Taça Ribatejo


Série 1

Marinhais – Porto Alto – 0-0
Goleganense – Tramagal – 1-3

1º Porto Alto e Marinhais, 7; 3º Tramagal, 3; 4º Goleganense, 0

Série 2

At. Pernes – Aldeiense – 2-2
Entroncamento AC – Pego – 8-0

1º Entroncamento AC, 9; 2º Aldeiense, 4; 3º Pego, 3, 4º At. Pernes, 1

Série 3

Águias Alpiarça – Caxarias – 6-1
Riachense – Espinheirense – 0-6

1º Espinheirense, 7; 2º Riachense, 6; 3º Águias Alpiarça, 4; 4º Caxarias, 0

Série 4

Vilarense – Paço dos Negros – 3-4
Fátima – Ortiga – 9-0

1º Fátima, 9; 2º Paço dos Negros, Vilarense e Ortiga, 3

Série 5

U. Atalaiense – Alferrarede – 3-0
Rebocho – Forense – 2-2

1º Forense, 7; 2º U. Atalaiense, 6; 3º Alferrarede, 3; 4º Rebocho, 1

Série 6

Vasco da Gama – Benfica Ribatejo – 4-0
Folga: Moçarriense

1º Moçarriense, 6; 2º Vasco da Gama, 3; 3º Benfica Ribatejo, 0

Garantiram o apuramento para a fase seguinte da prova os seis vencedores de série e os quatro melhores de entre os 2.º classificados: Porto Alto, Marinhais, Entroncamento AC, Espinheirense, Fátima, Paço dos Negros, Forense, U. Atalaiense, Moçarriense e Vasco da Gama.

Anota-se que, para efeitos de ordenamento dos 2.º classificados, foram desconsiderados os resultados dos jogos que disputaram com o 4.º classificado de cada uma das séries com quatro clubes. Em função de tal critério ficaram, pois, eliminados o Aldeiense e o Riachense (que registam pior diferença de golos face aos outros 2.º classificados em igualdade pontual, casos do Paço dos Negros, U. Atalaiense e Vasco da Gama).

Série 1

Porto Alto – Goleganense – 3-0
Marinhais – Tramagal – 3-1

1º Porto Alto e Marinhais, 6; 3º Goleganense e Tramagal, 0

Série 2

Aldeiense – Entroncamento AC – 0-4
At. Pernes – Pego – 2-6

1º Entroncamento AC, 6; 2º Pego e Aldeiense, 3, 4º At. Pernes, 0

Série 3

Caxarias – Riachense – 0-2
Águias Alpiarça – Espinheirense – 1-1

1º Riachense, 6; 2º Espinheirense, 4; 3º Águias Alpiarça, 1; 4º Caxarias, 0

Série 4

Paço dos Negros – Fátima – 2-4
Vilarense – Ortiga – 2-1

1º Fátima, 6; 2º Ortiga e Vilarense, 3; 4º Paço dos Negros, 0

Série 5

Alferrarede – Rebocho – 2-1
U. Atalaiense – Forense – 0-1

1º Forense, 6; 2º U. Atalaiense e Alferrarede, 3; 4º Rebocho, 0

Série 6

Moçarriense – Vasco da Gama – 2-0
Folga: Benfica Ribatejo

1º Moçarriense, 6; 2º Benfica Ribatejo e Vasco da Gama, 0

Série 1

Tramagal – Porto Alto – 1-7
Goleganense – Marinhais – 0-1

1º Porto Alto e Marinhais, 3; 3º Goleganense e Tramagal, 0

Série 2

Pego – Aldeiense – 0-1 (05.10.2021)
Entroncamento AC – At. Pernes – 4-0

1º Entroncamento AC e Aldeiense, 3; 3º Pego e At. Pernes, 0

Série 3

Espinheirense – Caxarias – 2-1
Riachense – Águias Alpiarça – 2-1

1º Espinheirense e Riachense, 3; 3º Águias Alpiarça e Caxarias, 0

Série 4

Ortiga – Paço dos Negros – 3-2
Fátima – Vilarense – 6-0

1º Fátima e Ortiga, 3; 3º Paço dos Negros e Vilarense, 0

Série 5

Forense – Alferrarede – 5-1
Rebocho – U. Atalaiense – 0-1

1º Forense e U. Atalaiense, 3; 3º Rebocho e Alferrarede, 0

Série 6

Benfica Ribatejo – Moçarriense – 0-2
Folga: Vasco da Gama

1º Moçarriense, 3; 2º Vasco da Gama, 0; 3º Benfica Ribatejo, 0

Realizou-se também hoje o sorteio da fase de grupos da Taça do Ribatejo, na qual participarão os 23 clubes inscritos na II Divisão Distrital (excluindo-se, pois, da Taça as equipas “B” e “Sub-23”), repartidos em 6 séries (indicando-se o alinhamento de jogos da 1.ª jornada, agendada já para o próximo dia 25 de Setembro):

