere defrontam-se pela primeira vez em Alcanena, depois de se terem encontrado já, nesta temporada, também para o campeonato, no reduto dos ferreirenses, que venceram então (há menos de um mês) por tangencial 1-0. Esta tarde, o Ferreira do Zêzere apresenta-se, de novo, como favorito.

Na série 3, só a vitória frente à equipa da Ortiga garantirá ao União de Tomar o apuramento, sem estar dependente do resultado que se registar no Tramagal-U. Santarém.

As únicas vezes que os tomarenses se cruzaram com este adversário datam já da distante época de 2005-06, na última passagem do União pelo escalão secundário, com triunfo dos unionistas em ambos os desafios, pela mesma marca, de 2-0.

Curiosamente, a formação da Ortiga recebeu já, esta temporada, a equipa “B” do União de Tomar, igualmente para o campeonato da II Divisão, tendo vencido, no seu terreno, por 1-0. Estarão portanto de sobreaviso os tomarenses, já bem cientes do valor do seu oponente desta tarde, também um dos candidatos ao apuramento para a fase final do seu campeonato.

Por sua vez, a última ocasião em que Tramagal e U. Santarém se encontraram ocorreu precisamente na época passada, nessa fase final, de disputa do título de Campeão da II Divisão, então com triunfo dos escalabitanos por 4-2, uma tendência que se poderá repetir hoje.

Na série 4, com o Pego já apurado, Caxarias e Aldeiense deverão disputar a outra vaga, com os visitantes para já em vantagem, uma vez que o empate lhes deverá chegar para alcançar a qualificação.

Na série 5, Rio Maior e Empregados do Comércio decidirão entre si quem acompanhará o Pontével. Pela campanha que ambas as formações vêm apresentando no campeonato, os riomaiorenses apresentam-se com amplo favoritismo.

Na série 6, na qual o U. Almeirim está também já qualificado, Moçarriense e Samora Correia concorrem directamente pela vaga restante, sendo que só a vitória servirá aos samorenses. Os dois clubes defrontaram-se, na época passada, no campeonato da I Divisão, tendo, na ocasião, empatado a um golo.

Na série 7, tudo está também já decidido, tendo Marinhais e Fazendense garantido, antecipadamente, a qualificação. Deste modo, na partida desta tarde, nas Fazendas de Almeirim, “apenas” estará em causa o apuramento do vencedor da série.

Por fim, na série 8, o Coruchense está também já matematicamente qualificado, pelo que Cartaxo e Espinheirense disputam, em confronto directo, a vaga restante, com lógico favoritismo para os primodivisionários.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 25.11.2018)

Hertz

Em dia de S. Martinho, sem “Verão”, na antevisão da 8.ª jornada de um muito disputado campeonato – com as três equipas da frente separadas entre cada uma delas por um único ponto, com vantagem para o Coruchense, seguido de imediato pelo U. Almeirim e pelo U. Santarém –, o historial recente não nos proporciona muita informação, dado que, em três dos casos, se trata de confrontos inéditos nos últimos nove anos, e, noutro, os dois clubes envolvidos apenas se defrontaram uma vez…

Entre os desafios desta tarde começa por destacar-se o Cartaxo-U. Tomar, em que os tomarenses – a iniciar um ciclo de enorme dificuldade, em que defrontarão também, de seguida, o Coruchense e o U. Almeirim – procurarão contrariar o favoritismo dos cartaxeiros.

Os grupos do Cartaxo e de Tomar encontraram-se por seis vezes nos últimos anos, com amplo predomínio dos donos da casa, que venceram por quatro vezes, não tendo o União conseguido melhor que dois empates, um deles, por curiosidade, na época passada, numa ocasião em que os nabantinos até desaproveitaram uma boa oportunidade para vencer.

Porém, nesta altura, a situação relativa de cada uma das equipas alterou-se de forma substancial, com o Cartaxo – no encalce do trio da frente – a procurar evitar perder mais pontos em casa, de forma a não deixar escapar os mais directos concorrentes na disputa do título.

