Rádio Hertz


Depois de uma semana de interregno, é retomado esta tarde o campeonato distrital da I Divisão, com a disputa da 4.ª jornada, com vários jogos de especial aliciante. Desde logo, os sérios testes que constituirão as deslocações dos dois líderes…

O Mação viaja até ao Cartaxo, onde encontrará um auto-anunciado candidato ao título, equipa que, curiosamente, apenas ao quinto jogo da temporada se estreará no seu terreno. No historial recente, nos últimos sete anos, as duas formações cruzaram-se por 6 vezes, sendo que a tendência é claramente favorável aos cartaxeiros, com quatro triunfos e dois empates, sem que os maçaenses tenham conseguido alcançar qualquer vitória. Possivelmente, tal não acontecerá ainda hoje, mas seria talvez ousado antever que o Mação visse quebrada a sua invencibilidade no campeonato.

Por seu lado, o Amiense não terá missão mais facilitada, deslocando-se a Almeirim, para defrontar o União local, outro dos candidatos ao lugar cimeiro. Estes dois clubes apenas se encontraram, em anos recentes, nas duas últimas temporadas, em partidas que, curiosamente, se saldaram por outros tantos empates. Um desfecho que não surpreenderia se se repetisse esta tarde. Ou virá o Amiense a sofrer o primeiro desaire da época?

Por seu lado, também as equipas posicionadas imediatamente a seguir na tabela não terão tarefa fácil, dado que os principais favoritos actuam todos em terreno adverso.

É o caso do Samora Correia, que disputará também um interessante desafio em Ourém, frente ao At. Ouriense. Em dois jogos entre ambos os clubes, em 2010-11 e na época passada, registam-se dois triunfos para os “donos da casa”, não sendo expectável que venham a ser desfeiteados esta tarde.

Também o Fazendense e União de Tomar têm arriscadas saídas, a Ferreira do Zêzere, e à Moçarria, para defrontar dois adversários que, até agora, contam por derrotas os (três) jogos já realizados no campeonato – pese embora tenham evidenciado desempenho distinto entre si na Taça do Ribatejo, com os ferreirenses já apurados para a fase eliminar, enquanto o Moçarriense não foi além da igualdade na recepção a grupo do escalão secundário (Barrosense).

Assim, se não existe histórico recente de confrontos entre Ferreira do Zêzere e Fazendense – perfilando-se o conjunto das Fazendas de Almeirim, teoricamente, como dispondo de argumentos superiores –, já no que respeita à partida da Moçarria, a tendência aponta para favoritismo do União de Tomar que, nos últimos cinco encontros ali disputados, ganhou por três vezes – precisamente, nas suas últimas três visitas, tendo registado um empate e um único desaire (ambos na já relativamente distante época de 2011-12).

Resta referir outros dois jogos em que marcarão presença mais três das cinco equipas que, até agora, apenas conhecem a derrota em jogos do campeonato.

Nos Riachos, o Riachense recebe o Empregados do Comércio. À primeira vista, a turma da casa poderia ser antevista como favorita. Porém, numa análise do histórico recente, tendo as duas equipas jogado entre si apenas por duas vezes, precisamente nos dois últimos anos, a verdade é que o Riachense ainda não ganhou, registando uma derrota e um empate.

Assim, até talvez nem fosse de todo surpreendente se o Riachense – não obstante vir de uma goleada de 5-0 na Taça do Ribatejo e se tenha entretanto reforçado com quatro elementos provenientes do Alcanenense – não conseguisse obter a primeira vitória sobre este adversário e no presente campeonato.

Por fim, em Abrantes, a U. Abrantina, moralizada com o 9-0 averbado na Taça do Ribatejo, terá a visita do Torres Novas. Neste caso, nas duas vezes que se cruzaram, nas duas últimas temporadas, os torrejanos venceram ambos os desafios. Porém, não será talvez previsível que venham a ampliar o número de vitórias esta tarde.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 22.10.2017)

Anúncios

No futebol distrital regressa este fim-de-semana a festa da Taça, com 15 desafios agendados, dos quais apenas dois envolvendo duas equipas do escalão principal.