Série 1 – Goleganense, Marinhais, Porto Alto e Tramagal

Tramagal – Porto Alto
Goleganense – Marinhais

Série 2 – Aldeiense, At. Pernes, Entroncamento AC e Pego

Pego – Aldeiense
Entroncamento AC – At. Pernes

Série 3 – Águias Alpiarça, Caxarias, Espinheirense e Riachense

Espinheirense – Caxarias
Riachense – Águias Alpiarça

Série 4 – Fátima, Ortiga, Paço dos Negros e Vilarense

Ortiga – Paço dos Negros
Fátima – Vilarense

Série 5 – Alferrarede, Forense, Rebocho e U. Atalaiense

Forense – Alferrarede
Rebocho – U. Atalaiense

Série 6 – Benfica Ribatejo, Moçarriense e Vasco da Gama

Benfica Ribatejo – Moçarriense
Folga: Vasco da Gama

Os 16 clubes do principal escalão apenas iniciarão a disputa da prova em fase subsequente.

(“O Templário”, 01.07.2021)

Culminando uma época memorável, que entra para a história da colectividade, o Sport Clube Desportos Glória do Ribatejo, fundado em 21 de Agosto de 1975, sagrou-se vencedor da edição de 2020-21 da Taça do Ribatejo, conquistando o mais importante troféu do seu palmarés, que junta aos títulos de Campeão Distrital averbados nas temporadas de 1976-77 e 1995-96 (II Divisão Distrital) e 2008-09 (3.º escalão).

Destaque – Glória do Ribatejo (que alcançara já um notável 7.º lugar no campeonato da I Divisão Distrital da presente época, aliás, em igualdade pontual com o 6.º classificado, U. Tomar) e Rio Maior SC (10.º no campeonato) disputaram uma inédita Final da 44.ª edição da Taça do Ribatejo, prova instituída pela Associação de Futebol de Santarém em 1976-77 (competição apenas interrompida logo na época imediata, de 1977-78 – sendo que em 2019-20 a prova fora suspensa, devido à pandemia, após a realização da 1.ª mão das meias-finais).

Na partida disputada no passado Domingo no Estádio Municipal do Cartaxo, com transmissão televisiva em directo no “Canal 11”, em paralelo com o regresso do público aos campos do Distrito (pese embora ainda sujeito a lotação limitada), repetiu-se o desfecho dos jogos das meias-finais (igualdade), implicando, portanto, novo desempate da marca de grande penalidade.

Após um primeiro tempo em branco, muito repartido, sem flagrantes oportunidades de golo, a formação da Glória começou por inaugurar o marcador aos 52 minutos, por via de um lance infeliz de um jogador riomaiorense, a introduzir a bola na sua própria baliza, quando procurava aliviar um lançamento em profundidade para a área. Ainda assim, a turma de Rio Maior, reagindo bem, criaria duas ocasiões de algum perigo antes de, aos 70 minutos, conseguir restabelecer o empate (1-1), o qual subsistiria até final do tempo regulamentar.

Passando-se de imediato ao desempate – não estando previsto, no regulamento da competição, a disputa de prolongamento –, o grupo da Glória voltou a ser mais eficaz (tal como sucedera nas meias-finais), com o pleno de cinco tentativas concretizadas, tendo a equipa de Rio Maior falhado uma das suas tentativas, com um remate bastante por alto.

Após cinco presenças nos 1/4 de final e três nas meias-finais, nos últimos oito anos, o clube da Glória do Ribatejo sagrou-se vencedor da Taça, logo na sua estreia na Final.

No palmarés da prova, após as 43 edições concluídas, o Fazendense é o único emblema com quatro títulos conquistados, seguido por um quarteto (formado por Tramagal, Riachense, Amiense e Coruchense), cada um com três Taças, e um pequeno “pelotão” de sete clubes, cada qual com dois títulos na “prova rainha”; o Glória do Ribatejo passou, agora, a ser o 25.º detentor do troféu.

