Distrital


Fazendense – Rio Maior SC – 0-0
Riachense – U. Tomar – 0-2
Torres Novas – Samora Correia – 1-0
Coruchense – Mação – 3-0
Cartaxo – Pego – 3-0
Amiense – Moçarriense – 1-0
Ferreira Zêzere – Glória Ribatejo – 0-1
Abrantes e Benfica – U. Almeirim – 0-2

                       Jg     V     E     D       G       Pt
 1º Cartaxo             1     1     -     -     3 -  0     3
 1º Coruchense          1     1     -     -     3 -  0     3
 3º U. Almeirim         1     1     -     -     2 -  0     3
 3º U. Tomar            1     1     -     -     2 -  0     3
 5º Amiense             1     1     -     -     1 -  0     3
 5º Glória Ribatejo     1     1     -     -     1 -  0     3
 5º Torres Novas        1     1     -     -     1 -  0     3
 8º Fazendense          1     -     1     -     0 -  0     1
 8º Rio Maior SC        1     -     1     -     0 -  0     1
10º Ferreira Zêzere     1     -     -     1     0 -  1     -
10º Noçarriense         1     -     -     1     0 -  1     -
10º Samora Correia      1     -     -     1     0 -  1     -
13º Abrantes e Benfica  1     -     -     1     0 -  2     -
13º Riachense           1     -     -     1     0 -  2     -
15º Mação               1     -     -     1     0 -  3     -
15º Pego                1     -     -     1     0 -  3     -

Melhores marcadores:

1º Samuel Baldé (Cartaxo) – 3
2º João Gabriel (U. Almeirim) – 2

Anúncios

Hertz

Tem hoje início a 96.ª edição do Campeonato Distrital da I Divisão, antecipando-se que este possa vir a ser tão ou mais disputado que a prova da época passada.

Depois de termos tido, no último ano, um, à partida, algo surpreendente Campeão – U. Santarém, que, recorde-se, era recém-promovido da segunda divisão, tendo acumulado, em dois anos, sucessivamente, os dois títulos –, volta a não ser fácil apontar um claro favorito para esta temporada, perfilando-se um grupo de cinco clubes como eventuais pretendentes: às do Mação (despromovido do campeonato nacional), juntam-se as aspirações de Coruchense, União de Almeirim, Cartaxo e União de Tomar.

Isto sem descurar as pretensões de equipas como as do Amiense, Fazendense, Samora Correia ou de outro recém-promovido ao principal escalão, o Abrantes e Benfica, que visarão alcançar uma posição na parte superior da pauta classificativa, num campeonato agora novamente alargado a 16 concorrentes (tendo subido cinco clubes da II Divisão, um deles, Riachense, beneficiando da desistência do At. Ouriense).

Trata-se do retomar de um formato cuja última vez que tinha sido praticado fora na época de 2005-06, há já 14 anos, então com o Cartaxo a conquistar o título, à frente do Fazendense.

Nesta primeira ronda, destaca-se, desde logo, o embate entre Coruchense e Mação, por curiosidade, de entre os participantes da prova nesta temporada, os últimos clubes a sagrarem-se Campeões (respectivamente em 2016-17 e em 2017-18), sendo que o grupo do Sorraia viu, inclusivamente, escapar-se-lhe novo título (que, a ter acontecido, teria sido a sua terceira conquista sucessiva em outras tantas participações na prova) na derradeira jornada da época passada.

Depois de uma experiência mal sucedida no campeonato nacional, os maçaenses pretenderão voltar a afirmar-se a nível distrital. Começam, contudo, por enfrentar um adversário que se tem revelado historicamente difícil: nas quatro ocasiões em que se cruzaram em Coruche, o Coruchense ganhou por três vezes, face a apenas um triunfo do Mação, já em 2012-13. A turma do Sorraia parece ser favorita esta tarde, mas a repartição de pontos é também um cenário possível.

Um outro confronto de interesse será o que opõe o Abrantes e Benfica (Campeão da segunda divisão na época passada, culminando uma fantástica campanha, apenas tendo cedido dois empates em 28 jogos disputados) ao U. Almeirim. Não havendo histórico de encontros entre ambos nos últimos anos, o jogo desta tarde afigura-se de tripla.