O jogo grande desta segunda ronda será, sem dúvida, o Mação-União de Tomar, com o líder do campeonato, que, na jornada inaugural da Taça, dando mais uma cabal prova de força, foi golear o At. Oureense, em Ourém, por 4-1, a apresentar-se como um sério teste às capacidades dos unionistas, que, por seu lado, vêm também de uma goleada (4-0 ao Aldeiense) no jogo de estreia nesta competição.

Curiosamente, estes dois clubes nunca, até à data, se encontraram na Taça do Ribatejo. Em jogos do campeonato, realizados em Mação, a tendência é claramente favorável aos maçaenses, com três vitórias e três empates, nas últimas sete temporadas, tendo o União vencido uma única vez, precisamente na já distante época de 2010-11.

O outro embate entre primodivisionários disputa-se na Ribeira de Santarém, entre os Empregados do Comércio e o Samora Correia, com favoritismo para os visitantes, atendendo ao desempenho dos Caixeiros no campeonato, em que acumulam três desaires nas três jornadas iniciais, não tendo ido além do empate na primeira jornada da Taça, na Barrosa, frente a uma equipa do escalão secundário. A única vez que as duas equipas se defrontaram, no campeonato, na época passada, registou-se um empate.

Entre clubes de escalão diferente, o destaque vai para o retomar de um clássico do futebol distrital, entre dois clubes históricos, Torres Novas e Tramagal, sendo que os tramagalenses estão arredados da I Divisão já desde a temporada de 2006-07. Naturalmente, os torrejanos são amplos favoritos para este reencontro.

Também a merecer menção particular, teremos o Marinhais-Cartaxo, datando, neste caso, a última participação do grupo do município de Salvaterra no principal escalão da época de 2003-04. Este será o quarto jogo dos cartaxeiros em terreno alheio nesta temporada, na qual não se estrearam ainda no seu reduto. Não obstante, perfilam-se também como claramente favoritos para este desafio.

Em Almeirim, o União local terá a visita do Glória do Ribatejo, equipa useira e vezeira em provocar surpresas na Taça do Ribatejo, a última das quais, bem recente, ao vencer o Riachense, na primeira ronda da edição deste ano da prova. Porém, a surpresa seria bem maior se os visitados não vencessem este encontro.

Também nas Fazendas de Almeirim os donos da casa se perfilam com notório favoritismo, face à formação de Benfica do Ribatejo. A última vez que os dois emblemas se defrontaram, há duas épocas, na última ronda da fase de grupos da Taça Ribatejo, o Fazendense venceu então por 3-1, podendo verificar-se hoje um desfecho similar.

Em Ferreira do Zêzere, os locais recebem o Pego, duas equipas que se defrontaram, pela última vez, há pouco mais de um ano (Junho de 2016), então em jogo da fase de apuramento do Campeão da II Divisão, com os pegachos a obter uma vitória que, na ocasião, lhes valeu a promoção à I Divisão. No encontro entre ambas as formações em Ferreira do Zêzere, o nulo não foi então desfeito. Esta tarde, os ferreirenses, que vêm de uma goleada (4-1) em Rio Maior, apresentam-se como favoritos.

Por fim, nas partidas entre clubes do escalão secundário, o sublinhado vai para o confronto que opõe U. Atalaiense e Caxarias, duas turmas que se cruzaram pela última vez, na temporada passada, no campeonato da II Divisão, curiosamente, com a turma de Caxarias a golear na Atalaia por 4-1, vindo depois a sofrer uma amarga “desforra”, perdendo em casa, por 0-3, ante o mesmo adversário. Um desafio que se afigura, portanto, de difícil prognóstico, até porque o Caxarias fará, esta tarde, a sua estreia em competição na presente temporada.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 15.10.2017)

