Vídeo


Anúncios


Exm.º Senhor Presidente da Assembleia Municipal de Tomar, Dr. José Pereira;

Exm.º Senhor Vice-Presidente da Câmara Municipal de Tomar, Dr. Hugo Cristóvão;

Exm.º Senhor Presidente da União de Freguesias de Tomar – São João Baptista e Santa Maria dos Olivais, Sr. Augusto Barros;

Exm.º Presidente da Associação de Futebol de Santarém, Eng.º Francisco Jerónimo;

Exm.º Presidente da Direcção do União de Tomar, Sr. Abel Bento, e restantes elementos da Direcção;

Caros sócios, atletas, técnicos, minhas senhoras e meus senhores. Serão breves as palavras que, nesta ocasião, tenho para vos dirigir.

Começo por saudar e agradecer, em nome do União de Tomar, a vossa presença neste jantar comemorativo do 104.º aniversário do nosso clube.

Depois da marca histórica do centenário, decorreram, portanto, já quatro anos, em que o nosso clube prossegue, no dia-a-dia, a afirmação da sua vitalidade.

Neste período, o União de Tomar apresta-se para, pela quarta vez consecutiva, se posicionar no pódio, na I Divisão Distrital: depois de ter sido vice-campeão em 2015, e de dois 3.º lugares, em 2016 e em 2017, a nossa equipa de futebol sénior poderá repetir a condição de vice-campeão, caso vença o jogo da derradeira jornada, amanhã, em Tomar.

Nos últimos dez anos, esta é a sexta vez que o União obtém um lugar de honra, entre os quatro primeiros classificados do campeonato; a confirmar-se o 2.º lugar – uma meta de grande importância –, será, pela terceira vez, vice-campeão distrital.

Não tendo sido ainda possível alcançar o objectivo maior, da conquista do título de Campeão, e do regresso aos campeonatos nacionais – posição que deveria ser a nossa –, a persistência na obtenção de lugares cimeiros faz-nos acreditar que tal será uma questão de tempo e que, mais cedo que tarde, voltaremos a ter essa alegria.

Mas, independentemente do resto, a presente temporada é já histórica: à 19.ª participação na competição, o União de Tomar conseguiu, pela primeira vez no seu longo historial, o apuramento para a Final da Taça do Ribatejo, a disputar no próximo dia 13 de Maio – de amanhã a uma semana –, em que temos a esperança de poder voltar a festejar um título, o que constituiria um justo prémio ao esforço de todo o grupo.

Paralelamente, temos, desde já, garantido o regresso a uma competição de índole nacional, a Taça de Portugal, na qual o União registará a sua 36.ª presença.

Ainda no futebol, uma palavra de agradecimento e de felicitações é igualmente devida à nossa equipa de juniores, que, dignificando o nome do clube, concluiu também o campeonato do seu escalão no 2.º lugar, sendo, portanto, igualmente vice-campeã distrital.

Para além do futebol, o União de Tomar prossegue, desde há vários anos, o excelente trabalho que vem sendo desenvolvido na sua secção de atletismo, lançando bases para o futuro, já galardoado com um notável rol de títulos de campeão no âmbito distrital, regional, e, inclusivamente, nacional!

Só nos últimos 12 meses, desde Maio de 2017, merecem destaque especial os seguintes atletas:

  • Carlota Gonçalves (com um total de 5 títulos: 2 de campeã nacional de juvenis, no salto com vara, ao ar livre e em pista coberta; 3 de campeã distrital, nos escalões de juniores e de juvenis);
  • Margarida Mota (duas vezes vice-campeã nacional em salto em altura, em pista coberta, nos escalões de juniores e de juvenis; para além de 6 títulos de campeã distrital, nos escalões de juniores, juvenis e iniciados);
  • Beatriz Guilherme (com um total de 8 títulos de campeã distrital, nos escalões de juniores e de juvenis, sendo campeã distrital absoluta na prova dos 400 metros barreiras);
  • Beatriz Marques (com um total de 4 títulos de campeã distrital, nos escalões de juniores, juvenis e iniciados);
  • Edgar Pereira (com um total de 4 títulos de campeão distrital);
  • Pedro Saldanha (com um total de 4 títulos de campeão distrital de juniores, incluindo um na equipa de estafetas);
  • Sofia Rodrigo (com 2 títulos de campeã distrital absoluta);
  • Afonso Santos (com 2 títulos de campeão distrital, nos escalões de juvenis e iniciados);
  • Pedro Lopes (campeão distrital dos 5.000 metros);
  • Bernardo Vieira (campeão distrital de juvenis);
  • Valdo das Neves (campeão distrital de corta-mato longo, no escalão de veteranos).

Colectivamente, o União de Tomar conquistou também 5 títulos de campeão distrital: de juniores, por equipas, em pista coberta; de estrada, no escalão de seniores; e de corta-mato longo, nos escalões de seniores masculinos e femininos, e de veteranos. A estes galardões somam-se ainda outros 3 títulos de campeão distrital em provas de estafetas.

Têm muitos motivos para estar orgulhosos os responsáveis da secção de atletismo, aos quais endereço os meus parabéns.

A par do desempenho no campo desportivo, o clube continua a privilegiar o seu crescimento sustentado, dentro das condicionantes e limitações em que se enquadra, sendo de realçar o relevante papel de formação de jovens, e não somente no plano desportivo, mas também, principalmente, a nível cívico.

Tal crescimento harmonioso, para padrões mais elevados, que todos ansiamos, depende de nós, sócios e adeptos do clube, e, em termos mais alargados, do apoio que a comunidade tomarense possa aportar a um clube que, no decurso dos seus 104 anos de existência, continua a ser um dos principais embaixadores do nosso município e do nome da cidade de Tomar.

A finalizar estas palavras, entendo ser meu dever, e da maior justiça, evocar aqui o nome de Faustino Luís Moisão Chora, símbolo maior da mística unionista, tendo representado o União de Tomar, como jogador, ao longo de 13 anos, de 1966 a 1979 (dos quais, durante seis temporadas, na I Divisão Nacional) – sendo o jogador do União que maior número de vezes envergou a camisola “rubro-negra”, com cerca de quatro centenas de jogos disputados como jogador, dos quais 152 na I Divisão (de que foi “totalista” em três campeonatos); 177 na II Divisão; e, mais de 30 jogos da Taça de Portugal. Foi, também, treinador do clube, nas épocas de 1976-77, 1977-78 e 1985-86.

Faustino foi, a par de alguns outros seus companheiros, um dos principais responsáveis – desde há mais de quatro décadas –, por me fazer despertar a paixão que continuo a sentir pelo União.

Em meu nome pessoal e do União de Tomar, aqui expresso uma singela homenagem, recordando a sua memória. Seria uma grande satisfação se lhe pudéssemos, em breve, dedicar novas conquistas do União.

Viva o UNIÃO DE TOMAR!

Leonel Vicente

Tomar, 5 de Maio de 2018

(texto completo da mensagem que apresentei no jantar comemorativo do 104.º aniversário do União de Tomar)


(via Rádio Hertz)

Página seguinte »