Taça Portugal


Sp. Braga – Benfica – 2-0

O Sp. Braga sagrou-se vencedor da 81.ª edição da Taça de Portugal, conquistando o troféu pela 3.ª vez no seu historial.

É o seguinte o palmarés da competição:

Benfica – 26
Sporting – 17
FC Porto – 17
Boavista – 5
V. Setúbal, Belenenses e Sp. Braga – 3
Académica – 2
V. Guimarães, Leixões, Beira-Mar, E. Amadora e D. Aves – 1

                                   2ª mão           1ª mão           Total
FC Porto - Sp. Braga (03.03.2021)    2-3              1-1             3-4
Benfica - Estoril                    2-0              3-1             5-1

Sp. Braga e Benfica garantiram o apuramento para a Final da Taça de Portugal, no que constituirá uma final inédita entre os dois clubes.

Sp. Braga (I) – FC Porto (I) – 1-1 (10.02.2021)
Estoril (II) – Benfica (I) – 1-3

Benfica (I) – B SAD (I) – 3-0 (28.01.2021)
Gil Vicente (I) – FC Porto (I) – 0-2
Marítimo (I) – Estoril (II) – 1-1 (1-3 a.p.) (27.01.2021)
Sp. Braga (I) – Santa Clara (I) – 2-1

O alinhamento das meias-finais (eliminatória a disputar a duas mãos), previamente sorteado, será o seguinte:

Sp. Braga (I) – FC Porto (I)
Estoril (II) – Benfica (I)

Fafe (CP) – B SAD (I) – 2-2 (2-3 a.p.) (14.01.2021)
C. F. Estrela Amadora (CP) – Benfica (I) – 0-4
Rio Ave (I) – Estoril (II) – 1-2
Sp. Braga (I) – Torreense (CP) – 5-0 (13.01.2021)
Marítimo (I) – Sporting (I) – 2-0 (11.01.2021)
Moreirense (I) – Santa Clara (I) – 1-2
Gil Vicente (I) – Ac. Viseu (II) – 2-2 (3-2 a.p.) (14.01.2021)
Nacional (I) – FC Porto (I) – 2-2 (2-4 a.p.)

O alinhamento dos 1/4 de final, previamente sorteado, será o seguinte:

Benfica (I) – B SAD (I)
Gil Vicente (I) – FC Porto (I)
Marítimo (I) – Estoril (II)
Sp. Braga (I) – Santa Clara (I)

E, nas meias-finais, teremos:

Sp. Braga (I)/Santa Clara (I) vs. Gil Vicente (I)/FC Porto (I)
Marítimo (I)/Estoril (II) vs. Benfica (I)/B SAD (I)

Estoril (II) – Boavista (I) – 2-1
Fontinhas – Fafe – 1-1 (1-1 a.p.) (3-4 g.p.)
Sporting (I) – Paços de Ferreira (I) – 3-0
Montijo – Sp. Braga (I) – 0-7 (14.12.2020)
Nacional (I) – Leixões (II) – 3-1 (23.12.2020)
Benfica (I) – Vilafranquense (II) – 5-0
B SAD (I) – Sp. Espinho – 0-0 (3-0 a.p.) (23.12.2020)
Anadia – C. F. Estrela Amadora – 0-1 (14.12.2020)
Rio Ave (I) – Famalicão (I) – 2-1
U. Leiria – Gil Vicente (I) – 0-3 (23.12.2020)
FC Porto (I) – Tondela (I) – 2-1
Marítimo (I) – Salgueiros – 1-1 (2-1 a.p.) (23.12.2020)
V. Guimarães (I) – Santa Clara (I) – 0-1
Ac. Viseu (II) – Académica (II) – 3-0
Torreense – Amora – 1-0 (14.12.2020)
Cova Piedade (II) – Moreirense (I) – 1-1 (2-3 a.p.)