Num campeonato, para já, muito repartido na frente, com sete equipas ainda invictas, o “jogo grande” da jornada disputar-se-á em Amiais de Baixo, onde um dos líderes, Amiense, recebe o Cartaxo, que, não obstante realizar o terceiro jogo sucessivo em terreno alheio, regista, por agora, uma entrada muito positiva na competição, anunciando-se mesmo como (mais) um dos candidatos ao título. Estas duas formações encontraram-se por cinco vezes nos últimos sete anos, com um registo relativamente equilibrado: duas vitórias para os visitados, dois empates, e um triunfo dos cartaxeiros. Uma toada de equilíbrio que poderá prevalecer esta tarde, num desafio de tripla.

Também em Torres Novas, teremos um aliciante encontro, entre outro dos actuais comandantes e o At. Ouriense, vindo de um triunfo sobre o União de Tomar, a desmentir a “verdade” da goleada sofrida na jornada inaugural, em Mação. Nas sete partidas entre torrejanos e oureenses, nos sete anos mais recentes, anotam-se três vitórias para a equipa da casa, três empates, e apenas um triunfo do At. Ouriense fora de casa, há duas épocas. Em síntese, outro embate de desfecho imprevisível.

Mais linear parece ser, pelo menos em teoria, o favoritismo do terceiro do lote dos guias, o Mação, que recebe o Moçarriense, equipa que somou dois desaires nas duas rondas já disputadas, integrando portanto o quinteto da rectaguarda da tabela. A confirmar esta tendência, verifica-se que, nas três últimas vezes em que estas equipas se defrontaram em jogos do escalão principal, os maçaenses venceram sempre, acumulando um score global de 12-4 a seu favor.

Também de interesse será o prélio que opõe o Fazendende ao Riachense, pese embora os donos da casa se apresentarem como claros favoritos a somar os três pontos, perante uma formação de Riachos este ano menos consistente que em épocas anteriores, que poderá somar esta tarde a terceira derrota em outros tantos jogos no campeonato. A verdade é que o Riachense não venceu nunca nas Fazendas de Almeirim, nos quatro jogos entre ambos os clubes, nos últimos sete anos, tendo o Fazendense ganho por duas vezes, registando-se ainda dois nulos.

Na Ribeira de Santarém, os Caixeiros recebem a visita do U. Almeirim, que terá de porfiar para conseguir materializar o seu teórico favoritismo, o que, a acontecer, traduziria também o terceiro desaire dos Empregados do Comércio nesta edição da prova. Os dois conjuntos apenas se defrontaram, na I Divisão, nas duas últimas temporadas, em ambos os casos, com o marcador final a manter-se em branco. Um desfecho que poderá repetir-se esta tarde?

Em Samora Correia, outro dos anunciados candidatos ao título, recebe a visita do recém-promovido Ferreira do Zêzere, num confronto sem historial recente na divisão principal, em que os samorenses reúnem claro favoritismo.

Por fim, o União de Tomar, a pretender rectificar rapidamente o desaire sofrido em Ourém, terá a visita da U. Abrantina, apresentando-se também como favorito a somar mais três pontos, depois do triunfo caseiro da ronda inicial, ante o Ferreira do Zêzere. Tomarenses e abrantinos defrontaram-se por quatro vezes, nas cinco épocas mais recentes, com três vitórias para os unionistas, que apenas cederam um empate, já em 2012-13, registando um score acumulado de 10-3 em golos.

Mais logo veremos se o trio da dianteira se mantém unido ou se será desfeito, podendo eventualmente, compactar-se ainda mais um mini-pelotão na frente.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 08.10.2017)

Depois de uma breve pausa no fim-de-semana, regressa hoje o futebol distrital, com a ronda inaugural da fase de grupos da Taça do Ribatejo, competição que abrange, esta época, um total de 35 clubes concorrentes, dos quais 21 do segundo escalão.

