Taça Ribatejo


opulsardocampeonato-2018-19-tribatejo-1-4-final

(“O Templário”, 31.01.2019)

O União de Tomar despediu-se do sonho da reconquista da Taça do Ribatejo, perdendo na sempre algo ingrata fórmula de desempate por via de pontapés da marca de grande penalidade, após ter imposto um empate no terreno do líder do campeonato. Por curiosidade, avançam para as meias-finais todas as quatro equipas que disputaram esta eliminatória em casa.

Destaques – O primeiro destaque da ronda relativa aos 1/4 de final da Taça do Ribatejo vai para a vitória do Abrantes e Benfica, grupo que milita no escalão secundário, frente ao Ferreira do Zêzere, por 3-1, ampliando para 18 triunfos consecutivos, em outros tantos encontros disputados, a sua fantástica série de êxitos nesta temporada, afastando assim da prova o segundo clube primodivisionário (após ter vencido e eliminado já, na fase de grupos, o Torres Novas).

Em Coruche, no desafio que colocava frente a frente o guia do campeonato, Coruchense, ao actual detentor do troféu da Taça do Ribatejo, U. Tomar, assistiu-se a um jogo que começou por ser equilibrado, com os donos da casa a tentar assumir a iniciativa, procurando aproveitar o vento favorável, embora sem situações concretas de golo para qualquer dos lados.

Porém, com pouco mais de meia hora, o cariz da partida alterar-se-ia de forma substancial, em função de uma jogada em que um jogador da casa atingiu impetuosamente Flávio Graça nas costas, recebendo imediata ordem de expulsão, enquanto o tomarense, forçado a abandonar o rectângulo de jogo, ficaria no chão a contorcer-se com fortes dores durante vinte minutos, até ser transportado para o hospital, não se vindo a confirmar, felizmente, os receios de fractura.

A partir daí, o Coruchense cedeu a iniciativa ao adversário, passando a jogar na expectativa do erro. Se, até final do primeiro tempo, com a preocupação pelo estado físico de Flávio a sobrepor-se, o jogo foi algo incaracterístico – sem prejuízo de os nabantinos terem reclamado ainda uma grande penalidade, não concedida pelo árbitro –, na segunda parte, o domínio seria praticamente total do U. Tomar, acabando os visitados por ser felizes, chegando ao golo inaugural, a meio desse período, após terem beneficiado de lance de bola parada.

Até final, os unionistas, empurrando o adversário para a sua zona defensiva, procurariam, com grande insistência, restabelecer o empate, o que, contudo, só viriam a alcançar já no terceiro minuto dos quatro de tempo de compensação, colocando alguma justiça no marcador, com a curiosidade de, em jogos sucessivos, a turma do Sorraia ter sofrido o tento da igualdade já para além dos 90 minutos, tal como ocorrera na semana anterior, em Santarém.

O União teria ainda oportunidade para consumar a reviravolta no marcador, antes de se chegar aos pontapés da marca de grande penalidade, situação em que, perdulário, não conseguiu concretizar nenhuma das suas três tentativas, com a bola sempre a subir demasiado, duas vezes por cima do travessão, e, na última, a embater com estrondo na barra da baliza. Após terem sido apurados, na eliminatória anterior, por esta via, os tomarenses acabariam por ser penalizados, num encontro em que, muito dignamente, enfrentando o comandante do campeonato, e em terreno alheio, com exibição globalmente superior ao seu oponente, caíram de pé.

Confirmações – Na capital do Distrito, o U. Santarém venceu o “derby” municipal, ante uma equipa do Amiense a atravessar fase de menor fulgor, sem conseguir triunfar nos últimos quatro jogos, superiorizando-se por 2-0, garantindo assim o apuramento para as meias-finais pelo segundo ano sucessivo.

Por fim, em Marinhais, a equipa da casa – única ainda sem se ter estreado a vencer no campeonato da I Divisão – ganhou ao Pontével, do escalão secundário, por tangencial 1-0, o suficiente para seguir em frente na competição, no seu melhor desempenho da última década.

As meias-finais, a serem disputadas a duas mãos, estão agendadas para 3 e 24 de Março, com os seguintes emparelhamentos: Abrantes e Benfica-Coruchense e U. Santarém-Marinhais.

Campeonato de Portugal – Confirmaram-se as expectativas de desempenho dos clubes representativos do Distrito, na 19.ª jornada do Nacional, com o Fátima a obter um resultado positivo (nulo) na deslocação à Sertã, frente ao Sertanense (agora a última equipa acima da “linha de água”), enquanto o Mação foi, com alguma naturalidade, derrotado em Leiria (3-0) pelo novo líder da prova, U. Leiria.

