2015-16


O Sp. Braga conquistou hoje a 76.ª edição da Taça de Portugal, ao ganhar a Final, frente ao FC Porto, no desempate da marca de grande penalidade (4-2), depois do resultado de 2-2 no final do tempo regulamentar e do prolongamento, não obstante ter beneficiado de vantagem de 2-0, tendo possibilitado aos portistas empatar já sobre o minuto 90 da partida.

Esta é a segunda vez que os bracarenses conquistam o troféu, reeditando a proeza alcançada há precisamente 50 anos, na época de 1965-66.

Anúncios


(via Rádio Hertz)

O Fazendense conquistou hoje a 39.ª edição da Taça do Ribatejo, ao vencer, no Entroncamento, no desempate da marca de grande penalidade (4-3) o Riachense, dado ter-se mantido o nulo (0-0) até final do tempo regulamentar. A equipa de Fazendas de Almeirim repete os triunfos já alcançados nas épocas de 2005-06, 2011-12 e 2013-14, tornando-se o primeiro clube a vencer o troféu por quatro vezes!

Desde a sua instituição, na época de 1976-77, é a seguinte a lista de vencedores da prova: Fazendense (4 troféus), Tramagal, Riachense, Amiense e Coruchense (3); Águias Alpiarça, Alferrarede, Samora Correia, Cartaxo e Rio Maior (2); União Santarém, “Os Lagartos” Sardoal, Pego, Vasco Gama, Ferreira Zêzere, Benavente, Ferroviários, Azinhaga, Abrantes FC, Monsanto, Ouriquense, Mação e Torres Novas.

Palmarés da prova:

1976/1977 – Amiense                        Carlos Pinhão
1977/1978 – Não se disputou
1978/1979 – União de Santarém         
1979/1980 – Riachense                      Carlos Alberto
1980/1981 – Tramagal                       Rui Oliveira
1981/1982 – Tramagal                       Manuel Cardoso
1982/1983 – Samora Correia                 Romeu Oliveira
1983/1984 – Cartaxo                        Fernando Cartuxo
1984/1985 – Águias Alpiarça                Mário Lázaro
1985/1986 – “Os Lagartos” Sardoal          Alexandre Paulo
1986/1987 – Águias Alpiarça                Conceição
1987/1988 – Pego                           José Neves
1988/1989 – Vasco da Gama                  Carvalho
1989/1990 – Ferreira do Zêzere             José Morais
1990/1991 – Benavente                      António Carlos
1991/1992 – Alferrarede                    Rui Oliveira
1992/1993 – Alferrarede                    Quinó
1993/1994 – Samora Correia                 António Carlos
1994/1995 – Tramagal                       Rui Oliveira
1995/1996 – Coruchense                     José Vasques
1996/1997 – Coruchense                     Luís Martins
1997/1998 – Ferroviários                   José Moita
1998/1999 – Azinhaga                       Francisco Murcela
1999/2000 – Rio Maior                      Gabriel Barra
2000/2001 – Cartaxo                        Luís Salgueiro
2001/2002 – Rio Maior                      João Mourinha
2002/2003 – Abrantes FC                    José Vasques
2003/2004 – Monsanto                       Arsénio Fazenda
2004/2005 – Amiense                        Cláudio Madruga
2005/2006 – Fazendense                     Manuel Francisco
2006/2007 – Ouriquense                     Luís Salgueiro
2007/2008 – Mação                          José Carlos
2008/2009 – Riachense                      Frederico Rasteiro
2009/2010 – Riachense                      Frederico Rasteiro
2010/2011 – Torres Novas                   João Henriques
2011/2012 – Fazendense                     Renato Bento
2012/2013 – Amiense                        Paulo Costa
2013/2014 – Fazendense                     Mário Nelson
2014/2015 – Coruchense                     Gonçalo Silva
2015/2016 – Fazendense                     Rogério Vasconcelos

(Nota – lista de treinadores vencedores da prova recolhida por Paulo Pereira)

Pulsar - 26jornada

(“O Templário”, 28.04.2016)

Caiu o pano sobre mais uma edição do Campeonato Distrital da I Divisão da Associação de Futebol de Santarém, esta época com o Campeão, Fátima, porventura a bater o “record” de aproveitamento (quase 95% do máximo de pontos possíveis), somente com quatro pontos perdidos, em função de apenas dois empates cedidos, curiosamente um deles logo na ronda inaugural, tendo concluído a prova com uma fantástica série de 16 vitórias consecutivas!