II Divisão Distrital – Na última jornada da série Norte, tendo sido antecipado, já para o passado dia 5 de Junho, o jogo entre o Caxarias e o Abrantes e Benfica “B”, então vencido pelos visitados por 1-0, apenas foi realizado, no passado fim-de-semana, um único encontro, com o Vasco da Gama a receber e a bater o Espinheirense por 2-1, trespassando, assim, a posição de “lanterna vermelha” (6.º classificado, de entre os clubes que finalizaram a prova) à jovem equipa abrantina.

A Sul, o Salvaterrense confirmara já, a meio da semana passada, o objectivo crucial, a subida ao principal escalão, ao empatar (1-1) em Alpiarça, em partida que se encontrava em atraso da 14.ª jornada – o que, em paralelo, proporcionou ao Benavente, ganhando, no Sábado, em Fazendas de Almeirim, por 4-1, confirmar o 1.º lugar final nesta série.

A formação de Salvaterra de Magos, que venceu também, igualmente no Sábado, na derradeira ronda do campeonato, o Forense, em terreno alheio, por 3-2, beneficiou de, enquanto 2.º classificado, ter registado melhor média pontual (43 pontos em 18 jogos disputados) que o 2.º da série Norte, Fátima (28 pontos em 13 jogos), para garantir a promoção, a par dos vencedores das duas séries, At. Ouriense e Benavente – com este trio a substituir, na próxima época, na I Divisão, os clubes entretanto despromovidos: Entroncamento AC, Moçarriense e Riachense.

Torneio “Sub-21” – Não tendo sido possível realizar, na temporada agora finda, os Campeonatos Distritais de Juniores e de Juvenis – tal como os dos restantes escalões de formação –, a Associação de Futebol de Santarém promoveu a disputa, nos meses de Maio e Junho, de um Torneio “Sub-21”, no qual se inscreveram, de início, 19 equipas (antes, ainda em Janeiro, tinha já procurado arrancar-se com a realização desta prova, então com um total de 27 equipas inscritas; contudo, não fora sequer possível concluir-se, então, a jornada inaugural, pelo que teve de ser remodelada a estrutura do torneio).

Após a disputa de duas fases de grupos (na segunda dessas fases, os dois grupos principais integraram os dois primeiros classificados de cada um dos quatro grupos da 1.ª fase), realizaram-se no passado fim-de-semana, os jogos decisivos, para estabelecimento da classificação final.

Em Tomar, na Final do Torneio, o U. Tomar (vencedor dos seus grupos de qualificação, quer na 1.ª, como na 2.ª fase), recebeu a Ac. Santarém (vencedora do outro grupo principal da 2.ª fase). Alinhando com sete jogadores que, nesta época, chegaram a integrar, pontualmente, a equipa principal do clube, o U. Tomar teria, porém, uma má entrada em jogo, sofrendo um golo logo aos 3 minutos; depois, tendo restabelecido a igualdade já próximo do final da primeira parte, viria a sofrer novo tento mesmo em cima do intervalo, fixando o que viria a ser o desfecho: 1-2.

A jovem formação escalabitana sagrou-se, assim, vencedora deste Torneio, tendo o U. Tomar, com uma participação muito meritória, terminado no 2.º lugar. No jogo de apuramento de 3.º e 4.º classificados (entre as equipas que tinham terminado na 2.ª posição dos grupos principais da 2.ª fase da prova), o Entroncamento AC ganhou, igualmente por 2-1, ao Salvaterrense.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 1 de Julho de 2021)

Taça do Ribatejo

Fazendense.. 4  Ág. Alpiarça 2  Mação....... 2  F. Zêzere... 1  Monsanto.... 1
Tramagal.... 3  Alferrarede. 2  U. Santarém. 2  Benavente... 1  Ouriquense.. 1        
Riachense... 3  S. Correia.. 2  Lag. Sardoal 1  Ferroviários 1  Torres Novas 1
Amiense..... 3  Cartaxo..... 2  Pego........ 1  Azinhaga.... 1  União Tomar. 1     
Coruchense.. 3  U. Rio Maior 2  Vasco Gama.. 1  Abrantes FC. 1  Glória Rib.. 1
 Edição      Época        Vencedor         Finalista

