2017-18


Série 1

Mação – U. Tomar – 2-1
Aldeiense – At. Ouriense – 1-4

1º Mação, 6; 2º U. Tomar e At. Ouriense, 3; 4º Aldeiense, 0

Série 2

U. Atalaiense – Caxarias – 3-0
Folga: Espinheirense

1º U. Atalaiense, 6; 2º Caxarias e Espinheirense, 0

Série 3

U. Abrantina – At. Pernes – 9-0
Alferrarede – Ortiga – 4-3

1º U. Abrantina e Alferrarede, 6; 3º Ortiga e At. Pernes, 0

Série 4

Torres Novas – Tramagal – 4-0
Folga: Amiense

1º Amiense, 3; 2º Torres Novas, 3; 3º Tramagal, 0

Série 5

Ferreira do Zêzere – Pego – 3-0
Folga: Rio Maior

1º Ferreira do Zêzere, 6; 2º Rio Maior e Pego, 0

Série 6

Fazendense – Benfica do Ribatejo – 2-1
Folga: Benavente

1º Fazendense, 6; 2º Benfica do Ribatejo e Benavente, 0

Série 7

Empregados do Comércio – Samora Correia – 1-0
Moçarriense – Barrosense – 1-1

1º Empregados do Comércio, 4; 2º Samora Correia, 3; 3º Barrosense, 2; 4º Moçarriense, 1

Série 8

Riachense – Porto Alto – 5-0
U. Almeirim – Glória do Ribatejo – 0-0

1º U. Almeirim e Glória do Ribatejo, 4; 3º Riachense, 3; 4º Porto Alto, 0

Série 9

Forense – Pontével – 2-3
U. Santarém – Vale da Pedra – 5-0

1º U. Santarém, 6; 2º Pontével e Vale da Pedra, 3; 4º Forense, 0

Série 10

Marinhais – Cartaxo – 0-0
Folga: Salvaterrense 

1º Marinhais, 4; 2º Cartaxo, 1; 3º Salvaterrense, 0

Após a 2.ª jornada da fase de grupos da Taça do Ribatejo, garantiram já o apuramento para os 1/8 de final (seja como vencedor de grupo, seja como um dos seis melhores 2.º classificados)  as equipas do Mação, U. Atalaiense, U. Abrantina, Alferrarede, Ferreira do Zêzere, Fazendense e U. Santarém.

Anúncios

No futebol distrital regressa este fim-de-semana a festa da Taça, com 15 desafios agendados, dos quais apenas dois envolvendo duas equipas do escalão principal.

O jogo grande desta segunda ronda será, sem dúvida, o Mação-União de Tomar, com o líder do campeonato, que, na jornada inaugural da Taça, dando mais uma cabal prova de força, foi golear o At. Oureense, em Ourém, por 4-1, a apresentar-se como um sério teste às capacidades dos unionistas, que, por seu lado, vêm também de uma goleada (4-0 ao Aldeiense) no jogo de estreia nesta competição.

Curiosamente, estes dois clubes nunca, até à data, se encontraram na Taça do Ribatejo. Em jogos do campeonato, realizados em Mação, a tendência é claramente favorável aos maçaenses, com três vitórias e três empates, nas últimas sete temporadas, tendo o União vencido uma única vez, precisamente na já distante época de 2010-11.

O outro embate entre primodivisionários disputa-se na Ribeira de Santarém, entre os Empregados do Comércio e o Samora Correia, com favoritismo para os visitantes, atendendo ao desempenho dos Caixeiros no campeonato, em que acumulam três desaires nas três jornadas iniciais, não tendo ido além do empate na primeira jornada da Taça, na Barrosa, frente a uma equipa do escalão secundário. A única vez que as duas equipas se defrontaram, no campeonato, na época passada, registou-se um empate.

Entre clubes de escalão diferente, o destaque vai para o retomar de um clássico do futebol distrital, entre dois clubes históricos, Torres Novas e Tramagal, sendo que os tramagalenses estão arredados da I Divisão já desde a temporada de 2006-07. Naturalmente, os torrejanos são amplos favoritos para este reencontro.