Com tudo já decidido a nível dos lugares do pódio – com os três primeiros, Fátima, Cartaxo e União de Tomar, separados entre si por amplas diferenças pontuais (respectivamente 15 pontos, entre 1.º e 2.º, e 13 pontos, entre 2.º e 3.º) – para a derradeira jornada tinham ficado ainda reservadas as emoções da disputa da manutenção e da fuga à ameaça da despromoção.

Apesar de um tento inicial da U. Abrantina, em Amiais de Baixo, ainda ter provocado algum “frisson” – colocando nessa altura, durante alguns minutos (ainda que apenas de forma virtual), os “Caixeiros” em posição de despromoção – no final acabou por não haver alterações de relevo, com a turma de Abrantes a ver consumada a descida à II Divisão, destino contra o qual lutou com grande abnegação até ao último minuto, enquanto o Moçarriense deverá seguir-lhe os passos, dado o facto de o Coruchense ter praticamente sentenciada a despromoção ao Distrital.

Destaques – O principal destaque da última ronda vai precisamente para o desafio em que se defrontavam duas equipas ainda “aflitas”, pese embora o Amiense beneficiar da relativa tranquilidade de o empate lhe bastar para concretizar o seu objectivo, de manutenção. Tendo conseguido reagir ao golo da U. Abrantina, restabelecendo a igualdade ainda no primeiro tempo, na etapa complementar procurou sobretudo gerir o resultado, que lhe convinha, assim conseguindo terminar da melhor forma uma época que tão mal iniciara, apesar de o 11.º lugar que ocupa no final da prova constituir o seu pior registo dos últimos 15 anos.

Na Ribeira de Santarém – num campo ainda sem condições para receber espectadores (que têm de assistir ao jogo do lado de fora da rede de vedação, de pé) – o quase centenário grupo dos Empregados do Comércio (completa 100 anos de existência em 2017) fez pela vida, obtendo o segundo triunfo nos últimos três jogos (apenas o terceiro em toda a segunda volta), ganhando ao U. Tomar por 3-1, acabando inclusivamente por subir duas posições, fixando-se no 9.º lugar.

Numa partida em que o União nada tinha a ganhar nem a perder, a primeira parte foi algo incaracterística, sem grandes oportunidades de golo (a principal terá até pertencido aos tomarenses), chegando-se ao intervalo com o nulo no marcador, que se ajustava ao desempenho de ambas as equipas. Na segunda parte, os “Caixeiros” foram mais acutilantes, aproveitando alguma desconcentração defensiva dos nabantinos, acabando por justificar o triunfo.

Apesar desta “saída em falso”, é justa uma palavra final de apreço para o bom desempenho do União de Tomar nesta competição, mantendo-se no pódio pelo segundo ano consecutivo, depois de ter sido vice-campeão na temporada anterior, garantindo um honroso 3.º lugar, numa época em que teve de enfrentar múltiplas contrariedades, desde sucessivas lesões a questões burocráticas de inscrição de jogadores, que obrigaram ao sistemático recurso a jogadores ainda juniores. Ainda a propósito do trabalho desenvolvido nos escalões de formação, abre-se aqui um brevíssimo parêntesis, para felicitar a equipa de Juvenis do União de Tomar, pela conquista, 24 anos depois, de novo título de Campeão Distrital. Bons sinais de esperança no futuro do clube!

O Fátima deu cabal resposta à interrogação que aqui suscitara na semana passada, impondo-se em Torres Novas, por categórica marca de 3-0, fechando com “chave de ouro” esta sua breve passagem pelo Distrital, numa caminhada que encetou para mais ambiciosos voos.

Confirmações – Nos restantes quatro encontros registaram-se desfechos expectáveis, sem impacto significativo no posicionamento final das equipas. Efectivamente, o Moçarriense, recebendo o Rio Maior, superou o contratempo inicial de um tento sofrido, acabando por ganhar por 3-1, fixando-se na ingrata 12.ª posição – que seria de manutenção, mas que, em função da previsível descida do Coruchense, arrastará na queda para a II Divisão o conjunto da Moçarria.