XLIV        2020-21     Glória Ribatejo  Rio Maior SC     1-1  (5-4 g.p.)
XLIII       2019-20          Final não disputada
XLII        2018-19     U. Santarém      Coruchense       2-0
XLI         2017-18     U. Tomar         Mação            2-1
XL          2016-17     Mação            Coruchense       2-2  (4-3 g.p.)
XXXIX       2015-16     Fazendense       Riachense        0-0  (4-3 g.p.)
XXXVIII     2014-15     Coruchense       Amiense          3-2
XXXVII      2013-14     Fazendense       At. Ouriense     1-0
XXXVI       2012-13     Amiense          At. Ouriense     0-0  (3-2 g.p.)
XXXV        2011-12     Fazendense       Emp. Comércio    4-1
XXXIV       2010-11     Torres Novas     Cartaxo          1-1  (4-3 g.p.)
XXXIII      2009-10     Riachense        Alcanenense      0-0  (4-3 g.p.)
XXXII       2008-09     Riachense        Alcanenense      1-0
XXXI        2007-08     Mação            Riachense        2-1
XXX         2006-07     Ouriquense       U. Santarém      1-0
XXIX        2005-06     Fazendense       U. Santarém      2-1
XXVIII      2004-05     Amiense          Coruchense       0-0  (4-3 g.p.)
XXVII       2003-04     Monsanto         U. Figueirense   4-0
XXVI        2002-03     Abrantes FC      Águias Alpiarça  2-1
XXV         2001-02     U. Rio Maior     Alcanenense      v-d
XXIV        2000-01     Cartaxo          Monsanto         v-d
XXIII       1999-00     U. Rio Maior     Benavente        v-d
XXII        1998-99     Azinhaga         Marinhais        2-0
XXI         1997-98     Ferroviários     ...              ---
XX          1996-97     Coruchense       ...              ---
XIX         1995-96     Coruchense       ...              ---
XVIII       1994-95     Tramagal         Alferrarede      1-0
XVII        1993-94     Samora Correia   ...              ---
XVI         1992-93     Alferrarede      ...              ---
XV          1991-92     Alferrarede      ...              ---
XIV         1990-91     Benavente        ...              ---
XIII        1989-90     Ferreira Zêzere  ...              ---
XII         1988-89     Vasco da Gama    Fazendense       ---(g.p.)
XI          1987-88     Pego             ...              ---
X           1986-87     Águias Alpiarça  ...              ---
IX          1985-86     Lagartos Sardoal ...              ---
VIII        1984-85     Águias Alpiarça  ...              ---
VII         1983-84     Cartaxo          ...              ---
VI          1982-83     Samora Correia   ...              ---
V           1981-82     Tramagal         ...              ---
IV          1980-81     Tramagal         ...              ---
III         1979-80     Riachense        ...              ---
II          1978-79     U. Santarém      ...              ---
I           1976-77     Amiense          ...              ---

(“O Templário”, 24.06.2021)

Rio Maior SC e Glória do Ribatejo garantiram – ambos no desempate da marca de grande penalidade, após as igualdades verificadas no termo dos noventa minutos – a presença numa inédita Final da Taça do Ribatejo, a disputar no Cartaxo, no próximo Domingo, pelas onze horas da manhã, com transmissão televisiva em directo no “Canal 11”.

Destaques – O Rio Maior SC, clube de formação ainda recente (completará cinco anos da sua fundação no início do próximo mês de Julho), 10.º classificado no campeonato, estreia-se na Final da “prova rainha” – sendo que, até agora, não conseguira ainda chegar além dos 1/8 de final, fase em que se quedara nos anos de 2019 e 2020.

Esta época – depois de ter começado por afastar o Amiense (4.º classificado do campeonato), ganhando em casa por 2-1, para, de seguida, golear o Alcanenense por 5-0, antes de, nos 1/4 de final, ir ganhar a Salvaterra de Magos, por 3-2, frente ao “tomba-gigantes” Salvaterrense (o qual eliminara o Cartaxo) – os riomaiorenses acabariam por ser mais eficazes no desempate, nas meias-finais, ante o U. Tomar, vencendo por 4-2, após o nulo registado no tempo regulamentar.

Tendo noção da valia do adversário, que surgiu reforçado no recomeço das competições, e mesmo actuando em terreno alheio, a formação tomarense assumiu, logo de início – como costuma fazer regra geral –, a iniciativa do jogo, instalando-se no meio campo contrário, registando predomínio em termos de posse de bola e lances de ataque, contudo, sem conseguir criar efectivas situações de perigo. A maior oportunidade de golo decorreria, aliás, de um alívio defeituoso de um defesa da casa, com a bola a embater no poste da baliza do Rio Maior.