Também a merecer menção particular, teremos o Marinhais-Cartaxo, datando, neste caso, a última participação do grupo do município de Salvaterra no principal escalão da época de 2003-04. Este será o quarto jogo dos cartaxeiros em terreno alheio nesta temporada, na qual não se estrearam ainda no seu reduto. Não obstante, perfilam-se também como claramente favoritos para este desafio.

Em Almeirim, o União local terá a visita do Glória do Ribatejo, equipa useira e vezeira em provocar surpresas na Taça do Ribatejo, a última das quais, bem recente, ao vencer o Riachense, na primeira ronda da edição deste ano da prova. Porém, a surpresa seria bem maior se os visitados não vencessem este encontro.

Também nas Fazendas de Almeirim os donos da casa se perfilam com notório favoritismo, face à formação de Benfica do Ribatejo. A última vez que os dois emblemas se defrontaram, há duas épocas, na última ronda da fase de grupos da Taça Ribatejo, o Fazendense venceu então por 3-1, podendo verificar-se hoje um desfecho similar.

Em Ferreira do Zêzere, os locais recebem o Pego, duas equipas que se defrontaram, pela última vez, há pouco mais de um ano (Junho de 2016), então em jogo da fase de apuramento do Campeão da II Divisão, com os pegachos a obter uma vitória que, na ocasião, lhes valeu a promoção à I Divisão. No encontro entre ambas as formações em Ferreira do Zêzere, o nulo não foi então desfeito. Esta tarde, os ferreirenses, que vêm de uma goleada (4-1) em Rio Maior, apresentam-se como favoritos.

Por fim, nas partidas entre clubes do escalão secundário, o sublinhado vai para o confronto que opõe U. Atalaiense e Caxarias, duas turmas que se cruzaram pela última vez, na temporada passada, no campeonato da II Divisão, curiosamente, com a turma de Caxarias a golear na Atalaia por 4-1, vindo depois a sofrer uma amarga “desforra”, perdendo em casa, por 0-3, ante o mesmo adversário. Um desafio que se afigura, portanto, de difícil prognóstico, até porque o Caxarias fará, esta tarde, a sua estreia em competição na presente temporada.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 15.10.2017)

Pulsar-03

(“O Templário”, 12.10.2017)

Após a disputa da 3.ª jornada da I Divisão Distrital, registo para uma situação peculiar: a notória clivagem entre o pelotão dos oito primeiros classificados, compactados num intervalo de apenas três pontos, e o lote dos cinco últimos, que somaram derrotas em todos os três jogos já realizados, caso de que não existe memória recente, assumindo o Cartaxo – que, curiosamente, ainda não se estreou a jogar em casa – uma posição de charneira entre os dois grupos.

Destaques – O principal destaque desta ronda vai para a soberba goleada (5-0) imposta pelo Fazendense face a um irreconhecível Riachense, actual “lanterna vermelha”, culminando uma semana terrível, depois do desaire na Glória do Ribatejo, para a Taça do Ribatejo. Um desfecho que contribui para duas faces da mesma moeda: por um lado, coloca a turma das Fazendas de Almeirim como a mais realizadora da prova, a par do Samora Correia, ao mesmo tempo que implica que o conjunto de Riachos seja, por agora, o mais batido, em parceria com o Ferreira do Zêzere, acumulando cada uma das equipas já uma dezena de tentos sofridos!

E pegando precisamente por aí, pelos referidos “parceiros”, encontraram-se ambos em Samora Correia, com os samorenses a aplicar também “chapa” 5 aos ferreirenses (mas, neste caso, com o marcador final a cifrar-se num inusual 5-2), com a particularidade suplementar de o conjunto de Ferreira do Zêzere ter ainda desperdiçado duas grandes penalidades, que poderiam ter colorido o “placard” de forma ainda mais extraordinaria…

Assim, Fazendense, Samora Correia e U. Almeirim formam agora um trio de perseguição aos líderes, entretanto reduzido ao par constituído por Mação e Amiense, únicas equipas a somar por vitórias as três partidas realizadas. Neste âmbito merece também realce o triunfo averbado pelos almeirinenses na Ribeira de Santarém, batendo os Caixeiros por 2-0.