Em Torres Novas, os locais recebem a visita do Samora Correia, para um confronto com estatísticas similares às do Coruchense-Mação: três triunfos dos homens da casa, e apenas uma vitória dos samorenses, em 2016-17. Depois de uma temporada muito difícil, em que tiveram de lutar pela manutenção praticamente até à fase derradeira do campeonato, os torrejanos aspirarão a ter uma época mais tranquila, podendo começar a prova com uma vitória.

Outros dois clubes que disputaram a sobrevivência na I Divisão quase até ao fim têm arranque agendado para Ferreira do Zêzere, onde os ferreirenses recebem a turma da Glória do Ribatejo. No campeonato passado, na única vez em que se cruzaram no principal escalão nos últimos anos, o desfecho da partida foi uma igualdade a um golo. Este ano, a reforçada formação da casa surge como favorita a somar os três pontos nesta jornada inaugural.

Tal como sucede no Abrantes e Benfica-U. Almeirim, os restantes quatro desafios colocam frente-a-frente alguns dos melhores classificados do campeonato anterior com os outros quatro recém-promovidos da divisão secundária.

Em Amiais de Baixo, o Amiense, protagonista de uma notável campanha na edição anterior da prova, que chegou a liderar (no final da primeira volta), acabando por fixar-se no 4.º lugar final, recebe uma equipa habituada a estas “andanças”, mas que não tem conseguido manter-se na I Divisão, o Moçarriense – despromovido nas suas últimas três participações no campeonato, em 2013, 2016 e 2018.

Num “derby” municipal, o favoritismo pende na íntegra para os visitados, que ganharam todos os quatro desafios anteriormente disputados em Amiais de Baixo, ante o conjunto da Moçarria.

Aquele que será, porventura, o principal candidato – tal como, aliás, sucedia já no campeonato anterior –, Cartaxo, actua também em casa, sendo visitado pelo Pego, clube que também não conseguiu evitar a despromoção nas suas duas últimas passagens pela I Divisão, em 2011 e em 2017.

Nessas temporadas, verificaram-se resultados díspares no confronto entre estes dois clubes: vitória do Cartaxo por 7-0 em 2010-11, a que se seguiu um empate a uma bola em 2016-17. Esta tarde seria grande a surpresa se os pegachos conseguissem, pelo menos, repetir tal desfecho.

Nas Fazendas de Almeirim encontram-se um clássico do futebol distrital, Fazendense (vai para a sua 14.ª participação no campeonato, nos últimos 15 anos, apenas tendo “falhado” na época em que marcou presença na III Divisão Nacional, em 2007-08), e um novo emblema, o Rio Maior Sport Clube, fundado há apenas três anos – sucedendo ao também histórico União de Rio Maior –, pelo que não há registo de confrontos entre ambos. O favoritismo penderá, também neste caso, para os donos da casa.

A par do Amiense, o União de Tomar tem sido o clube de maior estabilidade na principal divisão do futebol distrital, iniciando a 14.ª temporada consecutiva na prova (partilhando, ambos, um “record” de 17 presenças, nos últimos 18 anos, apenas tendo “falhado” na época de 2005-06).

No “pontapé de saída” deste campeonato, cabe aos unionistas uma sempre difícil deslocação aos Riachos, para defrontar outro clube com grande palmarés (três títulos de Campeão conquistados entre os anos de 2009 e 2012), mas que, entretanto, caíra no segundo escalão, tendo acabado por beneficiar de “repescagem” para regressar ao convívio dos “grandes” do Distrito.

