Rádio Hertz


Na abertura da segunda volta do Distrital, os dois primeiros classificados voltam a jogar fora de casa, tendo, uma vez mais, de enfrentar sérios desafios, perante fortes opositores.

Começando pelo líder, Mação, desloca-se a Ourém, para defrontar o At. Ouriense, num embate repetido amiúde, já por nove vezes, nos últimos sete anos, com o histórico a apontar uma notória tendência para os donos da casa, tendo somado seis vitórias, face a duas dos maçaenses e um empate. Nesta época, a turma de Ourém apenas foi desfeiteada, no seu reduto, por duas vezes, pelo Cartaxo e Samora Correia, curiosamente dois clubes actualmente na parte baixa da tabela. O encontro desta tarde apresenta-se portanto de prognóstico “reservado”, um verdadeiro jogo de “tripla”.

Por seu lado, ao União de Tomar cabe seguir as pisadas do líder, visitando Ferreira do Zêzere, num especialmente aliciante “derby”, entre duas equipas vizinhas, com os ferreirenses a fazer alinhar nos seus quadros alguns jogadores que militaram já, em anos anteriores, na turma tomarense.

A nível da I Divisão, este é um confronto sem historial recente. Recuando no tempo, nas duas vezes que os dois clubes se defrontaram em Ferreira, em 2007 e em 2009, os unionistas ganharam ambos os desafios, o último com goleada por 5-0. As duas equipas têm-se cruzado, mais recentemente, em jogos da Taça do Ribatejo, encontros sempre de características peculiares, somando o União outros dois triunfos, para além de duas igualdades.

Depois da resistência oferecida pelo Ferreira do Zêzere, na semana passada, perante o líder, os tomarenses estarão de pré-aviso para as dificuldades que os esperam, e para a necessidade de, desde início, impor a toada do jogo, se quiserem regressar a casa com mais três pontos.

Também nos Riachos haverá “derby”, neste caso com o Riachense a receber o Torres Novas, estranhamente, um confronto apenas registado, nos últimos sete anos, por duas vezes, precisamente nas duas épocas mais recentes, com uma vitória dos donos da casa e um empate. O “lanterna vermelha”, que tão árdua luta deu ao União de Tomar, necessita, urgentemente, de começar a somar pontos: Veremos se a necessidade aguçará o engenho, perante um adversário tranquilo na tabela.

Nas Fazendas de Almeirim, o Fazendense apresenta-se com claro favoritismo na recepção ao Samora Correia, em crise, num ciclo terrível de quatro derrotas sucessivas. Nas duas vezes que se defrontaram no principal escalão nos últimos anos, o grupo almeirinense venceu ambos os jogos por 3-1. Seria grande a surpresa se o desfecho desta tarde não se traduzisse em mais uma vitória dos visitados, mas será de estar alerta para uma eventual reacção dos samorenses, feridos no seu orgulho, que pretenderão certamente colocar ponto final a esta “série negra” de resultados adversos.

O outro clube do município de Almeirim, o União, desloca-se à Moçarria, para defrontar uma equipa motivada pelos dois êxitos obtidos neste novo ano de 2018. Na única vez que se defrontaram na I Divisão, nos últimos sete anos, o Moçarriense venceu por 2-1, há duas épocas. Para esta tarde, não obstante o resultado positivo averbado pelos almeirinenses na ronda anterior, triunfando em Abrantes, e a posição na tabela, que lhes confere algum favoritismo, o factor casa poderá ter influência, podendo os visitados obter novo resultado positivo, que poderá ser até um empate.

O Cartaxo recebe os Empregados do Comércio, animados com o inesperado triunfo obtido em Samora Correia, pretendendo aproveitar a irregularidade dos cartaxeiros para repetir a vitória alcançada na época passada. Porém, o historial de encontros entre estes dois clubes inclui também, nos restantes três jogos realizados, outros tantos triunfos do Cartaxo, um desfecho que poderá repetir-se esta tarde, contrariando a tendência desta época (em que apenas conseguiu, até agora, ganhar uma única vez em casa, frente ao Ferreira do Zêzere).