Arouca (II) – V. Guimarães (I) – 0-0 (6-7 g.p.)
Real – B SAD (I) – 0-2 (23.11.2020)
Felgueiras – Tondela (I) – 0-1
Monção* – Rio Ave (I) – 1-2
U. Leiria – Portimonense (I) – 1-0
Sacavenense – Sporting (I) – 1-7 (23.11.2020)
Paredes – Benfica (I) – 0-1
Penafiel (II) – Marítimo (I) – 2-2 (2-3 a.p.) (23.11.2020)
Trofense – Sp. Braga (I) – 1-2
Oliveirense – Paços Ferreira (I) – 0-4
G. D. Fabril – FC Porto (I) – 0-2
Oriental – Famalicão (I) – 0-3
Beira Mar – Santa Clara (I) – 1-3
Vizela (II) – Boavista (I) – 0-0 (0-1 a.p.)
Casa Pia (II) – Nacional (I) – 1-1 (2-3 a.p.) (25.11.2020)
Merelinense – Moreirense (I) – 0-1
Oleiros – Gil Vicente (I) – 0-0 (2-4 g.p.)
C. F. Estrela Amadora – Farense (I) – 2-0 (03.12.2020)
Estoril (II) – Lusitano Évora – 5-0 (09.12.2020)
Vilafranquense (II) – Sanjoanense – 2-1 (09.12.2020)
Montalegre – Ac. Viseu (II) – 2-3
Vilaverdense – Montijo – 2-3
Anadia – Pinhalnovense – 2-1
Académica (II) – Varzim (II) – 1-0 (23.11.2020)
Oriental Dragon – Leixões (II) – 0-0 (3-4 g.p.)
Feirense (II) – Amora – 0-1
Sp. Espinho – Gondomar – 2-1
Limianos* – Fontinhas – 1-2
Salgueiros – Sp. Covilhã (II) – 2-1 (23.11.2020)
Marinhense – Cova Piedade (II) – 1-1 (3-5 g.p.)
Torreense – Alverca – 2-0
Fafe – Vilar Perdizes* – 5-1

Juventude – Académica (II) – 1-3
Câmara Lobos – Vizela (II) – 0-2
Sesimbra* – Oliveirense (II) – 1-4
Sp. Espinho – Chaves (II) – 1-0
GRAP – Cova Piedade (II) – 1-4
U. Montemor* – Feirense (II) – 0-2
Caldas – Sp. Covilhã (II) – 1-1 (4-5 g.p.)
Esp. Lagos – Penafiel (II) – 1-3
Vidago – Vilafranquense (II) – 1-5
Fontinhas – Mafra (II) – 1-0
Estudantes Africanos Bragança* – Arouca (II) – 0-5
V. Setúbal – Ac. Viseu (II) –  0-1 (28.10.2020)
Vila Real – Casa Pia (II) – 2-3
Sertanense – Estoril (II) – 0-4
Sta. Marta Penaguião* – Leixões (II) – 1-5
Rebordelo* – Varzim (II) – 1-3 (28.10.2020)
S. Martinho – Paredes – 1-2
Vilaverdense – U. Santarém – 1-1 (5-4 g.p.) (28.10.2020)
Limianos* – Aljustrelense – 1-1 (2-1 a.p.)
Sp. Ideal – Merelinense – 0-0 (3-4 g.p.)
Felgueiras – Valadares Gaia – 2-1 (28.10.2020)
Montalegre – Vila Cortez Mondego – 3-1
Cerveira – Oriental – 0-2
Portomosense* – Real – 0-3
1.º Dezembro – U. Leiria – 1-2
Tirsense – Montijo – 2-3 (21.10.2020)
C. F. Estrela Amadora – Lusitano Vildemoinhos – 2-0
Moncarapachense – Anadia – 1-2
Alverca – Camacha – 2-1
Ançã* – Sacavenense – 2-2 (3-4 g.p.)
Sanjoanense – Canelas – 0-0 (4-2 g.p.)
Pêro Pinheiro – Fafe – 0-1
S. João de Ver – Marinhense – 0-0 (0-1 a.p.)
Trofense – Águeda – 4-2
Oleiros – Mirandela – 3-2
U. Idanhense* – Torreense – 0-8
Pedras Rubras – Salgueiros – 2-3 (11.11.2020)
Moura – Beira-Mar – 0-2
V. Sernache – G. D. Fabril – 0-2
Lusitano Évora – Mortágua – 1-1 (2-1 a.p.)
Carapinheirense – Pinhalnovense – 0-2
Ovarense* – Oriental Dragon – 1-1 (1-2 a.p.)
Vianense – Vilar Perdizes* – 0-1
Amora – Ferreiras – 0-0 (1-0 a.p.)
Monção* – Barreirense* – 2-0
Loures – Gondomar – 0-2