Outra partida de grande interesse será a que coloca frente a frente U. Almeirim e At. Ouriense, no qual os almeirinenses terão de continuar a mostrar a sua solidez – atravessam uma excelente fase, com quatro triunfos consecutivos –, sob pena de poderem vir eventualmente a ser surpreendidos pelo seu valoroso adversário.

Nas três vezes em que se defrontaram, precisamente nas três últimas temporadas, registo para dois empates e uma vitória da turma de Almeirim, em 2016-17, então com uma goleada (4-0). Esta tarde espera-se um confronto bem mais equilibrado, pese embora o favoritismo penda para os visitados.

Em Torres Novas, uma formação torrejana que continua a denotar enormes dificuldades em materializar o seu jogo em golos, recebe a visita do moralizado Amiense, que poderá aproveitar a oportunidade para procurar equilibrar um pouco o que tem sido uma tendência bastante favorável aos donos da casa.

Efectivamente, nas oito vezes em que Torres Novas e Amiense se defrontaram, nas últimas épocas, o balanço é de cinco vitórias dos torrejanos, face a apenas duas dos homens de Amiais de Baixo. Por curiosidade, regista-se uma única igualdade, na já distante época de 2010-11… desfecho que até poderá voltar a repetir-se hoje…

O mesmo sucede no Ferreira do Zêzere-Fazendense, que, nos anos mais recentes, apenas se cruzaram uma vez no principal escalão, precisamente na temporada passada, então com um empate a 2-2. Pela campanha que ambas as equipas vêm fazendo e em função das respectivas trajectórias recentes, um novo empate parece ter uma forte probabilidade de ocorrência, num encontro muito repartido, de “tripla”.

Os restantes três jogos da ronda são os que não apresentam histórico recente, sendo o líder Coruchense amplamente favorito na recepção ao Marinhais, sem esquecer que a formação do município de Salvaterra, curiosamente, ainda não perdeu fora de casa, tendo empatado todos os três encontros disputados na condição de visitante no presente campeonato (ao invés do que regista nas partidas no seu reduto, em que somou quatro derrotas noutros tantos jogos).

Mais repartida poderá ser a tendência no U. Santarém-Samora Correia, com os escalabitanos a perfilar-se como favoritos, mas, certamente, não esperando facilidades, num embate em que a surpresa poderá eventualmente estar à espreita.

Por fim, na Glória do Ribatejo, defrontam-se duas das equipas cujo objectivo principal passará por alcançar a permanência na divisão principal, podendo a formação da casa – que vem dando mostras de alguma recuperação, nos últimos jogos – voltar enfim a pontuar, frente a um muito jovem conjunto do Alcanenense, o que, a acontecer, traduziria o colocar termo a uma série de seis desaires sucessivos.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 11.11.2018)

Hertz

Depois das “horas extraordinárias” no feriado, com mais uma ronda da Taça do Ribatejo, prossegue o campeonato distrital, já na sua 7.ª jornada, numa renhida competição pelos pontos e pelas melhores posições na tabela.

Esta tarde o encontro de maior cartaz é o “derby” almeirinense, entre Fazendense e U. Almeirim, respectivamente 4.º e 3.º classificados, num verdadeiro jogo de “tripla”, em que todos os cenários estão em aberto, contrabalançando o factor casa com o teórico maior potencial dos unionistas, com uma boa série em curso de três triunfos consecutivos.

Como que a atestar o equilíbrio que se antecipa, os dois emblemas enfrentaram-se, no principal escalão, nas três temporadas mais recentes, nas quais se registou uma vitória do grupo das Fazendas e, nos últimos dois anos, duas igualdades a um golo.

O desfecho deste desafio será de interesse acrescido tendo igualmente em consideração os compromissos que esperam os actuais dois líderes, Coruchense e U. Santarém, únicas equipas ainda invictas no campeonato.

A formação do Sorraia terá uma deslocação a Ourém, que se antevê de elevado grau de dificuldade, para defrontar um bem organizado conjunto, não obstante se apresente moralizada pelo triunfo no Cartaxo, no encontro da Taça.