Os fatimenses mantêm a 9.ª posição, tendo ampliado para doze pontos a sua margem de segurança em relação a tal linha, quando faltam disputar 15 jornadas. De forma simétrica, o Mação, que subsiste como “lanterna vermelha”, dista agora doze pontos do conjunto da Sertã.

Antevisão – Na retoma dos campeonatos Distritais, o grande realce vai para o confronto entre U. Almeirim e U. Santarém, dois dos principais candidatos ao título. Por outro lado, com o Amiense a enfrentar também um teste difícil na deslocação a Ferreira do Zêzere, Coruchense (recebendo a formação da Glória do Ribatejo) e Cartaxo (que terá a visita do Alcanenense) poderão aproveitar a perda de pontos de algum ou alguns dos seus mais directos concorrentes.

O U. Tomar recebe o Fazendense, tendo em mira a possibilidade de começar a subir na tabela, enquanto o Torres Novas – por curiosidade, depois de toda a primeira volta sem vencer, a única equipa que ganhou os dois jogos já disputados na segunda volta (tendo batido o Glória do Ribatejo por 2-0, em jogo em atraso da 14.ª jornada, realizado no passado fim-de-semana) – joga também em casa, ante o Samora Correia, entretanto beneficiado com a sanção imposta ao Marinhais (derrota por 0-3, em partida da ronda inaugural, por ter efectuado quatro substituições no segundo tempo, sendo o limite regulamentar de três alterações no “onze” em tal período).

No escalão secundário, a Norte, destaca-se o Caxarias-Riachense, decisivo para as eventuais aspirações dos comandados de Marco Marques, recebendo o U. Tomar “B” a equipa da Ortiga. A Sul, nota para o Rio Maior-Forense, actuais 1.º e 3.º classificados, podendo também o Moçarriense “carimbar” desde já o apuramento para a fase final, caso vença o Benavente.

No Campeonato de Portugal, o Fátima recebe uma equipa do Alverca em recuperação na pauta classificativa, num jogo em que não deverá esperar facilidades; por seu lado, o Mação, actuando também em casa, defronta o Anadia, actualmente no 5.º lugar, ainda na expectativa da possibilidade de alcançar as duas primeiras posições, distando somente três pontos do 2.º posto.

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 31 de Janeiro de 2019)

Anúncios

CORUCHENSE – Gonçalo Guerra, Miguel Seninho (45m – Lourenço Lopes), Márcio Semeano (c.), Rodrigo Martins, Cajarana, Michael Segun, Kevin Roxenborg, Joel Simões, Heta, João Costa (84m – Gonçalo Benavente) e David Silva (90m – Sadjó Buaro)

U. TOMAR – Nuno Ribeiro, David Vieira, Fábio Vieira, Filipe Cotovio, Allan Peixoto, Douglas Pissona (84m – António Pinto), Nuno Rodrigues (c.), Flávio Graça (38m – Rafael Santana), Rui Pedro Lopes (71m – João Victor Ribeiro), Pedro Pires e João Pedro Nascimento (84m – André Lopes)

(suplentes – João Brito, Diogo Gaspar e Telmo Ferreira)

1-0 – Joel Simões – 68m
1-1 – André Lopes – 90m

No desempate da marca de grande penalidade, o U. Tomar não conseguiu concretizar nenhuma das três tentativas de que dispôs, tendo Nuno Rodrigues e António Pinto rematado por cima da trave e André Lopes acertado na barra. O Coruchense ganhou este desempate, tendo convertido três das das suas quatro tentativas (Nuno Ribeiro defendeu uma delas).

Cartões amarelos – Lourenço Lopes (75m), João Costa (80m) e David Silva (90m); Flávio Graça (36m), Rui Pedro Lopes (62m) e Douglas Pissona (66m)

Cartão vermelho – Michael Segun (34m)

Árbitro – Roberto Felisberto

Marinhais – Pontével – 1-0
U. Santarém – Amiense – 2-0
Coruchense – U. Tomar – 1-1 (3-0 g.p.)
Abrantes e Benfica – Ferreira do Zêzere – 3-1

O alinhamento das meias-finais, já previamente sorteado (jogos a realizar a 3 e 24 de Março de 2019), será o seguinte:

Abrantes e Benfica – Coruchense
U. Santarém – Marinhais

O pulsar do campeonato - 2018-19 - TRibatejo-1-8final

(“O Templário”, 27.12.2018)

Pela sexta vez nas últimas dez temporadas, o União de Tomar garantiu o apuramento para os quartos-de-final da Taça do Ribatejo, registo apenas superado pelo Amiense (com sete presenças em tal fase da competição, durante esse período). Numa ronda (1/8 de final) marcada por quatro igualdades a um golo (nos oito desafios disputados), é de assinalar ainda a eliminação do U. Almeirim, menos eficaz no desempate da marca de grande penalidade, permitindo ao Marinhais seguir em frente na prova.