Na próxima eliminatória (1/32 final), os (18) participantes da I Liga juntam-se aos 46 apurados desta 2.ª eliminatória.

(“O Templário”, 01.10.2020)

Depois de uma época abortada – na qual não foi possível concluir a generalidade das competições –, e com algum atraso em relação ao calendário habitual, arrancou a nova temporada futebolística, por agora restringida ao escalão de seniores (não sendo previsível, por precaução, e em função das restrições de saúde pública vigentes, antecipar a oportunidade do recomeço da prática desportiva competitiva ao nível das camadas jovens, de formação).

No passado fim-de semana teve início mais uma edição (a 81.ª) da designada “prova-rainha”, a Taça de Portugal, contando com a participação de cinco clubes do Distrito: Fátima, U. Almeirim e U. Santarém (a militar no Campeonato de Portugal) e Fazendense e U. Tomar (representantes da Associação de Futebol de Santarém, na condição, respectivamente, de 2.º classificado do Distrital e de semi-finalista da Taça do Ribatejo, à data da suspensão de tais competições).

Actuando em cenários ainda despidos de público, impedindo o ambiente de festa que caracteriza este torneio, e numa verdadeira “tarde não”, as equipas que entraram já em campo (sendo que Fazendense e U. Santarém adiaram os seus compromissos, para o próximo dia 7 de Outubro) foram, todas elas, eliminadas logo na ronda de abertura, tendo sofrido, cada uma, nada menos de três golos, com os nabantinos a serem os únicos que deram efectiva réplica ao antagonista.

Destaque – Ainda assim, tendo o União sido derrotado, em Tomar, por tangencial 2-3, ante o Portomosense (3.º classificado no Distrital de Leiria na ocasião da interrupção do campeonato), o jogo viria a traduzir-se na mostra mais cabal dessa “tarde não”, em que tudo saiu mal, no “pontapé de saída” de uma época em que são grandes as expectativas acalentadas pelo clube e seus adeptos, com objectivos ambiciosos, mercê de um atempado trabalho de reforço do plantel.

Frente a um adversário perante o qual os visitados tinham tudo para poder seguir em frente – atendendo às vicissitudes evidenciadas pelo grupo de Porto de Mós, tardiamente (re)constituído e em atrasado processo de preparação – o U. Tomar praticamente “entrou a perder”, vendo-se em inferioridade numérica logo aos 2 minutos de jogo! Em função de uma rigorosa expulsão, contando com os períodos de compensação, foram mais de 90 minutos a jogar 10 contra 11…

Apesar de fortemente condicionados por esse factor, os unionistas começaram por reagir bem a tal contrariedade, assumindo a iniciativa, controlando o jogo, e tendo beneficiado mesmo de uma soberana oportunidade para inaugurar o marcador, na sequência de uma grande penalidade, contudo com o guardião contrário a ter excelente intervenção, na preservação da sua baliza, a dois tempos (tendo a bola desferido um efeito caprichoso após a defesa inicial), a negar o golo.