Finalmente, em Abrantes, teremos um embate de grande importância em termos da disputa dos lugares de manutenção, para a qual o Amiense se vê, algo surpreendentemente, arrastado. A avaliar unicamente pelo histórico recente, a formação de Amiais de Baixo não teria de se preocupar, dado que venceu em todas as três deslocações anteriores ao terreno da U. Abrantina. Porém, o desempenho passado não é, obviamente, garantia de êxito, sendo até de antever que os visitados, também bastante carenciados de pontos, possam eventualmente surpreender pela positiva.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 21.01.2018)

Anúncios

O Distrital atinge hoje o final da primeira volta, sempre com aliciantes embates, numa competição repleta de cambiantes, em que o equilíbrio entre os diversos concorrentes tem imperado.

Esta tarde começa por destacar-se o confronto entre Fazendense e Torres Novas (respectivamente, 4.º e 3.º classificados), dois clubes históricos, que têm vindo a registar, na presente temporada, um desempenho acima das expectativas iniciais.

Nos últimos sete anos defrontaram-se, em Fazendas de Almeirim, outras tantas vezes, com uma tendência de absoluto equilíbrio: duas vitórias para cada lado e três empates. Não obstante, o último triunfo dos torrejanos data já da temporada de 2011-12. Num jogo de tripla, o factor casa poderá prevalecer.

Em Ferreira do Zêzere, o Mação enfrentará mais um sério teste à sua liderança, perante uma equipa que, até agora, superou tudo o que seria de prever, partilhando o 5.º posto com o U. Almeirim, num notável desempenho, praticamente com o seu objectivo prioritário cumprido, dado dispor já de uma margem de segurança de dez pontos em relação à “linha de água”. Não existindo histórico recente de confrontos entre estes dois emblemas, o líder apresenta-se, ainda assim, como favorito, o que terá de confirmar dentro de campo, perante uma oposição certamente aguerrida.

Também o União de Tomar terá de se “aplicar a fundo”, na difícil deslocação aos Riachos, para defrontar um Riachense, que, pese embora esteja muito distante dos seus melhores anos – é, nesta altura, o penúltimo classificado –, não oferecerá facilidades, até porque se encontra empenhado numa acesa luta pela manutenção.

O histórico recente entre os dois clubes (nas últimas sete épocas) aponta também para uma tendência de equilíbrio, nos três encontros disputados, com um triunfo para cada um dos contendores, tendo empatado também por uma vez, precisamente na época passada. Mas, se recuarmos mais alguns anos (até 2008), a estatística mudaria radicalmente, em favor dos donos da casa… um sinal de alerta que os unionistas não deixarão de ter bem presente.

Em Abrantes, a U. Abrantina recebe o U. Almeirim, num cruzamento apenas registado uma única vez, há dois anos, então com goleada dos almeirinenses. Pese embora esta possa ser a derradeira “cartada” da turma de Almeirim, no que respeita a eventuais aspirações ao lugar cimeiro deste campeonato, a “surpresa” poderá estar à espreita, se atendermos ao futebol que os donos da casa têm produzido em vários jogos.

Também o At. Ouriense-Amiense será mais um encontro de interesse nesta jornada, igualmente entre dois históricos do Distrital, que se defrontaram já por oito vezes nas últimas sete épocas, com notória tendência para os visitados: o conjunto de Ourém ganhou por seis vezes, tendo concedido somente um empate e uma derrota (já em 2012-13). O favoritismo parece pender, portanto, na totalidade, para os donos da casa.

Em Samora Correia defrontam-se duas turmas bastante desencantadas com as respectivas trajectórias no campeonato: os samorenses, vindo de três derrotas sucessivas (cinco desaires, nos últimos seis jogos, depois de, nos primeiros seis, não terem perdido…), e tendo encaixado nada menos de onze golos nas duas jornadas mais recentes, encontram os “Caixeiros”, que têm em curso uma série de cinco desaires consecutivos, para além de carregarem o fardo da “lanterna vermelha”. Os dois emblemas apenas se encontraram uma vez, na temporada passada, então com goleada para os visitados. Esta tarde é também expectável que o Samora Correia possa regressar aos triunfos…

Por fim, o Moçarriense recebe a visita do Cartaxo, formação com muito melhor desempenho fora de casa (onde já ganhou quatro vezes) do que no seu reduto (em que regista somente um triunfo). Curiosamente, na única vez que se encontraram na Moçarria, há duas épocas, os cartaxeiros venceram. Num terreno muito difícil, dadas as suas reduzidas dimensões, e face a um grupo moralizado pela vitória obtida na jornada anterior, na Ribeira de Santarém, é expectável que os visitados possam pontuar.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 14.01.2018)

Após três semanas de interregno, está de regresso o Distrital da I Divisão, sempre repleto de interessantes duelos.