Na segunda metade, os nabantinos apenas teriam outra ocasião para criar perigo, num contra-ataque, após Hélio Ocante ter recuperado a bola, mas a defensiva contrária conseguiria anular o lance. Já numa fase de menor controlo, com o jogo mais “partido”, a turma da casa teve também uma oportunidade soberana para marcar, porém o avançado local remataria ao lado.

A quinze minutos do final do desafio, os visitados ficaram reduzidos a dez unidades, mas os unionistas não conseguiriam tirar partido de tal superioridade, dadas as sucessivas interrupções de jogo e quebra de ritmo. O União não foi capaz de evitar a “armadilha dos penalties”, para a qual estaria já de sobreaviso, no que pareceu ser, quase sempre, o objectivo do Rio Maior.

Com duas defesas do guarda-redes da casa, nas duas primeiras tentativas, e pese embora Nuno Ribeiro ter também defendido um dos remates, a formação riomaiorense alcançava o “passaporte” para a ansiada Final, no que constitui uma grande desilusão para os tomarenses – eliminados sem ter perdido qualquer jogo, não tendo conseguido marcar na fase decisiva, após um “score” global de 15-1 –, no dia das anunciadas despedidas, precisamente do guardião Nuno Ribeiro e do capitão Nuno Rodrigues, após terem envergado a camisola rubro-negra durante várias temporadas, e que bem justificavam ter concluído a carreira em cenário mais festivo.

Na Glória do Ribatejo, o grupo local continua a fazer história: depois do 7.º lugar no campeonato, atinge agora uma formidável presença na Final da Taça, prova em que tem já tradição, com cinco presenças nos 1/4 de final e três nas meias-finais, nos últimos oito anos.

Esta temporada, depois de terem deixado pelo caminho o Benfica do Ribatejo (4-1), o Entroncamento AC (2-1) e, de forma sensacional, o Abrantes e Benfica (3-2), jogando sempre em terreno adverso, os homens da Glória registaram, em casa, uma igualdade a dois golos ante o Samora Correia, numa partida repleta de cambiantes no marcador, acabando por superiorizar-se no desempate da marca de grande penalidade, também por 4-2, como na outra meia-final.

II Divisão Distrital – Na série Norte o Espinheirense foi apenas a segunda equipa (após o Caxarias) a conseguir travar a marcha triunfal do vencedor da série, At. Ouriense – posição que garantira já, a meio da semana, em jogo de acerto de calendário, ao ganhar ao Fátima por 1-0, assegurando, pois, a consequente promoção à I Divisão Distrital –, empatando 3-3.

A Sul os dois primeiros golearam: o Benavente, em Alpiarça, ante o Águias, por 4-1, enquanto o Salvaterrense bateu o Marinhais, no “derby” do município, por categórico 4-0. O Forense, actual 3.º classificado, impôs-se no terreno do Benfica do Ribatejo, ganhando por 3-1.

Em função dos resultados desta penúltima ronda – assim como do registado na quarta-feira anterior, com a equipa benaventense a vencer a de Salvaterra de Magos por tangencial 3-2 –, o Benavente garantiu também já (seja como 1.º ou 2.º classificado) a subida ao escalão principal.

Por seu lado, o Salvaterrense necessitará ainda um ponto, nos dois jogos que tem a disputar, nos campos do Águias de Alpiarça (em atraso da 14.ª jornada) e do Forense (sendo que este clube terá ainda hipóteses matemáticas de poder eventualmente chegar ao 2.º lugar), para confirmar também a promoção – dado registarem ambos (Benavente e Salvaterrense) melhor média pontual que o Fátima, 2.º classificado da série Norte.

Antevisão – Na festa do futebol distrital, este ano a realizar no Cartaxo, com a Final da Taça do Ribatejo, a disputar entre Rio Maior SC e Glória do Ribatejo, parece difícil apontar um favorito, perspectivando-se um jogo bastante repartido, possivelmente a decidir nos pormenores.

O Rio Maior poderá eventualmente dispor, nesta fase, de superiores argumentos individuais, mas a turma da Glória já demonstrou, ao longo desta temporada, e por mais de uma ocasião, formar uma verdadeira equipa, capaz de surpreender até os mais poderosos – recorde-se que foi o único clube a derrotar o vencedor do campeonato, Coruchense, tendo, adicionalmente, eliminado o 2.º classificado, Abrantes e Benfica, nos 1/4 de final da Taça, em Abrantes!