Dado o número de participantes, a fórmula adoptada para esta edição volta a revestir-se de alguma complexidade a nível do apuramento para os 1/8 de final, em que participarão os dez vencedores de série, assim como os seis melhores de entre os 2.º classificados.

Dos 15 jogos agendados para esta tarde, começo por destacar aqueles em que se defrontam equipas da I Divisão Distrital, que se perfilam, portanto, como sendo os de maior cartaz.

Desde logo, o At. Ouriense-Mação, com os oureenses em busca da desforra da goleada sofrida há cerca de três semanas. Nos últimos sete anos estas formações jogaram, em Ourém, para o campeonato, por 9 vezes, com clara supremacia para os donos da casa, que registam seis triunfos e apenas duas derrotas.

Em Amiais de Baixo, o Amiense recebe o Torres Novas – curiosamente, os outros dois grupos que, a par dos maçaenses, lidera, por agora o campeonato. A turma da casa apresenta-se como favorita, como o atesta também o histórico dos últimos anos, com cinco vitórias do conjunto de Amiais, face a um único êxito dos torrejanos, já há sete anos.

No sul do Distrito, o Samora Correia terá a visita do Moçarriense, assumindo também o favoritismo os visitados, num confronto sem historial recente a nível primodivisionário. Na última vez que ambas as equipas se cruzaram, então no escalão secundário, há três épocas, não foi desfeito o nulo no marcador.

Entre clubes da II Divisão Distrital, realce para o “derby” do município de Salvaterra de Magos, com o regressado Salvaterrense a receber o Marinhais, um jogo de tripla.

Assinala-se ainda o confronto entre o Pontével e o U. Santarém, duas formações que, há não muito tempo, militaram no principal escalão, também de prognóstico indeterminado, porventura com o factor casa a poder ter influência no desfecho da partida, numa série assinalada pela situação singular de ser composta por quatro clubes da II Divisão.

Numa das duas únicas séries que integram três clubes da I Divisão, o União de Tomar (que disputará o apuramento com os conjuntos de Ourém e de Mação), recebe, num encontro em estreia entre os dois clubes, o Aldeiense, reunindo, naturalmente, forte dose de favoritismo.

Na outra série em condições idênticas os Empregados do Comércio deslocam-se à Barrosa, para defrontar o Barrosense. Pese embora os Caixeiros ocupem os lugares da cauda da tabela, não deixaria de constituir surpresa um eventual resultado positivo para os donos da casa.

Por fim, de entre os restantes embates entre equipas de escalão diferente, menção ainda ao Rio Maior-Ferreira do Zêzere, Benavente-Fazendense, Glória do Ribatejo-Riachense, Porto Alto-U. Almeirim e Ortiga-U.Abrantina, em que os favoritos, actuando em reduto alheio, poderão eventualmente vir a deparar-se com inesperadas dificuldades.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 05.10.2017)

Após a ronda inaugural da I Divisão Distrital, em que o destaque maior vai para a amplitude da vitória do Mação sobre o At. Ouriense, goleando por 4-0, assim como, por outro lado, para a igualdade averbada pelo Fazendense em Samora Correia, os principais candidatos aos lugares de topo terão, nesta 2.ª jornada, os primeiros sérios testes às suas capacidades, actuando todos eles em recinto alheio.

Em Ourém, o União de Tomar encontrará uma equipa abalada pela goleada sofrida na passada semana, ansiando por rectificar tal má impressão. Nos confrontos entre o At. Ouriense e o União, nos últimos sete anos, regista-se ligeira supremacia dos donos da casa, com 3 vitórias contra 2 dos tomarenses, e um empate. Curiosamente, os dois triunfos unionistas ocorreram… nas duas épocas mais recentes, sendo que a turma de Ourém não ganha desde a temporada de 2012-13. O União estará avisado dos riscos que corre, não devendo, todavia, deixar de assumir maior dose de favoritismo.