Com o “vento a soprar” a seu favor, o Portomosense começou a acreditar que poderia obter desfecho positivo, vindo a colocar-se em vantagem, na conversão de outra grande penalidade, a sancionar um sempre controverso contacto com o braço, após remate a curta distância.

E, num frenético final de primeira parte (já expirados os 45 minutos regulamentares), os visitantes ampliariam a contagem, numa rápida transição, com o marcador do golo a “empurrar” a bola praticamente em cima da linha da baliza, num lance que deixou também bastantes dúvidas sobre a regularidade do seu posicionamento; paradoxalmente, haveria ainda tempo, antes do intervalo, para o U. Tomar reduzir a desvantagem, para 1-2, no que se esperava pudesse constituir tónico determinante para a segunda metade.

No regresso das cabinas, a história como que se repetiria, com os nabantinos a desperdiçarem segunda (!) grande penalidade, desta feita por “excesso de pontaria”, com a bola a embater com estrondo na base do poste, já com o guarda-redes fora do lance. E, quase de imediato, em mais um momento de alguma desconcentração, o Portomosense a dilatar o “placard”, para 3-1.

Não desistindo nunca, continuando a porfiar, o União voltaria a restabelecer a diferença mínima, reduzindo para 2-3. Restavam ainda (considerando o tempo de compensação) cerca de 15 minutos, mas, até final, pese embora ter empurrado o adversário para a zona defensiva, jogando-se já mais “com o coração”, faltaria alguma serenidade e uma “pontinha de sorte” para, pelo menos, concretizar uma de entre um par de claras ocasiões de golo de que dispôs (com o guardião de Porto de Mós, com soberba intervenção, “in extremis”, praticamente no derradeiro lance do desafio, a salvar a sua equipa do prolongamento – no qual, a verificar-se, não deixariam de se fazer sentir, ainda com maior acuidade, as dificuldades físicas do seu “onze”).

Em síntese, um desfecho absolutamente inglório para os tomarenses, nesta fase a evidenciar um potencial muito superior ao do adversário, mas que, em função de algumas falhas próprias, a par de uma boa dose de infelicidade – num dia em que os “astros se parecem ter alinhado” em seu desfavor (com a expulsão logo a abrir, as duas grandes penalidades desperdiçadas, para além de alguns lances em que subsistiu a dúvida) – não conseguiram materializar tal ascendente.

Por sua vez, o Fátima (a atravessar gravíssimos problemas, batido em “casa emprestada”, pelo Oleiros) e o U. Almeirim (derrotado em Torres Vedras, pelo Torreense) registaram categóricos desaires (0-3) que ditaram também o consequente afastamento da prova.

Antevisão – Finda esta (curta) passagem pela competição de índole nacional – apesar de tudo, com boa resposta do grupo em termos de atitude perante a adversidade e de que deverão retirar-se alguns ensinamentos – o U. Tomar terá agora de se focar no seu objectivo primordial, desde logo, com as difíceis rondas iniciais do Campeonato Distrital (recepção ao Cartaxo na estreia, no próximo Domingo, deslocações a Mação e à Moçarria, nas semanas imediatas).

Para além do confronto entre dois dos clubes com maiores ambições (U. Tomar e Cartaxo – integrando um lote amplo de candidatos aos lugares cimeiros, que integra também, principalmente, as formações do Fazendense, Coruchense, Mação e Abrantes e Benfica), destacam-se, na jornada inaugural, o Ferreira do Zêzere-Abrantes e Benfica e o Moçarriense-Mação, assim como o encontro entre dois históricos: Torres Novas-Samora Correia.