Na 12.ª ronda, penúltima da primeira volta, que esta tarde se disputa, o principal cartaz centra-se em Tomar, num desafio em que se cruzam os actuais vice-líderes do campeonato, União e Fazendense. Os unionistas buscam o quarto triunfo consecutivo na prova, frente a um adversário que, contudo, se mantém ainda invencível na competição nesta temporada, tendo somado, até agora, cinco vitórias e seis empates (cinco dos quais nas últimas oito jornadas).

Em anos anteriores, os dois emblemas têm-se defrontado assiduamente, já por oito vezes nas sete últimas épocas, e, curiosamente, com uma única vitória dos tomarenses, em casa, há dois anos; ao invés, a turma das Fazendas soma três triunfos – datando o último já da época 2011-12 –, tendo-se registado ainda quatro empates. Um historial que dá bem conta das dificuldades que o União enfrentará, apenas passíveis de serem superadas, jogando ao seu melhor nível.

À espreita do que suceder na cidade do Nabão estará o líder, Mação, que, recebendo o Riachense, projectará a possibilidade de – em caso de vitória – voltar a distanciar-se de, pelo menos, um daqueles seus mais directos perseguidores, contornando a quebra de invencibilidade sofrida na ronda anterior. Os dois clubes defrontaram-se, nos últimos anos, por quatro vezes, em Mação, também com três empates e uma única vitória, a cair para o lado dos riachenses, na temporada passada, por categórica marca de 3-0. Esta tarde perspectiva-se que tudo poderá ser bem diferente, apresentando-se os maçaenses com notório favoritismo à conquista dos três pontos.

Outro encontro de interesse será o Torres Novas-Samora Correia – dois clubes que já marcaram presença no topo da tabela neste campeonato –, com os samorenses a jogarem os últimos “cartuchos”, em termos de uma possível candidatura ao lugar cimeiro deste campeonato, de que distam, actualmente, nove pontos, mas, paralelamente, a pretender demonstrar que os números do desaire sofrido no último jogo, em casa, ante o União, foram exagerados… Nas duas vezes em que se encontraram nos últimos anos, registo para um êxito para cada lado, tendo, curiosamente, o Samora batido os torrejanos no seu reduto na época passada. Uma partida de “tripla”, na qual não surpreenderia um resultado positivo dos forasteiros, pese embora atravessarem um ciclo difícil, com quatro derrotas nos últimos cinco jogos no campeonato.

Em Almeirim defrontam-se também duas equipas que estão entre as melhores da prova – nesta altura, posicionadas ambas na primeira metade da tabela –, com o União local a receber o At. Ouriense. Em anos recentes temos também registo de apenas dois confrontos, precisamente nas duas últimas temporadas, com uma goleada dos almeirinenses (4-0) no último embate, depois de uma igualdade na edição anterior. Para esta tarde, os donos da casa surgem como favoritos, mas terão de o demonstrar dentro de campo…

O já algo aflito Amiense (apenas 10.º classificado, seis pontos acima da “linha de água”, tendo perdido seis dos últimos oito jogos) terá a visita do Ferreira do Zêzere, num confronto sem historial recente. O comportamento recente de ambos os grupos poderia fazer supor vantagem para os ferreirenses; porém, o factor casa, no sempre difícil reduto de Amiais de Baixo, poderá fazer pender a balança para o lado dos visitados.