Nas últimas quatro vezes que se encontraram nos Riachos, o União de Tomar apresenta – mercê dos resultados averbados nos anos mais recentes – um registo favorável, de duas vitórias e um empate, face a apenas um triunfo do Riachense, já em 2013. Não tendo uma estreia fácil, os unionistas, que têm enfrentado algumas dificuldades noutros arranques de campeonato, estarão cientes da importância de entrar a ganhar.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 15.09.2019)

Realizou-se esta noite o sorteio do Campeonato Distrital da I Divisão da época 2019-20, o qual terá início no próximo dia 15 de Setembro, mantendo o formato dos seis anos anteriores, no tradicional sistema de “todos contra todos”, numa única fase, mas agora alargado a 16 clubes, portanto com 30 jornadas. É o seguinte o alinhamento dos jogos da 1.ª jornada:

Fazendense – Rio Maior SC
Riachense – U. Tomar
Torres Novas – Samora Correia
Coruchense – Mação
Cartaxo – Pego
Amiense – Moçarriense
Ferreira Zêzere – Glória Ribatejo
Abrantes e Benfica – U. Almeirim

Nas rondas seguintes, o U. Tomar defrontará, sucessivamente, as equipas do: Fazendense, Rio Maior SC, Abrantes e Benfica, Samora Correia, Mação, Pego, Moçarriense, Glória Ribatejo, U. Almeirim, Ferreira do Zêzere, Amiense, Cartaxo, Coruchense e Torres Novas (última jornada a 17 de Maio de 2020, em Torres Novas).

O pulsar do campeonato - 2018-19 - 26jornada

(“O Templário”, 09.05.2019)

No longo historial do futebol distrital era, até à data, caso único a acumulação, em dois anos sucessivos, dos títulos de Campeão Distrital da II Divisão e da I Divisão: o Clube Desportivo “Os Águias” de Alpiarça fora vencedor de tais competições nas temporadas de 1983-84 (escalão secundário) e de 1984-85 (divisão principal).

No passado fim-de-semana o U. Santarém reeditou tal proeza; após ter conquistado o título da II Divisão na época passada, sagrou-se agora Campeão da I Divisão Distrital, uma estreia na sua cinquentenária história (apenas na sua 9.ª participação neste escalão, e depois de ter suspenso a competição de 2008 a 2013 e de ter militado entretanto quatro anos na divisão secundária).

De facto, a União Desportiva de Santarém, fundada em Agosto de 1969 – decorrendo da junção do Sport Grupo União Operária e do Sport Grupo Scalabitano “Os Leões”, clubes com grandes pergaminhos, ostentando no seu palmarés, respectivamente 8 e 5 títulos de Campeão Distrital, conquistados sobretudo nas décadas de 20 e 30 do século passado –, registara, ao longo de 32 anos (de 1969 a 2001) presença ininterrupta nos Nacionais (13 participações na II Divisão e 19 na III Divisão), a que retornará agora, no actualmente denominado Campeonato de Portugal.

Destaques – A derradeira e decisiva jornada, no que respeita à disputa do título e à luta pela manutenção, acabou por ser bem mais “tranquila” do que se poderia esperar, se atendermos a que praticamente tudo ficou “definido” logo nos minutos iniciais dos desafios.

Em Almeirim, o União local, já sem nada a ganhar ou a perder, dignificando a 3.ª posição obtida, cedo inaugurou o marcador, na recepção ao líder Coruchense, que, com o avançar dos ponteiros do relógio, ia denotando incapacidade de reagir, não tendo o marcador sofrido qualquer outra alteração até final. A tangencial derrota sofrida (0-1) custaria à turma do Sorraia nova ultrapassagem “in extremis”, outra vez suplantada pelo U. Santarém, tal como sucedera no final da primeira volta (igualmente em função de desaire caseiro ante os almeirinenses…), deixando assim escapar o que poderia ter sido o seu terceiro título nas três últimas participações.

Por seu lado, o U. Santarém, recebendo o Torres Novas, asseguraria a sua parte na tarefa (afinal, até o empate lhe teria bastado), tendo-se colocado igualmente em vantagem ainda na fase inicial da partida. O tento da tranquilidade demoraria ainda, mas, no final, o marcador de 3-0 a favor dos escalabitanos espelhava a superioridade que, de forma mais lata, se pode aplicar também à globalidade do campeonato – com os homens da capital do Distrito a registarem o ataque mais concretizador (62 golos) e a defesa menos batida (22 golos), tendo consentido uma única derrota (nas Fazendas de Almeirim, logo à 9.ª ronda), nunca tendo abdicado da perseguição ao grupo que liderou durante praticamente toda a temporada, apresentando em geral exibições mais convincentes que o rival, sendo de justiça reconhecer-lhes o mérito na conquista deste título.