Coruchense (recebendo o Rio Maior) e Fazendense (em deslocação aos Riachos) são claros favoritos a entrar a ganhar, num campeonato esta época alargado – de forma inédita – a 18 clubes, mas que principiará já “coxo”, dada a entretanto anunciada desistência do Pego.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 1 de Outubro de 2020)

P.S. Já após o fecho da edição de “O Templário”, e dada também a desistência do Pontével, a Associação de Futebol de Santarém procedeu a rearranjo do calendário do campeonato, retomando apenas 16 clubes concorrentes, portanto, com 30 jornadas, tendo, sempre que possível, mantido o alinhamento dos jogos que haviam sido sorteados para a 1.ª jornada (excepto nos casos dos clubes que estava previsto defrontarem o Pego e o Pontével, ou seja, o Entroncamento AC e o Amiense – sendo que a equipa da cidade ferroviária se desloca agora a Mação, enquanto a formação de Amiais de Baixo visita a Moçarria, pelo que o previsto encontro entre Mação e Moçarriense foi reagendado para ronda posterior).

Série A
Berço-Vilaverdense – 1-2
Amares*-Vianense – 0-1
Bragança-Limianos* – 0-1
Caçadores Taipas*-Fafe – 0-3
Maria da Fonte-Montalegre – 1-2
Cerveira-Brito – 2-0
Águia Vimioso-Mirandela – 1-1 (1-2 a.p.)

Série B
Felgueiras-D. Aves – 3-0 (VFC)
S. Martinho-Pevidém – 0-0 (2-0 a.p.)
Porto da Cruz*-Camacha – 1-4
U. Madeira-Tirsense – 0-5 (07.10.2020)
Pedras Rubras-Amarante – 1-1 (2-1 a.p.)
Vila Real-Mondinense – 0-0 (1-0 a.p.)
Trofense-Vila Meã* – 0-0 (7-6 g.p.)

Série C
Coimbrões-Valadares Gaia – 1-2
Gondomar-Sp. Mêda* – 7-0
Sta. Marta Penaguião*-Cinfães* – 2-0
S. João de Ver-Lusitânia Lourosa – 1-0
Paredes-Castro Daire – 1-0
Câmara Lobos-Leça – 2-1
Canelas-Foz* – 2-0

Série D
Calvão*-Carapinheirense – 0-1
Lusitano Vildemoinhos-Águias Moradal* – 0-0 (6-5 g.p.)
Ferreira das Aves*-Sanjoanense – 0-1
Beira-Mar-Oliveira Hospital – 1-0
Aguiar da Beira*-Vila Cortez Mondego – 1-4
Ançã*-Tocha* – 3-1
Anadia-Condeixa – 0-0 (2-0 a.p)

Série E
Fátima-Oleiros – 0-3
Sertanense-B. C. Branco – 1-0
Portalegrense*-Marinhense – 0-11
U. Tomar*-Portomosense* – 2-3
Crato*-U. Leiria – 0-4
GRAP-Alqueidão Serra* – 2-1
Alcains-V. Sernache – 2-2 (3-4 g.p.)

Série F
Ericeirense*-Loures – 0-3 (07.10.2020)
Fazendense*-1.º Dezembro – 0-2 (07.10.2020)
Pêro Pinheiro-Praiense – 0-0 (1-0 a.p.)
Alverca-Guadalupe* – 3-0 (VFC)
Lourinhanense-U. Santarém0-0 (1-0 a.p.) (21.10.2020) – Lourinhanense sancionado com derrota por 0-3, por utiliização irregular de jogador
Sacavenense-Sintrense – 2-0
Torreense-U. Almeirim – 3-0

Série G
G. D. Fabril-Rabo de Peixe – 2-0
Real-Lusitânia Açores* – 3-0 (VFC)
Sp. Ideal-Vale Formoso* – 4-0
S. Roque*-C. F. Estrela Amadora – 0-3
Oriental Dragon-Fayal* – 3-0 (VFC)
Barreirense*-Madalena* – 3-0 (VFC)
Pinhalnovense-Atlético* – 2-0

Série H
Olhanense-Lusitano Évora – 0-2
Ferreiras*-Louletano – 2-2 (4-2 g.p.) (07.10.2020)
Moura-Culatrense* – 2-0 (05.10.2020)
Aljustrelense-Praia Mil Fontes* – 0-0 (1-0 a.p.)
Lusitano Évora* (clube)Moncarapachense – 0-0 (3-4 g.p.)
Vasco Gama Vidigueira*-Juventude – 1-1 (1-2 a.p.)