Destaques – No encontro de maior cartaz dos 1/8 de final, o U. Tomar afastou o Fazendense, clube com o palmarés mais recheado de entre todas as formações do Distrito, sendo recordista de títulos na competição, com quatro troféus conquistados (três dos quais na última década).

Numa partida em que o equilíbrio foi nota dominante, tendo rareado as oportunidades de golo, o grupo das Fazendas de Almeirim começaria por chegar à vantagem no marcador logo aos cinco minutos, na sequência de um pontapé de canto, o que, nos minutos seguintes, provocou algum abalo de confiança dos unionistas, tendo experimentado, no decurso do primeiro tempo, dificuldades na construção de lances que pudessem levar perigo até junto da área contrária.

Na metade complementar, os tomarenses, assentando o seu jogo, foram persistindo, não abdicando nunca de procurar chegar ao empate, o que viriam a conseguir por volta da passagem da hora de tempo decorrido, numa boa combinação, a que João Pedro Nascimento deu a melhor sequência. Até final, a assinalar apenas mais uma boa ocasião para os donos da casa, já à entrada dos derradeiros dez minutos, mas sem eficácia na concretização, tendo subsistido o 1-1 no marcador até ao termo do tempo regulamentar (noventa minutos, sem prolongamento).

No desempate da marca de grande penalidade, o Fazendense falhou primeiro, com um remate ao poste, tendo, de seguida, os tomarenses permitido também a defesa do guardião contrário. Já depois de nova tentativa desperdiçada por parte dos homens das Fazendas, a explosão de júbilo dos unionistas surgiria com a defesa do seu jovem guarda-redes, Mahal Miranda, a deter o quinto remate do adversário, o que, com o marcador em 3-2, dispensou, desde logo, o que seria o último pontapé dos visitados.

Para além das surpresas desta ronda, de seguida referenciadas, realce igualmente para o bom desempenho evidenciado pelo Pego, vice-líder da série A da II Divisão, que impôs também um empate a uma bola, na recepção ao U. Santarém – que tem ocupado idêntica posição na tabela classificativa, mas no principal escalão –, vindo a baquear apenas no desempate da marca de grande penalidade, impedido o culminar do que teria sido o desfecho teoricamente mais imprevisto da eliminatória.

Surpresas – Nos outros dois jogos que se saldaram por empates (1-1), a principal surpresa foi a eliminação do U. Almeirim, que, pela segunda vez nesta época não conseguiu vencer em Marinhais (depois da igualdade ali registada, pela mesma marca, em encontro do campeonato), tendo os almeirinenses acabado por vir a ser desfeiteados por via da já referida fórmula de desempate.

Em Pontével, a equipa da casa alcançou o mesmo desfecho ante o Rio Maior, vindo a ser bem-sucedida da marca de grande penalidade, constituindo, a par do Abrantes e Benfica, o duo de sobreviventes na Taça, de entre os clubes da divisão secundária.

Confirmações – Nos restantes desafios, os favoritos impuseram a sua lei, vencendo com maior ou menor dificuldade.

Os dois líderes da I Divisão, Amiense e Coruchense, bateram dois adversários do escalão inferior, respectivamente, o Moçarriense (2-0, em Amiais de Baixo) e a equipa sensação da fase de grupos da Taça do Ribatejo (que afastara o Cartaxo), o Espinheirense (3-0, no Espinheiro, a favor do grupo do Sorraia).

Por seu lado, o Ferreira do Zêzere eliminou, por tangencial 1-0, o Riachense, clube também com fortes pergaminhos na competição (conta três troféus no seu palmarés).

Quanto ao líder da II Divisão, Abrantes e Benfica, voltou a ganhar, em duas semanas sucessivas, ante um mesmo opositor, tendo, desta feita, repetido a goleada, no reduto do Aldeiense: depois dos 8-1 registados na passada semana, no encontro a contar para o campeonato, venceu agora por 4-0, no confronto da Taça.