Descendo na tabela, o Cartaxo – equipa muito irregular, com resultados negativos no seu terreno (três derrotas em quatro jogos), que tem superado com os êxitos averbados fora de portas – recebe a U. Abrantina, numa fase em que ambos os conjuntos parecem estar em alta, tendo vencido ambos nas duas jornadas anteriores. Os cartaxeiros ganharam nas duas vezes que as equipas se cruzaram e, em condições normais, seriam favoritos para esta tarde. Mas a turma de Abrantes poderá não estar pelos ajustes…

Por fim, na Ribeira de Santarém, teremos o “derby” escalabitano, entre o “lanterna vermelha” Empregados do Comércio (numa série de quatro desaires sucessivos, apenas tendo conseguido ganhar por uma vez no campeonato) e Moçarriense (também somente com um triunfo na prova até agora). Os dois clubes defrontaram-se, no principal escalão, uma única vez, em 2015-16, então com vitória da formação da Moçarria. Para esta tarde, atendendo aos diversos factores em jogo, a repartição de pontos poderá ser um cenário a considerar.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 07.01.2018)

Já em pleno período natalício, conclui-se hoje a disputa da eliminatória correspondente aos 1/8 de final da Taça do Ribatejo, com a realização dos quatro jogos que tinham sido adiados, da ronda do passado dia 10 de Dezembro.

Destaca-se o reencontro entre Mação e Fazendense, agora no reduto dos maçaenses, uma semana depois de se terem defrontado nas Fazendas de Almeirim, em partida a contar para o campeonato, na qual foi quebrada a invencibilidade do líder dessa prova. Estarão frente a frente o actual detentor do troféu, Mação (que já ganhou por duas vezes) e o clube recordista em conquistas na Taça do Ribatejo, o Fazendense, que já por quatro vezes venceu esta competição.

A última vez que estes dois emblemas se defrontaram em jogos desta Taça, foi na época de 2015-16, nas ½ finais da prova, então com uma igualdade a um golo, nas Fazendas, tendo o Fazendense sido apurado para a final da prova (que viria a ganhar), por via do desempate da marca de grande penalidade. Em jogos a contar para o campeonato, disputados em Mação, as equipas cruzaram-se já por nove vezes, nos últimos sete anos, com quatro triunfos dos maçaenses e quatro empates, tendo o conjunto das Fazendas ganho uma única vez, já em 2014-15.

Para esta tarde, teremos o aliciante de ver se o Mação conseguirá desforrar-se e, paralelamente, quebrar também a invencibilidade do Fazendense na presente temporada…

Outro “jogo-grande” realiza-se em Amiais de Baixo, onde o Amiense – já por três vezes vencedor do troféu, a última delas na época de 2012-13 – recebe o União de Tomar, clube ainda em busca da sua primeira Taça do Ribatejo.

Curiosamente, estas duas equipas nunca antes se defrontaram nesta prova… Já em jogos do campeonato, nas últimas oito vezes que se encontraram em Amiais de Baixo, o Amiense ganhou por três vezes, tendo o União de Tomar obtido quatro triunfos, para além de um empate. Acresce que o União ganhou sempre, nos três últimos anos. Veremos se conseguirá manter e reforçar esta tendência favorável, perante um adversário que, todavia, pretenderá rectificar neste jogo alguns maus resultados que vem averbando no campeonato.

 O terceiro e último confronto entre turmas do principal escalão ocorrerá em Ferreira do Zêzere, onde os locais terão a visita do Riachense. Trata-se de um confronto sem historial recente a nível da Taça do Ribatejo ou da I Divisão Distrital, sendo contudo de realçar que, já esta época, os ferreirenses foram vencer aos Riachos, por 2-1, em jogo realizado há cerca de dois meses. No desafio desta tarde, e pese embora a motivação que a vitória alcançada na passada semana poderá dar aos riachenses, o Ferreira do Zêzere, com um excelente desempenho nesta época, é favorito para seguir em frente na competição.