Entretanto, não tendo a equipa de seniores do U. Tomar conseguido o apuramento para aquela final, fica a nota de realce para a equipa de “sub-21” do União, que, tendo vencido os seus grupos de qualificação nas duas fases deste Torneio distrital, se apurou para a respectiva Final, a disputar em Tomar, no Sábado, frente ao Salvaterrense ou à Ac. Santarém.

Na II Divisão Distrital, disputa-se (no Sábado) a 18.ª e derradeira jornada da prova: a Norte, apenas com um jogo agendado, já sem consequências de relevo a nível da pauta classificativa, caberá ao Vasco da Gama receber o Espinheirense.

A Sul (quase) tudo poderá ter ficado já decidido, na quarta-feira, caso o Salvaterrense tenha pontuado em Alpiarça; caso contrário, teríamos um aliciante embate Forense-Salvaterrense, que, nessa hipótese, seria decisivo para a definição do clube a promover. Por seu lado, o Benavente, que se desloca às Fazendas de Almeirim, terá em mira a possibilidade de confirmação do 1.º lugar final (dependente de o conjunto de Salvaterra não vencer os seus dois encontros).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 24 de Junho de 2021)

Rio Maior SCRIO MAIOR SC – João Sardinha, Ricardo Lamy, João Lopes, Rhuan Terra, Ricardo Carloto, Geraldino Barbosa, Alex Diliberto, Ibraimo Sultuane (77m – João “Jarimba” Noite), Rodrigo Quaresma (87m – André Justino), Arnaldo Ferreira (c.) e Aroldo Arruda

U. TOMAR – Nuno Ribeiro, David Vieira (80m – Fábio Luzio), Nuno Rodrigues (c.), Filipe Cotovio, Ricardo Simões (80m – Douglas Pissona), Siaka Bamba, Leandro Filipe, Luís Alves (80m – Rafael Leite), Hélio Ocante, Tiago Vieira e Cláudio Major (69m – Chrystian Pedroso)

(suplentes – Ivo Cristo, Tiago Luzio e Diogo Ismail)

Desempate da marca de grande penalidade:

1-0 – Arnaldo Ferreira
Tiago Vieira possibilitou a defesa a João Sardinha
2-0 – Alex Diliberto
Leandro Filipe possibilitou a defesa a João Sardinha
Rhuan Terra possibilitou a defesa a Nuno Ribeiro
2-1 – Hélio Ocante
3-1 – Aroldo Arruda
3-2 – Chrystian Pedroso
4-2 – João “Jarimba” Noite

Cartões amarelos – Geraldino Barbosa (24m) e Arnaldo Ferreira (41m); Nuno Rodrigues (21m), Siaka Bamba (31m) e Cláudio Major (57m)

Cartão vermelho – Geraldino Barbosa (74m)

Árbitro – João Veríssimo

Rio Maior SC – U. Tomar – 0-0 (4-2 g.p.)
Glória do Ribatejo – Samora Correia – 2-2 (4-2 g.p.)

Rio Maior SC e Glória do Ribatejo garantiram, ambos no desempate da marca de grande penalidade, a presença numa inédita Final da Taça do Ribatejo, a disputar no próximo Domingo, pelas 11 horas da manhã, no Cartaxo, com transmissão televisiva em directo no “Canal 11”.

(“O Templário”, 17.06.2021)

A Taça do Ribatejo entra também na sua fase decisiva, tendo garantido o apuramento para as meias-finais da prova – a disputar já no próximo Domingo – os clubes classificados no 6.º (U. Tomar), 7.º (Glória do Ribatejo), 9.º (Samora Correia) e 10.º lugares (Rio Maior) do campeonato distrital da I Divisão, não subsistindo, portanto, qualquer representante do 2.º escalão, após a eliminação de Salvaterrense e Fátima.

Dos cinco primeiros da divisão principal, o vencedor (Coruchense) desistira da competição; o 3.º (Mação) tinha sido eliminado nos 1/8 de final pelo 2.º; o 4.º (Amiense) fora afastado pelo Rio Maior logo na primeira eliminatória; e o 5.º (Cartaxo) caíra, também na ronda precedente, perante um primeiro “tomba-gigantes”, o Salvaterrense. Agora, nos 1/4 de final, foi a vez de o 2.º classificado do campeonato (Abrantes e Benfica) ficar também arredado desta competição.