Em Alcanena, o Marinhais entrou “a todo o gás”, alcançando vantagem substancial (de três golos) logo nos minutos iniciais, praticamente selando a sua vitória, que era imprescindível para que pudesse acalentar ainda a esperança na manutenção. O desfecho saldar-se-ia num 5-3 a favor dos visitantes, que, não obstante, acompanharão o Alcanenense na descida à II Divisão.

Isto porque, na Glória do Ribatejo, a turma da casa – com a vantagem de depender apenas de si própria e de lhe bastar o empate –, recebendo o U. Tomar, porfiando de início a fim, lutou, pelo menos, pela preservação do nulo, começando por suster o ímpeto ofensivo inicial dos tomarenses, gradualmente ganhando confiança, perante um adversário também compreensivelmente menos disponível física e animicamente à medida que o tempo ia avançando, tendo o 0-0 final servido na perfeição os objectivos dos donos da casa, ao contrário dos unionistas que, deste modo, ficaram “a um golo” da meta do 6.º lugar, numa época pautada por múltiplas condicionantes, com ponto alto na notável série invicta frente aos cinco primeiros na recta final da prova (depois de outros resultados bastante meritórios na primeira metade da temporada, em especial os empates averbados em Santarém, frente ao Campeão, e no Cartaxo).

Confirmações – Numa jornada sem especiais surpresas a assinalar, o Amiense fechou da melhor forma a muito boa campanha realizada, ganhando ao Fazendense por 3-2, confirmando um assinalável 4.º lugar na tabela final – não obstante em igualdade pontual com o 5.º classificado, Cartaxo (vencedor em Ferreira do Zêzere por 3-1), cujo desempenho geral não deixa de consubstanciar-se na maior decepção da prova, que, perante o significativo investimento realizado, iniciara com assumida ambição de candidatura ao título. A conquista, pelo segundo ano sucessivo, do troféu de melhor marcador do campeonato, por parte de Wemerson Silva (19 golos, depois dos 22 apontados na edição anterior, ao serviço do U. Tomar), será parco lenitivo ante tal desapontamento do conjunto cartaxeiro a nível colectivo.

Em Samora Correia, em encontro realizado no Sábado, a igualdade a um golo averbada pelo visitante At. Ouriense, proporcionou-lhe um porventura inesperado 6.º posto, primeiro de entre os “não candidatos”, pese embora a significativa distância de dez pontos face à 5.ª posição.

II Divisão Distrital – Após a disputa da primeira volta da fase final, o Abrantes e Benfica (tendo goleado por 6-2 na deslocação ao terreno do Forense) prossegue a sua carreira 100% vitoriosa, com a promoção já “segura” por uma vantagem de nove pontos em relação ao 4.º e 5.º classificados, e o título de Campeão igualmente “prometido”, dado o avanço de sete pontos em relação ao mais directo perseguidor, agora o Moçarriense (vencedor na recepção ao Riachense, por 2-1). Talvez algo inesperada (pela expressão do marcador) a goleada (5-1) imposta pelo Rio Maior ao Pego, agora com quatro clubes “embrulhados” num intervalo de apenas dois pontos.

Campeonato de Portugal – O Fátima terá de sofrer até ao fim para poder alcançar o objectivo “mínimo” da manutenção no Nacional: tendo perdido por 1-2 em Oliveira do Hospital, viu o Sertanense ir ganhar a Loures (3-2), pelo que a sua vantagem se reduziu, à entrada para a derradeira ronda, a dois pontos, que, todavia, não lhe permitem qualquer “margem de erro”.

Não obstante dependam de si próprios (bastar-lhes-á vencer na recepção ao já despromovido Alcains), qualquer outro resultado implicará a necessidade de recorrer à “calculadora”, numa situação também deveras ensarilhada, podendo dar-se mesmo o caso de se verificar, no final, uma igualdade entre nada menos de quatro clubes (em caso de empate do Fátima, vitória do Sertanense ante o Peniche e derrota do Loures e Nogueirense) – os fatimenses evitarão a descida em qualquer combinação de empate pontual… excepto num único cenário, a de igualdade exclusivamente com o Sertanense, em que teriam desvantagem na diferença global de golos.