Nas três ocasiões em que Coruchense e At. Ouriense se cruzaram, nas últimas épocas, o equilíbrio é total, com uma vitória para cada lado e um empate, resultado que não surpreenderia se se repetisse hoje.

Por seu lado, os escalabitanos poderão ter, em tese, menores dificuldades para levar de vencida o Alcanenense, pese embora a partida se dispute em Alcanena, sendo que os visitados, para além de não ganharem desde a jornada inaugural, têm em curso um ciclo negativo de quatro desaires sucessivos no campeonato, o que os fez cair para uma zona delicada da pauta classificativa, imediatamente acima do trio que partilha a “lanterna vermelha”, constituído por Torres Novas, Marinhais e Glória do Ribatejo.

Não havendo registo de confrontos entre ambas as equipas nos últimos anos, o U. Santarém apresenta-se como favorito, tendo inclusivamente presente o resultado que averbou na Taça, na quinta-feira.

Um, por agora, excessivamente oscilante Cartaxo – não venceu nenhum dos seus três últimos desafios, incluindo o disputado no feriado – será, ainda assim, favorito a ganhar em Marinhais, num confronto sem historial recente, não surpreendendo se os donos da casa acabarem por perder no seu terreno pela quarta vez em outros tantos jogos… Caso contrário, os cartaxeiros poderão começar a afastar-se do seu objectivo declarado, de luta pelo título.

Em Tomar, no maior clássico do futebol distrital, o União recebe o Torres Novas, no 91.º confronto entre ambos, esperando-se que os nabantinos possam retomar a senda dos triunfos.

Nas últimas nove temporadas, os dois velhos rivais cruzaram-se por sete vezes, com uma tendência de absoluto equilíbrio: três triunfos para cada clube e um empate, sendo que as vitórias torrejanas datam das épocas de 2011 a 2014, tendo os tomarenses vencido por 3-0 nos dois últimos anos.

Caso o U. Tomar consiga recuperar do desgaste que vem acumulando com várias jogos a meio da semana, poderá tirar partido do mau arranque do Torres Novas – a par do Marinhais, as únicas equipas que ainda não venceram no campeonato –, também já matematicamente eliminado da Taça, após o desaire sofrido em Riachos, tendo, até agora, marcado um único golo, nos dez encontros que disputou já na presente temporada!

Em Samora Correia defrontam-se os actuais 9.º e 10.º classificados, mas com trajectórias de sentido oposto: o Ferreira do Zêzere, em recuperação, tendo vencido os dois últimos encontros no campeonato, enquanto os samorenses seguem com três derrotas consecutivas.

Na época passada, os visitados venceram por 5-2, podendo voltar a ganhar esta tarde, beneficiando do factor casa. Mas, pelo desempenho recente de ambas as formações, não surpreenderia se os ferreirenses conseguissem pontuar.

Por fim, em Amiais de Baixo, o Amiense recebe a visita da turma da Glória do Ribatejo, sendo expectável que possa vencer por margem superior ao tangencial 2-1 registado na última vez que as duas equipas se defrontaram na I Divisão, já em 2012-13.

De facto, depois do inesperado triunfo inaugural, ante o Torres Novas, a equipa da Glória do Ribatejo, com muitas dificuldades em se adaptar às exigências deste nível competitivo, foi derrotada em todos os outros sete desafios que realizou, nos quais sofreu um total de 28 golos, correspondendo a uma terrível média de 4 golos sofridos por jogo…

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 04.11.2018)

Hertz

Na 6.ª ronda da I Divisão Distrital, que esta tarde se disputa, o “jogo grande” será o Coruchense-Fazendense (entre os actuais 1.º e 3.º classificados).

A formação da casa – que vem afirmando a sua posição, cotando-se como forte candidato a um terceiro título consecutivo, nas suas três últimas passagens pelo Distrital – apresenta-se como favorita, mas uma eventual surpresa poderá estar à espreita…

Aliás, o histórico recente parece apontar mesmo nesse sentido, uma vez que, nas quatro últimas vezes que os dois clubes se defrontaram em Coruche, os donos da casa apenas contam uma vitória, precisamente na época passada, depois de dois triunfos dos homens das Fazendas (um deles por 5-0, há quatro anos) e um empate.