Para o desmembramento do anterior trio de comandantes, contribuiu um desconcertante At. Ouriense, que vem intervalando os severos desaires sofridos ante o Mação (0-4 para o campeonato, e 1-4, em casa, para a Taça do Ribatejo) com outros desfechos bem positivos, como foi agora o caso da vitória alcançada na deslocação a Torres Novas, impondo-se por categórica marca de 3-1.

Confirmações – Numa ronda sem surpresas a assinalar, o Amiense manteve a “folha limpa”, recebendo e batendo o Cartaxo, mercê de um solitário tento, o suficiente para continuar a liderar a prova. Como referido, este foi o terceiro desafio sucessivo que os cartaxeiros realizaram em terreno alheio, tendo, até ao momento, vencido um, empatado outro e perdido este.

O Mação confirmou o favoritismo, ganhando ao Moçarriense por 3-1, cotando-se, para já, com a entrada mais afirmativa neste arranque de época, comandando o campeonato, e tendo obtido uma notável vitória em Ourém, para a Taça (isto, depois de ter conquistado já a Supertaça).

Os mesmos números (3-1) se verificaram no União de Tomar-U. Abrantina, numa réplica quase integral do encontro dos tomarenses ante o Ferreira do Zêzere, da jornada inaugural, marcando cedo, chegando a vantagem de dois golos, consentindo depois o tento de honra do adversário, antes de confirmar a vitória. Os nabantinos partilham assim o 6.º posto com Torres Novas e At. Ouriense, mantendo-se a três pontos dos guias.

Ao invés, na cauda da tabela, ainda sem pontuar, para além dos três recém-promovidos, Moçarriense, U. Abrantina e Ferreira do Zêzere, também os Empregados do Comércio parecem começar a ver-se novamente envolvidos na zona aflitiva da classificação, um sector que era até agora desconhecido do Riachense, a maior surpresa pela negativa nesta fase inicial da prova.

II Divisão Distrital – Esta época abrangendo um total de 21 clubes participantes, repartidos em duas séries (uma de dez equipas e outra com onze), o segundo escalão do futebol distrital teve o seu arranque no passado fim-de-semana, apenas na série mais a Sul (Série B), com destaque para as vitórias das duas formações do município de Benavente, ambas por 2-0: o recém-despromovido Benavente bateu o regressado Pontével; o Barrosense impôs-se ao Forense. Menção ainda para a reedição do “derby” Salvaterrense-Marinhais (três dias apenas após o jogo da Taça, que opôs ambos os grupos), desta feita saldando-se por uma igualdade a um golo.

Campeonato de Portugal – Na 6.ª jornada do Nacional, o grande destaque vai para a goleada aplicada pelo Alcanenense em Sintra, ante o Sintrense, ganhando por 5-1, o que lhe permite ascender ao lote de vice-líderes, a dois pontos do Mafra.

Por seu lado, Coruchense e Fátima, pese embora actuando nos respectivos terrenos, não conseguiram ir além do empate, um nulo no Coruchense-Pêro Pinheiro, e a duas boas, no Fátima-Vilafranquense, resultados que não são os ideais para as necessidades de ambos os clubes; a turma do Sorraia ocupa agora a 7.ª posição, somente dois pontos acima da “linha de água”, enquanto os fatimenses, tendo somado o segundo ponto, mantém a indesejada “lanterna vermelha”, cinco pontos abaixo do último lugar que dará direito à manutenção.