Por seu lado, o Mação – que se despedirá do Nacional em Sintra, com o Sintrense –, sofreu mais um desaire caseiro (0-1), permitindo ao Caldas ficar desde já liberto de qualquer preocupação.

Antevisão – No Domingo os principais protagonistas do Distrital, U. Santarém e Coruchense, respectivamente Campeão e vice-campeão, enfrentam-se no primeiro de dois “rounds”, na disputa directa de outros dois troféus: primeiro, a Taça do Ribatejo; de seguida, a Supertaça. No imediato, os escalabitanos, com o ânimo em alta, aparentam dispor de teórico favoritismo…

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 9 de Maio de 2019)

Lista dos melhores marcadores do União de Tomar nas últimas dez épocas:

              18/19 17/18 16/17 15/16 14/15 13/14 12/13 11/12 10/11 09/10 Tot.
Wemerson Silva    -   29     -     3     2    11     -     -     -     -    45
Pelé              -    -     4    12    27     -     -     -     -     -    43
Nuno Rodrigues    3    8     7     2     8     5     -     -     -     -    33
Nuno Veríssimo    -    -     -     -     -     -     1     8    11     7    27
China             -    -     -     -     -     7     -     8    10     -    25
David             -    -     -     -     -     3     5     1     -    12    21
André Ferreira    -    -     -     -     -     2     -     -    12     7    21
Diogo Moreira     -    -     7     4     7     -     -     -     -     -    18
Paulo Godinho     -    -     -     -     -     3     6     -     2     6    17
Joca              -    2     4     2     1     -     -     4     1     2    16
Luís Alves        -    9     -     4     3     -     -     -     -     -    16
Flávio Graça      1    -     -     -     2     6     -     -     -     7    16
Chrystian Pedroso -    9     5     -     -     -     1     -     -     -    15
Fábio Vieira      1    1     2     2     4     4     -     -     -     -    14
Tiago Vieira      -    -     7     6     -     -     -     -     -     -    13
Rui Pedro Lopes   4    -     3     -     -     -     3     -     -     -    10
Thiago Favero     -    -     -     -     -     -     3     2     3     -     8
Ricardo Pais      -    8     -     -     -     -     -     -     -     -     8
João P.Nascimento 5    3     -     -     -     -     -     -     -     -     8
Mauro Santos      -    -     -     -     -     -     -     5     2     -     7
Rui Ferreira      -    -     -     -     -     -     -     2     3     2     7
Willian Santos    -    -     -     -     -     7     -     -     -     -     7
Rui Silva         -    2     3     -     2     -     -     -     -     -     7
Rafael Santana    7    -     -     -     -     -     -     -     -     -     7
Handerson Lacerda 7    -     -     -     -     -     -     -     -     -     7

Podem consultar-se aqui as diversas “Curiosidades estatísticas” publicadas.

Lista dos jogadores que totalizaram mais de 4.500 minutos (o equivalente teórico a 50 “jogos completos”) em desafios do União de Tomar nas últimas dez épocas:

             18/19 17/18 16/17 15/16 14/15 13/14 12/13 11/12 10/11 09/10 Total
Nuno Rodrigues 2805 2938  2318  1214  2463  2700     -     -     -     - 14438
Fábio Vieira   1245 2659  2520  1798  2607  2101     -     -     -     - 12930
David Vieira   2811 2321  2088  2615  1803     -     -     -     -     - 11638
André Roriz       -    -     -     -     -     -  3009  2094  3145  3150 11398
Paulo Godinho     -    -     -     -  2028  1617  2159     -  2379  2670 10853
Joca              -  157  2137  1504  1221  1215     -  1488   359  1063  9144
João Marinheiro   -    -     -     -     -     -  1497  1948  2833  2215  8493
André Silva       -    -   589   336   474  2330  2225  2175     -     -  8129
Fábio Marques     -    -     -     -   461  1249   768  1523  1832  1739  7572
Rui Silva         - 2478  1144  1674  2258     -     -     -     -     -  7554
Filipe Cotovio 1290 2475  1549  1901     -     -     -     -     -     -  7215
Luís Alves        - 2744     -  2190  2262     -     -     -     -     -  7196
Marquito          -    -     -     -     -  1398  2292  1573   178  1556  6997
Rui P. Lopes   1870  940   860     -   425   279  1967   620     -     -  6961
Ricardo Antunes   -    -     -     -     -     -   957     -  2835  3060  6852
Flávio Graça    589  199     -     -  1584  1294     -     -     -  2596  6262
Rui Ferreira      -    -     -     -     -     -     -  1612  2793  1822  6227
Diogo Gaspar   2159  705     -     -   180  1184  1622     -     -     -  5850
Quim              -    -     -     -     -     -     -   418  2625  2765  5808
Pelé              -    -  1096  2351  2355     -     -     -     -     -  5802
Wemerson Silva    - 2628     -   722   359  2089     -     -     -     -  5798
China             -    -     -     -     -  1392     -  1955  2339     -  5686
Tiago Vieira      -    -  2404  2651   599     -     -     -     -     -  5654
Nuno Ribeiro   2700    -     -     -  1148  1626     -     -     -     -  5474
Nuno Veríssimo    -    -     -     -     -     -   671  1658  1449  1371  5149
Pedro Figueiredo  -    -     -  2092     -     -  1204  1051   586   180  5113
Mauro Santos      -    -     -     -     -     -     -  2350  2527     -  4877
Chrystian Pedroso - 1577  1850     -     -     -  1169   135     -     -  4731
Telmo Ferreira 1502  524   887   181  1585     -     -     -     -     -  4679
Bruno Araújo      - 2323     -  2259     -     -     -     -     -     -  4582  

Lista dos jogadores que disputaram mais de 60 jogos pelo União de Tomar nas últimas dez épocas:

             18/19 17/18 16/17 15/16 14/15 13/14 12/13 11/12 10/11 09/10 Total
Nuno Rodrigues  32   33    28    14    28    30     -     -     -     -   165
Fábio Vieira    14   31    29    25    29    25     -     -     -     -   153
David Vieira    33   31    27    31    25     -     -     -     -     -   147
Joca             -    4    28    20    24    14     -    23     9    22   144
Rui Pedro Lopes 26   28    29     -    11     5    31     8     -     -   138
André Roriz      -    -     -     -     -     -    34    28    35    35   132
Paulo Godinho    -    -     -     -    23    20    27     -    28    32   130
Fábio Marques    -    -     -     -    12    19    10    22    27    24   114
João Marinheiro  -    -     -     -     -     -    23    25    33    28   109
Flávio Graça    16   13     -     -    23    20     -     -     -    31   103
André Silva      -    -    11     5     6    27    26    25     -     -   100
Rui Silva        -   32    18    22    26     -     -     -     -     -    98
Telmo Ferreira  25   18    24     8    23     -     -     -     -     -    98
Marquito         -    -     -     -     -    19    29    20     3    23    94
Filipe Cotovio  18   29    23    24     -     -     -     -     -     -    94
Nuno Veríssimo   -    -     -     -     -     -     9    25    27    28    89
Luís Alves       -   32     -    29    27     -     -     -     -     -    88
Diogo Gaspar    30   14     -     -     2    18    23     -     -     -    87
Rui Ferreira     -    -     -     -     -     -     -    21    33    27    81
Pelé             -    -    16    32    30     -     -     -     -     -    78
Ricardo Antunes  -    -     -     -     -     -    11     -    32    34    77
China            -    -     -     -     -    18     -    26    31     -    75
Wemerson Silva   -   33     -    10     4    24     -     -     -     -    71
Pedro Figueiredo -    -     -    25     -     -    17    16    10     2    70
Tiago Vieira     -    -    29    31    10     -     -     -     -     -    70
Quim             -    -     -     -     -     -     -     6    30    32    68
Douglas Pissona 16   19    16    16     -     -     -     -     -     -    67
Chrystian Pedroso-   25    24     -     -     -    15     2     -     -    66
Mauro Santos     -    -     -     -     -     -     -    31    34     -    65
Diogo Moreira    -    -    30    21    12     -     -     -     -     -    63
Nuno Ribeiro    30    -     -     -    13    19     -     -     -     -    62
Fred do Val      -    -     -     -    13     2    11    22    13     -    61

Página seguinte »