Por seu lado, o actual vice-líder, U. Santarém, deverá ter uma tarde tranquila, face à Glória do Ribatejo, num confronto sem historial recente no principal escalão. Nas últimas quatro vezes que as duas equipas se encontraram, sempre na II Divisão, registaram-se apenas triunfos dos escalabitanos: na época passada, na fase regular e na fase final, de apuramento de Campeão, em 2016-17 e em 2015-16 (na fase final). Esta tarde, a expectativa é de que a diferença no marcador final possa ser superior à registada nesses jogos (três vezes 2-1 e uma vez 2-0).

Também os outros candidatos ao título, U. Almeirim, que recebe o Samora Correia e o Cartaxo, que terá a visita do At. Ouriense, são notoriamente favoritos a somar mais três pontos, desde que não “facilitem”.

No que respeita aos almeirinenses, o escasso histórico recente – as duas formações cruzaram-se na I Divisão Distrital apenas nas duas últimas temporadas – aponta para uma tendência a seu favor, com dois triunfos, por 2-0 na época passada e 2-1 na anterior.

Em relação ao Cartaxo, defrontou a turma de Ourém por seis vezes nos últimos anos, contando com três vitórias, um empate, e dois triunfos dos visitantes. Em qualquer caso, este será um bom teste para aquilatar das reais pretensões dos cartaxeiros, frente a uma equipa bem organizada como é a do At. Ouriense.

O U. Tomar recebe o Amiense, num desafio que se antevê de tendência equilibrada, podendo o factor casa assumir relevância. A formação de Amiais de Baixo é a que mais vezes (oito, em 13 jogos disputados) foi derrotada por Lino Freitas, nos 200 jogos que acaba de completar ao comando técnico do União de Tomar.

Se considerarmos apenas os encontros realizados em Tomar, nas últimas nove temporadas o União regista amplo predomínio, tendo vencido em seis ocasiões, face a dois triunfos do Amiense e um único empate. Em função dos sinais que ambas as equipas têm vindo a dar nesta fase inicial da prova, não surpreenderia se voltasse a haver repartição de pontos no desafio desta tarde.

Em Ferreira do Zêzere, os ferreirenses pretenderão aproveitar a embalagem da vitória alcançada na Glória do Ribatejo, de forma a recuperar posições, em contraponto à “baixa de forma” patenteada pelo Alcanenense, que não consegue vencer desde a jornada inaugural do campeonato, tendo caído inclusivamente na zona mais delicada da tabela classificativa.

Não existe também histórico de confrontos entre ambos os emblemas na I Divisão, dada a permanência do grupo de Alcanena no Nacional. Neste reencontro, o conjunto da casa perfila-se como favorito, sendo que a possibilidade de um eventual empate não estará também fora das cogitações.

Por fim, num embate igualmente sem historial recente, entre as duas equipas que partilham a indesejada condição de “lanterna vermelha”, o Torres Novas poderá enfim quebrar o seu jejum, frente ao Marinhais, que, na sequência de três desaires caseiros sofridos, registou já a primeira “chicotada psicológica” da época.

Recorde-se que os torrejanos não conseguiram ainda marcar na presente temporada, ao fim de oito jogos já realizados, pelo que esta será uma oportunidade “imperdível” para chegar ao golo e, possivelmente, aos três pontos, de que tão carenciados estão.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 28.10.2018)

Hertz

Com os principais candidatos à disputa dos lugares do pódio já “instalados” na parte cimeira da tabela, na 5.ª jornada do Distrital, que hoje se disputa, destacam-se três jogos, que concentram as atenções gerais.

Começando pelo “derby” do município de Santarém, entre Amiense e U. Santarém, duas equipas que vêm dando muito boa conta de si neste arranque de campeonato, em especial os escalabitanos, recém-promovidos do escalão secundário e que, por agora, seguem na liderança da prova.