Para além da sétima presença do Amiense, e sexta do U. Tomar, nos quartos-de-final da Taça do Ribatejo, nas dez últimas edições da prova, o Coruchense obteve o seu 5.º apuramento, o U. Santarém passa a registar agora quatro, face a três do Ferreira do Zêzere e dois do Abrantes e Benfica; Marinhais e Pontével estreiam-se nesta fase da competição, no referido período.

A próxima eliminatória, agendada para 27 de Janeiro de 2019, terá o seguinte alinhamento de jogos: o encontro entre estes dois “estreantes”, Marinhais-Pontével; o “derby” municipal da capital do Distrito, U. Santarém-Amiense; o Coruchense-U. Tomar, outra vez com os nabantinos em embate do maior grau de dificuldade; e Abrantes e Benfica-Ferreira do Zêzere.

Campeonato de Portugal – Aproveitando a folga no calendário do Campeonato de Portugal, para disputa dos 1/8 de final da Taça de Portugal, o Fátima antecipou o desafio da próxima jornada (16.ª, agendada para 6 de Janeiro), tendo sido desfeiteado, no seu terreno, pelo Oliveira do Hospital (0-2), mantendo a 10.ª posição, não tendo conseguido afastar-se da “linha de água”.

Antevisão – Os campeonatos (Distritais e de Portugal) apenas terão a retoma do respectivo curso normal das jornadas já no novo ano.

Entretanto, estão agendados para o próximo fim-de-semana alguns encontros para acerto de calendário, que haviam sido adiados devido ao mau tempo: na I Divisão Distrital, o U. Almeirim-At. Ouriense (da 8.ª jornada), que poderá, em caso de triunfo dos almeirinenses, deixá-los somente a um escasso ponto do duo da liderança – a outra partida que estava em atraso, entre Glória do Ribatejo e Alcanenense, realizou-se no passado domingo, com triunfo categórico dos donos da casa, por 3-0, “afundando” ainda mais a formação de Alcanena; no escalão secundário, teremos o Salvaterrense-Espinheirense e Benavente-Rio Maior (7.ª jornada).

(Artigo publicado no jornal “O Templário”, de 27 de Dezembro de 2018)

U. TOMAR – Mahal Miranda, David Vieira (89m – Rafael Faustino), Fábio Vieira, Bruno Monteiro, Douglas Pissona (77m – Kiko), Nuno Rodrigues (c.), António Pinto (45m – Diogo Gaspar), Rui Pedro Lopes, Natan Gonçalves (89m – André Lopes), Rafael Santana e João Pedro Nascimento

(suplentes – Nuno Ribeiro, Daniel Bento e Ricardo Natividade)

FAZENDENSE – José Vieira, Cláudio Cardoso, Diogo Oliveira, Fábio Fidalgo (c.), Paulo Liká, Tiago Laranjeira, Pedro Guedes (45m – Isas), Tigas (66m – Beny), Wilson Monteiro, Tiago Martins e Bernardo Rama (80m – André Rocha)

 

0-1 – Tiago Martins – 6m
1-1 – João Pedro Nascimento – 66m

Cartões amarelos – Não houve

Árbitro – Adelino Crespo

Pontével – Rio Maior – 1-1 (4-2 g.p.)
Pego – U. Santarém – 1-1 (2-4 g.p.)
Amiense – Moçarriense – 2-0
Espinheirense – Coruchense – 0-3
Ferreira do Zêzere – Riachense – 1-0
Aldeiense – Abrantes e Benfica – 0-4
Marinhais – U. Almeirim – 1-1 (4-3 g.p.)
U. Tomar – Fazendense – 1-1 (3-2 g.p.)

Serão os seguintes os jogos dos 1/4 de final, agendados para 27 de Janeiro de 2019:

Marinhais – Pontével
U. Santarém – Amiense
Coruchense – U. Tomar
Abrantes e Benfica – Ferreira do Zêzere

Hertz

Está de regresso a “prova rainha” do futebol distrital, com a disputa, neste Sábado, da eliminatória correspondente aos 1/8 de final da Taça do Ribatejo.

O desafio de maior cartaz desta tarde será o U. Tomar-Fazendense, um “jogo de tripla”, entre o actual detentor do troféu e uma equipa que tem também fortes pergaminhos nesta prova, detendo aliás o palmarés mais recheado de entre todos os clubes do Distrito, sendo recordista de títulos na competição (quatro, dos quais três conquistados na última década).