Ficaram isentos da 1.ª eliminatória, por sorteio, os seguintes 21 clubes: Águeda, Amora, Caldas, Esp. Lagos, Estudantes Africanos Bragança*, Fontinhas, Merelinense, Monção*, Montijo, Mortágua, Oriental, Ovarense*, Rebordelo*, Salgueiros, Sesimbra*, Sp. Espinho, U. Idanhense*, U. Montemor*, V. Setúbal, Vidago e Vilar Perdizes*.

Tal como em edições anteriores, a competição será disputada em 7 eliminatórias sucessivas até à Final. Na 2.ª eliminatória, os 16 participantes da II Liga (excluindo-se as equipas B de Benfica e FC Porto) juntam-se aos apurados da 1.ª eliminatória (os 55 vencedores, mais 21 clubes isentos). Na 3.ª eliminatória (1/32 final), os (18) participantes da I Liga juntam-se aos apurados da 2.ª eliminatória (46).

U. TOMAR – Ivo Cristo, David Vieira (58m – Tiago Luzio), Fábio Vieira, Siaka Bamba, Bruno Araújo, João Martins, Luís Alves (81m – Miguel Abreu), Fábio Luzio (45m – Leandro Filipe), Hélio Ocante (58m – Chrystian Pedroso), Tiago Vieira e Cláudio Major (90m – Filipe Cotovio)

(suplentes – João Ribeiro e Douglas Pissona)

PORTOMOSENSE – João Monteiro, Luís Lagoa, Trindade, Igor Monteiro, Alex Silvério (57m – Yacine Kalda), Rodolfo Simões, Rica (c.) (83m – João Faustino), Caio Prado, Vieirinha, Dany Marques e Pedro Emanuel

0-1 – Pedro Emanuel (pen.) – 34m
0-2 – Dany Marques – 45m (+1)
1-2 – Cláudio Major – 45m (+2)
1-3 – Pedro Emanuel – 55m
2-3 – Tiago Vieira – 81m

Cartões amarelos – Siaka Bamba (73m), Leandro Filipe (77m) e Miguel Abreu (90m); Igor Monteiro (45m), Caio Prado (61m) e Trindade (74m)

Cartão vermelho – João Martins (2m)

Árbitro – André Castro (Aveiro)

Realizou-se esta tarde o sorteio dos jogos da 1.ª eliminatória da Taça de Portugal da temporada de 2020-21, agendados para o próximo dia 27 de Setembro, envolvendo os clubes participantes no Campeonato de Portugal (num total de 88 – excluindo-se “Os Armacenenses” – que desistiu daquela competição –, o Pedras Salgadas e as equipas B, de B SAD, Marítimo, Rio Ave, Sp. Braga, Sporting e V. Guimarães), assim como as 43 equipas apuradas dos Distritais (*). Nesta eliminatória inicial ficarão isentos 21 clubes, pelo que serão disputados 55 jogos.

Série A
Berço-Vilaverdense
Amares*-Vianense
Bragança-Limianos*
Caçadores Taipas*-Fafe
Maria da Fonte-Montalegre
Cerveira-Brito
Águia Vimioso-Mirandela

Série B
Felgueiras-D. Aves
S. Martinho-Pevidém
Porto da Cruz*-Camacha
U. Madeira-Tirsense
Pedras Rubras-Amarante
Vila Real-Mondinense
Trofense-Vila Meã*

Série C
Coimbrões-Valadares Gaia
Gondomar-Sp. Mêda*
Sta. Marta Penaguião*-Cinfães*
S. João de Ver-Lusitânia Lourosa
Paredes-Castro Daire
Câmara Lobos-Leça
Canelas-Foz*