O U. Almeirim desloca-se ao Cartaxo – turma que, algo surpreendentemente, teve um arranque positivo, indo ganhar à Ribeira de Santarém. Estes dois clubes apenas se cruzaram, em anos recentes, nas duas últimas épocas, em ambos os casos com a vitória a sorrir aos cartaxeiros. Novo êxito da equipa da casa não deixaria de constituir motivo de algum espanto, dada a aparente disparidade entre o potencial de ambas as formações no presente campeonato.

Depois da “entrada em falso”, com o empate cedido em casa – mas, obviamente, ainda com tempo mais que suficiente para reverter o impacto desse resultado –, o Samora Correia visita os Riachos, para defrontar uma equipa que também não começou bem o campeonato, tendo sofrido um desaire no “derby” torrejano, pese embora por marca tangencial. Há apenas registo de um encontro entre ambos os clubes, precisamente no ano passado. Se, na altura, causou surpresa a vitória dos samorenses, tal desfecho afigura-se, agora, bem mais expectável.

Por fim, no lote dos quatro principais candidatos, o Mação, que iniciou a competição com uma goleada sobre o At. Ouriense, perfila-se como favorito na visita a Abrantes, para defrontar a U. Abrantina, mas a rivalidade entre os dois emblemas poderá fazer com que os “donos da casa” se superem e possam, eventualmente, provocar alguma surpresa. Nas três vezes que estas equipas se cruzaram nos últimos anos, os maçaenses ganharam dois jogos, tendo empatado o último deles, há dois anos.

Partilhando a liderança com o grupo de Mação surge, após a jornada inicial, o Amiense (tendo batido, também por 4-0, a U. Abrantina), viaja até à Moçarria, enfrentando uma saída a um campo tradicionalmente difícil, onde, não obstante, em três deslocações, ganhou também por duas vezes, antes de ser, inesperadamente, goleado por 4-1, há duas épocas. Hoje, teremos aqui um jogo de “tripla”, sem claro favorito de qualquer das partes.

Nas Fazendas de Almeirim, o Fazendense, com uma entrada em prova bem mais positiva que o seu adversário desta tarde, Empregados do Comércio (que começou mal, com um desaire caseiro), apresenta-se como claro favorito, pelo menos em teoria, conforme, aliás, é confirmado pelo historial de confrontos entre os dois clubes. Nas quatro vezes em que se defrontaram no campeonato, o Fazendense ganhou três desafios, apenas tendo perdido um único encontro.

A partida que completa esta jornada opõe, em Ferreira do Zêzere, os ferreirenses ao Torres Novas, num embate sem qualquer histórico recente, em que o empate se afigura plausível, dado o equilíbrio que se pode antecipar entre ambos os contendores, atendendo nomeadamente ao facto de a partida decorrer no ambiente dos ferreirenses. Tal como o confronto da Moçarria, este desafio apresenta-se teoricamente repartido, sem um favorito inequívoco

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 24.09.2017)

Está de regresso o Campeonato Distrital da I Divisão da Associação de Futebol de Santarém, retomando-se aqui também, na Rádio Hertz, este espaço, no qual, semanalmente, são apresentadas algumas pistas de antevisão da jornada.

Numa edição da prova que se antecipa possa ser mais aberta que as três anteriores, nas quais se prenunciava, logo à partida, um claro candidato ao título, que acabaria por vir a confirmar tal tendência, perfila-se, na presente temporada, um lote de quatro clubes, que, atendendo ao respectivo histórico, assim como às movimentações de pré-temporada, se colocam na linha de partida como principais pretendentes ao lugar cimeiro do pódio, com perspectivas de êxito relativamente repartidas.

Desde logo, para começar, o União de Tomar (3.º classificado na época anterior, vindo de uma sequência de três lugares no pódio nos últimos três anos), mas, também, o Samora Correia (5.º classificado), assim como o Mação (8.º classificado, mas sempre um “eterno” candidato) e U. Almeirim (9.º classificado), plantéis que se reforçaram em quantidade e em qualidade.