Nos últimos anos, estes dois clubes apenas se cruzaram uma vez, na I Divisão, na época 2014-15, então com triunfo do conjunto de Amiais de Baixo. Esta tarde, a expectativa será de uma partida equilibrada, possivelmente com tendência para a repartição de pontos, atendendo às dificuldades geralmente impostas pelos donos da casa quando actuam no seu reduto.

O outro líder, Coruchense, terá também missão de elevado nível de exigência, viajando até Samora Correia, um confronto também com reduzido histórico recente, dado que os dois emblemas apenas se defrontaram, no principal escalão, na temporada de 2016-17, com triunfo do grupo do Sorraia, que se perfila também como teoricamente favorito para o jogo de hoje, pese embora não surpreendesse se os samorenses conseguissem pontuar.

Também o Cartaxo terá uma difícil saída até às Fazendas de Almeirim, para defrontar uma equipa moralizada, que se cota nesta altura como a defesa menos batida do campeonato.

Nos últimos anos, Fazendense e Cartaxo encontraram-se por sete vezes, com a tendência a apontar para uma supremacia dos visitados, com cinco triunfos dos almeirinenses e apenas duas vitórias dos cartaxeiros, por curiosidade, ambas obtidas na já distante época de 2010-11.

Tal como nos casos anteriores, os visitantes aparentam ser ligeiramente favoritos, em função do desempenho neste início de época e das aspirações declaradas, mas o peso do factor casa poderá voltar a fazer sentir-se.

Mas há, ainda, mais motivos de interesse: também o U. Almeirim terá igualmente uma deslocação, até Alcanena, que não se afigura fácil, num confronto sem historial recente, dada a presença do Alcanenense, nos últimos seis anos, no Campeonato Nacional.

Pelo que ambos os conjuntos vêm apresentando, com a turma de Almeirim aparentemente em subida de forma, ao invés da formação de Alcanena, que não vence desde a ronda inaugural, os almeirinenses poderão somar os três pontos, mas, para tal, terão de jogar ao seu melhor nível.

Em Marinhais, o clube local – de regresso à divisão principal após 14 anos de “travessia do deserto” – recebe o União de Tomar, esperando-se que os unionistas possam dar continuidade aos resultados positivos das últimas jornadas, num jogo em que se poderá estabelecer mais um marco histórico para o clube, caso os tomarenses consigam vencer.

Anota-se que a equipa da casa tem surpreendido positivamente, com bons resultados em terreno alheio, ao invés do que tem registado no seu reduto, onde perdeu os dois jogos aí já realizados.

Em Ourém, o Torres Novas anseia por quebrar o “jejum”, de sete jogos já realizados, sem ainda ter conseguido estrear-se a marcar nesta temporada, no que constitui uma série muito preocupante, pese embora a nível defensivo, não tenha estado mal, pelo menos a nível do campeonato.

Nos últimos nove anos, os dois emblemas defrontaram-se já por oito vezes, com uma tendência de equilíbrio: três vitórias para os donos da casa, três empates e dois triunfos dos visitantes.

Porém, a formação do At. Ouriense, bastante capacitada, não será certamente o adversário ideal para o concretizar dos objectivos dos torrejanos, apresentando-se os oureenses como favoritos à conquista dos três pontos no jogo desta tarde.

Por fim, o Ferreira do Zêzere – actual “lanterna vermelha”, tendo somado derrotas em todos os quatro jogos já disputados no campeonato – poderá marcar hoje o(s) primeiro(s) ponto(s) na Glória do Ribatejo, formação que vem denotando grandes fragilidades defensivas, já com 13 golos sofridos no campeonato (mais seis na partida da Taça do Ribatejo)!

Estes dois emblemas não se cruzaram na I Divisão nos últimos anos, sendo o último confronto entre ambos o realizado em 2016, na fase de apuramento do Campeão da II Divisão, então com uma igualdade a um golo. Um desfecho que até poderá repetir-se hoje, não obstante a tendência pareça apontar para a possibilidade de um triunfo dos ferreirenses.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 21.10.2018)

Hertz

Apenas com três jornadas disputadas, os lugares do pódio são já ocupados por três dos principais candidatos ao título de Campeão Distrital – Coruchense, U. Santarém e Cartaxo –, perspectivando-se para hoje vários embates de especial interesse.