Destaques – O destaque maior vai, pois, para a sensacional vitória (3-2) da equipa da Glória do Ribatejo em Abrantes, a assumir-se também como “tomba-gigante”, afastando, com grande surpresa, o que seria um dos maiores candidatos à conquista do troféu, o Abrantes e Benfica.

Mais, a turma da Glória – com tradição na Taça, tendo marcado presença nos 1/4 de final em cinco ocasiões nos últimos oito anos (atingindo as meias-finais pela terceira vez, depois de ter alcançado tal fase já em 2014 e 2015) – teve sempre a liderança do marcador, começando por abrir a contagem logo aos oito minutos, chegando depois, ainda antes do intervalo, ao 2-1, para, já, à entrada dos dez minutos finais, se colocar em vantagem pela terceira vez (a qual seria, então, definitiva). Um brilhante desempenho, a somar à excelente campanha realizada também no campeonato, por um grupo que “promete” não ficar por aqui…

Por seu lado, o Rio Maior – que surgiu, na retoma das competições, após a paragem de quase quatro meses, reforçado e com grande pujança, tendo somado seis vitórias nos sete jogos entretanto disputados, aplicando mesmo três goleadas – colocou ponto final no “sonho” do Salvaterrense, vencendo em Salvaterra de Magos, também pela marca de 3-2 (neste caso, depois de, por duas vezes, ter chegado a dispor de vantagem de dois golos, a 2-0 e 3-1, apenas no derradeiro minuto tendo sofrido o tento que estabeleceu a diferença mínima).

Os outros dois semi-finalistas repetem a presença nas meias-finais da Taça, que haviam registado já na época passada; por curiosidade, U. Tomar e Samora Correia tinham-se defrontado então, com triunfo dos tomarenses em Samora, não tendo sido já disputada a 2.ª mão, a qual estava agendada para 15 de Março de 2020, precisamente o dia em que, devido à declaração da pandemia, se daria a (que viria a ser definitiva) suspensão das competições.

O U. Tomar, defrontando, pela terceira vez nas três eliminatórias disputadas na presente edição da prova, uma equipa do 2.º escalão, manteve a consistência nos resultados, averbando a sua terceira goleada: depois do triunfo por 4-0 em Marinhais e da vitória por 6-1 no Espinheiro, goleou agora, por 5-0, o Fátima, somando, portanto, um retumbante “score” agregado de 15-1!

Depois da “derrapagem” verificada nas três últimas rondas do campeonato, a turma unionista encarou com grande seriedade este desafio da Taça, respeitando o adversário, tendo entrado praticamente a ganhar (inaugurou o marcador logo aos três minutos), ampliando para 2-0 à passagem do quarto de hora, resolvendo a eliminatória em 25 minutos, com o terceiro golo apontado. Na segunda metade, o “placard” seria ainda, com naturalidade, ampliado até aos 5-0 (golo marcado a cerca de vinte minutos do fim), antes de alguma descompressão final.

Já o Samora Correia (com três presenças nos 1/4 de final nos últimos quatro anos, apenas tendo falhado tal fase em 2019) voltou a apurar-se para as meias-finais, também de forma algo surpreendente, afastando a equipa com melhor palmarés na competição (quatro troféus conquistados como vencedor da Taça do Ribatejo), o Fazendense (também semi-finalista no ano passado), beneficiando da superior eficácia demonstrada no desempate da marca de grande penalidade, isto depois de ter mantido o nulo até final do tempo regulamentar (90 minutos).

II Divisão Distrital – A Norte jogou-se um único desafio, entre Caxarias e Espinheirense, com o empate a duas bolas possivelmente a definir a classificação final dos dois clubes: aliás, o Caxarias concluiu já a sua participação no campeonato, que termina no 4.º posto; por seu lado, o Espinheirense dificilmente conseguirá melhor que um inglório 3.º lugar.

Na série Sul realça-se a goleada (5-1) imposta pelo Marinhais ao Benfica do Ribatejo, assim como, por outro lado, o tangencial triunfo (1-0) do Forense ante o Porto Alto, a permitir ainda uma ténue réstia de esperança em poder ainda imiscuir-se na luta pelos dois primeiros lugares.

Antevisão – Na Taça do Ribatejo, as meias-finais, agendadas para dia 20, colocam frente-a-frente, por um lado, Rio Maior e U. Tomar, e, por outro, Glória do Ribatejo e Samora Correia. Trata-se de dois embates que se antevêem repartidos, em que qualquer desfecho que venha a verificar-se não deverá traduzir grande surpresa.