Por fim, defrontam-se também o Torres Novas e o Benavente, este o único clube do escalão secundário a actuar hoje. Estes dois grupos encontraram-se na Taça do Ribatejo, nos últimos anos, por duas vezes. Primeiro, na época de 2009-10, em partida dos ¼ de final, com empate a duas bolas, em Torres Novas, tendo os benaventenses obtido o apuramento, no desempate da marca de grande penalidade (vindo subsequentemente a ser afastados, nas ½ finais da prova, pelo Alcanenense). Na temporada imediata, de 2010-11, voltariam a defrontar-se, então nas ½ finais, curiosamente com outro empate a dois golos em Torres Novas, mas, desta feita, com a “lotaria” das grandes penalidades a favorecer os torrejanos, que viriam a conquistar o troféu.

Em jogos do campeonato, o domínio do Torres Novas tem sido mais categórico, com cinco vitórias e um empate, sem qualquer triunfo do grupo de Benavente. Seria grande a surpresa se os torrejanos não seguissem em frente na prova, esta tarde.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 23.12.2017)

Semana após semana – com um único deslize, na Ribeira de Santarém, frente aos Caixeiros, para além do empate cedido em casa, ante o União de Tomar – o líder, Mação, tem vindo a superar as múltiplas dificuldades que lhe vão surgindo na sua caminhada. Hoje, os maçaenses enfrentam outro sério desafio, com a deslocação a Fazendas de Almeirim, para defrontar, precisamente, a outra equipa ainda invicta neste campeonato, o Fazendense.

Em anos anteriores, nas últimas sete temporadas, os dois clubes defrontaram-se já por nove vezes, com quatro triunfos dos donos da casa, três empates e apenas duas vitórias para o Mação. Esta será, necessariamente, uma partida de tripla, porventura a pender para o empate…

Outros dois candidatos cruzam-se também em Samora Correia, onde os locais recebem a visita do União de Tomar, num confronto apenas repetido por três vezes nos últimos anos, com tendência de absoluto equilíbrio: uma vitória para cada lado e um empate. Para os tomarenses este será mais um jogo em que o objectivo terá de ser o de procurar conquistar os três pontos.

O actual vice-líder (posição que tem sido bastante volátil… nas últimas jornadas já por lá passaram, para além do U. Almeirim, o Fazendense, o Torres Novas e o Samora Correia) tem também uma deslocação de alto risco, até Ferreira do Zêzere, onde mora um grupo muito motivado, pela notável campanha que vem realizando. Não havendo histórico recente de embates entre estes dois clubes, este é mais um encontro cuja tendência parece apontar para a repartição de pontos.

Também a realizar uma prova de muito bom nível, o At. Ouriense recebe o irregular Cartaxo, num confronto em que o histórico regista algum pendor para os visitados: a formação de Ourém ganhou por duas vezes, tendo o empate sido o desfecho dos restantes três jogos entre os dois emblemas. Num campeonato extremamente equilibrado como tem sido este, não seria totalmente inesperado se os cartaxeiros conseguissem contrariar o favoritismo do At. Ouriense.

Na Ribeira de Santarém encontram-se dois conjuntos em aparente baixa de forma: os Empregados do Comércio, actuais penúltimos classificados, com quatro desaires nas cinco últimas jornadas (só não perderam com o líder!) recebem a visita do Torres Novas, que, depois de uma excelente fase inicial no campeonato, vai agora numa série de três derrotas sucessivas. Nos últimos quatro anos, estas duas equipas defrontaram-se por quatro vezes, com clara tendência para os donos da casa, que venceram por três vezes, contra um único triunfo dos torrejanos (já em 2013-14, mas, então, com uma goleada, por 7-1!). Para esta tarde, é possível que o Torres Novas volte aos resultados positivos.

Também, de alguma forma, aquém das expectativas, o Amiense desloca-se ao terreno do “lanterna vermelha”, Riachense, para mais um jogo em que a luta pela “sobrevivência” será a tónica dominante, sobretudo da parte dos visitados. Em anos anteriores, a turma dos Riachos ganhou sempre: quatro vitórias em outros tantos jogos disputados. Esta tarde, não é, contudo, de prever que essa tendência se possa manter.