Começando pelo Coruchense-Alcanenense, em que se reencontram os dois clubes recentemente despromovidos do Nacional, não existindo registo de partidas recentes entre ambos a nível do futebol distrital (estas equipas não se cruzavam no Distrital desde a longínqua temporada de 2002-03).

Na época passada, no Campeonato de Portugal, a turma do Sorraia foi batida no seu terreno por 3-0, mas, para esta tarde, não é expectável que tal se possa repetir, apresentando-se os donos da casa como favoritos.

O Cartaxo recebe a visita do Samora Correia, num confronto que se tem caracterizado, nas últimas vezes em que ocorreu, por resultados desnivelados, tendo os samorenses goleado, no campeonato passado, por 4-0, depois de ter perdido nas duas ocasiões anteriores, por 3-1 e 5-1 (esta, já em 2010-11). Com as duas equipas separadas, nesta altura, apenas por um ponto, os donos da casa apresentam, não obstante, maior probabilidade de vencer.

Em Ferreira do Zêzere, o actual “lanterna vermelha” da prova (único que somou derrotas nas três rondas já disputadas) defronta o U. Santarém, promovido do escalão secundário, mas que tem demonstrado, nesta fase de arranque do campeonato, muito boas credenciais.

Não há também registo de jogos entre estes dois clubes no principal escalão distrital nos últimos anos, mas, entre 2013 e 2017, encontraram-se, por três vezes, na fase de apuramento de Campeão do escalão secundário, com resultados para todos os gostos: vitória escalabitana em 2014; empate em 2016; e triunfo caseiro em 2017.

Num desafio que se antevê de elevada importância para ambos os contendores, pelas tendências que poderá apontar para o futuro, todos os desfechos estarão em aberto, em mais um jogo de “tripla”.

Também de teórico equilíbrio se perfila o confronto U. Tomar-At. Ouriense, como, aliás, o atesta o histórico recente: nas últimas sete vezes que os dois emblemas se cruzaram na cidade do Nabão, três vitórias para cada lado e um empate, com desfechos alternados nos anos mais recentes, sendo que o União venceu, na época passada por tangencial 2-1, para o campeonato, tendo goleado por 4-0 na Taça do Ribatejo. Hoje, os unionistas procurarão repetir a receita que deu bons resultados em Fazendas de Almeirim.

Igualmente dividido se antevê o Torres Novas-Fazendense, em contraponto ao que vem sendo a tendência história dos confrontos entre ambas as formações na cidade do Almonda: de facto, nos últimos oito encontros, os torrejanos apresentam um domínio esmagador, com sete triunfos e um único empate, já em 2010-11, tendo, inclusivamente, goleado por 4-0 no campeonato anterior.

Porém, estranhamente ainda sem se estrear a marcar nesta temporada, após seis jogos disputados, em que, o melhor que conseguiu foram dois nulos, o Torres Novas terá de melhorar bastante o seu desempenho para que seja possível alcançar um resultado positivo.

Por seu lado, o Marinhais, que vem registando melhores resultados em terreno alheio do que no seu próprio reduto, recebe o Amiense, em mais um reencontro, entre duas equipas que não se cruzavam no Distrital desde a temporada de 2003-04. Tendo por base o comportamento de ambas as formações no campeonato, até ao momento, o conjunto de Amiais de Baixo poderá regressar a casa com, pelo menos, um ponto.

Por fim, outro candidato aos lugares de topo, U. Almeirim, que, por agora, tem estado um pouco aquém das expectativas, recebe o Glória do Ribatejo, equipa que, depois do inesperado triunfo da jornada inaugural, frente ao Torres Novas, vem registando desfechos negativos.

Estes dois clubes também não se defrontam na I Divisão Distrital há mais de 15 anos, mas encontraram-se, pela última vez, em 2014-15, na fase de apuramento de Campeão da II Divisão, então com vitória dos almeirinenses por 2-0. Não surpreenderia se, esta tarde, repetissem o triunfo, até por números mais dilatados.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 14.10.2018)

Página seguinte »