Antevisão – Os campeonatos voltam a sofrer nova paragem no próximo fim-de-semana, para disputa das Taças. Na Taça Ribatejo, na sua 2.ª jornada, o jogo de maior cartaz será, indubitavelmente, o Mação-U. Tomar, um sério teste para os unionistas. Realce ainda para as seguintes partidas: Empregados do Comércio-Samora Correia, U. Almeirim-Glória do Ribatejo, assim como para a curiosidade do reencontro de dois históricos, Torres Novas-Tramagal.

Na Taça de Portugal, já nos 1/32 de final, o Fátima tem um aliciante encontro com o Chaves, enquanto o Coruchense se desloca a Arouca, para defrontar uma equipa que disputava também, na época passada, a I Liga. Missões bem espinhosas para as equipas representantes do Distrito.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 12 de Outubro de 2017)

U. TOMAR – Fábio Silva, David Vieira, Diogo Gaspar, Fábio Vieira (68m – Joca), Filipe Cotovio, Douglas Pissona (45m – Rui Silva), Nuno Rodrigues (c.), Ricardo Pais (68m – Chrystian Pedroso), Miguel Arcângelo (45m – Luís Rito), Luís Alves e Wemerson Silva (81m – Telmo Ferreira)

(suplentes – João Pedro Lopes e Espadinha)

U. AbrantinaU. ABRANTINA – Daniel Marques, Miguel Catarino (61m – André Miguel), Toni (c.), Basílio, Luís Ferreira, Diogo Mateus, Fábio Rodrigues, Diogo Barrocas, José Pedro (78m – José C. Mendes), Rafael Silva (61m – Luís Rodrigues) e Élio Ocante

1-0 – Ricardo Pais – 36m
2-0 – Luís Alves – 50m
2-1 – Élio Ocante – 63m
3-1 – Nuno Rodrigus – 77m

Cartões amarelos – Fábio Vieira (44m); José Pedro (44m) e Miguel Catarino (55m)

Árbitro – Roberto Felisberto

Fazendense – Riachense – 5-0
Samora Correia – Ferreira do Zêzere – 5-2
Torres Novas – At. Ouriense – 1-3
U. Tomar – U. Abrantina – 3-1
Mação – Moçarriense – 3-1
Amiense – Cartaxo – 1-0
Emp. Comércio – U. Almeirim – 0-2

                       Jg     V     E     D       G       Pt
 1º Mação               3     3     -     -     8 -  1     9
 2º Amiense             3     3     -     -     7 -  1     9
 3º Fazendense          3     2     1     -     9 -  1     7
 4º Samora Correia      3     2     1     -     9 -  4     7
 5º U. Almeirim         3     2     1     -     6 -  2     7
 6º U. Tomar            3     2     -     1     8 -  5     6
 7º Torres Novas        3     2     -     1     5 -  5     6
 8º At. Ouriense        3     2     -     1     6 -  7     6
 9º Cartaxo             3     1     1     1     3 -  3     4
10º Moçarriense         3     -     -     3     3 -  8     -
11º Ferreira Zêzere     3     -     -     3     4 - 10     -
12º Emp. Comércio       3     -     -     3     1 -  7     -
13º U. Abrantina        3     -     -     3     1 -  8     -
14º Riachense           3     -     -     3     2 - 10     -

Num campeonato, para já, muito repartido na frente, com sete equipas ainda invictas, o “jogo grande” da jornada disputar-se-á em Amiais de Baixo, onde um dos líderes, Amiense, recebe o Cartaxo, que, não obstante realizar o terceiro jogo sucessivo em terreno alheio, regista, por agora, uma entrada muito positiva na competição, anunciando-se mesmo como (mais) um dos candidatos ao título. Estas duas formações encontraram-se por cinco vezes nos últimos sete anos, com um registo relativamente equilibrado: duas vitórias para os visitados, dois empates, e um triunfo dos cartaxeiros. Uma toada de equilíbrio que poderá prevalecer esta tarde, num desafio de tripla.