A disputa da manutenção estará também bem acesa em Abrantes, onde o antepenúltimo classificado, U. Abrantina, recebe a equipa imediatamente acima na tabela classificativa, o Moçarriense, com os dois os clubes separados somente por um único ponto. Nas três partidas já realizadas entre ambos, em Abrantes, os visitados ganharam duas, tendo a formação da Moçarria obtido um triunfo. No jogo desta tarde, a U. Abrantina perfila-se como favorita a somar mais três pontos.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 17.12.2017)

Na 10.ª jornada da I Divisão do Distrital, começo por destacar a partida que coloca frente a frente o Mação e o Samora Correia, com o líder, outra vez, a cruzar-se com um dos 2.º classificados. Num confronto com escasso historial recente, estes dois emblemas apenas se defrontaram por duas vezes nos últimos sete anos: em 2010-11, com uma goleada de 5-0 a favor dos maçaenses; na época passada, com triunfo dos samorenses. Não obstante a posição privilegiada que o Mação ocupa, este poderá ser um jogo de tripla…

Merece também especial realce o principal clássico do futebol distrital, com o União de Tomar a receber o Torres Novas, num confronto já repetido por 88 vezes (em provas de âmbito nacional e distrital), com ligeira vantagem tomarense (37 contra 34 em número de vitórias, para além de 17 empates). Restringindo a estatística aos últimos sete anos, porém, são os torrejanos que dispõem de pequena vantagem, dado que venceram em Tomar por três vezes, tendo o União ganho dois jogos e empatado um. Veremos se os tomarenses conseguem aproveitar a fase menos confiante do Torres Novas, que não ganha há três jornadas, tendo inclusivamente perdido os dois últimos jogos no campeonato.

Em Amiais de Baixo, o Amiense terá a visita do outro 2.º classificado, Fazendense, ainda invicto na prova, mas que regista já cinco empates em nove jornadas. Estes dois clubes defrontaram-se já por oito vezes nos últimos sete anos, curiosamente também com cinco empates, tendo os donos da casa ganho por duas vezes e perdido uma única vez, em 2014-15. Com a formação de Amiais a atravessar também um ciclo difícil, tendo perdido quatro dos cinco últimos desafios, este é outro jogo de prognóstico muito incerto… eventualmente, podendo reforçar ainda mais a tendência de equilíbrio dos últimos anos.

O U. Almeirim defronta o Riachense, num confronto também apenas repetido por duas vezes nos anos recentes, com um triunfo para cada lado, tendo o grupo dos Riachos ganho na época passada. Esta tarde, e pese embora a motivação que poderá resultar da primeira vitória averbada no campeonato na semana passada – e mesmo tendo em consideração que, em partida recente, a contar para a Taça do Ribatejo, os visitados foram surpreendidos, tendo sido desfeiteados no seu terreno pelo adversário de hoje – parece improvável que os almeirinenses não somem os três pontos em disputa.

Um outro encontro de especial aliciante será o Cartaxo-Ferreira do Zêzere, sem histórico recente de confrontos, mas em que estarão frente a frente, uma equipa que, até agora, só conhece a derrota, em todos os três jogos já realizados no seu reduto, e outra, que mantém em curso um fantástico ciclo de cinco vitórias consecutivas, não sofrendo golos há quatro jornadas! Serão estas séries interrompidas neste embate?

Na Moçarria, o Moçarriense terá a visita do At. Ouriense, equipa que vem dando muito boa conta de si neste campeonato. Nos últimos anos, os dois emblemas encontraram-se por três vezes, com duas vitórias para os donos da casa e uma para os visitantes, mas que data já da longínqua temporada de 2011-12. Mais uma partida em que a tónica dominante deverá ser a do equilíbrio, mas em que qualquer desfecho será também possível.

Por fim, em Abrantes, encontram-se duas equipas em crise: o “lanterna vermelha”, U. Abrantina, que, até à data, conta uma única vitória na prova, nos Riachos, recebe os Empregados do Comércio, sendo que os Caixeiros, para além de não ganharem há quatro jogos, nos quais somaram, aliás, três desaires, acumularam 11 golos sofridos apenas nos dois últimos desafios. O historial de confrontos entre ambas é também curto, apenas com dois jogos, com uma vitória dos escalabitanos em 2013-14 e um empate há duas épocas. Hoje, antevê-se que os abrantinos poderão, enfim, regressar aos triunfos, depois de terem registado já quatro desaires sucessivos no seu terreno.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 03.12.2017)

A 9.ª jornada do Distrital da I Divisão, que esta tarde se disputa, “promete”, em especial com duas partidas em que se defrontam os actuais quatro primeiros classificados!