Série D
Calvão*-Carapinheirense
Lusitano Vildemoinhos-Águias Moradal*
Ferreira das Aves*-Sanjoanense
Beira-Mar-Oliveira Hospital
Aguiar da Beira*-Vila Cortez Mondego
Ançã*-Tocha*
Anadia-Condeixa

Série E
Fátima-Oleiros
Sertanense-B. C. Branco
Portalegrense*-Marinhense
U. Tomar*-Portomosense*
Crato*-U. Leiria
GRAP-Alqueidão Serra*
Alcains-V. Sernache

Série F
Ericeirense*-Loures
Fazendense*-1.º Dezembro
Pêro Pinheiro-Praiense
Alverca-Guadalupe*
Lourinhanense-U. Santarém
Sacavenense-Sintrense
Torreense-U. Almeirim

Série G
G. D. Fabril-Rabo de Peixe
Real-Lusitânia Açores*
Sp. Ideal-Vale Formoso*
S. Roque*-C. F. Estrela Amadora
Oriental Dragon-Fayal*
Barreirense*-Madalena*
Pinhalnovense-Atlético*

Série H
Olhanense-Lusitano Évora
Ferreiras*-Louletano
Moura-Culatrense*
Aljustrelense-Praia Mil Fontes*
Lusitano Évora* (clube)-Moncarapachense
Vasco Gama Vidigueira*-Juventude

Ficaram isentos da 1.ª eliminatória, por sorteio, os seguintes 21 clubes: Águeda, Amora, Caldas, Esp. Lagos, Estudantes Africanos Bragança*, Fontinhas, Merelinense, Monção*, Montijo, Mortágua, Oriental, Ovarense*, Rebordelo*, Salgueiros, Sesimbra*, Sp. Espinho, U. Idanhense*, U. Montemor*, V. Setúbal, Vidago e Vilar Perdizes*.

Tal como em edições anteriores, a competição será disputada em 7 eliminatórias sucessivas até à Final. Na 2.ª eliminatória, os 16 participantes da II Liga (excluindo-se as equipas B de Benfica e FC Porto) juntam-se aos apurados da 1.ª eliminatória (os 55 vencedores, mais 21 clubes isentos). Na 3.ª eliminatória (1/32 final), os (18) participantes da I Liga juntam-se aos apurados da 2.ª eliminatória (46).

De acordo com publicação no site da Associação de Futebol de Santarém o União de Tomar será um dos clubes representantes do Distrito na próxima edição da Taça de Portugal, prova ém que registará a sua 37.ª participação:

U. Almeirim Sad, Fazendense e U. Tomar juntam-se às equipas do nosso distrito que já estão nas provas nacionais e têm acesso garantido à Taça de Portugal.

A Associação de Futebol de Santarém indicou o U. Almeirim Sad, como primeiro classificado da 1.ª Divisão Distrital, Fazendense como segundo e ainda por mérito o U. Tomar. Os nabantinos estavam em vantagem no final da primeira mão das meias finais da Taça do Ribatejo, depois de vencerem o jogo em Samora.

Sporting – FC Porto – 2-2 (5-4 g.p.)

O Sporting sagrou-se vencedor da 79.ª edição da Taça de Portugal, conquistando o troféu pela 17.ª vez no seu historial.

É o seguinte o palmarés da competição:

Benfica – 26
Sporting – 17
FC Porto – 16
Boavista – 5
V. Setúbal e Belenenses – 3
Sp. Braga e Académica – 2
V. Guimarães, Leixões, Beira-Mar, E. Amadora e D. Aves – 1

                                   2ª mão           1ª mão           Total
Sporting - Benfica                   1-0              1-2             2-2
Sp. Braga - FC Porto                 1-1              0-3             1-4

Sporting e FC Porto garantiram o apuramento para a Final da Taça de Portugal, a disputar no Estádio do Jamor.

Página seguinte »