Também em Torres Novas, teremos um aliciante encontro, entre outro dos actuais comandantes e o At. Ouriense, vindo de um triunfo sobre o União de Tomar, a desmentir a “verdade” da goleada sofrida na jornada inaugural, em Mação. Nas sete partidas entre torrejanos e oureenses, nos sete anos mais recentes, anotam-se três vitórias para a equipa da casa, três empates, e apenas um triunfo do At. Ouriense fora de casa, há duas épocas. Em síntese, outro embate de desfecho imprevisível.

Mais linear parece ser, pelo menos em teoria, o favoritismo do terceiro do lote dos guias, o Mação, que recebe o Moçarriense, equipa que somou dois desaires nas duas rondas já disputadas, integrando portanto o quinteto da rectaguarda da tabela. A confirmar esta tendência, verifica-se que, nas três últimas vezes em que estas equipas se defrontaram em jogos do escalão principal, os maçaenses venceram sempre, acumulando um score global de 12-4 a seu favor.

Também de interesse será o prélio que opõe o Fazendende ao Riachense, pese embora os donos da casa se apresentarem como claros favoritos a somar os três pontos, perante uma formação de Riachos este ano menos consistente que em épocas anteriores, que poderá somar esta tarde a terceira derrota em outros tantos jogos no campeonato. A verdade é que o Riachense não venceu nunca nas Fazendas de Almeirim, nos quatro jogos entre ambos os clubes, nos últimos sete anos, tendo o Fazendense ganho por duas vezes, registando-se ainda dois nulos.

Na Ribeira de Santarém, os Caixeiros recebem a visita do U. Almeirim, que terá de porfiar para conseguir materializar o seu teórico favoritismo, o que, a acontecer, traduziria também o terceiro desaire dos Empregados do Comércio nesta edição da prova. Os dois conjuntos apenas se defrontaram, na I Divisão, nas duas últimas temporadas, em ambos os casos, com o marcador final a manter-se em branco. Um desfecho que poderá repetir-se esta tarde?

Em Samora Correia, outro dos anunciados candidatos ao título, recebe a visita do recém-promovido Ferreira do Zêzere, num confronto sem historial recente na divisão principal, em que os samorenses reúnem claro favoritismo.

Por fim, o União de Tomar, a pretender rectificar rapidamente o desaire sofrido em Ourém, terá a visita da U. Abrantina, apresentando-se também como favorito a somar mais três pontos, depois do triunfo caseiro da ronda inicial, ante o Ferreira do Zêzere. Tomarenses e abrantinos defrontaram-se por quatro vezes, nas cinco épocas mais recentes, com três vitórias para os unionistas, que apenas cederam um empate, já em 2012-13, registando um score acumulado de 10-3 em golos.

Mais logo veremos se o trio da dianteira se mantém unido ou se será desfeito, podendo eventualmente, compactar-se ainda mais um mini-pelotão na frente.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 08.10.2017)

U. TOMAR – João Pedro Lopes, David Vieira (45m – Telmo Ferreira), Diogo Gaspar, Fábio Vieira, Filipe Cotovio, Douglas Pissona, Joca (c.) (45m – Miguel Arcângelo), Rui Pedro Lopes (68m – Luís Alves), Ricardo Pais, Wemerson Silva (51m – Ricardo Augusto) e Luís Rito (68m – Chrystian Pedroso)

(suplentes – Fábio Silva e Nuno Rodrigues)

Aldeiense ALDEIENSE – Joel Dias, João Pedro Nogueira, Ulisses Mateus, Wilson Leite, Diogo Salgueiro (62m – Tiago Gonçalves), Tiago Dias (36m – Pedro Carita), Romero (45m – David Martins), Leandro Maia (c.), Wilson Maciel (45m – José Oliveira), Tiago Silva e João Lopes (69m – André Valente)

1-0 – Ricardo Pais – 7m
2-0 – Wemerson Silva – 13m
3-0 – Wemerson Silva – 40m
4-0 – Wemerson Silva – 46m

Cartões amarelos – Rui Pedro Lopes (32m) e Luís Rito (45m); Tiago Silva e Wilson Maciel (45m)

Árbitro – Rúben Pinheiro

Página seguinte »