O guia, Mação, terá mais um sério teste, visitando Torres Novas, para defrontar um dos 2.º classificados, num duelo já repetido por oito vezes nas últimas sete temporadas, com uma tendência de perfeito equilíbrio: três vitórias para cada lado, dois empates, igualdade em golos marcados e sofridos (11). Não obstante, é de notar que os torrejanos – que, curiosamente, até venceram nas duas últimas visitas a Mação – não conseguem vencer em casa, frente a este adversário, já desde a época de 2013-14. Num prognóstico, necessariamente de risco, não será talvez expectável que o líder possa ver quebrada hoje a sua invencibilidade na prova.

Por outro lado, merece também destaque o “derby” Fazendense-U. Almeirim, respectivamente no 2.º e 4.º lugar, grupos separados por apenas um ponto, um desafio que poderá dar também indicações sobre as aspirações futuras de cada uma destas formações. Trata-se de um confronto com escassa tradição recente, dado que apenas se realizou nos dois últimos anos, com um triunfo da formação das Fazendas e um empate, na época passada, que não surpreenderia se se repetisse esta tarde.

O União de Tomar, com uma saída até à Ribeira de Santarém, frente aos Empregados do Comércio, terá nova oportunidade para procurar chegar ao primeiro triunfo “fora de portas”, mas sem esquecer que os Caixeiros, no seu reduto, não são adversário fácil, como bem o demonstraram no último jogo aí disputado, frente ao Mação. Nas quatro vezes que os dois clubes se defrontaram em Santarém, o União começou por ganhar os dois primeiros jogos (com uma soberba goleada, de 8-0 – a maior da sua história em jogos fora de casa –, e, de seguida, por 4-2), tendo perdido contudo, nos dois anos mais recentes. Dois “alertas” a levar em linha de conta, para evitar que se possa repetir. Por curiosa coincidência, esta será já a terceira vez, nesta temporada, que os unionistas defrontam um adversário que acabou de mudar de treinador.

O Samora Correia recebe o Amiense, em mais um desafio de tendência equilibrada, tendo os samorenses ganho na temporada passada, depois de dois empates nos confrontos anteriores entre ambos, na já distante época de 2010-11. A equipa da casa, pese embora venha de uma derrota na jornada anterior, apresenta ligeiro favoritismo para esta partida.

Ao contrário do União de Tomar, que disputa segundo jogo consecutivo fora de casa, o At. Ouriense volta a actuar no seu terreno; depois da goleada de 6-0 aplicada na semana passada aos Caixeiros, recebe agora a U. Abrantina, apresentando-se como claro favorito, tal como o atesta o historial recente, com vitórias dos oureenses em todos os três jogos disputados frente à turma de Abrantes nos últimos sete anos.

Em Ferreira do Zêzere, os ferreirenses procurarão ampliar para cinco o seu já magnífico registo de vitórias consecutivas, recebendo o Moçarriense, num confronto sem histórico recente a nível do principal escalão do futebol distrital. Não obstante, ainda há relativamente pouco tempo (em Abril deste ano) estes dois clubes se cruzaram, então na fase de apuramento do Campeão da II Divisão, na qual uma intratável equipa da Moçarria – que se viria a sagrar Campeã – goleou por 3-0. Um desfecho que, de todo, não é expectável no encontro desta tarde.

Por fim, o Riachense recebe o Cartaxo, num embate entre dois clubes históricos do Distrito, mas que, curiosamente, apenas nas duas últimas épocas se encontraram no Distrital, primeiro com triunfo dos cartaxeiros, tendo os homens de Riachos ganho no campeonato transacto. Para esta tarde, atendendo ao desempenho recente das duas turmas, tendo o Riachense perdido três dos quatro desafios que jogou em casa neste campeonato, enquanto o Cartaxo conta já três triunfos em terreno alheio, em cinco jogos realizados, não surpreenderia se os forasteiros voltassem a vencer…

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 26.11.2017)

Página seguinte »