O historial de confrontos entre ambos os emblemas – em estreia a nível da Taça do Ribatejo, competição com particularidades muito específicas, dado o seu cariz de prova a eliminar, a partir desta fase – oferece-nos perspectivas diversas:

  • se considerarmos a globalidade dos encontros entre a turma unionista e o grupo das Fazendas de Almeirim, regista-se um equilíbrio absoluto, com 10 vitórias para cada lado e 13 empates, nas 33 vezes que se defrontaram em jogos oficiais;
  • restringindo a análise aos desafios disputados em Tomar nas últimas oito temporadas, passamos a ter ligeira vantagem do Fazendense (3 triunfos e 4 empates, face a duas vitórias do União);
  • por fim, num outro prisma complementar, é de assinalar que os tomarenses não perdem ante este adversário há seis anos, num total de doze partidas entretanto disputadas, período durante o qual venceram por cinco vezes (a última delas, já na presente época, no reduto do adversário), tendo empatado em sete ocasiões.

Nesta ronda regista-se um único outro encontro entre equipas do principal escalão: Marinhais-U. Almeirim, que, por curiosidade, se defrontaram já nesta temporada, para o campeonato, tendo-se registado uma igualdade a um golo. Os almeirinenses voltam a assumir maior dose de favoritismo, faltando saber como reagirão ao desaire caseiro sofrido na passada semana, ante o Cartaxo.

Em Amiais de Baixo, o novo (co-)líder do campeonato, recebe o Moçarriense, num “derby” municipal, sendo que as últimas quatro vezes que os dois clubes se cruzaram, sempre na I Divisão Distrital, o Amiense venceu em todas elas, com um “score” agregado de 12-3 em golos, o que vem corroborar o forte favoritismo que lhe é creditado para a partida desta tarde.

A equipa sensação da fase de grupos da prova, Espinheirense (que, militando no escalão secundário – campeonato no qual, aliás, regista desempenho sofrível, ocupando o antepenúltimo lugar da série Sul – eliminou o poderoso Cartaxo, depois de impor um empate a três golos em terreno alheio) recebe o outro comandante da I Divisão, Coruchense.

Por curiosidade, estas duas equipas já se defrontaram, nesta época, em partida a contar para essa fase de grupos da Taça do Ribatejo, disputada em Coruche, tendo, na ocasião, o Coruchense goleado por 4-0. No jogo de hoje, a formação do Sorraia volta, naturalmente, a dispor de amplo favoritismo a seguir em frente.

De interesse será também a eliminatória entre o Pego (vice-líder na II Divisão) e o U. Santarém (que tem ocupado idêntica posição no principal escalão).

As últimas vezes que estes dois clubes se defrontaram ocorreram já na época de 2015-16, em jogos a contar para o campeonato distrital da II Divisão, com um empate a zero na fase regular da prova, tendo os pegachos vencido por 2-0 na fase final, que lhes proporcionou então a promoção ao escalão principal.

Os escalabitanos são também claros favoritos no encontro de hoje, mas estarão certamente alerta para os riscos que correm, perante as surpresas que habitualmente ocorrem em jogos de Taça.

No quarto desafio entre equipas de escalão diferente, o Ferreira do Zêzere recebe o Riachense, reeditando um confronto, curiosamente já registado na época passada, também a contar para a Taça do Ribatejo, igualmente nos 1/8 de final, então com o desfecho a saldar-se num empate a uma bola, tendo os ferreirenses sido mais certeiros no desempate da marca de grande penalidade. Os dois conjuntos defrontaram-se também no campeonato da temporada passada, neste caso com vitória da formação de Ferreira por 4-2.

Esta tarde, os donos da casa voltam a ser favoritos, mas a turma dos Riachos, já com três troféus no seu palmarés, não deixará de procurar causar surpresa…

Por fim, dois jogos entre clubes da II Divisão: Pontével-Rio Maior e Aldeiense-Abrantes e Benfica.

Em Pontével, repete-se um embate já registado por duas vezes esta temporada, mas em Rio Maior: na fase de grupos da Taça, com um empate a dois golos; no campeonato, com triunfo dos riomaiorenses por 2-0. Atendendo ao escalonamento de ambos os clubes no campeonato, os visitantes beneficiam também de maior dose de favoritismo.

De registar ainda a curiosidade de nova “repetição” de jogos do Abrantes e Benfica em semanas sucessivas (depois de ter defrontado por duas vezes seguidas o Riachense), voltando, agora, a cruzar-se com o Aldeiense, depois de ter goleado, na semana passada, por 8-1, no terreno do adversário. Como não há dois jogos iguais, os abrantinos deverão ter menos facilidades, mas, com forte probabilidade, garantirão o apuramento para os 1/4 de final da Taça.

(Texto da rubrica da Rádio Hertz, com a perspectiva da jornada – 22.12.2018)

Página seguinte »