O Cartaxo completou também a sua excelente temporada, ganhando ao Fazendense, por 2-0, terminando com três triunfos sucessivos. O Mação, batendo o At. Ouriense pelo mesmo resultado, confirmou o 4.º lugar final (a sua melhor posição dos últimos 15 anos, igualando os desempenhos de 2004-05 e 2012-13). Por fim, o Riachense, recebendo o U. Almeirim, chegou a estar em vantagem por dois golos, tendo consentido o restabelecer do empate, antes de acabar por fixar o resultado em 3-2, um desfecho que lhe proporciona também a confirmação do 5.º lugar, imediatamente à frente do rival Torres Novas, registando igualmente ambos os clubes o mais fraco desempenho dos últimos quinze anos (tal como no caso do Fazendense, que cai do 3.º posto do ano anterior). Paralelamente, U. Almeirim e Fazendense terminam a prova igualados em pontos, respectivamente no 7.º e 8.º lugares, que ocupavam já antes desta jornada.

II Divisão Distrital – Na quinta ronda da fase final, destaque para mais um categórico triunfo (3-0) do Benavente, no “derby” (em Samora Correia), praticamente já com um pé na I Divisão, dado dispor de oito pontos de vantagem sobre o 4.º lugar (partilhado por Glória e Samora). O Ferreira do Zêzere não foi além do nulo na recepção ao Pego, com os pegachos a manterem o 2.º lugar, com um ponto a mais que o adversário desta ronda. O U. Santarém, ganhando por 2-1 ao Glória, parece reentrar na corrida pela promoção, agora a dois pontos do 3.º lugar.

Campeonato de Portugal Prio – Na 11.ª jornada da segunda fase, o Alcanenense, com excelente recta final de temporada, ganhou ao Caldas por 2-0, consolidando a liderança, agora com cinco pontos de vantagem sobre o adversário desta ronda. Por seu lado, o Coruchense, perdendo por 3-1 em Loures, mantém a indesejada “lanterna vermelha”, distando já oito pontos do 6.º lugar. Restando somente nove pontos em disputa, só por “milagre” o grupo do Sorraia poderia ainda evitar o regresso ao Distrital na próxima época….

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 28 de Abril de 2016)

EMP. COMÉRCIO – Picão, Rui Simões, Dani, Mário Ruas, Serginho, Pató, Zé Miguel (c.) (88m – Filipe Godinho), Benny, Ricardo Alves (90m – José Santos), Miguel Calisto e Valter Xaparro (85m – Vasco Belmonte)

U. TOMAR – Fábio Silva (78m – João Brito), David Vieira, Pedro Figueiredo, Filipe Cotovio (45m – Telmo Ferreira), Douglas, Nuno Rodrigues, Fábio Vieira, Tiago Vieira, Diogo Moreira, Luís Alves e Pelé (85m – Dylan Vieira)

(suplentes – André Silva, Pedro Santos, Hugo Marques e Rafael Faustino)

1-0 – Dani – 68m
2-0 – Zé Miguel – 73m
3-0 – Benny – 81m
3-1 – Diogo Moreira – 90m

Cartões amarelos – Dani (36m) e Benny (81m); Filipe Cotovio (31m)

Árbitro – Jorge Maia

Emp. Comércio – U. Tomar – 3-1
Mação – At. Ouriense – 2-0
Moçarriense – Rio Maior – 3-1
Amiense – U. Abrantina – 1-1
Torres Novas – Fátima – 0-3
Cartaxo – Fazendense – 2-0
Riachense – U. Almeirim – 3-2

                       Jg     V     E     D       G       Pt
 1º Fátima             26    24     2     -    67 -  7    74
 2º Cartaxo            26    19     2     5    56 - 20    59
 3º U. Tomar           26    14     4     8    39 - 30    46
 4º Mação              26    11     8     7    43 - 31    41
 5º Riachense          26    12     3    11    38 - 34    39
 6º Torres Novas       26    11     3    12    35 - 36    36
 7º U. Almeirim        26     8     7    11    37 - 39    31
 8º Fazendense         26     8     7    11    31 - 39    31
 9º Emp. Comércio      26     7     8    11    29 - 45    29
10º At. Ouriense       26     8     4    14    32 - 45    28
11º Amiense            26     7     7    12    28 - 42    28
12º Moçarriense        26     8     3    15    35 - 58    27
13º U. Abrantina       26     7     5    14    26 - 43    26
14º Rio Maior          26     6     1    19    23 - 50    19

Promovido ao Campeonato de Portugal – Fátima
Despromovidos à II Divisão Distrital – U. Abrantina e Rio Maior (Moçarriense será também despromovido caso se confirme a despromoção do Coruchense ao Distrital)

Página seguinte »