Mas, num leque de formações sempre equilibradas, há mais um conjunto de equipas que disputarão certamente os lugares cimeiros, espreitando a possibilidade de poder chegar um pouco mais além, como são os casos do At. Ouriense (10.º classificado no ano anterior), Amiense (4.º), Fazendense (6.º) e Torres Novas (7.º), sempre valores seguros nesta competição entre os principais clubes do Distrito.

Previsivelmente com aspirações mais limitadas estarão o Riachense (apesar de ter sido o vice-campeão), o Cartaxo e os Empregados do Comércio, assim como os três clubes promovidos do escalão secundário, Moçarriense, U. Abrantina e Ferreira do Zêzere, os quais terão, em primeira análise, e como meta fundamental, a estabilização e o alcançar, tão cedo quanto possível, da tranquilidade da manutenção.

Avançando para a antevisão da jornada inaugural, começamos logo por ter a reedição do “derby” do município de Torres Novas, com o clube torrejano a receber, curiosamente tal como sucedeu na abertura do campeonato anterior, o rival Riachense. Pese embora o historial recente aponte para dois triunfos dos visitantes, os donos da casa apresentam-se, desta feita, como favoritos, pelo que a acontecer outro resultado que não a vitória do Torres Novas tal não deixaria de constituir surpresa.

Em Tomar, o União terá a visita do também vizinho Ferreira do Zêzere (reforçado com alguns elementos do plantel unionista do ano passado, casos do guardião Telmo Rodrigues e de Tiago Vieira, num regresso ao principal escalão, após interregno de oito temporadas), datando portanto o último encontro entre ambos, para o campeonato principal, já da distante época de 2008-09, tendo os tomarenses ganho então por 2-0, tal como, aliás, sucedera em 2006-07.

Estes dois clubes têm-se cruzado mais recentemente em jogos da Taça do Ribatejo, sempre com vitória nabantina, por 1-0 na temporada passada, 4-2 em 2014-15 e 3-0 em 2012-13. Não deixando de ter atenção aos perigos que poderá enfrentar, o União apresenta-se como claro favorito.

Em Mação, defrontam-se dois clubes com fundadas aspirações a um bom desempenho nesta prova, com os maçaenses a receber o At. Ouriense. Nos últimos anos, em nove jogos, a formação de Ourém não conseguiu melhor que três empates, tendo perdido por seis vezes, entre elas as três partidas mais recentes. Apesar desta tendência, não é de excluir a hipótese de o At. Ouriense conseguir pontuar…

Noutro desafio sempre aliciante, entre duas das melhores equipas do sul do Distrito, o Samora Correia defronta o Fazendense, procurando repetir o triunfo da época passada (2-0). Antes disso, é necessário recuar já a 2010-11, tendo sido então a turma das Fazendas a vencer por marca tangencial.

O Amiense encontra, na estreia no campeonato, no seu reduto, a formação da U. Abrantina (outro recém-promovido), com um registo de duas vitórias para a equipa da casa e um empate, nos últimos encontros entre ambos, sendo de prever que se possa manter a tendência.

Também promovido do escalão secundário, de que, aliás, se sagrou categórico Campeão na temporada anterior, o Moçarriense desloca-se a Almeirim, onde defrontará um dos principais candidatos aos lugares de topo deste campeonato, o União local. Na I Divisão Distrital, as duas equipas encontraram-se, em anos recentes, apenas por uma vez, há duas épocas, então com claro triunfo dos almeirinenses, por 5-2. São novamente favoritos esta tarde.

Por fim, na Ribeira de Santarém, defrontam-se os dois clubes que, na época passada, ficaram à beira da despromoção, imediatamente acima da “linha de água”, Empregados do Comércio e Cartaxo, que, este ano, pretenderão evitar o repetir de tais aflições. Nas quatro vezes em que se encontraram na I Divisão, apenas um triunfo dos donos da casa, um empate e duas vitórias dos cartaxeiros, nos dois últimos anos. Poderá, possivelmente, haver nova repartição de pontos…

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 17.09.2017)

Página seguinte »