Em Rio Maior os tomarenses – que disputam as meias-finais da competição pela terceira vez nos quatro anos mais recentes – poderiam ter, pelo potencial que lhes é reconhecido, algum favoritismo (anotando-se que as duas equipas empataram, no jogo do campeonato, em Outubro do ano passado), mas terão de contar com a forte oposição de uma muito revigorada equipa local, a beneficiar também desse factor casa, pelo que os unionistas terão de estar ao melhor nível para voltar a atingir a desejada Final, este ano agendada, para dia 27, no Cartaxo.

Na Glória, num confronto entre duas equipas que, na eliminatória precedente, afastaram dois “candidatos”, não haverá propriamente um “favorito” declarado – sendo que os visitados ganharam, por tangencial 1-0, no desafio a contar para o campeonato –, mas a expectativa é de que o conjunto da casa possa eventualmente culminar com uma histórica presença na Final da Taça uma temporada já memorável.

Na II Divisão estavam agendados para esta quarta-feira, 16, os decisivos embates (em atraso da 16.ª jornada) entre os dois primeiros classificados de ambas as séries, respectivamente, At. Ouriense-Fátima e Benavente-Salvaterrense, nos quais poderão, porventura, ter ficado já praticamente definidas as posições finais.

Para Domingo estão previstas as partidas da penúltima ronda, com o At. Ouriense a deslocar-se ao Espinheiro, para defrontar o 3.º classificado da série Norte, Espinheirense; destacando-se ainda, a Sul, o “derby” Salvaterrense-Marinhais.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 17 de Junho de 2021)

U. TOMAR – Nuno Ribeiro, David Vieira (63m – Fábio Luzio), Nuno Rodrigues (c.), Filipe Cotovio, Ricardo Simões, Siaka Bamba (72m – Rafael Leite), Leandro Filipe, Luís Alves (72m – Diogo Ismail), Hélio Ocante (72m – Tiago Luzio), Tiago Vieira e Cláudio Major (63m – Chrystian Pedroso)

(suplentes – Ivo Cristo e Douglas Pissona)

FátimaFÁTIMA – Filipe Pereira, Isac Rosa (63m – Gabriel Silva), João Carlos (37m – Pedro Silva), Raphael Borges, Luís Figueira, Alexandre Silva (63m – Diogo Vieira), Gonçalo Silva (c.), Filipe Gabriel, Alexandre Henriques (45m – António Santos), Rúben Nathis (45m – João Leal) e Bernardo Vaz

1-0 – Hélio Ocante – 3m
2-0 – Luís Alves – 16m
3-0 – Leandro Filipe – 26m
4-0 – Siaka Bamba – 55m
5-0 – Hélio Ocante – 72m

Cartões amarelos – Não houve

Árbitro – Gonçalo Pereira

U. Tomar – Fátima – 5-0
Abrantes e Benfica – Glória do Ribatejo – 2-3
Salvaterrense – Rio Maior SC – 2-3
Fazendense – Samora Correia – 0-0 (2-3 g.p.)

O alinhamento dos jogos das meias-finais, agendados para o próximo dia 20 de Junho, o qual fora já previamente sorteado, é o seguinte:

Rio Maior SC – U. Tomar
Glória do Ribatejo – Samora Correia

Salvaterrense – Cartaxo – 4-1
Abrantes e Benfica – Mação – 3-2
Samora Correia – Moçarriense – 3-0
Fazendense – Riachense – 7-0 (10.06.2021)
Espinheirense – U. Tomar – 1-6
Entroncamento AC – Glória do Ribatejo – 1-2 (10.06.2021)
Rio Maior SC – Alcanenense – 5-0 (10.06.2021)
Fátima – Coruchense – (Desistência do Coruchense)

O alinhamento dos jogos dos 1/4 de final, agendados para dia 13 de Junho, o qual fora já previamente sorteado, é o seguinte:

U. Tomar – Fátima
Abrantes e Benfica – Glória do Ribatejo
Salvaterrense – Rio Maior SC
Fazendense – Samora Correia

Espinheirense

   Época  C/F  I Div.   II Div.   III Div.   Dist.   Dist. II   Taça Rib.

 1  2020-21  F      -        -         -         -         -       6-1

     Total          -        -         -         -         -       6-1
                    -        -         -         -         -     1V 0E 0D

Página seguinte »